Mulher na Polícia: a realidade da Delegada de Polícia
Concursos Públicos

Mulher na Polícia: a realidade da Delegada de Polícia

Algumas mulheres que gostam da carreira policial, têm vontade de fazer parte dela e têm vocação para tanto, mas às vezes deixam de seguir esse sonho por receio, por pensar que é um ambiente genuinamente masculino. Historicamente, os Órgãos de Segurança Púbica são dominados pelos homens, mas as mulheres vêm cada dia mais conquistando seu espaço nessas carreiras. As mulheres têm um papel extremamente necessário na Polícia, que vêm sendo cumprido com exímia nos últimos tempos. 

Há muitas mulheres na polícia hoje em dia, mas elas ainda são a minoria e, muitas vezes, uma minoria silenciosa. A professora do Estratégia Concursos e Delegada de Polícia, Lhais Hamide, e a convidada Bruna Caracho, que já foi investigadora da Polícia Civil e hoje é Delegada de Polícia, no webinário Mulher na Polícia: Delegada, vêm esclarecer a realidade da mulher na Polícia, especificamente no cargo de Delegada de Polícia. Elas vão debater e desmistificar a ideia de que a mulher não serve para cargos policiais e incentivar as mulheres a seguirem esse sonho. 

De acordo com a Delegada Bruna:

“Nós podemos fazer o que nós quisermos”. 

Características do cargo de Delegado de Polícia 

O Delegado de Polícia atua em uma posição de liderança que demanda um grande senso de justiça, coragem e autocontrole, além de profundo conhecimento técnico da legislação brasileira. É um cargo dentro das carreiras jurídicas que requer uma preparação de alto nível. O dia a dia de um Delegado é extremamente dinâmico, sem uma rotina previamente definida.  

Atribuições do cargo de Delegado de Polícia 

As atribuições do Delegado são basicamente: instaurar e presidir procedimentos policiais de investigação, orientar e comandar a execução de investigações relacionadas com a prevenção e repressão de ilícitos penais, participar do planejamento de operações de segurança e investigações, supervisionar e executar missões de caráter sigiloso, participar da execução de medidas de segurança orgânica, bem como desempenhar outras atividades, semelhantes ou destinadas a apoiar o órgão na consecução dos seus fins. 

Mulher na Polícia 

O lugar da mulher é onde ela quiser 

A primeira delegada do Estado de São Paulo, entrou no cargo na década de 70. Por conta de uma questão histórica, as mulheres foram conquistando direitos que as colocassem em pé de igualdade com os homens, e na polícia isso vem acontecendo nos últimos tempos. As mulheres cada dia mais vêm ocupando espaços na polícia, e normalmente são aprovadas em concurso com as maiores notas. Elas também vêm se destacando por exercer seu papel com extrema eficiência.  

Diferentemente do que muita gente imagina, para você ser um bom policial, o gênero não influencia em nada. Esse estereótipo que o policial tem que, necessariamente, ser uma pessoa muito forte, truculenta, é falha. As mulheres têm um papel essencial dentro da polícia, elas têm uma sensibilidade, uma calma e uma delicadeza que pode resolver certos problemas, que, às vezes, uma corporação composta apenas por homens não consegue resolver.  

“Para ser policial você tem que ter muita vontade, você tem que ser inteligente e exercer com exímia as suas atribuições, independentemente do seu gênero”. 

O papel da mulher na Polícia 

As delegadas vêm mostrar que a polícia precisa ser ocupada por ambos os sexos, pois há qualidades inerentes a ambos os gêneros que, quando unidos os esforços, fazem a Polícia funcionar com muito mais eficiência.  

Em certas ocorrências a calma e raciocínio feminino serão mais necessários, enquanto isso, quando houver necessidade de maior força física, por exemplo, o homem vai ter seu papel mais predominante.

Ainda assim, quando a mulher na polícia precisa usar a força ela tem técnica, tem equipamentos e tem a ajuda de toda uma equipe que vai auxiliar na operação. Essa união de qualidades femininas e masculinas é essencial para o trabalho policial. 

“A polícia precisa ser ocupada por homens e mulheres pois é o esforço conjunto dos dois gêneros que garante um bom exercício da função policial.” 

As mulheres podem e devem ocupar esses espaços para haver um equilíbrio de competências dentro da Polícia. As mulheres que ocupam o cargo de Delegada vêm exercendo brilhantemente seu papel. Quando ambos os gêneros trabalham em conjunto, eles se somam, e quem ganha com isso é a sociedade. 

Ainda falta muita para equilibrar os esforços dentro da Polícia, principalmente em ramos especializados, como na Delegacia da Mulher. 

A mulher na polícia tem competência para exercer qualquer cargo, mas ela tem exercido um papel essencial no atendimento da mulher que é vítima de violência doméstica. Esse tipo de caso precisa, primordialmente, ser acolhido por mulheres, que têm mais empatia com a vítima. Há delegacias da mulher comandadas por homens, por falta de pessoal feminino e isso é prejudicial. 

Preconceito com a Mulher Delegada 

As mulheres ainda sofrem preconceito de gênero em todas as áreas do serviço público, não apenas na Polícia. No Poder Executivo, Legislativo e Judiciário, a capacidade da mulher estará sempre sendo colocada sob dúvida e a forma de mostrar seu valor é por meio de um trabalho qualificado. O objetivo não é provar para os homens, mas provar para si mesma o seu valor. Você escolheu aquele cargo, você tem condições, você está apta, então, apenas faça o seu trabalho e você vencerá o preconceito. 

A delegada Bruna conta que quando ela era investigadora plantonista e trabalhava dentro de presídio, no exercício da função com os presos ela sempre foi muito respeitada. Ela conta que o maior preconceito era, inicialmente, dentro da própria corporação, por ser uma pessoa pequena e aparentemente frágil. Ela afirma que venceu esse preconceito mostrando a qualidade do trabalho que ela fazia.  

Teste de Aptidão Física (TAF) 

Nos concursos para carreiras policiais, há a etapa do Teste de Aptidão Física (TAF). Há diferença entre o TAF masculino e feminino, de forma que o tempo de corrida e quantidade e dificuldade dos exercícios é compatível com a diferença de força física de homens e mulheres. Há diferenças biológicas que têm que ser consideradas, então as bancas têm essa sensibilidade de cobrar um pouco menos das mulheres no teste de força física. Essa é uma questão de equidade, e não de privilegio. 

Vida Social 

Em relação à vida social da mulher delegada, a professora Lhais afirma que a palavra da vez é bom senso. É preciso ter bom senso nas redes sociais, com família e com os amigos. Exercer um cargo policial não vai atrapalhar em nada na sua vida social, desde que você não tenha atitudes que desonrem o seu cargo e tenha sempre cuidado com a sua segurança e da sua família, uma vez que você lidará com a criminalidade. 

Sonho x Realidade 

A Bruna sempre quis ser delegada pelo empoderamento que esse cargo traz para a mulher. Para esse sonho se tornar realidade, ela acabou a faculdade de Direito e prestou concurso para Investigadora de Polícia, porque ela pensou que ao ingressar na instituição policial, ela poderia entender, na prática, se ela realmente tinha vocação para a profissão de Delegada.  

Quando ela tomou posse no cargo de investigadora, ela voltou a estudar, agora com foco no cargo de Delegada. Ela afirma que foi o melhor investimento de tempo e dinheiro que ela já fez, porque atualmente ela se sente extremamente realizada. 

A Lhais trabalhava na Vara Criminal no Tribunal de Justiça, mas ela não almejava uma carreira jurídica específica. Ela estava estudando almejando alguns dos seguintes cargos: Delegado de Polícia, Defensoria Pública, Ministério Público e Juiz de Direito. Quando o concurso de Delegado de Polícia de São Paulo foi publicado, ela resolveu direcionar a preparação e ela foi aprovada. Hoje em dia o dinamismo da carreira de Delegado a encantou muito e ela não pretende prestar outro concurso, quer continuar a atuar como Delegada.  

“O segredo é o foco no objetivo, a constância nos estudos e agir para alcançar os sonhos”. 

Reação da família 

A família sempre tem um pouco de receio por ser uma profissão que envolve risco, mas você tem que seguir seus sonhos e ignorar aquelas pessoas que não somam nada em quem você quer se tornar. 

A Bruna conta que teve muito apoio da sua mãe, mas que ela teve um relacionamento que não apoiava a sua decisão de entrar para a polícia, por ser uma profissão masculina. Ela não deu ouvidos, seguiu o sonho e lutou por ele. Depois que ela virou investigadora, o relacionamento acabou. 

A Lhais conta que a família também ficou receosa, mas hoje em dia eles tem muito orgulho e estão felizes com a escolha dela. 

Mulher e estudos: como conciliar a rotina 

A rotina feminina costuma ser mais pesada, ela gasta um tempo que os homens não costumam gastar cuidando de casa e cuidando delas mesmas. Ambas as Delegadas contam que foi muito pesado conciliar a rotina com os estudos para concursos públicos, mas que valeu muito a pena.  

A dica delas é que, mesmo com diversas outras responsabilidades, você se organize para ter uma quantidade de horas no seu dia exclusivamente para estudar, e que você faça o melhor que pode dentro da sua realidade. Dessa forma, o sonho se torna possível. 

Próximos concursos de Delegado de Polícia 

Prepare-se e seja mais uma mulher na polícia, exercendo o cargo de Delegada!

Atividade Jurídica ou Policial

Quais desses concursos tem como requisito o cumprimento de tempo de atividade Judiciária ou Policial:

Atividade Jurídica

  • Exercida privativamente por bacharel em Direito;
  • Efetivo exercício da advocacia (inclusive voluntária), com a participação anual em 5 atos privativos de advogado em causas ou questões distintas;
  • Exercício de cargos, empregos ou funções (inclusive magistério superior), que exija utilização preponderante de conhecimento jurídico;
  • Exercício da função de conciliador junto ao Poder Judiciário: 16 horas mensais durante 1 ano;
  • Exercício regular da atividade de mediação ou arbitragem.

Atividade Policial

  • Atividade exercida em qualquer instituição de segurança pública reconhecida pela Constituição Federal, comprovada mediante a apresentação de certidão do respectivo órgão, sujeita à avaliação da Comissão de Concurso.

Assinaturas 

O Estratégia Lançou 3 novas modalidades de Assinaturas  

– Básica – Premium – Platinum –   

A assinatura, na versão básica, abrange as seguintes funcionalidades:   

  • Cursos e Pacotes   
  • Cursos Especiais (Exclusivos)   
  • Fórum de Dúvidas   
  • Resumos   
  • Mapas Mentais   
  • Marcação dos Aprovados   

A assinatura, na versão premium, abrange as seguintes funcionalidades:   

  • Cursos e Pacotes   
  • Cursos Especiais (Exclusivos)   
  • Fórum de Dúvidas   
  • Resumos e Bizus   
  • Mapas Mentais   
  • Marcação dos Aprovados   
  • Trilha Estratégica   
  • Passo Estratégico   
  • Monitoria   
  • Salas VIP   

A assinatura, na versão platinum (mensal), abrange as seguintes funcionalidades:   

  • Cursos e Pacotes   
  • Cursos Especiais (Exclusivos)   
  • Fórum de Dúvidas   
  • Resumos e Bizus   
  • Mapas Mentais   
  • Marcação dos Aprovados   
  • Trilha Estratégico   
  • Passo Estratégico   
  • Monitoria   
  • Salas VIP   
  • Acompanhamento do Coaching   
  • Trilhas de Estudo individualizadas   
  • Comunidade Platinum   
  • Discursivas Com Correção   
  • Aulões Presenciais   
  • Sistema de Questões   
  • Estratégia Cast   

Assinatura Anual Ilimitada*   

Prepare-se com o melhor material e com quem mais aprova em Concursos Públicos em todo o país. Assine agora a nossa Assinatura Anual e tenha acesso ilimitado* a todos os nossos cursos.   

ASSINE AGORA – Assinatura Ilimitada   

Sistema de Questões   

Estratégia Questões nasceu maior do que todos os concorrentes, com mais questões cadastradas e mais soluções por professores. Então, confira e aproveite os descontos e bônus imperdíveis!   

ASSINE AGORA – Sistema de Questões   

Fique por dentro dos concursos em aberto   

CONCURSOS ABERTOS   

Confira as oportunidades em 2020   

CONCURSOS 2020   

As previsões para 2021   

CONCURSOS 2021 

Posts Relacionados

Ana Luiza Tibúrcio Guimarães

Ana Luiza Tibúrcio Guimarães

Aprovada em 1º lugar para o cargo de Técnico Judiciário do TRF 3 (2019) Aprovada para o cargo de Juiz Leigo do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (2019)

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Vídeos Relacionados