Disciplina e metodologia: minha aprovação no Banco Central do Brasil
Concursos Públicos

Disciplina e metodologia: minha aprovação no Banco Central do Brasil


Como estão futuros servidores?! Meu nome é Veronica Almeida e é com muita alegria e orgulho que passo a fazer parte do time do Estratégia Concursos!
Neste artigo vou contar um pouquinho da minha trajetória e dividir com vocês alguns pontos que foram fundamentais para que eu obtivesse sucesso nesta empreitada.
O início de tudo é sempre difícil. Venho de família bem humilde. Meu pai era mecânico autônomo e minha mãe dona de casa. Desde cedo, aprendi a valorizar muito o estudo como única forma de modificar meu futuro e de minha família. Mais velha de três irmãos, eu via no esforço intelectual a chave para um futuro melhor. Assim, sempre fui uma aluna aplicada e dedicada.
Minha primeira aprovação em concurso público foi para estagiária no Banco do Nordeste do Brasil (BNB), aos 16 anos, em Recife. Uauu, essa conquista foi muito comemorada! Meu primeiro fruto da disciplina nos estudos. Sem técnicas e sem métodos foi assim que comecei a minha trajetória concurseira.
Acabado o estágio, ainda em Recife, vi na carreira militar uma nova oportunidade e, mais uma vez, encarei a preparação para um concurso.
Um desafio maior, sem dúvida. Eram 5 vagas para a minha especialidade (Contabilidade) para todo o Brasil. Novamente sem qualquer direcionamento quanto a forma de estudo, parti para o desafio, contanto basicamente com força de vontade. Foram meses de preparação solitária, sem ter acesso a cursinhos ou material didático direcionado. Mas eu acreditava que se eu me esforçasse adequadamente eu conseguiria… Resultado final: 2ª colocada dentre as 5 aprovadas.
Como militar, minha primeira transferência foi Brasília… a “capital” dos concursos públicos, onde moro até hoje.
Neste ponto, começa minha segunda fase em termos de concurso. Aqui em Brasília conheci outros funcionários públicos, colegas de trabalho estudavam para concurso, havia ótimos cursos presenciais, livros especializados. E mais uma vez lá estava eu: iniciando os estudos para concurso rs
Depois de algumas provas, percebi que apenas “força de vontade” e “disciplina” não eram mais suficientes se eu quisesse ser aprovada em concurso de alto nível. Um terceiro ingrediente seria necessário: “método de estudo”.
Neste tempo eu já frequentava os Fóruns de Concurseiros (CorreioWeb), conversava com outros colegas e um material muito interessante chegou às minhas mãos: um manual em PDF do Alexandre Meirelles, sobre como estudar! O Manual do Concurseiro.
Controle de horas líquidas de estudo, ciclos de matéria, revisões e exercícios…eram as técnicas que eu precisava e foram um divisor de águas na minha preparação.
Em 2008 vesti a camisa de concurseira, de forma consistente.
Trabalhava 8h por dia e estudava a noite e finais de semana em bibliotecas. Férias eram integralmente utilizadas para estudar também.
A primeira aprovação veio em 2009 para o cargo de Analista Administrativo do Ministério da Integração Nacional. Seis meses depois, tomei posse como Administradora na Advocacia-Geral da União e em 2013 aprovação no concurso de Analista do Banco Central do Brasil.
Digo a vocês que ver o nome no Diário Oficial valeu todo o sacrifício realizado!
Quais os pontos que eu destacaria como acertos nesse meu processo
A resiliência durante a trajetória é importante. Desistir do esforço e do sacrifício que você já fez não deve ser uma opção. Certamente você vai passar por percalços no caminho.
No meu caso, duas discursivas me tiraram da lista dos aprovados: Tribunal de Contas da União (2006) e Controladoria-Geral da União (2012). É sacudir a poeira e seguir em frente.
Outro ponto importante é a disciplina. Estudar exige sacrifícios seus e de seus familiares. Então, utilizar a disciplina para conseguir o objetivo o mais rápido possível sempre foi minha preocupação. “É melhor que eu me dedique muito durante um período curto do que passar anos estudando e recomeçando”. Topei o sacrifício de passar 7h 8h por dia estudando de forma a obter a aprovação mais rápido.
O terceiro ponto é a constância. A partir de quando tomei a decisão de estudar em 2008 não interrompi os estudos até atingir os objetivos. Não adianta estudar uma semana sim, na outra não. Não adianta estudar 10h num dia e 1h no outro. Se propôs a fazer, faça! Desistir ou fazer mais ou menos atrasam ou mesmo inviabilizam a aprovação.
Por fim, a autoavaliação constante. Qual a matéria preciso de maior dedicação? Qual estou errando mais nos exercícios? Meu ciclo de estudos está adequado? Atacar os pontos de maior dificuldade é fundamental, pois hoje a aprovação é decidida nos detalhes.
Decidiu que você que prestar concurso público? Então foque na disciplina e na constância. Estamos aqui para ajudar.
Grande Abraço e bons estudos!
Veronica



Veronica Almeida

Veronica Almeida

Cargo atual Analista da carreira de Especialista do Banco Central do Brasil – BCB.   Aprovações anteriores Marinha do Brasil Ministério da Integração Nacional Advocacia-Geral da União – Administrador   Formação Acadêmica Administração de Empresas, com habilitação em Comércio Exterior Pós-graduação em Planejamento, Orçamento e Gestão Pública – Fundação Getúlio Vargas Pós-Graduanda em Tecnologia para Negócios: AI, Data Science e BigData - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul   

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Vídeos Relacionados