0

RECURSO Língua Portuguesa – PC-DF (Escrivão)

Olá, futuro Policial!

Para quem não me conhece , meu nome é Patrícia Manzato e sou Professora e Coach aqui no Estratégia Concursos, fazendo parte do Time de Português.

Inicialmente, convido você a me seguir no INSTAGRAM: Instagram da Profª. Patrícia Manzato

Neste artigo, vamos apresentar as possibilidades de recurso em Língua Portuguesa e comentar as questões que foram cobradas pela Banca CESPE/CEBRASPE no concurso da PC-DF, para o cargo de Escrivão, que aconteceu no dia 21/08/2021.

O gabarito preliminar da prova da PC-DF, para o cargo de Escrivão. foi divulgado em 23/08 e o Time de Português vê a possibilidade de recurso em duas questões. Por isso, apresentamos aqui o porquê de nossa divergência em relação ao gabarito, que pode ser utilizado como base para seu recurso:

Vamos aos possíveis recursos:

QUESTÃO Nº 05
TEXTO DA QUESTÃO:

Sem prejuízo da correção gramatical e dos sentidos originais do texto, o trecho “Outra medida que teve papel importantíssimo foi a implementação de cortes (tribunais), nos anos 90, para tratar de crimes menores, mediar conflitos comunitários e casos de violência doméstica e para lidar com usuários de drogas.” (ℓ. 25 a 29) poderia ser reescrito da seguinte forma: Outra medida cujo papel foi muito importante foi a implantação, nos anos 90, de cortes (tribunais) para tratar de crimes menores, mediar conflitos nas comunidades e casos de violência doméstica e lidar com usuários de drogas.

GABARITO PRELIMINAR: CERTO
GABARITO PRETENDIDO: ERRADO

FUNDAMENTAÇÃO:
A questão traz como a reescrita do período entre as linhas 25 e 29 como correta. Contudo, nota-se um equívoco ao considerá-la CORRETA, pelo que se expõe a seguir.
O erro na reescrita não se encontra nos aspectos gramaticais, que estão, inclusive, de acordo com a gramática normativa, mas na alteração de sentido ocasionada pela troca de “implementação” por “implantação”.
“Implantar” e “implementar” não são sinônimos, e sim parônimos, ou seja, a escrita é parecida, mas os sentidos distintos. “Implantar” significa iniciar algo, já “implementar” tem o sentido de pôr algo em prática, ou seja não podem ser utilizados como sinônimos.
Assim, por mais que não haja erro gramatical, a substituição de um pelo outro não mantém o sentido original do texto.
Dessa forma, como o comando do item pede que sejam mantidos “correção gramatical e dos sentidos originais do texto”, a substituição pretendida fere o que é pedido, o que torna o item errado.
Ante a fundamentação acima, requer, humildemente, a ALTERAÇÃO do gabarito para ERRADO.

QUESTÃO Nº 15
TEXTO DA QUESTÃO:

No último período do texto, a oração “que a nominação de seu desaparecimento seja uma operação de resistência” exerce a função de complemento da forma verbal “acredita”, cujo sujeito é indeterminado, conforme comprova o emprego da partícula “se”.

GABARITO PRELIMINAR: ERRADO
GABARITO PRETENDIDO: CERTO

FUNDAMENTAÇÃO:
A questão traz como errada a afirmação de que o sujeito de “Acredita” é indeterminado e a partícula “se” na função de índice de indeterminação do sujeito. Contudo, nota-se um equívoco ao considerar ERRADO o item, pelo que se expõe a seguir.
A palavra “se” pode ter muitas funções, dentre elas:
– Pronome apassivador (PA): acompanha um verbo transitivo direto e indica voz passiva.
Ex: Vendem-se casas.
– Índice de Indeterminação do Sujeito: vem acompanhando um verbo transitivo indireto, um verbo intransitivo ou um verbo de ligação  
Ex: Necessita-se de voluntários para o hospital. (VTI)
       Neste lugar se é tratado como um animal. (VL)
       Ainda se corre o risco de perder o oxigênio. (VI)
Segundo o Dicionário de Regência Verbal de Celso Luft, o verbo “acreditar” pode ser VTD e VTI.
Voltando ao texto, entende-se que a partícula “se” é Índice de Indeterminação do Sujeito e “que a nominação (..)” é objeto indireto do verbo “acreditar”.
Ressalta-se que, de acordo com a gramática normativa, oração subordinada objetiva indireta pode ter preposição suprimida, por isso não haveria necessidade da preposição “em”, que é aquela que rege o verbo “acreditar”.
Além disso, ao se considerar a partícula “se” como “Partícula Apassivadora”, pressupõe-se que a voz passiva analítica é “isso é acreditado”, o que não faria sentido no texto.
Dessa forma, pela fundamentação acima, requer, humildemente, a ALTERAÇÃO do gabarito para CERTO.

E agora, vamos aos comentários das demais questões:

Texto para os itens 01 a 05

01.

Gabarito: CERTO

Comentário:
Questão de uso da vírgula.
A vírgula antes do conectivo “e” em “Mas esse cenário mudou, e a cidade apresentou uma das maiores reduções de crime registradas nos EUA” não é obrigatória. Ela pode ser utilizada, pois os sujeitos das duas orações (“Esse cenário” e “a cidade”, respectivamente”) são distintos. Assim, a supressão da vírgula não causa erro gramatical.
Portanto, o item está correto.

02

Gabarito: ERRADO

Comentário:
Esta é uma questão de referenciação e discurso.
Note que nas linhas 12 e 13 “dizem” entre vírgulas não se refere exatamente a um interlocutor específico, diferente do que ocorre com “afirma” (linhas 23 e 24), ao tratar do referente que o sucede “outro especialista, Frank Zimring”. Assim, não é possível afirmar que os dois verbos discendi estão sendo utilizados com a mesma função.
Portanto, item errado.

03.

Gabarito: CERTO

Comentário:
Temos que dividir o item em dois.
Em primeiro lugar, a substituição de “iam correr” em “Onde se sabia que crimes iam ocorrer” por “ocorriam” e por “ocorreriam” é, de fato, possível. Note que não há incorreção gramatical em “Onde se sabia que crimes ocorriam” e “Onde se sabia que crimes ocorreriam”.
O segundo ponto é em relação ao sentido. “Onde se sabia que crimes ocorriam” e “Onde se sabia que crimes ocorreriam” possuem sentidos distintos e o único que se aproxima de “iam ocorrer” é “ocorreriam”.
Portanto, o item está certo.

04.

Gabarito: ERRADO

Comentário:

Questão que pode confusão, mas devemos olhar para os complementos verbais.
Os complementos verbais de “previa” são “o combate a crimes pequenos” e “a prevenção do vandalismo”. Assim o primeiro “a” é, de fato, preposição, pois se refere à regência do nome “combate”. Já o segundo “a” é artigo que acompanha o substantivo feminino “prevenção”.
Portanto, o item está errado.

Texto para os itens 06 a 15

06.

Gabarito: ERRADO

Comentário:

O texto é dissertativo-argumentativo, de forma que seu objetivo principal é discutir a violência contra a mulher enquadrando os casos entre aqueles amparados pela Lei Maria da Penha e os que “aniquilam a vida”.  Além disso, as linhas 20 e 21 reforçam o objetivo do texto: “acredita-se que a nominação do seu desaparecimento seja uma operação de resistência”.
Assim, não há o alerta às mulheres sobre a violência doméstica e, por isso, o item está errado.

07.

Gabarito: ERRADO

Comentário:

Justamente ao contrário. O texto, entre as linhas 5 e 16, trata da realidade cruel que vivenciam a maioria das mulheres que sobre violência doméstica e que, em muitos casos, se tornam vítimas de feminicídio. Além disso, no início a autora já faz um contraponto entre os casos amparados pela Lei Maria da Penha e outros que “aniquilam a vida”. Portanto, o item está errado.

08.

Gabarito: ERRADO

Comentário:

Cuidado que há uma extrapolação ao texto. A referência ao “necrotério” é construída em oposição à “asilo”, que seria a função precípua da casa/lar. Além disso, o trecho traz a ideia de impunidade no geral e não apenas relacionada às mulheres “assassinadas pela fúria do gênero”.
Portanto, o item está errado.

09.

Gabarito: CERTO

Comentário:

Exatamente isso! O texto, entre as linhas 5 e 16, trata da realidade cruel que vivenciam a maioria das mulheres que sobre violência doméstica e que, em muitos casos, se tornam vítimas de feminicídio.
Além disso, no início a autora já faz um contraponto entre os casos amparados pela Lei Maria da Penha e outros que “aniquilam a vida” e segue trazendo dados sobre mortes de mulheres e processos judiciais de crimes de gênero.
Portanto, o item está certo.

10.

Gabarito: CERTO

Comentário:

Esta é uma questão típica de paralelismo sintático.
Note a construção com o paralelismo sugerida no item: “que instauram a solidão”, “que marcam a lei no corpo” e “que aniquilam a vírgula”. Assim, de fato, a inserção do pronome “que”, como sugerido, mantém a correção gramatical.
Portanto, o item está correto.

11.

Gabarito: ERRADO

Comentário:

Esta é uma questão de interpretação de texto.
Note que há extrapolação ao texto ao afirmar que os processos “desapareceram enquanto tramitavam na justiça”. O que o texto permite inferir é que dentre as “337 mortes violentas de mulheres que chegaram no IML”, há apenas 180 processos judiciais. O que houve com o restante dos casos? Podemos pensar em inúmeras possibilidades, mas o que extrapola o texto.
Portanto, o item está errado.

12.

Gabarito: CERTO

Comentário:

Questão típica de sentidos de conectivos.
Note que, no texto, o “assim” é um advérbio de modo, por isso tanto “assim” quanto “desse modo” tem o sentido de modo, por isso a sua substituição é possível e mantém os sentidos do texto.
Portanto, o item está certo.

13.

Gabarito: ERRADO

Comentário:

Não é possível afirmar um agente da passiva, “pelo gênero”, no trecho “o Instituto Médico Legal do Distrito Federal foi o destino de 81 mulheres mortas pelo gênero”. Na verdade “mortas” está se referindo a “mulheres” – de fato, uma construção passiva, afinal são as mulheres que recebem a ação. Contudo “pelo gênero” é a causa de essas mulheres estarem mortas.
Assim, a preposição contraída “pelo” não exerce função de agente da passiva, mas sim de causa.  
Portanto, o item está errado.

14.

Gabarito: CERTO

Comentário:

Questão de interpretação de texto.
O item reafirma a tese do texto de que “acredita-se que a nominação do seu desaparecimento seja uma operação de resistência”.
Além disso, o texto inicia com uma crítica à “sociedade patriarcal”, ou seja, desde o início a autora mantém sua tese de que há uma desigualdade de gênero.
Portanto, o item está certo.

Texto para os itens 16 a 22

16.

Gabarito: CERTO

Comentário:

Percebe-se, de fato, a reconstrução de lembranças da personagem com seu relacionamento com Fernando. Além disso, alguns trechos permitem inferir as violências psicológicas às quais o item faz referência. É o caso, por exemplo, das linhas 2 a 5 (“perguntou com a voz esganiçada … o raio da lanterna”) e das linhas 25 a 29 (“Se ao menos ele não fizesse … este estava no fim”).
Portanto, o item está certo.

17.

Gabarito: CERTO

Comentário:

Questão de correlação verbal.
O tempo composto TER + Particípio equivale ao Pretérito-mais-que-Perfeito do Indicativo. Assim, as formas verbais compostas “tinha levado” e “tinha pensado”, de fato, podem ser substituídas pelas suas respectivas formas verbais simples “levara” e “pensara”.
Portanto, o item está certo.

18.

Gabarito: CERTO

Comentário:

Questão direta de semântica, em especial de sinônimos.
“Esganiçada” tem o mesmo sentido de estridente, estrídulo, penetrante, ressoante, sibilante.
Dessa forma, a substituição de “esganiçada” por “estridente” mantém tanto o sentido original quanto a correção gramatical.
Portanto, o item está correto.

19.

Gabarito: CERTO

Comentário:

A metáfora do fio dental enredado traz a situação da relação da personagem com Fernando.
O único ponto que pode causar dúvidas é em relação ao final do item ao afirmar que tem o objetivo de “explicitar a passividade” da personagem. Ao final do texto, há trechos em que há a passividade explícita: “Não joguei. Anos e anos tentando desenredar o fio impossível, medo da solidão? Medo de me encontrar quando tão ardentemente me buscava?” (linhas 33 a 36).
Portanto, o item está certo.

20.

Gabarito: CERTO

Comentário:

A oração “Se por acaso alguém tinha pensado em comprar um novo fio dental”, de fato, denota uma oração interrogativa indireta. A comprovação vem logo após, na linha 29, quando a personagem diz “Não está, respondi”, ou seja, se ela respondeu é porque havia perguntas.
Portanto, o item está certo.

21.

Gabarito: ERRADO

Comentário:

Questão clássica de colocação pronominal.
“Quando” é uma conjunção subordinativa, ou seja, é uma palavra atrativa de pronome oblíquo e, portanto, caso obrigatório de próclise. Assim, se há palavra atrativa, o pronome oblíquo “me” não pode ser deslocado para depois do verbo, pois incorre em erro gramatical.
Portanto, o item deve ser considerado errado.

22.

Gabarito: ERRADO

Comentário:

O uso de “princesa” é pejorativo, debochado. Em nenhum momento, o texto traz sentimento de amor de Fernando para com a narradora.
Portanto, o item está errado.

Você pode também dar uma olhada na correção em vídeo feita pela Professora Adriana Figueiredo. É só acompanhar:

Se você quer conhecer mais do trabalho do Time de Português do Estratégia Concursos, clique aqui e tenha acesso às aulas demonstrativas dos cursos de Língua Portuguesa.

Grande abraço!

Profª. Patrícia Manzato

E-mail: [email protected]

Facebook da Profª Patrícia Manzato

Instagram da Profª Patrícia Manzato

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *