Reversão de aposentados do Bacen: qual será a influência em concursos?
Concursos Públicos

Reversão de aposentados do Bacen: qual será a influência em concursos?

Entenda a reversão de aposentados do Bacen!

Olá pessoal, tudo bem?

Quem escreve é o Solino, analista do Banco Central e coach aqui no Estratégia.

Reversão de aposentados do Bacen: Entenda!

No dia 20 de janeiro foi publicada uma portaria do Bacen, autorizando a reversão de aposentadoria para 10 vagas de analistas, 2 vagas de procuradores e 5 vagas técnicos.

portaria de reversão de aposentados do Bacen

Daí pode surgir a seguinte dúvida: estaria o Banco Central desinteressado em realizar novos concursos em função da reversão de aposentados do Bacen??

Vamos aos fatos e, posteriormente, a minha interpretação sobre eles.

Dos fatos

  • A medida de permissão de reversão de aposentados do Bacen vem ocorrendo nos últimos anos, como nos anos de 2017 e 2019, na mesma escala da portaria de 2020 (por volta de 20 vagas)
  • Os concursos do executivo federal estão, na prática, paralisados desde 2015 (como concursos para a receita federal, agências reguladoras, etc.) devido à grave crise fiscal enfrentada pela economia brasileira
  • As exceções de realização de concursos públicos do executivo federal se deram, majoritariamente, para órgãos policiais (PF, ABIN, PRF e, recentemente, autorização para a DEPEN)
  • O Banco Central possuía a tradição de realização de concursos a cada quatro anos (concursos de 2013, 2009, 2006, 2002, 1998, …)
  • Hoje temos 3.699 servidores na ativa no Banco Central (ver quadro abaixo) e a tendência é que esse número seja reduzido com o tempo, em função de novas aposentadorias
quadro-pessoal

https://www.bcb.gov.br/acessoinformacao/carreira

  • O Banco Central investe alto no processo de automatização de processos e possui um quadro de servidores com alta qualificação.
  • Há uma expectativa de que aumento de pedidos de aposentadoria nos próximos anos. Veja um histórico de aposentadoria nos últimos anos
aposentadorias

https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,reforma-da-previdencia-leva-a-corrida-por-aposentadoria-no-servico-publico,70002992597

  • Há um pedido de realização de concurso para o Bacen no ministério da economia desde de 2017. Veja o status mais recente do pedido do concurso:
pedido
  • O Bacen trabalha com temas complexos, como o controle da inflação e a supervisão do sistema financeiro nacional e, recentemente, recebeu as atribuições do antigo COAF. Essas são atividades típicas de Estado e não há margem de terceirização dessas atividades finalísticas

Vamos agora analisar a pergunta mais relevante para o concurseiro:

Quando ocorrerá o próximo concurso do BACEN? Vale a pena eu iniciar a minha preparação para ele?

O primeiro ponto é a se destacar é que a medida de reversão de aposentados do Bacen possui efeito muito limitado e ela, por si, não irá resolver a questão de déficit de servidores.

Outro ponto é que o próprio Ministério da Economia reformulou a normatização das regras para a autorização de concursos. Veja mais detalhes no artigo abaixo.

Uma leitura contextualizada do decreto 9739/2019 em relação ao banco central é que não há muito espaço para ganho de eficiência de processos ou mesmo terceirização de atividades para suprir a necessidade de servidores concursados.

Em relação a pergunta proposta, prever a autorização de um concurso é uma tarefa muito difícil.

Pela minha avaliação, a retomada das autorizações de concursos públicos para o executivo federal está condicionada à aprovação da reforma administrativa pretendida pelo Ministério da Economia.

A retomada de concursos e o quantitativo de vagas irão depender de quais medidas serão aprovadas pelo Legislativo.

Veja o seguinte artigo sobre a reforma administrativa.

No caso concreto do Banco Central, há uma razoável chance de ser apreciada o projeto de lei de autonomia dessa autarquia. Se, eventualmente, for concedida autonomia administrativa ao Banco Central, o órgão poderá ter maior flexibilidade para autorização de concursos, ao estilo do Instituto Rio Branco (concursos para a diplomacia).

Entretanto, o texto original do projeto de autonomia do Banco Central não trata da autonomia administrativa, mas isso pode, teoricamente, ser alterado por emendas parlamentares.

Mas, vamos lá, voltando a pergunta central:

Vale a pena estudar para o concurso do Banco Central?

Essa é uma decisão muito pessoal, obviamente. Entretanto, fica claro para mim que a reversão de aposentados do Bacen não deve ter qualquer influência na sua decisão.

Entretanto, irei discorrer alguns elementos um pouco mais objetivos que podem te auxiliar nessa decisão.

Se você tem senso de urgência em mudar de carreira ou mesmo conseguir um emprego no curto/médio prazo (2020/2021), eu recomendo estudar para oportunidades de concursos mais certos, de preferência que estejam autorizados e ainda não tiveram o edital publicado.

Entretanto, se você não tem um grande senso de urgência para ser aprovado em um cargo público e está certo sobre a identificação com o Bacen (especialmente em relação as áreas finalísticas – economia e fiscalização), vale a pena iniciar a preparação, pois é factível que haja uma autorização para 2021.

Por exemplo, vamos ilustrar a preparação de um aluno iniciante para a área de fiscalização. Veja o quadro abaixo, que contêm a quantidade de aulas em pdf para cada uma das disciplinas:

quadro-aulas

Vemos que o curso completo do Estratégia possui 172 PDFs. Para termos uma métrica da extensão da preparação, vamos considerar que uma aula tenha, na média, 50 páginas de teoria e mais 50 páginas de questões.

Se o aluno tiver um tempo de leitura médio de 15 páginas por hora, ele precisaria de 50/15 = 3,3h para ver a teoria. Se considerarmos que para cada hora de estudo da teoria ele precise de 2h entre resolução de questões e revisões, esse aluno precisaria de 3,3 x (1+2) x 172 = 1.702h líquidas para se preparar para esse cargo.

Para fins de ilustração, essa estimava não está fora da realidade. Eu precisei de mais de 2 mil horas líquidas para conquistar as minhas aprovações.

Voltando ao aluno, se ele tiver seis períodos dedicados exclusivamente para o estudo para concursos (como as manhas, de segunda a sábado), eu estimaria que ele teria 17h líquidas na semana para a sua preparação.

Dessa forma, ele precisaria de 1702/17 + – 100 semanas, o que daria 1 ano e 11 meses.

Logo, eu considero que os concurseiros que pensam em se preparar para o Bacen em alto nível podem levar esse cenário para um planejamento eficaz.

Acompanhe as minhas dicas de estudo no Instagram (@professor.solino) e no YouTube (Professor Solino)

Confira todos os meus artigos no Estratégia.

Forte abraço

Solino

ASSINE AGORA – Assinatura ilimitada

CONCURSOS ABERTOS

CONCURSOS 2020

Guilherme Solino

Guilherme Solino

Concursos em que fui aprovado e convovado: Banco Central, analista - 2010 APO-MPOG, especialista - 2010 Controladoria-Geral do Distrito Federal - Auditor de Controle Interno, 2009 - 2o colocado ANTAQ, analista - 2009 Eletronorte, engenheiro de projetos - 2006 formação acadêmica: mestrado em Economia, Universidade de Brasília engenharia elétrica, Universidade de Brasília    

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Vídeos Relacionados