2

Apostas para prova de Contabilidade da PF!

Pessoal, o dia tão aguardado chegou e amanhã, dia 16/09, teremos uma batalha pela frente para conseguirmos uma das sonhadas vagas no quadros da Polícia Federal.  Além de desejar sucesso para vocês, nossa equipe de Contabilidade do Estratégia Concursos está aqui para apresentar para vocês algumas apostas para as provas de Contabilidade amanhã!

Nossa equipe trabalhou pesado nesse curso para oferecer a melhor preparação para vocês e, assim sendo, agora queremos apresentar as nossas “apostas” para as provas de Contabilidade amanhã!

Na prova de Agente de Polícia Federal teremos 24 questões, galera, com isso, o jogo mudou, mais assuntos serão explorados e com certeza esperamos uma prova bem distribuída, com questões fáceis, médias e difíceis! Vamos às apostas:

BALANÇO PATRIMONIAL

O tema que mais tem sido cobrado pelo Cespe em suas provas é BALANÇO PATRIMONIAL, mas, professor, o que vocês acham que pode cair na prova amanhã?

– Definição e classificação de elementos do Ativo, Passivos e Patrimônio Líquido;

– Diferenciação entre Circulante e Não Circulante;

Funcionamento das contas do Patrimônio Líquido: Reservas de Lucros (todas as reservas já apareceram em provas), Reservas de Capital, Ações em Tesouraria e Ajuste de Avaliação Patrimonial (o Cespe tá de olho nessas contas!);

– Literalidade da lei 6404/76 e CPC 26;

– Também acreditamos que teremos um balancete de verificação com diversas contas e a questão solicita o valor de elementos com Ativo Circulante, Imobilizado, Passivo Exigível e etc.

–  Acreditamos que o Cespe pode apresentar algumas contas e perguntar se todas elas integram determinado grupo, como por exemplo, são classificadas no Passivo Circulante as seguintes contas “A, B, C”.  Aí o examinador coloca alguma “casca de banana no meio”.  Cuidado com essas contas:

Desconto de Duplicatas =  Passivo Circulante;

Debêntures Perpétuas = Passivo Não Circulante; 

Mútuo entre partes relacionadas: Ativo Não Circulante;

Ativo e Passivo Fiscal Diferido: sempre no NÃO CIRCULANTE!

Estrutura Conceitual Básica: apostas para amanhã!!

– Características qualitativas fundamentais;

– Características qualitativas de melhoria; (CO-CO-TE-VE)

– Objetivo, utilidade e limitações do relatório contábil-financeiro de propósito geral;

– Manutenção do Capital Físico e Financeiro;

– Critérios de Avaliação de Ativos: definição de Custo Histórico, Valor Presente, Valor Justo, Valor Realizável etc.

Escrituração Contábil (Livros, Lançamentos, Fatos Contábeis, Balancete)

Pessoal, esse tema, que é da parte inicial da Contabilidade, está caindo com bastante frequência em provas da nossa banca, vide o concurso da CAGE-RS em 2018. Pode aparecer na prova de amanha as classificações das fórmulas de lançamento, tipos de fatos contábeis, livros contábeis, especialmente Diário e Razão.

Pegadinha comum do Cespe sobre o tema: dizer que o Livro Razão é obrigatório, quando na verdade é FACULTATIVO pela legislação comercial, ele é obrigatório apenas pela legislação fiscal.  Outra coisa: lembre-se que o balancete de verificação é feito a partir do livro Razão e não do Diário.

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO

Na prova de amanhã podem ser cobradas diferenças a lei 6404/76 e o CPC 26 no tocante a esse assunto. Devemos saber especialmente, as contas que são utilizadas na DRE pelo método da função e método da natureza.

DICAS: “O Brasil desmata muito, não gosta de natureza, por isso usamos a DRE pela função” rsrsrs.

Se você encontrar a conta de CMV, saiba que estamos diante de uma DRE pelo Método da Função.

Nas provas aplicadas em 2017 e 2018 sempre tivemos uma questão, pelo menos, sobre a Demonstração do Resultado Abrangente. Lembrem-se que a DRE deve se apresentada separadamente e não apenas incluída na DMPL.

Dicas de Pronunciamentos Contábeis:

Pessoal, desse tema sairão as questões mais difíceis da sua prova, temos certeza!!!  Quais as nossas apostas para amanhã?

CPC 01– “Redução ao Valor Recuperável de Ativos” – nenhum ativo pode ficar por valor maior do que seu valor de venda ou sua capacidade de geração de caixa; podemos ter reversão de perda, exceto no goodwill.

CPC 04  – “Ativo Intangível” –  gastos com pesquisas são despesas e desenvolvimento PODEM SER ATIVADOS; ” Não reconhecerás o goodwill gerado internamente” e intangíveis sem vida útil definida não são mais amortizados, mas submetidos ao Impairment;

CPC 08 – Custos de Transação e Prêmios na Emissão de Títulos e Valores Mobiliários” – encargos financeiros incluem custos da transação, como gastos com intermediários, publicações, contratos, viagens etc., NÃO RECONHECEMOS DESPESAS NO MOMENTO INICIAL, MAS AO LONGO DO TEMPO, ; gastos com emissão de ações não são despesas da entidade, reduzindo o patrimônio líquido diretamente.

CPC 12 – “Ajuste a Valor Presente”  – ativos e passivos de longo prazo são ajustados a valor presente (exceto tributos diferidos, MÚTUO entre partes relacionadas e Empréstimos do BNDES,.

Ativos e Passivos de curto prazo, quando relevante, ajustamos.

CPC 15  “Combinação de Negócios” – goodwill na combinação de negócios é só o que exceder o valor justo dos ativos e passivos adquiridos, inclusive ativos não contabilizados e passivos contingentes (diferença entre valor justo e valor contábil não é ágio, e sim mais-valia); “Deságio” é ganho por compra vantajosa e reconhecido imediatamente no resultado.

CPC 16 – Estoque – Critério de avaliação: valor de custo ou realizável, dos dois o menor! Métodos de Avaliação.

CPC 18 – Investimentos: Critérios de Avaliação: Método da Equivalência Patrimonial, Método do Valor Justo e Método de Custos . MEP: qualquer variação no PL da investida deve ser reconhecida e não apenas a distribuição de lucros.

CPC 25 – “Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes”  – provisão para riscos contingentes quando prováveis (probabilidade> 50%); se possíveis, só notas explicativas; se remotos, nada. Ativo contingente não é ativável, só quando praticamente certo. (Ativo “de verdade”)

CPC 27 – Depreciação com base na vida útil econômica e valor residual de venda, não mais pelas taxas fixas do Fisco. Inclui intangível vinculado ao imobilizado, como softwares sem vida própria. Exemplo: Máquina que não funciona sem determinado software!!

CPC 48 – “Instrumentos Financeiros” – o que determina a classificação agora é o modelo de negócio da empresa e não apenas a sua intenção! Instrumentos Financeiros estão sujeitos ao Teste de Recuperabilidade

Orientações Gerais sobre a prova do Cespe!!

Ao ler uma assertiva do Cespe, veja se você consegue encontrar algum erro no que ela está afirmando e pensando dessa maneira você irá resolver as questões com maior facilidade. Se não encontrarmos o erro, considera a assertiva correta. Além disso, veremos em algumas assertivas que são bem “grandes”, mas se encontramos um único erro, já é suficiente para considerá-la errada.

Como consequência desse modo de análise, algumas características são comuns em questões do Cespe, por exemplo:

– Um item “incompleto” ou a existência de algumas exceções NEM SEMPRE tornam o item errado;

– Temos que ter cuidado com expressões do tipo: “SEMPRE”, “NUNCA”, “DEVE” etc.

Pessoal, é isso, bastante coisa, mas a nossa disciplina é grande mesmo e o Cespe cobra diversos assuntos! Mas tenho certeza que muitas questões da sua prova estão aqui nesse artigo!!

Um forte abraço e fiquem com Deus!

Equipe Contabilidade Facilitada

Professores Gabriel Rabelo, Luciano Rosa e Julio Cardozo.

@contabilidadefacilitade, @profjuliocardozo, @lucianorosa.

 

Posts Relacionados

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *