Concurso da Fundação Hemocentro de Brasília: questões comentadas.
Área da Saúde

Concurso da Fundação Hemocentro de Brasília: questões comentadas.

Olá alunos do Estratégia!

Gostaria de compartilhar minhas impressões sobre as questões objetivas de Imuno-hematologia e Imunologia da prova do Hemocentro de Brasília para Analista de Laboratório – Biologia, Biomedicina e Farmácia-Bioquímica, aplicada pelo IADES no último dia 05. Com base na prova tipo A, vamos comentar uma a uma as questões:

Questão 27

Conteúdos: Imuno-hematologia, Hematologia e Hemoterapia

Tópicos: fenotipagem eritrocitária e hemoterapia

Comentário: conforme o enunciado já diz, a fenotipagem eritrocitária para sistemas sanguíneos de relevância clínica pode ser realizada com a finalidade de prevenir a aloimunização. Assim, quando um paciente é diagnosticado com doença que sabidamente poderá levar a realização de várias transfusões é indicado que este paciente receba hemácias compatíveis para os antígenos de relevância clínica, ou seja, hemácias que foram fenotipadas e que sejam compatíveis com o fenótipo do paciente. Assim, evita-se que este paciente entre em contato com aloantígenos e venha a desenvolver anticorpos irregulares que poderão levar a reações transfusionais quando da realização de futuras transfusões. O gabarito da questão foi a letra C, a qual cita doença falciforme e talassemia, duas condições em que os pacientes acabam por necessitar de inúmeras transfusões e, nesses casos, devem ser fenotipados e receber desde a primeira transfusão hemácias fenotipadas compatíveis. A alternativa B que trazia “leucemia aguda e politransfundidos” pode ter deixado muita gente em dúvida, principalmente devido ao “politransfundidos”. Leucemia aguda é uma condição que leva a necessidade de realizar várias transfusões e os pacientes politransfundidos também devem receber hemácias fenotipadas compatíveis.  Entretanto, a ênfase da questão é na profilaxia de aloimunização e, no caso dos politransfundidos, a transfusão de hemácias fenotipadas é principalmente um cuidado para evitar reações transfusionais, tendo em vista que muitas vezes esses pacientes já possuem anticorpos irregulares desenvolvidos. Mas, pode ser profilaxia de aloimunização também! Afinal, existem diferentes antígenos eritrocitários que podem suscitar produção de diversos anticorpos, portanto, ainda que seja um cuidado para evitar reações frente a anticorpos já desenvolvidos, não deixa de ser também prevenção para a produção de anticorpos que o paciente politransfundido não possui. Uma questão em que se pode interpor recurso quanto ao gabarito. O conhecimento para responder foi abordado em várias aulas de nosso curso de Imuno-hematologia (aula 00, 01, 03), além de necessitar de conhecimentos de Hematologia e Hemoterapia. Apesar do gabarito contestável, foi uma boa questão!

Gabarito: C.

 

Questão 30

Conteúdos: Imuno-Hematologia

Tópicos: Antígenos do Sistema ABO

Comentário: questão bem direta, mas uma questão pobre, no estilo “decoreba”. Tantas perguntas mais interessantes e elaboradas poderiam ser feitas sobre imuno-hematologia…Uma questão mais rica, cobrando mais conteúdos e menos “decoreba” avaliaria melhor o conhecimento dos candidatos. A alternativa E é a correta, conforme vimos em nossa aula 01 de Imuno-hematologia, na página 07, que trouxe exatamente essa figura que está na prova!

Gabarito: E

 

Questão 32

Conteúdos: Imunologia

Tópicos: Citomegalovírus

Comentário: bola fora da organizadora IADES!!! Uma questão apresentando uma microscopia de luz de um exame histopatológico de pulmão (!!!) para avaliar os conhecimentos sobre citomegalovírus dos candidatos a um concurso para hemocentro…No edital “citomegalovírus” figura dentro do tópico de “Imunologia” e, obviamente, espera-se que o conteúdo seja cobrado nesse contexto. Ou poderia ser também cobrado no contexto de hemoterapia, perguntando sobre a triagem sorológica para CMV, por exemplo. No entanto, a questão não abordou a questão da imunidade (que o vírus representa uma importante causa de morbidade e mortalidade quando infecta pacientes imunocomprometidos) ou a necessidade de reduzir o risco de transmissão de CMV pela transfusão em pacientes de risco ou a triagem sorológica para esse vírus. Péssima questão, fora do foco do concurso! Também pode ser alvo de recurso.

Gabarito: B.

 

Questão 33

Conteúdos: Imunologia

Tópicos: Western Blot, HIV

Comentário: Mais uma questão decepcionante da banca IADES!!! O que foi perguntado está dentro do conteúdo previsto, é fato, mas a banca parece ter parado no tempo…O NAT finalmente está implantado nos hemocentros, inclusive com a novidade da inclusão do NAT pra HBV implementada pelo último RT de procedimentos hemoterápicos e a banca preferiu perguntar sobre Western Blot para HIV. Na página 46 de nossa aula 02 de imunologia vimos muito bem sobre a interpretação de um resultado de WB para HIV. Para um resultado ser positivo é necessária a presença de pelo menos duas das proteínas citadas na alternativa D: p24, p41, gp 160, gp 120. Questão tranquila para os alunos do Estratégia mas, ainda assim, uma decepção diante da expectativa sobre o que poderia ser cobrado. IADES desperdiçando a oportunidade de avaliar a educação continuada dos profissionais e de privilegiar a seleção de candidatos que estão por dentro das novidades, com conhecimento atualizado! 

Gabarito: D.

 

Questão 34

Conteúdos: Imunologia

Tópicos: HTLV

Comentário: uma boa questão, finalmente! Na página 06 de nossa aula 03 do curso de Imunologia explicitamos quais os testes utilizados para a triagem (ELISA e testes de aglutinação) e na página 07 tratamos sobre os exames empregados na confirmação de infecção por HTLV (imunofluorescência direta e WB). Embora pareça uma questão muito direta, exige maturidade do candidato no que se refere a conhecer as características dos diferentes imunoensaios utilizados e que, conforme os atributos de cada teste (custo, especificidade, sensibilidade, possibilidade de automação), eles serão mais adequados para triagem ou confirmação. Questão de excelente nível e sem “decoreba”!

Gabarito: B

 

Questão 35

Conteúdos: Imunologia

Tópicos: Hepatites (HBV)

Comentário: também uma boa questão de Imunologia, que cobrou um tema que é frequente em provas de concursos de toda as áreas e que não teria porque surpreender ninguém. Na questão verificamos um resultado que apresenta diferentes antígenos do HBV e anticorpos anti-HBc IgM, ambos característicos da fase aguda e com ausência de anticorpos anti-HBe e anti-HBs, os quais surgem posteriormente. Nas páginas 20 e 21 da aula 03 do nosso curso de Imunologia estudamos o significado de todos esses marcadores de infecção por HBV.

Gabarito: D

 

Questão 36

Conteúdos: Imunologia

Tópicos: Malária

Comentário: questão em que, mais uma vez, a banca erra a mão na hora de cobrar um conteúdo, semelhante ao que ocorreu em relação à questão de número 32. Em um concurso para Hemocentro uma questão com esse nível de detalhamento sobre o diagnóstico da malária e sem fazer relação com imunologia ou hemoterapia é uma questão fora do foco do concurso e muito mais voltada para a área de análises clínicas.  

Gabarito: E.

 

Questão 40

Conteúdos: Biologia Molecular

Tópicos: Teste molecular de amplificação de ácidos nucléicos para detecção de patógenos em amostras sanguíneas.

Comentário: mais uma questão “bola fora”, com enfoque fora do esperado para o concurso da FHB. O tema da questão seria “Biologia Molecular”, o qual figura no edital. Porém, a banca resolveu cobrar um teste molecular de amplificação e detecção de ácido nucléico aplicado para o diagnóstico de infecções da corrente sanguínea. Trata-se de um teste de amplificação de ácidos nucleicos para detectar e identificar diretamente o DNA dos 25 patógenos mais comuns (bactérias e fungos) em amostras sanguíneas, os quais são responsáveis por aproximadamente 90% de todas as infecções encontradas na corrente sanguínea. Diante da importância do NAT na triagem laboratorial do sangue doado e sua relevância para aumento da segurança transfusional por redução do período de janela diagnóstica para HBV, HCV e HIV, a banca foi muito infeliz na elaboração dessa questão sobre Biologia Molecular.

Gabarito: A.

 

Questão 41

Conteúdos: Imunologia

Tópicos: transplantes, rejeição

Comentário: a banca pegou um pouco pesado, pois a questão trouxe muitos detalhes em cada alternativa e exigia conhecimento aprofundado. Mas, de toda forma, não deixa de ser uma boa questão. E já era esperado que caísse algo sobre transplantes e rejeição, pois é o que mais frequentemente é cobrado quando se trata desse tema! A alternativa A está incorreta porque a rejeição hiperaguda tem como característica principal a participação de anticorpos pré-formados, trombose nos vasos do enxerto e necrose isquêmica. A rejeição hiperaguda se caracteriza SIM pela presença de um grande número de células polimorfonucleares (PMN) na vasculatura, associada com intensa formação de microtrombos e acúmulo de plaquetas.  A letra C também está incorreta pois a rejeição aguda é mediada por células T (podendo ser as CTL CD8+ que destroem diretamente as células do enxerto ou células CD4+ que secretam citocinas e induzem a inflamação) e anticorpos específicos para os aloantígenos no enxerto. Caracteriza-se pela presença de macrófagos e linfócitos (especialmente T) no interstício do enxerto, enquanto as células PMN são raramente encontradas, a não ser que haja infecção. Na letra D está correto que a rejeição crônica ocorre ao longo de meses ou anos, mas, na verdade, ocorrerá o estreitamento da luz dos vasos do enxerto, ou seja, ocorre diminuição e não “aumento progressivo do lúmen vascular”. E finalmente letra E menciona que a rejeição é tipicamente uma reação de hipersensibilidade tipo II, porém, isso não corresponde ao que chamamos de reação imunológica imediata (essa seria a tipo I) e também a rejeição é na verdade caracteristicamente uma reação tipo IV, aquela que envolve principalmente linfócitos T e monócitos. Mas também há anticorpos nos fenômenos de rejeição. A alternativa correta é a letra B. Estudamos sobre a imunossupressão em nossa aula 05 do curso de Imunologia e vimos a dificuldade com relação a imunossupressão inespecífica, que leva ao aumento da susceptibilidade a infecções e incidência aumentada de neoplasias nos pacientes transplantados.

Gabarito: B.

Havia nove questões abordando os conteúdos que estudamos em nossos cursos e dessas, seis questões estavam contempladas em nossas aulas! Fiquei muito feliz em termos acertado o enfoque nas aulas de Imunologia, Imuno-Hematologia e Hemoterapia! As outras três foram as questões mal elaboradas pela IADES e fora do escopo do concurso. C’est la vie!

E vocês? O que vocês acharam da prova? Pretendem interpor recurso? Escrevam para contar! 

Um abraço fraterno em todos os meus alunos/amigos que estão nessa jornada!

Denise

 

 

Posts Relacionados

Denise Rodrigues

Denise Rodrigues

Graduada em Biomedicina (2005) e mestra em Neurociências e Biologia Celular pela Universidade Federal do Pará (2007). Atuou em laboratórios clínicos, principalmente nos setores de bioquímica clínica/imunologia e microbiologia. Foi docente do curso de medicina do Centro Universitário do Pará (2009-2013). Foi aprovada e nomeada para o cargo de biomédica da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMA/PA). Foi aprovada e nomeada para o cargo de biomédica do Hospital Ophir Loyola/PA, referência em oncologia, doenças crônicas degenerativas e transplantes. Em 2013 ingressou na carreira pública de Analista Técnico de Políticas Sociais do MPOG, área da Saúde. Exerce suas atribuições no Ministério da Saúde, na Coordenação-Geral do Sistema Nacional de Transplantes. Em 2014 fez especialização em Captação, Doação e Transplante de Órgãos e Tecidos no Instituto de Ensino e Pesquisa Israelita/Hospital Albert Einstein. Atualmente suas principais áreas de atuação são saúde pública, planejamento e gestão em saúde, doação e transplante de órgãos e tecidos, e histocompatibilidade e imunogenética.

Veja os comentários:

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Vídeos Relacionados