Como fui aprovado para Auditor de Controle Externo do TCMRJ...
Thiago Nascimento

Como fui aprovado para Auditor de Controle Externo do TCMRJ…

Eu sou o Thiago Nascimento, Auditor de Controle Externo do TCMRJ e Coach no Estratégia Concursos.

E aí futuros aprovados, beleza!?

Tenho certeza que sim… e ficará ainda melhor ao final desta leitura, quando chegaremos à conclusão de que o nosso maior desafio para a aprovação em um concurso público é nos convencermos de que somos capazes e depende apenas de nós. Para isto, contarei um pouco da minha trajetória até o tão sonhado nome no Diário Oficial entre os aprovados.

 

O Início…

Tudo começou aos 14 anos de idade, quando um amigo que morava na minha rua comentou que iria prestar concurso para o Colégio Naval, instituição de ensino médio que nunca havia escutado falar. Após pesquisar aspectos da carreira militar-naval, decidi me dedicar à preparação para este certame. Na primeira prova fui reprovado, vindo a obter sucesso na segunda tentativa, ingressando na Marinha do Brasil, onde tive o prazer de servir durante onze anos e meio.

Durante este período de militarismo, vendo um cenário de completa desvalorização da carreira, resolvi dar uma reviravolta na minha vida e reiniciar a busca pela satisfação profissional e financeira em outra área do funcionalismo público.

Este ponto do meu relato, julgo de extrema importância para aqueles que têm medo de sair da zona de conforto, "chutar o balde" e mergulhar nessa rotina sacrificante de concurseiro, repleta de "NÃO.", "NÃO POSSO.", "TENHO QUE ESTUDAR." e etc…

Ao tomar a decisão de que a mudança era necessária, me matriculei num curso presencial, aos sábados, com as disciplinas comuns aos concursos dos mais variados Fiscos. Nesta época, eu era Aspirante da Escola Naval, instituição de ensino superior, e estudava em regime de internato durante a semana, só sobrava o domingo para curtir a família.

Obs.: Isto aconteceu em 2005 e não havia cursos em pdf ou em vídeo de qualidade.

 

Rotina de Estudos

Iniciado o “Fiscal Básico”, nome dado a este formato de curso à época, despendi muito tempo para adequar minha rotina diária aos estudos. Foi necessária uma severa adaptação para me manter no foco. Passei a frequentar bibliotecas após o expediente e utilizar a sistemática de ciclos de estudos cronometrados por grupos de matérias durante um longo período de tempo.

Você deve estar se perguntando, porque estudar em biblioteca?

Moro no Rio de Janeiro, cidade que sofre de um grave problema de mobilidade urbana, então, visando não perder horas em engarrafamento no deslocamento trabalho-casa, preferia buscar uma biblioteca perto do meu trabalho.

Aliado a isto, eu rendia muito mais na biblioteca do que em casa. Temos algumas distrações em casa que podem parecer bobeira, mas somadas, representam um grande desperdício de tempo no longo prazo.

 

A Primeira Prova.

Depois de concluído o “Fiscal Básico” e após um período de reforço destas matérias que são presença garantida na maioria das provas, saiu o edital do tão badalado Auditor Fiscal da Receita Estadual do Rio de Janeiro, mais conhecido como ICMS-RJ (2008).

Era hora de manter o nível de acerto em questões relacionadas ao bloco já visto e focar nas matérias específicas. Fiz um planejamento até o dia da prova e mesmo trabalhando oito horas diariamente, conseguia, com muita raça e motivação, estudar por volta de seis horas líquidas.

Então chegou o grande dia, realizei a prova e resultado… REPROVADO no mínimo por matéria e no mínimo de acertos geral. A sensação de que eu era a pessoa mais BURRA do mundo foi inevitável, mas continuei confiando que era possível e eu ia conseguir.

Costumo dizer que o melhor concurseiro não é aquele que sabe lidar com a motivação para atingir a vitória, e sim, o que se mantém forte e de cabeça erguida frente a uma derrota. Este é o momento de corrigir falhas e retomar o rumo, sempre em frente, acreditando ser possível e principalmente, ciente de que somos capazes. Resiliência, dedicação e disciplina são palavras de ordem para a consecução de nossos objetivos.

 

A Trajetória Continua…

Os boatos de novo concurso para o ICMS-RJ se confirmaram, e em 2009 novo edital foi lançado. Pensei: Chegou a minha hora! Vontade de vencer não faltava. Diversas vezes pensei em sair do meu emprego para amenizar este sentimento de dor pelas horas “perdidas” no expediente naquele trabalho que nem era mais o que eu queria.

Verdade seja dita, nunca temos 100% de certeza de que estamos no caminho certo, mas desta vez eu tinha segurança de que com dedicação e foco eu chegaria até a aprovação. Tudo se deu como o planejado na preparação, cumpri as metas traçadas. Estava de cara para o adversário, pronto para acertar um golpe no queixo e nocautear a prova.

Fiz o meu o melhor, antes e DURANTE a prova, e enfim o resultado: Ótima média geral e ELIMINADO no mínimo por disciplina. Este sim, foi o ÚNICO momento da minha jornada em que eu desabei emocionalmente. Era um mix de frustrações que iam desde a minha insatisfação profissional até o “Será que minha hora nunca vai chegar?”.

Contei com o apoio da minha família e amigos, estes que acompanham a sua luta, estes que sabem reconhecer que se não foi dessa vez, certamente será em breve, porque sabem que você está no seu limite e deu o seu máximo. Escrevendo este texto e lembrando exatamente deste episódio, meus olhos se enchem de lágrimas… recordações de momentos difíceis que tinha certeza que iam anteceder os bons momentos “pós-aprovação”.

 

Ufa! A Aprovação!

Mesmo não obtendo sucesso, eu acreditava estar no caminho certo. Certa vez, lendo um jornal voltado para notícias sobre concursos públicos, o Presidente do TCMRJ concedeu uma entrevista sobre a intenção de realizar o certame. Ao fazer uma análise do último edital, resolvi focar nas matérias específicas dos concursos da área de Controle Externo.                            

Obs.: Sempre defendi que o primeiro passo que um concurseiro deve dar é escolher a área de atuação que deseja. Toda minha preparação foi focada na área de Fiscalização Tributária, porém, a área de Controle Externo (tão atrativa quanto) não difere muito daquela.

Lá estava eu de novo… comprei cursos em pdf para as matérias específicas (prefiro pdf porque eu controlo o ritmo em que avanço no conteúdo) e revisei o que eu já havia estudado por meio dos meus resumos e resolução de exercícios. Fui agraciado com um adiamento da prova que foi primordial para que eu chegasse competitivo na parte específica por ocasião da nova data – A sorte tinha virado pro meu lado meu amigo(a)!

E… foi assim que NOCAUTEEI meu adversário!

Enfim… APROVADO… em 01/06/2011 (data que foi tatuada em meu corpo dada a relevância na minha vida) tomei posse no TRIBUNAL DE CONTAS DO MUNCÍPIO DO RIO DE JANEIRO no Cargo de Auditor de Controle Externo, o qual tenho orgulho de exercer até hoje.

A grande pergunta:

– Valeu a pena?

EU FARIA TUDO DE NOVO!

Agradeço por terem me dado o prazer de compartilhar a minha trajetória com vocês e espero que tenha servido de motivação, tanto para os que estão entrando, como para os que já se encontram imersos nessa abnegada e gratificante vida de concurseiro.

Saudações,

Thiago Nascimento

Auditor de Controle Externo do TCMRJ e Coach no Estratégia Concursos.

Posts Relacionados

Compartilhe:

Thiago Nascimento

Thiago Nascimento

Coach no Estratégia Concursos. Ex-oficial da Marinha graduado em Ciências Navais pela Escola Naval/RJ (2007). Começou sua carreira de concurseiro aos 15 anos quando foi aprovado no Concurso para o Colégio Naval, instituição de ensino da Marinha do Brasil. Aprovado para o Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro (TCMRJ/2011 - 16º lugar), onde atua como Auditor de Controle Externo. Pós-graduado em Controladoria Pública pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Veja os comentários:
Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Vídeos Relacionados

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.

Estamos aqui para ajudar você!
x