Adjetivo e advérbio

Adjetivo e advérbio – Qual a diferença entre eles?

E aí, pessoal. Tudo bem? Tudo tranquilo?

No artigo de hoje, vamos falar sobre uma dúvida muito comum: a diferença entre adjetivo e advérbio.

Bem, vamos começar com o básico: o conceito de cada uma dessas classes de palavras.

Adjetivo é a classe gramatical que caracteriza um substantivo, atribuindo-lhe qualidade, estado ou modo de ser:

A casa amarela é linda.

Já o advérbio é palavra que não varia e transmite circunstância:

Esta casa é muito linda!

Deu uma clareada? Se sim, eu fico feliz. Se não deu, espere aí que já vai clarear mais, porque agora nós vamos falar das diferenças entre adjetivo e advérbio.

Resultado de imagem para começando a amanhecer

Diferenças entre adjetivo e advérbio

A primeira diferença é que o adjetivo varia, isto é, muda a sua forma para caracterizar um substantivo, mas o advérbio não varia, ou seja, não muda a sua forma para modificar o verbo, o adjetivo, outro advérbio e também toda uma oração.

A segunda diferença é que o adjetivo caracteriza apenas os substantivos e o advérbio pode modificar verbos, adjetivos, outros advérbios e uma oração.

Clareou mais? Mas pode continuar lendo que vai ficar ainda melhor.

Resultado de imagem para claridade

Você deve estar se perguntando: “Meu Deus, Terror, o que é essa tal variação que acontece com o adjetivo, mas não acontece com o advérbio?” e eu vou lhe responder.

Para concordar com o substantivo, o adjetivo deve mudar a sua forma, ou variar.  

Variações do adjetivo

Observe como os adjetivos variam:

a. Gênero: masculino ou feminino

Um comportamento estranho   /    uma atitude estranha

b. Número: singular ou plural

Comportamentos estranhos     /     Atitudes estranhas

c. Grau:

Comparativo: compara uma qualidade entre dois elementos ou duas qualidades de um mesmo elemento. São três os comparativos:

De superioridade:

Para alguns alunos, Português é mais fácil (do) que Química.

De igualdade:

Para alguns alunos, Português é tão fácil quanto Química.

Ele é tão exigente quanto (ou como) seu irmão.

De inferioridade:

Para alguns alunos, Português é menos fácil (do) que Química.

Superlativo: nesse grau, a característica atribuída pelo adjetivo é intensificada de forma relativa ou absoluta.

No grau superlativo relativo, essa intensificação é feita em relação a todos os demais seres de um conjunto que a possuem. O superlativo relativo pode exprimir superioridade ou inferioridade e é sempre expresso de forma analítica:

Superlativo relativo de superioridade:

Ele é o mais atento da sala.     /      Ele é o mais exigente de todos os irmãos.

Superlativo relativo de inferioridade:

Você é o menos crítico do grupo.  / Você é o menos importante da firma.

Note que usamos o artigo definido (o, a, os, as) e a preposição (de), para especificar o ser (papel fundamental do artigo) dentro de um grupo (uso da preposição para indicar limitação).

Além disso, perceba que as formas do superlativo relativo de superioridade dos adjetivos bom, mau, grande e pequeno são sintéticas: o melhor, o pior, o maior e o menor.

Superlativo absoluto:

Intensifica-se a característica atribuída pelo adjetivo a um determinado ser, transmitindo ideia de excesso. O superlativo absoluto pode ser analítico ou sintético:

O superlativo absoluto analítico é formado normalmente com a participação de um advérbio:

Você é muito crítico.

Ele é demasiadamente exigente.

Somos excessivamente tolerantes.

O superlativo absoluto sintético é expresso com a participação de sufixos. O mais comum deles é –íssimo; nos adjetivos terminados em vogal, esta desaparece ao ser acrescentado o sufixo do superlativo:

Trata-se de um artista originalíssimo.

Ele é exigentíssimo.

Seremos tolerantíssimos.

Você pode perceber que o adjetivo muda de acordo com o substantivo, ou seja, o adjetivo concorda com o substantivo em gênero, número e grau.

Advérbio

Como o advérbio não varia, vamos exemplificar como ele pode modificar verbos, adjetivos, outros advérbios e uma oração.

Meu irmão estuda muito. (o advérbio “muito” modifica o verbo “estuda”, atribuindo-lhe intensidade)

Ela é muito alta. (o advérbio “muito” modifica o adjetivo “alta”, atribuindo-lhe intensidade)

Seu colega escreve muito bem. (o advérbio “muito” modifica o advérbio “bem”, atribuindo-lhe intensidade)

Infelizmente, não poderei comparecer à reunião. (o advérbio “infelizmente” modifica toda a oração)

Nesses casos, o advérbio geralmente carrega a opinião do falante. Veja outro exemplo:

Lamentavelmente, a empresa não pagou a indenização a seus funcionários.

Resumindo

Como todo mundo gosta de um resumão, lá vamos nós:

O adjetivo é variável e caracteriza apenas os substantivos. Já o advérbio é invariável e pode modificar verbos, adjetivos, outros advérbios e uma oração.

E agora? Ficou tudo claro cristalino? Tenho certeza que sim; mas, se você tiver alguma dúvida, pode comentar aqui embaixo que eu respondo, tudo bem?

Imagem relacionada

Até a próxima dica!

Grande abraço.

Décio Terror

Posts Relacionados

Um comentário

Compartilhar

Deixe seu comentário:

Vídeos Relacionados

Depoimentos dos Aprovados

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.