Estudar apenas por questões é aconselhável?
Marcel Santos

Estudar apenas por questões é aconselhável?

Pessoal,

Muito se fala em técnicas relacionadas ao estudo direcionado para concursos, que é bastante diferente do estudo no ensino médio, graduação, pós e por aí vai. Ciclos, revisões, marcações, memorização, concentração, resumos, mapas mentais…. mas uma das mais eficazes é, com toda a certeza, a resolução sistemática de questões. E por um motivo bem simples: você está se preparando justamente para uma prova na qual terá que…. resolver questões!!

Dessa forma, vamos abordar três perfis de candidatos:

INICIANTE

Para um candidato iniciante no mundo dos concursos, é fundamental adquirir uma boa base teórica antes de ‘pôr a mão na massa’. Imagine uma pessoa que nem ao menos sabe o que significa a expressão ‘Carta Magna’ começar a resolver exercícios de Controle Difuso de Constitucionalidade? Impraticável! Pular etapas, nesse caso, não é a melhor estratégia. Contudo, existem matérias em que, na grande maioria dos casos, o candidato já possui certa ‘bagagem’ do ensino escolar, como Língua Portuguesa, Matemática e Geografia. Sendo assim, para que o tempo seja otimizado, sugere-se que sejam utilizadas plataformas de resolução de exercícios comentados, como o TEC.

A imprescindibilidade de os exercícios serem devidamente comentados por professores especialistas surge de forma a complementar o pré-conhecimento do aluno com a matéria. Nesses comentários, geralmente, além de uma boa explicação teórica acerca do comando das questões, são repassadas dicas exclusivas de como a banca organizadora costuma elaborá-las. Assim, com o tempo, o aluno não só consegue ‘pescar’ o jeito de cobrança e o padrão de cada uma das bancas, como também consolida seu conhecimento na matéria.

INTERMEDIÁRIO

Em uma escala crescente, vamos considerar que um aluno intermediário é aquele que estuda há aproximadamente um ano para concursos. Já fez provas, ficou reprovado em algumas e começou a bater na trave. Com esse perfil, o candidato muito provavelmente já desenvolveu uma linha de raciocínio tal para seguir determinada carreira ou área. Já se familiarizou com uma quantidade considerável de matérias e compreende o perfil das principais bancas.

Nesse caso, ele irá trabalhar sempre com resumos rápidos e começar a atribuir maior parcela do seu tempo à resolução de questões (não preciso mais falar que elas têm sempre que ser comentadas, não é?). Em certas ocasiões , ele irá se deparar com disciplinas inéditas, quando terá que voltar ao estágio de aluno iniciante para que a teoria seja internalizada antes de começar os exercícios.

AVANÇADO

Com mais de um ano e meio de estudos, o candidato já possui um vínculo forte com as matérias e pode ser considerado experiente. Nesse sentido, o estudo unicamente por questões direcionadas para sua área de preferência é bastante recomendado porque, na medida em que resolve os simulados, a matéria se torna cada vez mais assimilada e seu conhecimento prático ganha robustez. Ele vai para a prova capacitado e certo de que a aprovação é apenas uma questão de tempo.

Portanto, guerreiros e guerreiras, não deixem de considerar, para o seu ciclo de estudos, a técnica que mais traz resultados. Existem casos de aprovados que estudaram apenas por questões, sem passar por qualquer outro estágio. Mas o contrário não é verdade: você não irá se deparar com alguém que logrou êxito em concursos apenas lendo a lei seca ou a teoria, marcando o material e elaborando resumos. Estamos entendidos?

Sigam o meu Instagram:

@engenheiro_concurseiro

Quer saber mais sobre como o programa de Coaching do Estratégia pode te ajudar a entrar para o seleto grupo de aprovados? Acesse o link abaixo:

https://www.estrategiaconcursos.com.br/cursosPorConcurso/coaching-382/

Um forte abraço e bons estudos!

Posts Relacionados

Compartilhe:

Marcel Santos

Marcel Santos

Engenheiro Eletricista graduado na Universidade Católica de Petrópolis (UCP), especialista em Engenharia de Produção, atuou como Fiscal de Contratos e Engenheiro de Operações em unidades offshore da PETROBRAS por cinco anos. Aprovado em 21º lugar para o cargo de Técnico de Controle Interno da Prefeitura de Maricá/RJ (2018), em 3º lugar no concurso do IBGE (2017) para o cargo de Agente Censitário Supervisor e em 1º lugar para o cargo de Analista de Planejamento e Gestão do IPHAN / MS (2018). 

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Vídeos Relacionados

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.