Artigo

INSS x TJ, para qual desses concursos devo me dedicar?

Neste artigo faremos uma comparação dos concursos INSS x TJ. Com isso, queremos fornecer subsídio para você concurseiro que está em dúvidas sobre a qual dos concursos se dedicar. Também pretendemos mostrar uma alternativa para quem se dedica há muito tempo para o concurso do INSS.

Nosso objetivo é que você conheça um pouco sobre essas carreiras, sobre quais matérias esses concursos cobram, sobre os salários dos servidores e também apresentaremos vantagens e desvantagens de cada um dos dois.

Conhecendo as carreiras: INSS x TJ

Vamos começar nossa análise conhecendo um pouco de cada um dos órgãos (INSS x TJ) e das atribuições dos servidores.

O INSS é uma autarquia federal vinculada ao Ministério da Economia, que gere Regime Geral de Previdência Social. Dado a importância do órgão, atualmente, existem mais de 1500 agências espalhadas pelo Brasil. Os cargos oferecidos são Técnico do Seguro Social, que exige formação de nível médio, e Analista do Seguro Social, que exige formação superior em áreas específicas. As principais funções dos servidores do órgão são:

  • Analisar pedidos de benefícios previdenciários;
  • Prestar atendimento ao público orientando e esclarecendo dúvidas no que tange a legislação previdenciária;
  • Realizar atividades referentes à manutenção de benefícios previdenciários.
  • Atividades relacionadas com sua área de formação para os analistas de nível superior.

Já os Tribunais de Justiça (TJ) são órgão estaduais responsáveis por reexaminar as decisões proferidas pelos juízes de primeira instância. Para tanto, cada estado possui seu próprio Tribunal de Justiça (TJ), totalizando 27 no Brasil todo. As opções de cargo irão variar de acordo com o Tribunal, mas podemos citar os técnicos judiciários, com formação em nível médio e os analistas judiciários, com formação em nível superior. Por fim, as principais funções dos servidores do órgão são:

  • Prestar orientação ao público;
  • Atividades de apoio para andamento dos processos judiciais e administrativos;
  • atividades de expediente como elaboração de certidões, digitalização de documentos, digitação de pautas.

Dessa maneira, percebemos que os servidores do INSS têm grande contato com o público, seja no atendimento direito ou na análise de direitos previdenciários, que é um atendimento remoto. Por sua vez, os servidores dos Tribunais de Justiça exercem atividades mais relacionadas ao apoio da atividade judiciária e o contato deles com os cidadãos pode ser menos frequente.

Salários INSS x TJ

Agora, vamos conhecer o plano de carreira e remunerações oferecidos nos órgãos INSS x TJ.

Em princípio, no INSS, a remuneração é composta principalmente pelo vencimento básico, a Gratificação de Atividade Exeutiva (GAE) e a GDASS, que é o valor mais alto que compõe a remuneração dos servidores da carreira do seguro social.

Remuneração Técnico do Seguro Social

Remuneração Técnico do Seguro Social (INSSxTJ)


Remuneração Analista do Seguro Social

Remuneração Analista Seguro Social (INSS x TJ)

Porém, além da remuneração apresentada, os servidores do INSS estão recebendo um bônus de desempenho por processos previdenciários que analisem além de sua meta de trabalho ordinária. Deste modo, não há um número limite de processos adicionais que um servidor pode fazer em um mês e para cada processo, é pago um bônus de R$57,50.

Agora vamos conhecer as remunerações dos servidores dos TJs. Posto que não existe uma única carreira, iremos apresentar os valores iniciais e finais das remunerações oferecidas para nível médio e superior em alguns tribunais do país.

Nível Médio

Tribunal Remuneração Inicial Remuneração Final
TJDFT R$3.163,07 R$7.792,30
TJ ES R$4.245,08 R$8.820,71
TJ SC R$3.675,25 R$5.560,09
TJ SP R$ 4.981,71 R$5.624,12
TJ RJ R$ 3.870,06 R$6.373,89

Nível Superior

Tribunal Remuneração Inicial Remuneração Final
TJDFT R$5.189,71 R$7.792,30
TJ ES R$9.417,98 R$18.646,95
TJ SC R$6.326,56 R$9.927,89
TJ SP R$7.750,48 R$8.676,46
TJ RJ R$6.373,89 R$9.560,88

Adicionalmente às remunerações básicas apresentadas, os servidores podem receber gratificações de atividade judiciária quem podem aumentar significativamente as remunerações.

Sendo assim, percebemos que as remunerações dos Tribunais de Justiça variam conforme o Tribunal, mas de forma geral, estão em patamares similares, seguindo o mesmo padrão, inclusive, da remuneração do INSS, se consideramos as gratificações oferecidas. Em outros termos, os padrões de vida oferecidos pelas carreiras são correlatos.  

Por fim, neste link você pode conferir mais sobre a carreira dos tribunais que possuem os certames mais encaminhados em 2020:

https://www.estrategiaconcursos.com.br/blog/concursos-tribunais-2020/.

 Matérias: INSS x TJ

As matérias cobradas no concurso do INSS são:

materias cobradas INSS (INSS x TJ)

Quanto aos concursos de TJ, novamente, como não existe um único concurso para essa área, iremos apresentar as principais matérias que são cobradas em praticamente todos os concursos, o chamado “núcleo duro”. Além desse núcleo, há matérias que são cobradas frequentemente em cargos da área administrativa e há outras que são exigidas em cargos da área judiciária.

matérias cobradas em concursos de  TJ (INSS x TJ)

Portanto, se você escolher fazer um concurso de técnico judiciário para área administrativa, por exemplo, além do “núcleo duro”, geralmente serão cobradas as matérias específicas dessa área. Mas reforçando, este é um panorama geral e a depender do órgão judiciário poderão ser adicionadas outras matérias, excluídas outras.  

Analisando o que se cobra nos concursos INSS x TJ, notamos que existe um núcleo em comum de matérias exigidas nas duas provas, entre elas português, raciocínio lógico, direito constitucional e direito administrativo. Tais matérias possuem um peso grande no resultado final dos concorrentes. Portanto, um bom nível de preparação nelas pode ser o diferencial na aprovação em ambos os concursos.

Vantagens e desvantagens do INSS

Até agora, vimos aspectos importantes sobre os concurso INSS x TJ, e passemos a analisar algumas vantagens e desvantagens de cada um, começando pelo INSS.

Algumas vantagens que podemos listar:

  • O INSS possui agências espalhadas por todo o Brasil, portanto, é grande a chance de o concursado conseguir lotação na sua própria cidade ou em cidade vizinha, mesmo que more afastado dos grandes centros;
  • Em muitas agências os servidores cumprem carga horária de 30 horas semanais, o que possibilita que ele desenvolva com tranquilidade outras atividades além do seu trabalho;
  • O bônus de desempenho recentemente instituído pode aumentar consideravelmente a remuneração do servidor;
  • O teletrabalho já está em funcionamento no INSS. Já nos TJs a implantação é facultativa e não são todos os órgãos que já possuem um plano consistente neste sentido;
  •  Mobilidade dentro do Instituto. Se você reside em um estado, mas por qualquer motivo precisa se mudar para outra região, existe a possibilidade de conseguir remoção dentro do órgão.

Por outro lado, tratando da desvantagem, a principal que podemos citar é que para ingressar no órgão existe apenas um concurso, o qual deve ser autorizado pelo governo federal e não acontece frequentemente. Por exemplo, o último concurso ocorreu em 2015 e, apesar da necessidade do órgão, não temos perspectivas para outro nos próximos meses. Além disso, se você se prepara exclusivamente para o órgão e por acaso não é aprovado no concurso quando ele vem, o próximo pode demorar para ocorrer.


Vantagens e desvantagens dos TJs

Analisemos agora algumas vantagens dos concursos de Tribunais de Justiça:

  • Em regra, os benefícios oferecidos para os servidores são mais vantajosos se comparados ao INSS: melhores planos de carreira, valores de auxílio-alimentação maiores, funções comissionadas mais atrativas, possibilidade de mais dias de recesso durante o ano;
  • Como existem 27 TJs no Brasil, a periodicidade com que aparecem concursos na área é alta e, se você não tiver sucesso em uma prova, outras chances ocorrerão com mais frequência;
  •  É possível conseguir uma vaga mais próxima de sua cidade se aparecer um concurso no seu estado. Porém, é importante frisar que as sedes dos tribunais estão em cidades maiores e dificilmente haverá chances em cidades muito pequenas;
  • É possível migrar com mais facilidade para outros concursos de tribunais que porventura apareçam, tais como TRTs, TRFs, TREs, STF, STJ e STM;
  • Geralmente os concursos de tribunais chamam um grande número de aprovados.  

Uma desvantagem que podemos citar dos concursos de TJs é que o aprovado em um Tribunal Estadual “se casa” com aquele Estado. É até possível conseguir mudar de uma cidade para outra, mas caso a servidor precisar mudar de Estado, você terá que fazer um novo concurso.


Para qual dos concursos me dedicar?

Agora é com você concurseiro. Fizemos a análise INSS x TJ a fim de fornecer subsídios para que você possa tomar uma decisão sobre qual caminho seguir, mas a resposta está nas suas mãos. Ninguém melhor que você para analisar seu contexto, seus desejos e prioridades.

 E não se esqueça que estamos tratando de carreiras! Na euforia de passar rapidamente é comum que os concurseiros se dediquem para concursos que estão com perspectiva de ocorrer no curto prazo, mas se esquecem de avaliar se possuem ou não afinidade com o trabalho.

Esperamos que esse artigo os ajude a embasar sua decisão e que vocês alcancem a sonhada aprovação e estejam satisfeitos com a carreira que seguirem.

Por fim, sugerimos que vocês assistam aos panoramas para 2020 que fizemos sobre os concursos de tribunais e sobre o concurso do INSS.

https://www.youtube.com/watch?v=Nk_k6olSP1M&t=2357s

Abraços!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja os comentários
  • Nossa! Excelente esclarecimento, agora fica fácil decidir. Grata pessoal, que Deus abençoe!
    Josivania Maria Gomes Limeira Dourado em 10/02/20 às 22:40