Recursos para a Prova Objetiva da PRF - Como Fazer?
Heber Carvalho

Recursos para a Prova Objetiva da PRF – Como Fazer?

Recursos Prova Objetiva PRF: guia completo

O Cebraspe/Cespe, banca organizadora do concurso da Polícia Rodoviária Federal divulgou nesta segunda-feira os gabaritos oficiais preliminares da prova objetiva aplicada no último domingo.

Segundo o edital do concurso, o prazo para recursos contra o gabarito preliminar da prova objetiva estão aberto entre os dias 5 e 6 de fevereiro de 2019: são apenas dois dias úteis para preencher o formulário de interposição de recurso.

Diante do tempo escasso, estou aqui para orientá-los sobre como fazer recursos para a prova objetiva do concurso PRF. Você poderá, evidentemente, utilizar estas informações para elaborar recursos para outras provas objetivas de concursos públicos. Daremos especial atenção, no entanto, ao procedimento do Cespe.

Lembre-se que todo o processo de interposição de recursos para provas de concursos públicos é feito pela internet, em um formulário próprio disponibilizado no portal do concurso hospedado no site da banca.

Como sempre há questões passíveis de anulação, é preciso ficar atento, pois caso anulada, ela pode se tornar um ponto importante no resultado final. A primeira orientação é tomar cuidado na hora de interpor o seu recurso.

Primeiro porque você precisa ter um argumento bem fundamentado, e, segundo, elaborar um recurso para cada questão que você pretende recorrer.

Mas fique tranquilo que nesta página você terá toda orientação necessária para um melhor recurso na Prova Objetiva da PRF.

Perguntas frequentes!

1) O que acontece se a questão for anulada? É válido para todos?
A resposta é sim! Se a questão do concurso for anulada, os pontos a ela correspondentes serão atribuídos a todos os candidatos..

2) O que acontece se a alternativa correta for trocada após recursos?
Os candidatos que marcaram a alternativa correta (de acordo com o novo gabarito), receberão a pontuação. Já os candidatos que marcaram a alternativa que antes era dada como certa, perderão a pontuação com o novo gabarito.

Prazo para recursos PRF (CESPE)

O prazo para interposição de recursos é de dois dias úteis, entre as 9h do dia 5 de fevereiro e as 18h do dia 6 de fevereiro. Por isso, esteja com seus argumentos prontos e bem fundamentados.

Acompanhe em nosso site as correções e os comentários de nossos professores, que eles indicarão quais questões serão passíveis de anulação e merecem recurso.

Onde apresentar o recurso?

O recurso deverá ser apresentado no site do Cespe, dentro do prazo estabelecido no edital, no caso entre os dias 5 e 6 de fevereiro. Lembre-se que não serão aceitos recursos feitos, por exemplo, por correio eletrônico (e-mail) ou por carta.

Abaixo você confere onde está disponibilizado o acesso aos formulários de interposição de recursos. Note que é possível recorrer também em relação ao padrão de resposta preliminar da prova discursiva, aplicada na mesma data:

recursos prova objetiva prf

A partir deste ponto, apenas os candidatos têm acesso ao sistema de interposição de recursos no site do Cespe.

Recursos Prova Objetiva PRF: instruções gerais

Abaixo você confere uma reprodução da página inicial de interposição de recurso contra o gabarito oficial preliminar da prova objetiva do concurso PRF.

Note que você deverá indicar a “categoria” do recurso (motivo da interposição) e argumentação que justifica o seu deferimento, que deve ser lógica, consistente e concisa.

recursos prova objetiva prf

A partir daí o candidato será redirecionado a outra tela, onde deverá indicar que pretende submeter recurso contra o mérito dos itens ou sugestão para o aprimoramento do processo.

recursos prova objetiva

Após a escolha pela submissão de “recurso”, o candidato chegará enfim ao formulário para o preenchimento do recurso propriamente dito. É necessário indicar o item objeto do recurso e a sua categoria:

recursos prova objetiva prf

Vale frisar que você deve redigir um recurso para cada item. Não cometa o erro de argumentar sobre dois itens no mesmo recurso, ao mesmo tempo (mesmo se as questões tiverem o mesmo assunto e ou se referirem ao mesmo texto, por exemplo).

Redigindo seu recurso

Ao redigir seu recurso, você precisa valer-se de algum método. Diferentemente de outras bancas, como a Vunesp, que divide o recurso em duas partes para preenchimento livre do candidato (questionamento e embasamento), nos recursos do Cespe o candidato terá apenas um campo redigir o recurso.

Como dissemos antes, será necessário indicar uma das quatro categorias:

  • extrapolação dos objetos de avaliação;
  • discordância do gabarito;
  • erro de Língua Portuguesa; e
  • problema na divulgação do gabarito.

Ao começar a argumentação é necessário indicar brevemente e da forma mais direta possível porque você escolheu uma dada categoria.
Muitos candidatos querem começar o recurso argumentando as razões pelas quais a questão deve ser anulada. 

Na primeira parte do recurso, seja objetivo de modo que a banca entenda a sua solicitação sem dificuldades.

Para facilitar a sua visualização, vamos nos valer de um exemplo extraído da Vunesp, do concurso do Tribunal de Justiça de São Paulo para Escrevente Técnico Judiciário. Embora aqui, como já mencionamos, o formulário de recursos tenha dois campos, você pode aplicar essa metodologia na redação do seu recurso para a PRF.

1 – Questionamento

Recurso Prova Objetiva prf

Veja que, no questionamento, você vai direto ao que interessa, sem rodeios. Lembre-se de que o examinador terá que ler centenas (ou milhares) de recursos. E o pedido precisa ser claro, e, principalmente, específico.

A especificidade é importante, pois o examinador não tem tempo hábil para divagações do tipo “Solicito a revisão geral da questão” ou “Prezada banca examinadora, acredito que a questão foi mal formulada”…, etc, etc, etc.

Coisas desse tipo são muito vagas. Portanto, serão ignoradas ou já contarão com a má vontade do examinador. Se você quer uma mudança de gabarito, DIGA. Se você quer anulação da questão, DIGA.

Se uma questão tem duas alternativas corretas, é só você escrever isso, de forma objetiva. Se o gabarito da banca está errado, diga isso (educadamente, é claro, mas diga). Não é prazeroso para o examinador ler recursos contra as questões elaboradas por ele ou pela equipe de que ele faz parte.

Portanto, ajude-o a ajudar você! E isso começa sendo direto ao ponto.

Outra observação: é interessante você repetir o texto da questão. Sim, eu sei que, na hora de redigir o recurso, o sistema já pede para você dizer de qual questão se trata (é o primeiro campo a se preencher). Então, o examinador já sabe (ou deveria saber).

Mas repetir o texto da questão vai fazê-lo economizar tempo. Vai facilitar o trabalho do examinador. Então, ele ficará grato se você for direto ao ponto e logo depois ainda colocar o texto da questão.

2 – Embasamento

Na hora do embasamento, diga de modo claro por que estão certas as alternativas que o examinador considerou erradas. Ou diga por que estão erradas as alternativas que o examinador considerou corretas.

Use documentos oficiais ou bibliografias recomendadas.

Como fundamentar meu recurso?

Caso julgue necessário, vá à biblioteca da sua cidade. Procure livros e fundamente a resposta com passagens bibliográficas de autores importantes. Não seja preguiçoso, especialmente se 01 ou 02 pontos podem mudar sua classificação no concurso.

Outra observação importante é quanto ao estilo textual. Nessa hora, é importante você saber que existe outra pessoa lendo o seu recurso. Então, evite ataques ao examinador, usando termos “isso foi um absurdo”, “a banca errou”, “fui feito de palhaço”, etc.

Muito menos exponha seus sentimentos dizendo que falta apenas 01 ponto para atingir o mínimo, ou dizer que estuda há muitos anos e que precisa deste ponto, ou dizer que é uma injustiça ter estudado tanto aquele conteúdo para chegar na prova e a banca formular uma questão daquelas.

Sei, sei … tudo isso acima pode até ser verdade (e é na maioria dos casos!). Mas evite “desabafar” na hora do recurso.

Acredite, isso não vai te ajudar, ok?

Ataque, mas não com desabafos. Use argumentos. Não adianta dizer que algo está errado (ou certo). PROVE o seu ponto com base na lei, bibliografias recomendadas, jurisprudência (se for o caso), etc.

Por fim, ao terminar o embasamento, reforce o seu pedido (anulação ou alteração de gabarito).

Exemplo de recurso

Abaixo, segue um exemplo de recurso

QUESTIONAMENTO:

Conforme será comprovado em documentos oficiais, esta questão possui 03 alternativas corretas: (B), (D) e (E). Portanto, pede-se a anulação da questão, cujo enunciado e alternativas estão a seguir:

59. (Vunesp – Auditor de Controle Interno – CGM SP – 2015) – O Plano Real, instituído no governo Itamar Franco,

(A) instituiu o congelamento de preços.

(B) instituiu a paridade de 1 real para 1 dólar.

(C) criou o Real, a nova moeda, que valia 1000 Cruzeiros Reais.

(D) foi viabilizado, entre outros fatores, pela criação do Fundo Social de Emergência.

(E) tinha como objetivo melhorar a distribuição de renda.

EMBASAMENTO

A banca considerou a letra (D) a alternativa correta. No entanto, segundo as próprias publicações oficiais do Plano Real, estão corretas também as letras (B) e (E), conforme será demonstrado a seguir:

LETRA E:

Um dos objetivos do Plano Real era melhorar a distribuição de renda.

Conforme sabemos, e é pacífico na doutrina econômica, um dos malefícios da inflação é a piora na distribuição de renda da população. Agora, queremos demonstrar que um dos objetivos era melhorar a distribuição de renda, ao reduzir a inflação. Este objetivo estava expresso na Exposição de Motivos da Medida Provisória do Plano Real, de 30/06/94 (E.M. Interministerial Nº 205/MF/SEPLAN/MJ/MTb/MPS/MS/SAF).

A questão da inflação e da distribuição de renda aparece nos itens 27 e 29, abaixo:

27. Nosso País está mergulhado há muitos anos numa crise econômica crônica cuja raiz é fiscal, mas cuja expressão mais perversa é a inflação. Temos hoje consciência clara de que a inflação crônica é o maior obstáculo para que o Brasil volte a crescer de forma sustentada e possa finalmente começar a saldar a imensa dívida social que acumulou para com seu povo ao longo de décadas de desenvolvimento excludente e inflação alta, marcado por uma das mais brutais concentrações de renda de que se tem notícia no mundo contemporâneo.

29. A inflação que experimentamos há vários anos, bem sabe Vossa Excelência, é o mais injusto e cruel dos impostos. Ela penaliza mais pesadamente os mais pobres, os assalariados, os aposentados, os que não tem como se proteger da corrida dos preços e assistem impotentes à corrosão da sua renda ou das economias de toda uma vida.

Observe, portanto, que a melhoria da distribuição de renda era um objetivo do Plano Real, uma vez que o controle da inflação faria diminuir os efeitos maléficos desta sobre a distribuição de renda. Desta forma, a letra E também está correta.

LETRA B:

A paridade de 1 dólar para 1 real foi adotada no momento de implementação do Plano Real.

Apesar de não ser um objetivo de longo prazo, no momento de implementação do Plano Real, houve a paridade a que alude a alternativa.

Na Medida Provisória 542, de 30 de Junho de 1994, foi estabelecida a paridade no momento inicial do Plano:

Art. 3º. O Banco Central do Brasil emitirá o Real mediante a prévia vinculação de reservas internacionais em valor equivalente, observado o disposto no art. 4º desta Medida Provisória.

      § 1º As reservas internacionais passíveis de utilização para composição do lastro para emissão do Real são os ativos de liquidez internacional denominados ou conversíveis em dólares dos Estados Unidos da América.

      § 2º A paridade a ser obedecida, para fins de equivalência a que se refere o caput deste artigo, será de um dólar dos Estados Unidos da América para cada REAL emitido. (grifo nosso)

Assim, a letra B também está correta.

Portanto, reforçamos nosso pedido no sentido da anulação da questão, tendo em vista haver 03 alternativas corretas (B, D, E).

Resumo

(1) Faça um recurso para cada questão (evite querer argumentar sobre 2 questões no mesmo artigo, mesmo que os assuntos sejam iguais, ou ambas versem sobre o mesmo texto).

(2) No início do recurso, seja claro, objetivo, direto, conciso. Evite divagações e rodeios. O examinador não tempo para lamentações ou questionamentos sem especificidade (evite “solicito revisar a questão”, ou “a questão está mal formulada”).

(3) Em seguida, ataque com argumentos o gabarito do examinador. Use bibliografias recomendadas para embasar suas ideias. Argumente com argumentos, e não com sentimentos. O examinador não sabe quem você é, nem liga para os seus sentimentos.

(4) Por fim, no final do recurso, reforce o pedido (de anulação ou alteração de gabarito) sintetizando o que foi explicado (havia duas alternativas corretas, ou não havia, etc).

Compartilhe:

Heber Carvalho

Heber Carvalho

Bacharel em Ciências Militares pela AMAN (Academia Militar das Agulhas Negras); foi auditor fiscal do município de São Paulo (Fiscal ISS-SP), aprovado no concurso de 2007, em 4º lugar. É autor do livro Microeconomia Facilitada (ed. Método).

Veja os comentários:
Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Vídeos Relacionados