Comentário da prova de Português CFC 2019

Olá, pessoal!

Segue abaixo comentário da prova de Português CFC 2019.

A língua e a cultura

A língua e a cultura Cada língua representa uma cultura e, por conseguinte, uma visão de mundo. Por isso, não há palavras para Natal, democracia ou microprocessador digital em ianomami. (Talvez hoje, após anos de contato com os brancos, já haja). Mas, será que a cultura determina a língua ou é a língua que determina a cultura? Segundo a tese de Sapir-Whorf […] há uma coextensão entre língua e cultura, de tal modo que ambas se condicionam mutuamente. Não dá para saber ao certo quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha.

Nesse sentido, nenhum povo pode criar conceitos ou expressar vivências que a sua língua não permita. […] (Segundo o biólogo americano Jared Diamond […] as condições históricas e geográficas também influem).

Não se trata de uma visão racista ou etnocêntrica […], mas da constatação de que certas línguas oferecem mais recursos a um pensamento complexo e abstrato do que outras. […]

Mas, quer tenham sido as condições naturais que determinaram o surgimento da civilização – e a consequente complexificação da linguagem – em alguns lugares do planeta e não em outros, quer tenha sido o contrário, o fato é que a complexidade linguística resultante desse processo ensejou um círculo virtuoso que prossegue até hoje. Não se trata de povos mais inteligentes do que outros, mas talvez de povos mais sortudos.

(BIZZOCCHI, Aldo. A língua e a cultura. Língua Portuguesa, ano 3, nº 27, p. 60-61, jan. 2008. Adaptado.)

49 Dentre as diversas estratégias que asseguram a elaboração de um texto coeso e coerente estão alguns mecanismos linguísticos, tais como o emprego de vocábulos como os destacados no trecho “Cada língua representa uma cultura e, (I) por conseguinte, uma visão de mundo. (II) Por isso, não há palavras para Natal, democracia ou microprocessador digital em ianomami. ((III) Talvez hoje, após anos de contato com os brancos, já haja). (IV) Mas, será que a cultura determina a língua ou é a língua que determina a cultura? (V) Segundo a tese de Sapir-Whorf […] há uma coextensão entre língua e cultura, de tal modo que ambas se condicionam mutuamente. Não dá para saber ao certo quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha”. (1º§)

49. Analise as afirmativas a seguir considerando o emprego dos vocábulos e as expressões destacadas (Observe a identificação feita por meio de algarismos romanos).

I. Atribui ao enunciado um maior grau de formalismo expressando uma ideia de conclusão, sendo uma continuação lógica de um raciocínio já iniciado.

II. Indica que a intenção discursiva do enunciador é aproximar o seu interlocutor das ideias e fatos apresentados utilizando, para isso, um adjunto conjuntivo de uso estritamente coloquial; afastando-se, assim, da norma padrão com objetivo específico.

III. Quanto ao sentido produzido no discurso, a expressão circunstancial de dúvida introduz uma possibilidade de alteração da informação apresentada anteriormente.

IV. Introduz um questionamento que se sobrepõe à expressão anterior, alcançando importância e lugar de destaque na atenção do leitor.

V. No texto, a ideia de conformidade expressa e introduz um recurso que confere ao enunciado a passagem de uma ideia a outra sem que estejam relacionadas.

Estão corretas apenas as afirmativas

A) I, II e IV.

B) I, III e IV.

C) II, III e V.

D) III, IV e V.

Comentário: A afirmação I está correta, pois “por conseguinte” realmente é um conector coordenativo conclusivo, o qual transmite um resultado, um efeito,  uma continuação lógica de um raciocínio já iniciado.

            A afirmação II está errada, pois o conectivo “por isso” não é de uso estritamente coloquial, ele é utilizado como conectivo coordenativo conclusivo, de acordo com a norma culta.

            A afirmação III está correta, pois o advérbio “talvez” transmite dúvida e naturalmente introduz uma possibilidade de alteração da informação apresentada anteriormente

             A afirmação IV está correta, pois a conjunção “mas” transmite ênfase no elemento de contraste que inicia. Assim, podemos entender que seu emprego textual é introduzir um questionamento que se sobrepõe à expressão anterior, alcançando importância e lugar de destaque na atenção do leitor.

            A afirmação V está errada, pois a ideia de conformidade por intermédio de “segundo” introduz um recurso que confere ao enunciado a passagem de uma ideia a outra logicamente relacionadas entre si.

            Assim, a alternativa (B) é a correta.

Gabarito preliminar: B

50. No trecho “Não se trata de uma visão racista ou etnocêntrica […], mas da constatação de que certas línguas oferecem mais recursos a um pensamento complexo e abstrato do que outras. ” (3º§), o autor:

A) Intensifica a credibilidade das ideias apresentadas referindo-se ao seu discurso como isento de posições pontuais, sendo estruturado em fatos que evidenciam resultados obtidos.

B) Limita-se a esclarecer seu interlocutor de que o funcionamento de uma língua não está vinculado a quaisquer elementos externos, pois tal fato ocasionaria um preconceito linguístico inaceitável.

C) Parte de uma negativa que tem como objetivo refutar os argumentos contrários já evidenciados nos parágrafos anteriores ao trecho selecionado, confirmando a tese defendida no desenvolvimento do texto.

D) Esclarece que seu objetivo é convencer o leitor de que há uma polarização de pensamentos e, ainda, reforça que as ideias anteriores ao trecho selecionado são organizadas no sentido de persuadir contribuindo, positivamente, para tal convencimento.

Comentário: Para responder a esta questão, devemos nos remeter ao texto na seguinte passagem:

Nesse sentido, nenhum povo pode criar conceitos ou expressar vivências que a sua língua não permita. […] (Segundo o biólogo americano Jared Diamond […] as condições históricas e geográficas também influem).

Não se trata de uma visão racista ou etnocêntrica […], mas da constatação de que certas línguas oferecem mais recursos a um pensamento complexo e abstrato do que outras. […]

            O autor nega que haja uma visão racista ou etnocêntrica (Não se trata de uma visão racista ou etnocêntrica). Ele ressalta que há uma constatação: a de que certas línguas oferecem mais recursos a um pensamento complexo e abstrato do que outras.

            Assim, a alternativa (A) é a correta, pois se entende que o autor no trecho indicado intensifica a credibilidade das ideias apresentadas referindo-se ao seu discurso como isento de posições pontuais (pois afirma anteriormente que Não se trata de uma visão racista ou etnocêntrica), sendo estruturado em fatos que evidenciam resultados obtidos. Esses fatos remetem à constatação de que certas línguas oferecem mais recursos a um pensamento complexo e abstrato do que outras.

Gabarito preliminar : A

Grande abraço, meus amigos!

Décio Terror

Posts Relacionados

Comentários ( 2 )

Compartilhar

Deixe seu comentário:

Vídeos Relacionados

Depoimentos dos Aprovados

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.