Artigo

Resolução das Questões de Biologia PM Al. Oficial FGV 2021 (tipo 1)

Questão 69

Em 1978, o dissidente búlgaro Georgi Markov morreu depois de ter sido ferido pela ponta de um guarda-chuva, em uma rua de Londres. Durante a autópsia, foi encontrada em sua perna uma bolinha de metal que continha uma substância venenosa.

A análise posterior da substância revelou que ela atuava como uma enzima, removendo uma base púrica (adenina) do RNA dos ribossomos, inativando-os e causando a morte da célula.

A ação dessa substância é letal, pois 

(A) causa uma mutação nos códons, levando a célula a produzir proteínas defeituosas.

(B) interrompe o processo de tradução, impedindo a célula de produzir novas proteínas.

(C) suspende a síntese de aminoácidos e, consequentemente, de proteínas.

(D) bloqueia a replicação de DNA, impossibilitando a célula de se dividir.

(E) inviabiliza a transcrição e a célula deixa de produzir novas moléculas de RNA.

Comentário.

A substância citada no texto é a Ricina, uma proteína de origem vegetal produzida por plantas de mamona (Ricinus communis). Como ela atua bloqueando o funcionamento de ribossomos, espera-se que o procedimento de tradução seja prejudicado, impedindo ou reduzindo a níveis perigosos a síntese de proteínas nas células. Resposta B.

Questão 70

Em uma investigação, uma mulher do grupo sanguíneo O, cuja filha tem o mesmo fenótipo materno, alega que um determinado homem é o pai da criança.

O sangue desse homem, em um teste de tipagem sanguínea, apresentou o comportamento da tabela a seguir.

AglutininasComportamento da amostra de sangue
Anti-A           aglutinou  
Anti-B           não aglutinou  

Os pais biológicos desse homem são ambos receptores universais.

Desta forma, segundo o sistema ABO, ele

(A) pode ser o pai da criança, pois o seu genótipo é IAi, apresentando o alelo i encontrado em dupla dose na pretensa filha.

(B) não pode ser o pai da criança, pois o seu genótipo é IBIB, não apresentando o alelo i encontrado em dupla dose na pretensa filha.

(C) pode ser o pai da criança, pois os pais desse homem são do grupo AB e ele, B.

(D) não pode ser o pai da criança, pois o seu genótipo é IAIA, não apresentando o alelo i existente em dupla dose na pretensa filha.

(E) pode ser o pai da criança, pois o seu genótipo é IBi, presentando o alelo i existente em dupla dose na pretensa filha.

Comentário

O sistema ABO é determinado geneticamente por 3 alelos que apresentam relação de codominância: IA, IB e i. Indivíduos homozigotos para o alelo i apresentam o fenótipo O. A presença dos demais alelos determina a presença de glicoproteínas de membrana nos eritrócitos, gerando os fenótipos A, B e AB com os respectivos genótipos IAIA e IAi, IBIB e IBi e IAIB.  Os testes para determinação de tipo sanguíneo são efetuados adicionando-se soro que contêm anticorpos contra a proteína de membrana que o eritrócito expressa. Esses anticorpos, também chamados de aglutininas, causam aglutinação das células vermelhas quando há a presença da glicoproteína aglutinógena. Assim, caso adicionemos anticorpos anti-A em sangue tipo A, ocorrerá a aglutinação da amostra. No caso em questão, o sangue do suposto pai ocasionou aglutinação no soro anti-A, indicando a presença da glicoproteína de membrana A nas células vermelhas do sangue do indivíduo. O texto informa que o indivíduo é filho de pais receptores universais. Pessoas com essa característica apresentam sangue do tipo AB, já que em seu plasma não há anticorpos anti A ou anti B, de forma que podem receber sangue de todos os tipos. Tendo em vista o fenótipo apresentado pelos pais ser AB, determina-se o seu genótipo como sendo IAIB. Em ambos, não encontramos o alelo i. Assim, pode-se determinar o genótipo do suspeito como sendo IAIA, o que o exclui da possibilidade de ser pai da criança que apresenta o sangue O e, portanto, o genótipo ii. Resposta D.

Questão 71

A palinologia (estudo do pólen) é uma importante ferramenta na obtenção de evidências que podem vir a contribuir para a elucidação de diversos tipos de crime.

Em geral, cada ambiente apresenta um padrão específico de distribuição de pólen, porque isso reflete a variedade das espécies que o compõem e em qual proporção. Assim, a análise da composição do pólen coletada em uma investigação pode ajudar a identificar, por exemplo, o lugar de deposição de um cadáver ou associar suspeitos e objetos ao local de um crime.

Com relação à biologia dos grãos de pólen e seu uso na investigação forense, analise as afirmativas a seguir.

I. Os grãos de pólen são considerados, juntamente com os vasos condutores, uma adaptação essencial à sobrevivência vegetal no ambiente terrestre. Tais estruturas estão presentes em pteridófitas (samambaias), gimnospermas (pinheiros) e angiospermas (plantas com flores).

II. Os grãos de pólen coletados na roupa de um suspeito podem, se colocados para germinar, dar origem a novas plantas, que, após identificação, podem indicar locais frequentados por

ele.

III. O transporte dos grãos de pólen pode ser feito pelo vento, pela água ou por animais. O cheiro e as cores de certas flores são fundamentais para a atração de agentes polinizadores,

como abelhas, morcegos e moscas.

Está correto o que se afirma em

(A) I, apenas.

(B) II, apenas.

(C) III, apenas.

(D) I e II, apenas.

(E) I e III, apenas.

Comentário:

O grão de pólen corresponde ao gametófito masculino imaturo das fanerógamas, ou seja, dos filos Gimnosperma e Angiosperma. Trata-se de uma estrutura formada por meiose a partir de células do microsporângio, as quais sofrem mitose e dão origem ao gametófito masculino maduro quando ocorre a formação do tubo polínico. Esta estrutura não ocorre em pteridófitas, que se reproduzem por esporos que formam uma estrutura hemafrodita (o prótalo) a qual irá dar origem aos gametângios. Assim, a afirmativa I está incorreta. Os grãos de pólen não podem ser germinados. Eles participam da fecundação que irá originar as sementes. Estas sim, estruturas que podem ser plantadas e germinadas. Assim, a afirmativa II também está errada. Os grãos de pólen apresentam projeções que servem como asas ou como espinhos para aderirem a animais, conforme está descrito na afirmativa III. Resposta C.

Questão 72

Após o 11 de setembro, o governo dos Estados Unidos passou a admitir o uso de patógenos como arma de guerra. No caso de um ataque por anthrax, por exemplo, o estabelecimento de medidas de contenção seria importante, porque, ao ser inalado, acarreta 100% de mortalidade, caso não haja tratamento imediato. O anthrax é altamente resistente, tem período de incubação de um a seis dias, sintomas iniciais similares à influenza e requer

profilaxia antibiótica longa.

https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-11042015000401138&lng=en&nrm=iso&tlng=pt

Acesso em 28/02/2021. Adaptado.

O anthrax é

(A) uma bactéria, organismo unicelular eucariótico.

(B) um fungo, organismo unicelular eucariótico.

(C) um protozoário, organismo unicelular eucariótico.

(D) um fungo, organismo unicelular procariótico.

(E) uma bactéria, organismo unicelular procariótico.

Comentário:

O anthrax é uma bactéria. Bactérias são organismos unicelulares, procariontes. Resposta E.

Questão 73

A capacidade dos insetos de sentirem odores faz com que eles sejam os primeiros a chegar ao local de um corpo em decomposição. Os odores exalados por um cadáver vão se modificando no decorrer da decomposição, o que os torna mais ou menos atrativos para diversas espécies.

A análise dos insetos encontrados em um cadáver pode determinar, entre diversos aspectos, a data da morte, o uso de drogas, o intervalo pós-morte e se o corpo foi manipulado ou transportado de um local para outro.

Sobre a biologia desses insetos, analise as afirmativas a seguir e assinale (V) para a verdadeira e (F) para a falsa.

( ) Os insetos pertencem ao filo Arthropoda, filo que agrupa o maior número de espécies animais descritas; a presença de um exoesqueleto quitinoso e as patas articuladas são

características do grupo.

( ) Os insetos, em um cadáver, ocupam diversos nichos; os que se alimentam do corpo em decomposição, mas também de vegetais, são chamados onívoros.

( ) Os ovos dos insetos holometábolos (que sofrem metamorfose completa) depositados em um cadáver que contenha cocaína podem ter sua forma de desenvolvimento acelerada, dando origem a adultos sem passar pelas fases de larva e pupa.

As afirmativas são, segundo a ordem apresentada,

respectivamente,

(A) F – V – F.

(B) F – V – V.

(C) V – F – V.

(D) V – V – F.

(E) F – F – V.

Comentário:

Insetos são do subfilo Hexapoda, cujo nome, literalmente, quer dizer seis pernas. Eles pertencem ao filo dos artrópodes, composto por organismos que apresentam os apêndices articulados. Todos os artrópodes compartilham como características: exoesqueleto de quitina, corpo segmentado e apêndices articulados e pareados. Portanto, a primeira afirmativa é verdadeira. Insetos apresentam diversos hábitos alimentares. Na biologia, classificamos os animais como herbívoros quando somente se alimentam de vegetais; carnívoros quando somente se alimentam de carne proveniente de outros seres vivos; onívoros quando apresentam alimentação variada, podendo se alimentar de carne e de vegetais. Assim, a segunda afirmativa também é verdadeira. Estudos demonstram que a presença de algumas toxinas no cadáver pode afetar o desenvolvimento dos insetos. Em 2012, em artigo publicado na revista Forensic Science International, Carvalho e colaboradores fizeram experimentos com moscas do gênero Chrysomya, cujas larvas foram estimuladas a crescerem se alimentando de cadáver intoxicado com cocaína. Os pesquisadores notaram que de fato a velocidade do desenvolvimento foi maior nos animais que se alimentaram do cadáver intoxicado do que nos animais que se alimentaram de cadáveres não intoxicados. Não obstante, a metamorfose ocorreu normalmente, como esperado, já que se trata de insetos holometábolos. Estes organismos devem obrigatoriamente passar pelos processos metabólicos que descontroem o corpo das larvas dentro das pupas, para emergirem os adultos. Portanto, a terceira afirmativa é falsa. Resposta  D.

Questão 74

De modo simplificado, os marcadores genéticos são trechos específicos de moléculas de DNA que apresentam grande variação entre os diversos indivíduos da mesma espécie (polimorfismo). No caso da espécie humana, cada pessoa possui, para um determinado marcador, duas possibilidades de variação (alelos): uma proveniente da mãe e a outra, do pai.

Os marcadores são amplamente utilizados na identificação de cadáveres, autores de assassinatos e de estupros, bem como em testes de paternidade.

Caso se queira determinar, entre dois homens que são irmãos consanguíneos, qual deles é o pai de um menino, os marcadores que efetivamente serão diferenciais nessa identificação estão localizados

(A) nos cromossomos autossômicos.

(B) no cromossomo Y.

(C) no DNA mitocondrial.

(D) apenas na região do cromossomo X não homóloga ao

cromossomo Y.

(E) apenas na região homóloga do DNA mitocondrial.

Comentário:

O texto explica as bases moleculares e genéticas para identificação de pessoas por “marcadores” presentes no nosso genoma. Para identificação de paternidade entre dois irmãos, o melhor método é a utilização de cromossomos autossômicos. Como são irmãos, o Y que eles receberam é o mesmo proveniente do pai. Este mesmo Y foi passado para o filho, portanto, não existe poder de discriminação individual neste caso. O DNA mitocondrial sofre herança quase exclusivamente materna, o que dificulta a diferenciação entre as linhagens masculinas, já que o filho terá o DNA mitocondrial somente da mãe. Os irmãos devem apresentar diferenças em pelo menos 50% de seu genoma autossômico. Assim, dentre as alternativas, a que pode trazer maior capacidade de discriminação seria a utilização de cromossomos autossômicos. Resposta A.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja os comentários
  • Nenhum comentário enviado.