Notícia

Concurso Nacional Unificado: provas dia 5/5 em 220 cidades

Mais de 2,1 milhões de inscritos; salários de até 22,9 mil!

Acesse agora o Grupo de Estudos do CNU

O maior certame da história, o Concurso Nacional Unificado, popularmente chamado de “ENEM dos Concursos!”, terá a sua etapa de provas aplicadas no dia 5 de maio, em 220 cidades espalhadas em diversos estados.

De acordo com informações do Ministério da Gestão e da Inovação, foram registrados 2.144.435 de inscritos. O número refere-se à soma dos candidatos isentos (600.875) e daqueles que tiveram o pagamento aprovado (1.543.560).

ENEM dos Concursos registra mais de 2,1 milhões de inscritos!

CURIOSIDADE! Entre os dados de destaque, foi anunciado que mais da metade dos inscritos no Concurso Nacional ganha até 3 salários mínimos. 

Dos mais de 2 milhões de inscritos, 16,5 % ganham até R$ 1.412; 20,3% entre R$ 1.413 e R$ 2.824; 20,5 % entre R$ 2.825 e R$ 4.236; 20,3% entre R$ 4.237 e R$ 7.060; 16% entre R$7.061 e R$ 14.120; e 6,3 % acima de R$ 14.120.

Vale lembrar que são ofertadas 6.640 vagas imediatas para diversas autarquias e ministérios. Dentre as oportunidades estão funções de níveis médio, técnico e superior, com ganhos iniciais de até R$ 22,9 mil!

O concurso é dividido em oito editais/blocos temáticos, sendo que o candidato pôde concorrer a mais de um cargo, desde que fizesse parte de um mesmo bloco.

Ademais, é importante frisar que algumas retificações do concurso já foram publicadas. Você pode conferir tudo na íntegra através do tópicoretificações desta página!

Com o objetivo de deixar você bem informado, reunimos TODAS as principais informações sobre o Concurso Unificado. Acompanhe pelos tópicos abaixo:

Quais as principais datas do CNU?

  • Qual o período de inscrição? com prazo já encerrado, as inscrições puderam ser realizadas até o dia 09 de fevereiro
  • Quando serão as provas do CNU? as provas objetivas e discursivas, para todos os cargos e blocos, serão realizadas no dia 05 de maio (domingo).

Confira o número de inscritos no Concurso Nacional Unificado por bloco temático

Blocos TemáticosVagas Total de Inscritos
1. Infraestrutura, Exatas e Engenharias727121.838
2. Tecnologia, Dados e Informação59777.943
3. Ambiental, Agrário e Biológicas530102.922
4. Trabalho e Saúde do Servidor971336.284
5. Educação, Saúde, Desenvolvimento
Social e Direitos Humanos
1.016300.766
6. Setores Econômicos e Regulação35974.283
7. Gestão Governamental e Administração Pública1.748429.370
8. Nível Intermediário692701.029
Total6.6402.144.435

Quais os cargos do CNU com maior procura?

Conforme informações veiculadas pelo Ministério da Gestão e Inovação, através de coletiva de imprensa, os cinco cargos com maior procura no Concurso Nacional Unificado foram:

  • Técnico em Indigenismo (FUNAI) – Nível Médio (323.250);
  • Técnico em Informações Geográficas e Estatísticas (REGIÃO NORDESTE) (IBGE) – Nível Médio (316.543);
  • Auditor-Fiscal do Trabalho (MTE) – Auditoria e Fiscalização (315.899);
  • Analista Técnico-Administrativo (AGU) – Graduação em qualquer área de conhecimento (297.114);
  • Analista Técnico-Administrativo (MGI) – Graduação em qualquer área de conhecimento (288.859).
Quais os cargos do CNU com maior procura?

Vale ressaltar que ainda não há previsão se o detalhamento para os demais cargos serão divulgados.

Confira as retificações do Concurso Nacional Unificado (CNU)

>>>Retificações do dia 18 de janeiro:

Bloco 1:

  • Alteração na remuneração inicial para R$ 8.236,16 para Especialista em Indigenismo nas especialidades de Arquitetura, Engenharia; Analista em Ciência e Tecnologia em Engenharia Civil e Políticas Públicas de Ciência, Tecnologia e Inovação;
  • No anexo II – que dispõe sobre os cargos, descrição dos cargos; especialidades, formação, atividades previstas e remuneração.

Bloco 2:

  • Na pontuação referente aos conhecimentos específicos;
  • Da etapa de qualificação técnica;
  • Na distribuição de vagas para o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação – MCTI;
  • Quadro de Atribuição de pontos para avaliação de títulos;
  • Alteração na remuneração inicial para R$ 8.236,16 para Especialista em Indigenismo nas especialidades de Estatística e Analista em Ciência e Tecnologia em Ciência de Dados (Estatística para R$ 10.453,94).

Bloco 3:

  • Quadro de cargos e especialidades do Ministério da Agricultura e Pecuária – MAPA;
  • Alteração no salário inicial para R$ 8.263,16 para as especialidades de Especialista em Indigenismo, Geografia, Engenharia Agronômica, Analista de Infraestrutura (AIE) em Geociêcias.

Bloco 4:

  • Alterações no curso de formação;
  • Alteração no salário inicial para R$ 5.513,72 para a especialidade de Médico (AFT) e de R$ 8.263,16 para Especialista em Indigenismo – Psicólogo.;
  • Agora, a especialidade para AFT exige-se qualquer área de conhecimento e não mais a Auditoria e Fiscalização.

Bloco 5:

  • Alteração no curso de formação;
  • Alteração da especialidade de Indigenismo para qualquer área de conhecimento;
  • Alteração no salário inicial para R$ 6.761,72 de Técnicos Educacionais em Pedagogia e Especialista em Indigenismo em Antropologia, Assistência Social, Sociologia, Indigenismo para R$ 8.263,16 e de R$ 10.453,94 para Demografia.

Bloco 6:

  • Alteração no salário inicial para R$ 8.263,16 de Especialista em Economia;
  • Alteração nos locais de exercícios para Analista em Ciência e Tecnologia em Direito e Políticas Públicas de Ciência, Tecnologia e Inovação;
  • Alteração no quadro de atribuição dos títulos.

Bloco 7:

  • Alteração no quadro de cargos, especialidades e vagas do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação – MCTI;
  • Alteração no salário de Especialista em Indigenismo em Administração, Arquivologia, Biblioteconomia, Comunicação Social, Contabilidade para R$ 8.263,16;
  • Mudanças nos locais de exercícios para Contador, Analista em Ciência e Tecnologia em Arquivologia, Biblioteconomia e qualquer área de formação;
  • IBGE: alterações nos locais de exercícios e atividades previstas das especialidades;
  • Alteração nos salários de Técnico em Indigenismo (nível médio) para R$ 6.987,19 e nos locais de exercícios.

Bloco 8:

  • IBGE: alterações nos pesos dos Eixos, além do quadro da distribuição das vagas de AC, PCD e candidatos negros;
  • Remuneração de Técnico em Informações Geográficas e Estatísticas para R$ 3.741,84, além de locais de exercícios.

>>>Retificações do dia 26 de janeiro:

Bloco 1:

  • Formação exigida para Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas, inclusão de engenharia geológica ou geologia;
  • Cargo: Analista de Planejamento, Gestão e Infraestrutura em Informações Geográficas e Estatística (Especialidade: Geoprocessamento): inclusão de “engenharia geológica ou geologia” na formação exigida.

Bloco 3:

  • Correção do texto relativo à remuneração ao cargo de Tecnologista;
  • Cargo: Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas: inclusão de “engenharia geológica” na formação exigida;
  • MAPA: pesos dos Eixos Temáticos do Cargo de Auditor Fiscal Federal Agropecuário – AFFA.

Bloco 4:

  • Valor e informações sobre remuneração do cargo de Psicólogo na Advocacia-Geral da União de R$ 5.488,70 para R$ 6.761,72.

Bloco 5:

  • INCRA: Formação exigida no cargo de Analista em Reforma e Desenvolvimento Agrário, especialidade Antropologia.

Bloco 6:

  • Analista de Planejamento, Gestão e Infraestrutura em Informações Geográficas e Estatísticas e (B6-06-B)/ Cargo: Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas;
  • Inclusão da tabela e retribuição de titulação.

Bloco 7:

  • Concursos vinculados à Tabela 3, sem etapa de títulos;
  • MAPA: alterar a formação, incluindo habilitação em jornalismo para Analista em Ciência e Tecnologia, Especialidade e Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas Descrição do Cargo;
  • IBGE: alterar a formação, incluindo habilitação em jornalismo para Tecnologista em Informações;
  • Detalhamento em cargos, descrição dos cargos, especialidades, formação exigida, atividades previstas para a especialidade e remuneração;
  • IBGE e MGI: quadro de atribuição de pontos para avaliação de títulos.

>>>Retificações do dia 08 de fevereiro:

Bloco 1:

  • Inclusão da expressão “e outras afins àquelas aqui listadas” na formação exigida para o cargo de Analista de Planejamento, Gestão e Infraestrutura em Informações Geográficas e Estatísticas, Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas, nas especialidades de Geoprocessamento.

Bloco 2:

  • Inclusão da exigência de registro em conselho de classe para o Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos – MGI, cargo Estatístico.
  • Alterações no conteúdo programático do Eixo 3 – Gerência e Suporte da Tecnologia da Informação; e
  • Alterações nos quadros de atribuição de pontos para avaliação de títulos.

Bloco 3:

  • Alteração na especialidade do item 7.1.1.1.2.1.2, do Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos – MGI, Cargo: Especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental (EPPGG), que agora requer qualquer área de conhecimento;
  • Inclusão da expressão “e outras afins àquelas aqui listadas” na formação exigida para Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas em Análise Ambiental;
  • Inclusão do curso Planejamento Territorial na formação exigida para Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas em Análise Ambiental em Geografia; e
  • Alterações nos quadros de atribuição de pontos para avaliação de títulos.

Bloco 4:

  • Inclusão da exigência de registro em conselho de classe para o Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, Cargo: Psicólogo; e
  • Alterações nos quadros de atribuição de pontos para avaliação de títulos.

Bloco 5:

  • Inclusão do cargo de Analista Técnico de Políticas Sociais do MGI na terceira etapa;
  • Alteração no texto especialidade do cargo da Fundação Nacional dos Povos Indígenas;
  • Inclusão da graduação em Antropologia na formação exigida para Especialista em Indigenismo (FUNAI) e alteração na especialidade do cargo;
  • Alteração no local de exercício para Especialista em Indigenismo (FUNAI), em Assistência Social;
  • Alteração no local de exercício para Especialista em Indigenismo (FUNAI), em Pedagogia, além da formação exigida;
  • Inclusão da expressão “e outras afins” no texto da formação exigida; e inversão dos títulos de mestrado e doutorado na tabela, para que a indicação do valor para cada título fique correta, para Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas (IBGE) em Demografia e inclusão de “outras afins” na formação exigida; e
  • Alterações nos quadros de atribuição de pontos para avaliação de títulos.

Bloco 6:

  • Inclusão da exigência de registro em conselho profissional para o cargo de Economista – especialidade Economia do MGI, MDIC e MPO; e
  • Alterações nos quadros de atribuição de pontos para avaliação de títulos.

Bloco 7:

  • Inclusão da exigência de registro em conselho de classe para o Cargo de Arquivista da AGU e MGI;
  • Alteração no local de exercício para Especialista em Indigenismo (FUNAI) e Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas (IBGE); e
  • Alterações nos quadros de atribuição de pontos para avaliação de títulos.

Bloco 8:

  • Exclusão de todo o item 7.1.1.1.2.1.3 e inclusão da Especialidade Nível Médio do IBGE nas provas de títulos;
  • Inserção da palavra “relatório” no título e subtítulo do Modelo de Relatório/Laudo Caracterizador de Deficiência;
  • Inclusão da modalidade Técnico em Agropecuária na formação exigida para Agente de atividades agropecuárias e Agente de inspeção sanitária e industrial de produtos de origem animal (MAPA).

>>>Retificações do dia 09 de fevereiro:

Bloco 5:

  • Alteração do anexo II, de Especialista em Indigenismo para Indigenismo.

Bloco 7:

  • Alteração do requisito de Analista de Planejamento, Gestão e Infraestrutura em Informações Geográficas e Estatísticas.

Conheça a distribuição das vagas do Concurso Nacional Unificado

Conforme mencionado no início do artigo, são ofertadas, no total, 6.640 vagas imediatas distribuídas em oito blocos temáticos. Com exceção do bloco 8, todas as vagas exigem formação de nível superior.

O candidato poderá concorrer a mais de um cargo, desde que faça parte de um mesmo bloco. Ou seja, não é possível concorrer a um cargo do bloco 1 e outro cargo do bloco 3, por exemplo.

Vagas do Bloco 1 (Infraestrutura, Exatas e Engenharias)

ÓrgãosCargosQuantidade de vagas
AGUArquiteto e Engenheiro (várias especialidades)23
ANEELEspecialista em Regulação de Serviços Públicos de Energia10
FUNAIEspecialista em Indigenismo (especialidades: Engenharia e Arquitetura)21
IBGEAnalista de Planejamento, Gestão e Infraestrutura em Informações Geográficas e Estatísticas (várias especialidades) e Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas (várias especialidades)134
INCRAAnalista em Reforma e Desenvolvimento Agrário (várias especialidades)128
MAPAAnalista em Ciência e Tecnologia02
MCTIAnalista em Ciência e Tecnologia (várias especialidades)51
MGIAnalista de Infraestrutura – AIE (várias especialidades), Arquiteto, Engenheiro e Especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental – EPPGG357
MSTecnologista02
Quantitativo de vagas e órgãos do Bloco 1

Vagas do Bloco 2 (Tecnologia, Dados e Informação)

ÓrgãosCargosQuantidade de vagas
AGUEstatístico07
FUNAIEspecialista em Indigenismo01
IBGEAnalista de Planejamento, Gestão e Infraestrutura em Informações Geográficas e Estatísticas (várias especialidades), Tecnologista (várias especialidades) e Pesquisador (várias especialidades) em Informações Geográficas e Estatísticas 122
INCRAAnalista administrativo06
INEPPesquisador-Tecnologista em Informações e Avaliações Educacionais20
MAPAAnalista em Ciência e Tecnologia20
MCTIAnalista em Ciência e Tecnologia19
MGIAnalista em Tecnologia da Informação – ATI, Analista Técnico de Políticas Sociais – ATPS, Especialistas em Políticas Públicas e Gestão
Governamental – EPPGG, Estatístico
347
MSTecnologista32
PREVICAnalista administrativo06
Quantitativo de vagas e órgãos do Bloco 2

Vagas do Bloco 3 (Ambiental, Agrário e Biológicas)

ÓrgãosCargosQuantidade de vagas
FUNAIEspecialista em Indigenismo (várias especialidades)39
IBGEPesquisador (várias especialidades) e Tecnologista (várias especialidades) em Informações Geográficas e
Estatísticas
29
MAPAAuditor-fiscal federal agropecuário (várias especialidades) e Tecnologista240
INCRAAnalista em Reforma e Desenvolvimento Agrário e Engenheiro Agrônomo176
MCTIAnalista em Ciência e Tecnologia13
MGIAnalista de Infraestrutura – AIE (especialidade: Geociências) e Especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental – EPPGG (especialidade: Ambiental, agrário e biológicas)35
Quantitativo de vagas e órgãos do Bloco 3

Vagas do Bloco 4 (Trabalho e Saúde do Servidor)

ÓrgãosCargosQuantidade de vagas
AGUMédico e Psicólogo13
FUNAIEspecialista em Indigenismo (especialidade: Psicologia)6
MGIAnalista Técnico de Políticas Sociais – ATPS, Especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental – EPPGG, Médico e Psicólogo52
MTEAuditor-Fiscal do Trabalho – AFT900
Quantitativo de vagas e órgãos do Bloco 4

Vagas do Bloco 5 (Educação, Saúde, Desenvolvimento Social e Direitos Humanos)

ÓrgãosCargosQuantidade de vagas
AGUTécnico em Assuntos Educacionais (especialidade: Pedagogia)20
FUNAIEspecialista em Indigenismo (várias especialidades)206
IBGEAnalista de Planejamento, Gestão e Infraestrutura em Informações Geográficas e Estatísticas (especialidade: Psicopedagogia), Pesquisador (especialidade: Demografia) e Tecnologista (especialidade: Demografia) em Informações Geográficas e Estatísticas.04
INCRAAnalista em Reforma e Desenvolvimento Agrário (especialidade: Antropologia)58
INEPPesquisador-Tecnologista em Informações e Avaliações Educacionais10
MCTIAnalista em Ciência e Tecnologia (especialidade: Ciências Humanas e Políticas Públicas) – cargos para 21
MGIAnalista Técnico Administrativo (especialidade: História), Analista Técnico de Políticas Sociais – ATPS (MGI, MJSP, MDHC, MEC), Especialistas em Políticas Públicas e Gestão
Governamental – EPPGG e Técnico em Assuntos Educacionais
490
MSTecnologista (várias especialidades)177
MPIAnalista Técnico Administrativo30
Quantitativo de vagas e órgãos do Bloco 5

Vagas do Bloco 6 (Setores Econômicos e Regulação)

ÓrgãoCargosQuantidade de vagas
AGUEconomista35
ANEELEspecialista em Regulação de Serviços Públicos de Energia30
ANSEspecialista em Regulação de Saúde Suplementar35
ANTAQEspecialista em Regulação de Serviços de Transportes Aquaviários30
FUNAIEspecialista em Indigenismo (especialidade: Economia)24
IBGEAnalista de Planejamento, Gestão e Infraestrutura em Informações Geográficas e Estatísticas (especialidade: Relações Internacionais), Tecnologista (especialidade: Economia) e Pesquisador (especialidade: Economia) em Informações Geográficas e Estatísticas.37
INCRAAnalista em Reforma e Desenvolvimento Agrário (especialidade: Economia)05
MCTIAnalista em Ciência e Tecnologia26
MGIEconomista, Especialistas em Políticas Públicas e Gestão
Governamental – EPPGG
42
MDICAnalista de Comércio Exterior – ACE e Economista60
MPOEconomista15
PREVICEspecialista em Previdência Complementar25
Quantitativo de vagas e órgãos do Bloco 6

Vagas do Bloco 7 (Gestão Governamental e Administração Pública)

ÓrgãosCargosQuantidade de vagas
AGUAdministrador, Analista Técnico Administrativo, Arquivista, Contador e Técnico em Comunicação Social302
IBGEAnalista de Planejamento, Gestão e Infraestrutura em Informações Geográficas e Estatísticas (várias especialidades) e Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas (várias especialidades)275
FUNAIEspecialista em Indigenismo (várias especialidades)55
INCRAAnalista Administrativo (várias especialidades), Analista em Reforma e Desenvolvimento Agrário369
INEPPesquisador-Tecnologista em Informações e Avaliações Educacionais20
MCTIAnalista em Ciência e Tecnologia (várias especialidades)149
MAPAAnalista em Ciência e Tecnologia18
MinCAnalista Técnico-Administrativo50
MGIAnalista Técnico Administrativo, Arquivista, Bibliotecário, Contador, Especialistas em Políticas Públicas e Gestão
Governamental – EPPGG e Técnico em Comunicação Social
297
MJSPAnalista Técnico Administrativo100
MSTecnologista (especialidade: Administração, Contabilidade,
Economia ou Estatística)
09
MDICAnalista Técnico-Administrativo50
MPOAnalista Técnico-Administrativo45
PREVICAnalista Administrativo09
Quantitativo de vagas e órgãos do Bloco 7

Vagas do Bloco 8 (Nível Intermediário)

ÓrgãosCargosQuantidade de vagas
IBGETécnico em Informações Geográficas e Estatísticas300
FUNAITécnico em Indigenismo152
MAPAAgente de atividades agropecuárias, Agente de inspeção sanitária e industrial de produtos de origem animal e Técnico de laboratório240
Quantitativo de vagas e órgãos do Bloco 8

Locais de prova do Concurso Nacional Unificado

As provas do Concurso Público Nacional Unificado serão realizadas, simultaneamente, em 220 cidades, abrangendo todas as regiões do país:

  • Norte – 41 municípios;
  • Nordeste – 61 municípios;
  • Centro-Oeste – 22 municípios;
  • Sudeste – 69 municípios;
  • Sul – 27 municípios.

Para chegar a esse número, foram consideradas a densidade populacional, o raio de influência microrregional de cidades médias e grandes e as facilidades de acesso entre elas.

Quais são as etapas de prova do CNU?

A avaliação dos candidatos acontecerá através de três etapas, conforme descrito abaixo:

  • 1ª etapa, dividida nas seguintes fases:
    • 1ª fase: provas objetivas e dissertativas, de caráter classificatório e eliminatório;
    • 2ª fase: perícia médica (avaliação biopsicossocial) dos candidatos que se declararem com deficiência, de caráter unicamente eliminatório;
    • 3ª fase: procedimento de verificação da condição declarada para concorrer às vagas reservadas aos candidatos negros, de caráter unicamente eliminatório;
    • 4ª fase: procedimento de confirmação da condição declarada para concorrer às vagas reservadas aos candidatos indígenas (somente FUNAI), de caráter unicamente eliminatório; e
  • 2ª etapa: destinada a avaliação de títulos, de caráter classificatório; e
  • 3ª etapa: destinada a curso de formação específico, de caráter classificatório e eliminatório.

Quadro de provas com etapa de titulação valendo 10% do total de pontos

Demanda de provas do concurso com prova de títulos valendo 10%

Quadro de provas com etapa de titulação valendo 5% do total de pontos

Demanda de provas do CNU com prova de títulos valendo 5%

Quadro de provas com etapa de titulação sem etapa de títulos

Demanda de provas sem prova de títulos

Prova objetiva

Esta etapa será realizada por um total de dois turnos, manhã e tarde, no dia 05 de maio. No primeiro turno, os candidatos terão 2 horas e 30 minutos para concluir 20 questões de múltipla escolha, além da prova discursiva.

Já o segundo turno terá a duração de 3 horas e 30 minutos e possui o número de questões diferentes a depender do bloco temático. Para os cargos de nível superior, serão 50 questões, enquanto para nível médio, 40 questões, todas de múltipla escolha.

Vale ressaltar que as questões da avaliação objetiva para nível superior terão como conteúdo conhecimentos gerais e específicos de cada cargo.

Prova discursiva

De caráter classificatório e eliminatório, as provas discursivas serão aplicadas em conjunto às provas objetivas, possuindo um total de 3 horas e 30 minutos para sua realização.

Para o nível superior, a avaliação será composta por conteúdos de conhecimentos específicos de cada bloco temático, enquanto para o nível médio, consistirá em uma redação.

Prova de títulos

Somente para os blocos temáticos com provimento de vagas de nível superior, a prova de títulos, de caráter classificatório, consiste na análise das titulações do candidato.

A depender do cargo, a atribuição de pontos para a avaliação de títulos varia de 5% a 10%, com nota máxima de 100 e peso 0,1 na nota final.

Curso de formação

O curso de formação, destinado à ensinar aos aprovados nas últimas etapas todos os conhecimentos técnicos e práticos necessários para o exercício de suas respectivas atividades, bem como avaliar suas habilidades.

As regras serão definidas em editais próprios pelo próprio Ministério de Gestão e da Inovação e é de caráter classificatório e eliminatório.

O que é o Concurso Nacional Unificado?

O Concurso Nacional Unificado – CNU é uma iniciativa inédita proposta pelo Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos aos órgãos do governo federal.

O objetivo é centralizar os certames para o recrutamento e a seleção de servidores públicos federais nas vagas autorizadas em diferentes órgãos e entidades públicas do Governo Federal.

Esse modelo unificado agiliza a contratação de servidores reconstruindo a capacidade dos órgãos após a perda de 73 mil servidores ao longo dos últimos seis anos.

“Este projeto é inovador e ousado. Com isso, criamos um critério de justiça de acesso às vagas públicas como nunca ocorreu antes na história do Brasil”, afirmou o secretário de Gestão de Pessoal, José Celso Cardoso Jr.

Guia de estudos CNU

Acesse no link abaixo os Cadernos de Questões elaborados, para cada matéria, conforme o conteúdo programático do edital do ENEM dos Concursos:


Quer estudar para o Concurso Nacional Unificado?

Assinatura Concursos

Assinatura de 1 ano ou 2 anos

Quer saber tudo sobre concursos previstos?
Confira os nossos artigos!

Ficha técnica

Informações do Concurso Nacional Unificado

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja os comentários
  • Aqui está o futuro de muitos
    Vagner Ferreira da silva em 09/02/24 às 16:29
  • Não vi cientista de dados no quadro de vagas do Bloco 2... permanece as vagas? Vcs erraram?
    Jefferson Oliveira Melo em 09/02/24 às 15:39
  • Se passar no cargo escolhido,por exemplo do bloco 8 técnico de informações geográfica e estatísticas e técnico de laboratório . Vai trabalhar em qual cidade ou município?
    Diana Sousa Barbosa em 02/02/24 às 17:33