PROVA COMENTADA ICMS SC- PORTUGUÊS FCC
Área Fiscal

PROVA COMENTADA ICMS SC- PORTUGUÊS FCC

Boa tarde, pessoal! Professor Felipe aqui na área mais uma vez, agora trazendo a correção da gigantesca prova do ICMS SC! 25 questões FCC para vocês praticarem em alto nível! Não se intimidem, o nível da prova foi alto, mas compatível com os demais concursos da FCC. O grande diferencial foi o tempo, era preciso ser muito veloz!

OBS: Os recursos estão em um artigo anterior, ok?

Vamos lá!

 

Questões com Comentário

 

Atenção: Para responder às questões de números 1 a 10, considere o texto abaixo.

 

Existe uma estreita relação entre nutrição, saúde e educação, de um lado, e capacidade de trabalho e iniciativa de outro. A incompetência econômica do indivíduo resulta em privação material: sua demanda por bens não corresponde a uma demanda recíproca, no mercado, por aquilo que ele é capaz de oferecer. Ao mesmo tempo, a pobreza de uma geração se torna o berço da incompetência da geração seguinte: o ambiente de privação material e ignorância em que nasce (e se forma) o indivíduo impede que ele desenvolva todas as qualidades físicas, morais e intelectuais das quais dependerá sua competência na vida prática e sua sobrevivência no mercado. Fecha-se assim o elo entre pobreza e improficiência.

Entre os economistas do século XIX, foi Marshall aquele que melhor compreendeu a importância da formação de capital humano − do investimento na qualidade da força de trabalho − para um programa de reforma social eficaz, voltado para a erradicação da pobreza e a promoção da riqueza e do desenvolvimento sociais. Na Inglaterra oitocentista de Marshall, existia um vasto contingente de indivíduos trabalhando com um nível baixíssimo de produtividade, semiocupados ou até incapacitados de exercer qualquer tipo de atividade no mercado que lhes garantisse o mínimo necessário para um padrão de vida tolerável.

A bandeira da educação compulsória e universal, financiada e pelo menos parcialmente provida pelo Estado, é uma tônica constante da economia clássica desde Adam Smith. Malthus, para citar apenas um exemplo, sugeria que o investimento público maciço em educação seria uma resposta mais eficaz do que a Poor Law (sistema de assistência social aos pobres) no combate ao pauperismo.

O ponto crucial, contudo, é que os economistas clássicos ainda tendiam a abordar a questão da educação mais sob o ângulo do bem-estar social, da mudança de atitudes e valores que acarretava, do que sob o ângulo do capital humano, isto é, como parte do esforço de investimento e formação de capital produtivo de uma nação.

Foi apenas com os “Princípios de economia” de Marshall que os economistas passaram a tratar a educação, além da saúde, alimentação etc. − o investimento em seres humanos em suma −, não mais como uma questão simplesmente humanitária (embora, é claro, também o seja), mas como parte do esforço de acumulação de capital: como investimento na capacidade produtiva da população, entendida como resultante de sua saúde e educação básica, bem como de seu grau de competência profissional.

O núcleo do argumento marshalliano é a noção de que o verdadeiro gargalo com que se defrontam as economias menos desenvolvidas não é a escassez de capital financeiro, mas a escassez de capital humano. É a falta de capacitação da comunidade para integrar-se de forma dinâmica à economia mundial que compromete o esforço de crescimento numa economia atrasada.

Mas o que é, afinal, o capital humano? O capital humano representa a capacitação do indivíduo para o trabalho qualificado. Ele é constituído não somente pelo resultado do investimento da família e da sociedade na competência produtiva das pessoas, mas também por elementos de natureza ética como, por exemplo, a capacidade dos indivíduos de agir com base nos interesses comuns. Com isso, aumenta o poder de ganho dos indivíduos no mercado e eles aprendem que é do seu próprio interesse respeitar regras gerais de conduta das quais todos os participantes da sociedade se beneficiam, embora para isso precisem restringir alguns de seus interesses pessoais mais imediatos.

É importante frisar que Marshall sustentou um argumento de caráter econômico quando defendeu a distribuição menos desigual da riqueza e da renda, de modo a promover a formação de capital humano. Seu argumento chama a atenção para os ganhos obtidos a partir da melhora na educação da população: “nenhuma mudança favoreceria tanto um crescimento mais rápido da riqueza material quanto uma melhoria das nossas escolas […], desde que possa ser combinada com um amplo sistema de bolsas de estudo, o que permitirá ao filho do trabalhador mais simples a obtenção da melhor educação teórica e prática que nossa época é capaz de oferecer a ele.”

(Adaptado de: GIANNETTI, Eduardo. O elogio do vira-lata e outros ensaios. Companhia das Letras, 2018, edição digital.)

 

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

Considere as afirmações a seguir:

  1. O objetivo principal do texto é apresentar a teoria econômica de Marshall, segundo a qual cabe ao Estado, por meio de medidas assistencialistas, a responsabilidade de dirimir a pobreza e a desigualdade entre as classes mais altas e baixas da população.
  2. No 5º parágrafo, o segmento entre parênteses acrescenta uma ressalva ao argumento central do período.

III. Depreende-se do contexto que para formar “capital humano” é necessário, entre outras medidas, investir na saúde e na educação do indivíduo, de modo que este possa gerar riqueza para si próprio e para a sociedade.

Está correto o que se afirma em

(A) II, apenas.

(B) I e III, apenas.

(C) II e III, apenas.

(D) I, II e III.

(E) I, apenas.

Comentários:

  1. Incorreto. O objetivo principal do texto está no item III: é apresentar a teoria de que para formar “capital humano” é necessário, entre outras medidas, investir na saúde e na educação do indivíduo, de modo que este possa gerar riqueza para si próprio e para a sociedade
  2. Correto. O segmento entre parênteses é concessivo (embora, é claro, também o seja) e, portanto, acrescenta uma ressalva ao argumento central do período de que se deve focar no aspecto produtivo da educação.

III. Correto. Depreende-se do contexto que para formar “capital humano” é necessário, entre outras medidas, investir na saúde e na educação do indivíduo, de modo que este possa gerar riqueza para si próprio e para a sociedade.

Gabarito letra C.

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

Considere as afirmações abaixo a respeito da pontuação do texto.

  1. Mantendo-se a correção e o sentido, o sinal de interrogação da frase Mas o que é, afinal, o capital humano? (7º parágrafo) pode ser suprimido, uma vez que se trata de pergunta retórica, cuja finalidade é estimular a reflexão.
  2. Sem prejuízo da correção e do sentido, o sinal de dois-pontos em A incompetência econômica do indivíduo resulta em privação material: sua demanda por bens… (1º parágrafo) pode ser substituído por “pois” antecedido de vírgula.

III. Os travessões que isolam o segmento do investimento na qualidade da força de trabalho (2º parágrafo) podem ser substituídos por parênteses, sem prejuízo da correção.

Está correto o que se afirma APENAS em

(A) III.

(B) I e II.

(C) II.

(D) I e III.

(E) II e III.

Comentários:

Vejamos:

I- Incorreto. A pergunta retórica, ou seja, que não precisa mesmo ser respondida, também é acompanhada de ponto de interrogação.

II- Correto. O sinal de dois-pontos introduz uma explicação, então pode sim ser substituído por uma oração explicativa, devidamente separada por vírgula.

III- Correto. Termos acessórios explicativos podem ser adequadamente isolados por par de travessões, vírgulas ou parênteses.

Gabarito letra E.

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

Infere-se do texto que a teoria econômica de Marshall

(A) é incompatível com a teoria proposta por Malthus, segundo a qual o financiamento da educação compulsória e universal deve ser compartilhado entre a iniciativa privada e o Estado.

(B) é tida como altruísta e estabeleceu um marco na conquista dos valores humanitários, uma vez que tratou da ascensão social de toda uma geração de trabalhadores.

(C) foi responsável, na Inglaterra, pela maior distribuição da riqueza e da renda, advinda das práticas governamentais que tomaram por base seus princípios.

(D) serviu de alicerce ao sistema de assistência social aos pobres, conhecido na Inglaterra como “Poor Law” e defendido por Adam Smith.

(E) gerou uma mudança de paradigma, pois, a partir de tal teoria, o investimento em seres humanos passou a ser interpretado como parte do empenho para a acumulação de capital.

Comentários:

(A) Incorreto. É compatível com a teoria proposta por Malthus, pois ambos defendem investimento em educação como superior ao assistencialismo.

(B) Incorreto. É tida como predominantemente econômica, pois foca na capacidade produtiva e não no bem-estar.

(C) Incorreto. Não foi dito isso no texto em lugar nenhum.

(D) Incorreto. Seu foco é em educação e formação de capital humano, não assistência direta.

(E) Correto. Gerou uma mudança de paradigma, pois, a partir de tal teoria, o investimento em seres humanos passou a ser interpretado como parte do empenho para a acumulação de capital. Antes, os economistas clássicos abordavam a educação sob o ponto de vista do bem-estar humano. Gabarito letra E.

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

… embora para isso precisem restringir alguns de seus interesses pessoais mais imediatos. (7º parágrafo)

Com um sentido adequado ao original, uma redação correta para o segmento acima, transformando-o em um período

independente, encontra-se em:

(A) Para isso, contudo, os indivíduos precisam restringir alguns de seus interesses pessoais mais imediatos.

(B) Contudo, seria restringido, à medida que isso se efetivasse, alguns dos interesses pessoais mais imediatos aos indivíduos.

(C) A despeito disso alguns dos interesses pessoais mais imediatos dos indivíduos, precisariam ser restritos.

(D) Apresentaria-se, assim, a necessidade de restringir alguns dos interesses pessoais mais imediatos dos indivíduos.

(E) Porém, se restringissem alguns dos interesses pessoais mais imediatos dos indivíduos.

Comentários:

Eles (os indivíduos) aprendem que é do seu próprio interesse respeitar regras gerais de conduta das quais todos os participantes da sociedade se beneficiam, embora para isso precisem restringir alguns de seus interesses pessoais mais imediatos.

Aqui a banca fala de “sentido adequado ao original”, então não é rigorosamente o mesmo sentido, mas algo “na mesma linha”, com a mesma noção geral. Dessa forma, sabendo que “embora” é uma conjunção subordinativa concessiva, que está no campo da oposição, encontraríamos a resposta na letra A, que trouxe também relação de oposição, com uma conjunção adversativa “contudo”.

Vejamos o problema das outras:

(B) Contudo, seriaM restringidoS, à medida que isso se efetivasseM, alguns dos interesses pessoais mais imediatos aos indivíduos.

Além do erro de concordância, temos a locução proporcional “à medida que”, que nada tem a ver com a redação original.

(C) A despeito disso, alguns dos interesses pessoais mais imediatos dos indivíduos, precisariam ser restritos.

Faltou vírgula após “disso”; a vírgula após indivíduos é indevida, pois separa sujeito do verbo.

(D) Apresentar-se-ia, assim, a necessidade de restringir alguns dos interesses pessoais mais imediatos dos indivíduos.

Não se pode usar pronome oblíquo átono (me, te, se, lhe, o, a, os, as, nos, vos) após verbo no futuro do pretérito.

(E) Porém, restringir-se-iam alguns dos interesses pessoais mais imediatos dos indivíduos.

Não cabe próclise em início de oração. Gabarito letra A.

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

Fecha-se assim o elo entre pobreza e improficiência. (1º parágrafo)

Em relação aos argumentos que a antecedem, a frase acima exprime noção de

(A) oposição.

(B) conclusão.

(C) causa.

(D) concessão.

(E) finalidade.

Comentários:

Assim expressa uma relação de conclusão.

Fecha-se, portanto, o elo entre pobreza e improficiência

Gabarito letra B.

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

… qualquer tipo de atividade no mercado que lhes garantisse o mínimo necessário… (2º parágrafo)

O verbo da frase acima possui, no contexto, o mesmo tipo de complemento do que se encontra em:

(A) … é uma tônica constante da economia clássica…

(B) … o ambiente de privação material e ignorância em que nasce [….] o indivíduo…

(C) Na Inglaterra oitocentista de Marshall, existia um vasto contingente de indivíduos…

(D) … o que permitirá ao filho do trabalhador mais simples a obtenção da melhor educação teórica e prática…

(E) Com isso, aumenta o poder de ganho dos indivíduos no mercado…

Comentários:

Aqui, “garantir” funciona como verbo transitivo direto e indireto, com dois complementos, um sem preposição, outro com preposição (garantir algo A alguém). O mesmo vale para “permitir” (permitir algo A alguém)

atividade no mercado que lhes (a eles) garantisse o mínimo necessário…

o que permitirá ao filho do trabalhador mais simples a obtenção da melhor educação teórica e prática…

Gabarito letra D.

Em A, o verbo “ser” é de ligação. Em B, C e E, os verbos “nascer”, “existir” e “aumentar” são intransitivos.

 

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

… que é do seu próprio interesse respeitar regras gerais de conduta das quais todos os participantes da sociedade se beneficiam… (7º parágrafo)

Mantêm-se a correção e, em linhas gerais, o sentido original da frase acima substituindo-se o segmento sublinhado por:

(A) às quais trazem proveito a todos os participantes da sociedade

(B) a que todos os participantes da sociedade se vangloriam

(C) as quais todos os participantes da sociedade tiram proveito

(D) que favorecem todos os participantes da sociedade

(E) de que todos os participantes da sociedade contam para seu benefício

Comentários:

Temos que usar a preposição correta antes do pronome relativo. Beneficiar-se DE equivale a ser favorecido. Então, as regras “gerais de conduta” favorecem a todos.

Vejamos as correções na regência:

(A) as quais trazem proveito a todos os participantes da sociedade

(B) de que todos os participantes da sociedade se vangloriam

(C) das quais todos os participantes da sociedade tiram proveito

(E) com que todos os participantes da sociedade contam para seu benefício

Gabarito letra D.

RECURSO OBJETO DIRETO PREPOSICIONADO.

 

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

Está correta a redação do comentário, baseado em ideias do texto, que se encontra em:

(A) Não se desenvolve, em ambiente de privação material e ignorância todas as qualidades físicas, morais e intelectuais necessárias para a competência do indivíduo na vida prática e sua sobrevivência no mercado.

(B) Os Princípios de economia, de Marshall, tratam-se de ideias que visavam considerar o investimento na saúde e educação dos seres humanos como uma questão de ordem econômica.

(C) A questão da educação era abordada por economistas clássicos sob o ângulo do bem-estar social, da mudança de atitudes e valores que acarretava.

(D) Teorias à respeito da promoção de oportunidades para os trabalhadores foram o que influenciaram Marshall a recomendar um esforço concentrado na frente educacional, prioritariamente na base do sistema.

(E) Constam entre os argumentos de caráter econômico defendidos por Marshall a distribuição menos desigual da riqueza e da renda, que promoveria a formação de capital humano.

Comentários:

Vejamos:

(A) Não se desenvolveM, em ambiente de privação material e ignorância, todas as qualidades físicas, morais e intelectuais necessárias para a competência do indivíduo na vida prática e sua sobrevivência no mercado.

O sujeito é passivo e plural, então o verbo deve ficar no plural. O termo adverbial deve vir entre duas vírgulas, pois está intercalado.

(B) Os Princípios de economia de Marshall trazem ideias que visavam considerar o investimento na saúde e educação dos seres humanos como uma questão de ordem econômica.

“Tratar-se DE” é expressão invariável, não vai ao plural, pois configura sujeito indeterminado. Por isso mesmo, não é adequado usar esse verbo com sujeito explícito, como ocorre na questão. O ideal é trocar por outro verbo.

(C) A questão da educação era abordada por economistas clássicos sob o ângulo do bem-estar social, da mudança de atitudes e valores que acarretava.

Correto.

(D) Teorias a respeito da promoção de oportunidades para os trabalhadores foram o (aquilo) que influenciou Marshall a recomendar um esforço concentrado na frente educacional, prioritariamente na base do sistema.

Não há crase antes de palavra masculina. O verbo concorda com o pronome demonstrativo neutro “o”.

(E) Consta entre os argumentos de caráter econômico defendidos por Marshall a distribuição menos desigual da riqueza e da renda, que promoveria a formação de capital humano.

Constar deve ficar no singular para concordar com o núcleo singular “distribuição”.

Gabarito letra C.

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

Considerado o contexto, está correto o que consta de:

(A) O segmento sublinhado em desde que possa ser combinada com um amplo sistema de bolsas de estudo (último parágrafo) pode ser substituído por “uma vez que”, sem que nenhuma outra modificação seja feita na frase.

(B) O sinal indicativo de crase deverá ser mantido caso se substitua “economia mundial” por “uma economia globalizada” no segmento integrar-se de forma dinâmica à economia mundial (6º parágrafo).

(C) O segmento não é a escassez de capital financeiro, mas a escassez de capital humano (6º parágrafo) exprime noção de finalidade.

(D) Sem prejuízo da correção gramatical, o segmento impede que ele desenvolva (1º parágrafo) pode ser reescrito do seguinte modo: impede-lhe de desenvolver.

(E) Os verbos do segmento Malthus […] sugeria que o investimento público maciço em educação seria uma resposta mais eficaz (3º parágrafo) estão flexionados nos mesmos tempo e modo.

Comentários:

RECURSO.

Gabarito letra A.

 

“Desde que” possui valor condicional no contexto, ao passo que “uma vez que” possui valor causal/explicativo. Então, uma vez que a banca fala de “considerando o contexto”, essa mudança total de sentido invalida o item, pois as duas locuções não são equivalentes no contexto.

As demais possuem problemas mais visíveis:

(B) Incorreto. Não há sinal indicativo de crase antes de “uma”.

(C) Incorreto. O segmento não é a escassez de capital financeiro, mas a escassez de capital humano (6º parágrafo) exprime noção de oposição com valor subjacente de retificação.

(D) A oração “que ele desenvolva” tem função de objeto direto, não pode ser substituída por LHE, pronome que funciona como objeto indireto.

(E) Os verbos do segmento Malthus […] sugeria (pretérito imperfeito do indicativo) que o investimento público maciço em educação seria (futuro do pretérito do indicativo) uma resposta mais eficaz (3º parágrafo) estão flexionados em tempos diferentes

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

Os termos sublinhados exercem a mesma função sintática em:

(A) A bandeira da educação compulsória e universal, financiada e pelo menos parcialmente provida pelo Estado (3º parágrafo)

(B) Com isso, aumenta o poder de ganho dos indivíduos no mercado e eles aprendem (7º parágrafo)

(C) a pobreza de uma geração se torna o berço da incompetência da geração seguinte (1º parágrafo)

(D) É a falta de capacitação da comunidade para integrar-se de forma dinâmica à economia mundial que compromete o esforço de crescimento (6º parágrafo)

(E) A incompetência econômica do indivíduo resulta em privação material (1º parágrafo)

Comentários:

Segunda cobrança do verbo instransitivo “aumentar” na mesma prova. Na letra B, ambos os termos são sujeitos.

Vejamos as demais.

(A) A bandeira da educação compulsória e universal (adjunto adnominal), financiada e pelo menos parcialmente provida pelo Estado (agente da passiva)

(C) a pobreza (sujeito) de uma geração se torna o berço (predicativo) da incompetência da geração seguinte (1º parágrafo)

(D) É a falta de capacitação (sujeito) de da comunidade para integrar-se de forma dinâmica à economia mundial que compromete o esforço de crescimento (objeto direto)

(E) A incompetência econômica do indivíduo (adjunto adnominal) resulta em privação material (objeto indireto)

Gabarito letra B.

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

Está inteiramente clara e correta a redação deste livre comentário sobre o texto:

(A) Explicar as razões porque persistem as formidáveis diferenças de bem-estar que se observa na economia mundial seria um dos desafios dos economistas da atualidade.

(B) O sucesso econômico de países como a Alemanha e o Japão sugere que a existência de recursos naturais abundantes não é determinante para o crescimento da produção.

(C) Alguns acreditam que o sucesso ou o fracasso na criação e manutenção da riqueza das nações esteja ligado à fatores microeconômicos.

(D) Estimam-se que os ganhos gerados por descobertas de um grande gênio sejam suficientes para custear as despesas com educação de toda uma sociedade.

(E) Além das humanitárias, haveriam boas razões econômicas para se permitir aos mais pobres que tenham a oportunidade de descobrir o seu potencial para a comunidade.

Comentários:

Nesse tipo de questão, precisamos analisar todos os aspectos gramaticais e ainda eliminar redações confusas, incoerentes ou ambíguas. Em alguns casos, a redação é tão truncada, que não há muito como corrigir ou reescrever. Façamos as correções, quando possível.

(A) Explicar as razões por que persistem as formidáveis diferenças de bem-estar que se observaM na economia mundial seria um dos desafios dos economistas da atualidade.

Além do erro de concordância, lembrem que o “por que” separado equivale a “pelas quais”, retomando “razões”.

(B) O sucesso econômico de países como a Alemanha e o Japão sugere que a existência de recursos naturais abundantes não é determinante para o crescimento da produção.

Questão correta.

(C) Alguns acreditam que o sucesso ou o fracasso na criação e manutenção da riqueza das nações esteja ligado a fatores microeconômicos.

Se a palavra está no plural, ou você usa só a preposição (a fatores) ou preposição+artigo (aos fatores).

(D) Estima-se [que os ganhos gerados por descobertas de um grande gênio sejam suficientes para custear as despesas com educação de toda uma sociedade.]

O sujeito entre colchetes é oracional, então o verbo fica no singular.

(E) Além das humanitárias, haveria boas razões econômicas para se permitir aos mais pobres que tenham a oportunidade de descobrir o seu potencial para a comunidade.

Verbo “Haver” com sentido existencial não vai ao plural.

Gabarito letra B.

Atenção: Para responder às questões de números 12 a 15, considere o texto abaixo.

 

Não temos ideia de como será o mercado de trabalho em 2050. Podemos afirmar que a robótica vai mudar quase todas as modalidades de trabalho. Contudo, há visões inconciliáveis a respeito das consequências dessa mudança e sua iminência. Alguns creem que dentro de uma ou duas décadas bilhões de pessoas serão economicamente redundantes. Outros sustentam que mesmo no longo prazo a automação continuará a gerar novos empregos e maior prosperidade.

Os temores de que a automação causará desemprego massivo remontam ao século XIX, e até agora nunca se materializaram. Desde o início da Revolução Industrial, para cada emprego perdido para uma máquina pelo menos um novo emprego foi criado, e o padrão de vida médio subiu consideravelmente. Mas há boas razões para pensar que desta vez é diferente.

Seres humanos possuem dois tipos de habilidades − física e cognitiva. No passado, as máquinas competiram com humanos principalmente em habilidades físicas, enquanto eles ficaram à frente das máquinas em capacidade cognitiva. Por isso, quando trabalhos manuais na agricultura e na indústria foram automatizados, surgiram novos trabalhos no setor de serviços que requeriam o tipo de habilidade cognitiva que só humanos possuíam: aprender, analisar, comunicar e compreender emoções. No entanto, acredita-se que a Inteligência Artificial será capaz de apreender um número cada vez maior dessas habilidades.

(Adaptado de: HARARI, Yuval Noah. 21 lições para o século 21. São Paulo: Companhia das Letras, 2018, edição digital.)

 

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

Está correta e coesa a seguinte redação da frase adaptada do texto:

(A) Acredita-se que, em poucas décadas, deverão haver bilhões de pessoas cujas habilidades sejam desnecessárias para a economia.

(B) Origina-se no século XIX os receios de que haverá desemprego em massa devido à automação, mas até agora não se materializaram.

(C) Os tipos de trabalho serão transformados pela robótica, mas falta informações concretas sobre quais serão as consequências dessa mudança e quando irão ocorrer.

(D) A partir do início da Revolução Industrial, surgiu ao menos um novo emprego para cada emprego perdido em razão da automação, além de o padrão de vida médio ter aumentado de forma intensa.

(E) Há algum tempo, os seres humanos, ao competirem com as máquinas, se manteram à frente em habilidades cognitivas, mas perderam quando se tratava de capacidade física.

Comentários:

Façamos as devidas correções.

(A) Acredita-se que, em poucas décadas, deverá haver bilhões de pessoas cujas habilidades sejam desnecessárias para a economia.

Na locução verbal com “haver” impessoal, o verbo auxiliar também não se flexiona.

(B) OriginaM-se no século XIX os receios de que haverá desemprego em massa devido à automação, mas até agora não se materializaram.

O verbo deve concordar com o termo plural “receios”.

(C) Os tipos de trabalho serão transformados pela robótica, mas faltaM informações concretas sobre quais serão as consequências dessa mudança e quando irão ocorrer.

Informações é o sujeito, então o verbo deve ficar no plural.

(D) A partir do início da Revolução Industrial, surgiu ao menos um novo emprego para cada emprego perdido em razão da automação, além de o padrão de vida médio ter aumentado de forma intensa.

Redação perfeita.

(E) Há algum tempo, os seres humanos, ao competirem com as máquinas, se mantiveram à frente em habilidades cognitivas, mas perderam quando se tratava de capacidade física.

Gabarito letra D.

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

Considere as afirmações a seguir:

  1. Mesmo que possam ter substituído o homem em diversas funções, as máquinas ainda não são capazes de competir com as habilidades cognitivas do ser humano.
  2. O receio de que as máquinas possam eliminar empregos encontra fundamento no desemprego maciço observado no século XIX com o advento da Revolução Industrial.

III. No primeiro parágrafo, o autor apresenta dois pontos de vista conflitantes a respeito das consequências da automação.

Está correto o que se afirma APENAS em

(A) II.

(B) I.

(C) I e III.

(D) I e II.

(E) II e III.

Comentários:

I- Correto. No texto, o verbo está no futuro: “será capaz de competir”, o que indica que ainda não compete nesse sentido.

II- Incorreto. Veja:

Os temores de que a automação causará desemprego massivo remontam ao século XIX, e até agora nunca se materializaram.

III- Correto. De um lado, a substituição das atividades mecânicas, de outro, a criação de novos empregos baseados em atividades cognitivas. Gabarito letra C.

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

Considere as afirmações abaixo a respeito da pontuação do texto.

  1. Em Seres humanos possuem dois tipos de habilidades − física e cognitiva (3º parágrafo), o travessão introduz um esclarecimento e pode ser substituído por dois-pontos, sem prejuízo da correção.
  2. Em para cada emprego perdido para uma máquina pelo menos um novo emprego foi criado, e o padrão de vida médio subiu consideravelmente (2º parágrafo), o emprego da vírgula se justifica, uma vez que separa duas orações com sujeitos diferentes.

III. O sentido não será alterado caso se acrescente uma vírgula imediatamente após “serviços” em novos trabalhos no setor de serviços que requeriam o tipo de habilidade cognitiva que só humanos possuíam […] (3º parágrafo).

Está correto o que se afirma APENAS em

(A) I.

(B) II.

(C) I e III.

(D) II e III.

(E) I e II.

Comentários:

I- Correto. O aposto explicativo é tradicionalmente introduzido por dois pontos, mas também pode ser usado com vírgula ou travessão.

II- Correto. A vírgula antes do E é cabível quando há separação de orações com sujeitos diferentes. O primeiro sujeito é “pelo menos um novo emprego” e o segundo sujeito é “o padrão de vida médio”

III- Incorreto. Se acrescentar vírgula, a oração adjetiva restritiva vira explicativa, então muda o sentido sim. Gabarito letra E.

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

Não temos ideia de como será o mercado de trabalho em 2050. Podemos afirmar que a robótica vai mudar quase todas as modalidades de trabalho. (1º parágrafo)

Evitando-se o uso da primeira pessoa do plural, as duas frases acima articulam-se com correção e lógica em um único período em:

(A) Apesar de não saber como será o mercado de trabalho em 2050, podem-se afirmar que diversas modalidades de trabalho, serão modificadas pela robótica.

(B) Porquanto não tenham ideia de como será o mercado de trabalho em 2050, afirmam-se com propriedade que a robótica mudará diversas modalidades de trabalho.

(C) Apesar de não se ter ideia de como será o mercado de trabalho em 2050, pode-se afirmar que a robótica vai mudar diversas modalidades de trabalho.

(D) Podem-se afirmar que a robótica vai mudar diversas modalidades de trabalho, assim como não tem ideia de como será o mercado de trabalho em 2050.

(E) Embora não têm ideia de como será o mercado de trabalho, em 2050, podem afirmar que a robótica vai mudar diversas modalidades de trabalho.

Comentários:

A relação entre os períodos é de oposição, de ressalva. Então, entra como alternativa o conectivo concessivo, que está no campo semântico da oposição:

(C) Apesar de não se ter ideia de como será o mercado de trabalho em 2050, pode-se afirmar que a robótica vai mudar diversas modalidades de trabalho.

Vejamos o problema principal das demais.

(A) Apesar de não saber como será o mercado de trabalho em 2050, pode-se afirmar que diversas modalidades de trabalho, serão modificadas pela robótica.

O sujeito é oracional, então o verbo da locução não se flexiona. A vírgula inserida é indevida, pois separa sujeito do verbo.

(B) Porquanto não tenham ideia de como será o mercado de trabalho em 2050, afirma-se com propriedade que a robótica mudará diversas modalidades de trabalho.

“Porquanto” é conjunção causal/explicativa, não é lógica num contexto de oposição. Além disso, o sujeito é oracional novamente e leva o verbo para o singular.

(D) Pode-se afirmar que a robótica vai mudar diversas modalidades de trabalho, assim como não tem ideia de como será o mercado de trabalho em 2050.

O sujeito é oracional, então o verbo da locução não se flexiona.

(E) Embora não tenha ideia de como será o mercado de trabalho, em 2050, podem afirmar que a robótica vai mudar diversas modalidades de trabalho.

A conjunção concessiva leva o verbo para o modo subjuntivo.

Gabarito letra C.

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

Está inteiramente clara e correta a redação deste livre comentário sobre o texto:

(A) Deve surgir novos empregos no lugar dos que serão perdidos para a automação, muitos dos quais relacionados à tecnologia, com exigências de qualificação profissional na área.

(B) Uma vez que o trabalho da maioria das pessoas envolve várias habilidades diferentes ao mesmo tempo, uma única máquina seria incapaz de realizar todas as tarefas diárias de um trabalhador comum.

(C) Com o avanço da Inteligência Artificial, a fronteira entre o homem e a máquina está cada vez mais tênue, assim diminuirá postos de trabalho em atividades repetitivas que possam ser automatizadas.

(D) Cabem aos pesquisadores atuais encontrar alternativas para que robôs compartilhem tarefas hierarquicamente, das quais foram programados, como se fossem um grupo de pessoas.

(E) Existiria, com o ganho de produtividade resultante da automação, novas demandas por serviços capazes de aumentar a receita de empresas e ampliar o mercado de trabalho.

Comentários:

Novamente, essas questões exigem análise de todos os aspectos gramaticais. A redação perfeita está em

(B) Uma vez que o trabalho da maioria das pessoas envolve várias habilidades diferentes ao mesmo tempo, uma única máquina seria incapaz de realizar todas as tarefas diárias de um trabalhador comum.

Vejamos o problema principal das demais:

(A) DeveM surgir novos empregos no lugar dos que serão perdidos para a automação, muitos dos quais relacionados à tecnologia, com exigências de qualificação profissional na área.

O sujeito da locução é “novos empregos”, no plural. Então, o verbo fica no plural.

(C) Com o avanço da Inteligência Artificial, a fronteira entre o homem e a máquina está cada vez mais tênue, assim diminuirÃO postos de trabalho em atividades repetitivas que possam ser automatizadas.

O núcleo do sujeito é “postos”, então o verbo fica no plural.

(D) Cabe aos pesquisadores atuais encontrar alternativas para que robôs compartilhem tarefas hierarquicamente, das quais foram programados, como se fossem um grupo de pessoas.

O verbo fica no singular porque o sujeito é oracional (encontrar alternativas para que robôs compartilhem tarefas hierarquicamente)

(E) ExistiriaM, com o ganho de produtividade resultante da automação, novas demandas por serviços capazes de aumentar a receita de empresas e ampliar o mercado de trabalho.

O núcleo do sujeito é “demandas”, então o verbo fica no plural.

Gabarito letra B.

 

Atenção: Para responder às questões de números 17 a 21, considere o texto abaixo.

 

A punição para quem já está preso é a solitária. Não é para menos: a ausência de convivência com outros seres humanos é extremamente penosa. Ela causa depressão, facilita o aparecimento de doenças, aumenta a agressividade e pode levar ao suicídio.

Nas sociedades modernas, a solidão atinge até 50% das pessoas com mais de 60 anos. Nas sociedades primitivas, vivíamos em constante contato, dividindo tarefas com os membros de nossa tribo. Hoje é possível sofrer de solidão mesmo vivendo numa grande cidade.

Que a solidão causa mudanças comportamentais ninguém duvida, mas agora foi descoberto um neuropeptídio (NkB), uma espécie de hormônio, envolvido nesse processo, e ao mesmo tempo um composto químico capaz de debelar os efeitos da solidão.

Camundongos foram colocados sozinhos por duas semanas (o que equivale a um ano para seres humanos). Após esse tempo, eles apresentavam os sintomas típicos da solidão. Suscetibilidade ao estresse e aumento da agressividade. Os cientistas, ao examinar os cérebros desses animais, observaram um enorme aumento na quantidade de NkB.

Em outro experimento, os cientistas empregaram um recurso genético para induzir o aumento do NkB artificialmente, sem expor os animais à solidão. Esses animais, mesmo convivendo com outros de sua espécie, exibiram os sintomas da solidão, comprovando que esse hormônio está envolvido com o aparecimento de seus sintomas em camundongos. Como esse mesmo hormônio existe em seres humanos, devem ser obtidos os mesmos resultados quando esses experimentos forem repetidos em pessoas.

Apesar de agora conhecermos uma molécula que provoca os sintomas da solidão, ainda não sabemos como ela provoca o aumento dessa molécula no cérebro. Será que é a falta de interação física que provoca a solidão, será a falta de estímulos visuais ou olfativos, ou uma combinação desses fatores?

Esses experimentos também sugerem que pode haver um medicamento capaz de fazer desaparecer os sintomas da solidão. Mas não seria melhor curar a solidão interagindo com os amigos, a família e outras pessoas do convívio social? A solidão é um problema criado pela sociedade moderna. Ele deve ser resolvido com uma nova droga ou com uma mudança de comportamento?

(Adaptado de: REINACH, Fernando. Disponível em: ciencia.estadao.com.br)

 

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

Depreende-se corretamente do texto:

(A) Embora a última pergunta do texto não esteja explicitamente respondida, pode-se inferir que, do ponto de vista do autor, a solução para a questão da solidão se encontraria em uma mudança de comportamento.

(B) O objetivo principal do texto é defender a ideia, por meio da apresentação de descobertas científicas, de que os sintomas típicos da solidão, ou seja, tristeza e irritabilidade, devem ser eliminados com o uso de medicamentos adequados.

(C) Apesar de ambos os experimentos realizados com camundongos terem submetido os animais à solidão, estes reagiram de modo menos intenso quando o período de isolamento foi inferior a duas semanas.

(D) A partir dos argumentos apresentados nos dois primeiros parágrafos, conclui-se que o autor defende o uso de um composto químico recém-descoberto como estratégia para amenizar os sintomas da solidão em idosos.

(E) Os estudos sobre as consequências da solidão em idosos não se mostraram conclusivos, mas já se estabeleceu que o estilo de vida estressante das grandes cidades causa um sentimento de isolamento exacerbado nessa faixa etária.

Comentários:

Essa questão aqui é direta, pois o raciocínio que valida a resposta anula automaticamente todas as demais alternativas: no final, temos um pergunta retórica, que não é respondida de forma explícita:

Esses experimentos também sugerem que pode haver um medicamento capaz de fazer desaparecer os sintomas da solidão. Mas não seria melhor curar a solidão interagindo com os amigos, a família e outras pessoas do convívio social? A solidão é um problema criado pela sociedade moderna. Ele deve ser resolvido com uma nova droga ou com uma mudança de comportamento?

Contudo, a resposta está sugerida na própria pergunta anterior, também retórica, com valor mais de afirmação do que de pergunta:

Mas não seria melhor curar a solidão interagindo com os amigos, a família e outras pessoas do convívio social?

Portanto, podemos sim inferir do texto que a solução deve ser uma mudança de comportamento, não a ingestão de medicamentos.

Gabarito letra A.

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

Sem prejuízo do sentido original e da correção, e sem que nenhuma outra modificação seja feita na frase, o segmento sublinhado pode ser corretamente substituído pelo que se encontra entre parênteses em:

(A) Esses animais, mesmo (consoante) convivendo com outros animais…

(B) Apesar de agora conhecermos uma molécula que (cuja) provoca os sintomas da solidão…

(C) Suscetibilidade (Reação) ao estresse e aumento da agressividade.

(D) … um composto químico capaz de debelar (extinguir) os efeitos da solidão.

(E) Que a solidão causa mudanças comportamentais ninguém duvida (não se questionam)…

Comentários:

(A) Incorreto. “Mesmo” indica concessão, “consoante” indica conformidade.

(B) Incorreto. “Cujo” não pode ser diretamente substituído por nenhum outro pronome relativo, o que vale também para o caminho inverso.

(C) Incorreto. Suscetibilidade indica vulnerabilidade, estar sujeito a algo. Reação é o ato de reagir.

(D) Correto. Debelar significa exatamente isto: vencer, extinguir.

(E) Incorreto. Duvidar é não acreditar. Questionar-se é refletir sobre algo, fazer perguntas a si mesmo. Não são exatamente sinônimos. Gabarito letra D.

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

Identifica-se noção de causa e consequência em:

(A) Hoje é possível sofrer de solidão mesmo vivendo numa grande cidade. (2º parágrafo)

(B) Apesar de agora conhecermos uma molécula que provoca os sintomas da solidão, ainda não sabemos como ela provoca o aumento dessa molécula no cérebro. (penúltimo parágrafo)

(C) Como esse mesmo hormônio existe em seres humanos, devem ser obtidos os mesmos resultados quando esses experimentos forem repetidos em pessoas. (5º parágrafo)

(D) Em outro experimento, os cientistas empregaram um recurso genético para induzir o aumento do NkB artificialmente… (5º parágrafo)

(E) … a ausência de convivência com outros seres humanos é extremamente penosa. (1º parágrafo)

Comentários:

Questão direta, na letra C, temos a conjunção causal “como”, que introduz oração causal (o hormônio é igual) anteposta à oração que indica a consequência (obter resultados iguais)

  1. a) “Mesmo” indica concessão; b) “Apesar de” indica concessão; d) e e) trazem afirmações categóricas isoladas, sem relação de causa-efeito com outra no mesmo período. Gabarito letra C.
  2. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

Nas sociedades modernas, a solidão atinge até 50% das pessoas com mais de 60 anos.

Transpondo-se a frase acima para a voz passiva, a forma verbal resultante será:

(A) foram atingidas.

(B) era atingida.

(C) são atingidas.

(D) é atingida.

(E) atinge-se.

Comentários:

O sujeito é “a solidão”; o objeto direto é “até 50% das pessoas com mais de 60 anos”. Na conversão para a voz passiva, o objeto direto vai virar sujeito e, mantendo o tempo original do verbo na locução passiva SER+PARTICÍPIO, teremos:

“até 50% das pessoas com mais de 60 anos” são atingidas pela solidão.

Gabarito letra C.

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

O verbo em destaque deve sua flexão ao termo sublinhado em:

(A) Os cientistas, ao examinar os cérebros desses animais, observaram um enorme aumento na quantidade de NkB.

(B) … devem ser obtidos os mesmos resultados quando esses experimentos forem repetidos em pessoas.

(C) Que a solidão causa mudanças comportamentais ninguém duvida…

(D) … esse hormônio faz parte do mecanismo que provoca os efeitos da solidão e está envolvido com o aparecimento dos sintomas…

(E) Ela provoca depressão, facilita o aparecimento de doenças

Comentários:

Esse tipo de questão de concordância pede exige do candidato localizar o núcleo do sujeito. Vamos marcar o termo que de fato determina a flexão do verbo:

  1. A) Os cientistas, ao examinar os cérebros desses animais, observaram um enorme aumento na quantidade de NkB.

(B) … devem ser obtidos os mesmos resultados quando esses experimentos forem repetidos em pessoas.

(C) Que a solidão causa mudanças comportamentais ninguém duvida…

(D) … esse hormônio faz parte do mecanismo que provoca os efeitos da solidão e está envolvido com o aparecimento dos sintomas…

(E) Ela provoca depressão, facilita o aparecimento de doenças…

Gabarito letra D.

 

Atenção: Para responder às questões de números 22 a 24, considere o texto abaixo.

 

Não há como negar que filmes norte-americanos podem exercer influência em escala mundial e provocar “mudanças de comportamento” ou “até mudar opiniões”, segundo Leif Furhammar e Folke Isaksson. Mas daí a afirmar que todo filme é político, como de hábito, vai uma grande distância.

Para uns, é de se esperar que o cinema “seja uma sentinela da sociedade”; para outros, o cinema “é uma indústria vulnerável e de prestígio, cujos produtos têm consumo de massa e determinam comportamentos miméticos”.

Com relação ao Brasil, entretanto, é preciso reconhecer que o cinema brasileiro até hoje não teve influência em âmbito nacional. Quem alimenta o imaginário coletivo do país é a ficção televisiva.

De qualquer modo, embora até o fim da década de 1960 tenha prevalecido a noção de que o cinema teria o poder de causar mudanças políticas e sociais, desde então essa crença deixou de ser consensual e hoje atrai cada vez menos adeptos.

(Adaptado de: ESCOREL, Eduardo. Disponível em: piaui.folha.uol.com.br)

 

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

Afirma-se corretamente sobre o texto:

(A) O termo “sentinela” (2º parágrafo) está empregado em sentido próprio.

(B) O termo “alimenta” (3º parágrafo) está empregado em sentido figurado.

(C) Sem prejuízo da correção e do sentido, o termo sublinhado em cujos produtos têm consumo de massa (2º parágrafo) pode ser substituído por “produtos dos quais”.

(D) Sem prejuízo do sentido, o segmento deixou de ser consensual (último parágrafo) pode ser substituído por “foi malograda”.

(E) Sem prejuízo do sentido, o segmento comportamentos miméticos (2º parágrafo) pode ser substituído por “atitudes exemplares”.

Comentários:

(A) Incorreto. O termo “sentinela” (2º parágrafo) está empregado em sentido figurado (alguém que guarda, protege algo).

(B) Correto. O termo “alimenta” (3º parágrafo) está empregado em sentido figurado, no sentido de fornecer o que mantém vivo o imaginário popular.

(C) Incorreto. O pronome “cujo” e suas variações não aceitam substituição direta por nenhum outro.

(D) Incorreto. O sentido de “foi malograda” é “deu errado, falhou”.

(E) Incorreto. O termo “comportamentos miméticos” significa comportamento imitado, não “atitudes exemplares”. Gabarito letra B.

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

Com relação ao Brasil, entretanto, é preciso reconhecer que o cinema brasileiro até hoje não teve influência em âmbito nacional.

Sem prejuízo para correção e a coerência do texto, uma redação alternativa para o segmento sublinhado acima está em:

(A) Tal como ocorrem no Brasil, por conseguinte, há quem reconheça que

(B) Conquanto se trate do Brasil, seria preciso reconhecer que

(C) Quando se trata do Brasil, há outrossim, o reconhecimento de que

(D) No que tange o Brasil, todavia reconhece-se que

(E) No que concerne ao Brasil, não obstante, há de se reconhecer que

Comentários:

Entretanto é conjunção adversativa, a única construção com conjunção adversativa era a letra E, que também a trazia com pontuação correta, isto é, entre vírgulas.

  1. a) Incorreto. A forma verbal é “ocorre”, sem sujeito na oração.
  2. b) Incorreto. “Conquanto” é conjunção concessiva e “seria preciso” tira a certeza do “é preciso”, grafado no original.
  3. c) Incorreto. “Outrossim” tem sentido de “do mesmo modo, também”.
  4. d) Incorreto. A locução seria “No que tange AO Brasil…”

Gabarito letra E.

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

Considere as seguintes afirmações:

  1. O fato de o cinema americano alterar comportamentos e influenciar opiniões em nível mundial respalda a noção defendida pelo autor de que todo filme é político.
  2. Depreende-se do texto que, apesar de já ter sido diferente no passado, hoje poucos acreditam na capacidade do cinema de influenciar os cenários político e social.

III. Para o autor, uma vez que investe mais em formas de entretenimento do que em conteúdo político, a ficção televisiva brasileira atrai mais público do que o cinema nacional.

Em relação ao texto, está correto o que se afirma APENAS em

(A) III.

(B) II.

(C) I e II.

(D) II e III.

(E) I e III.

Comentários:

I- Incorreto. O autor diz no primeiro parágrafo que achar que todo filme político é equivocado.

Não há como negar que filmes norte-americanos podem exercer influência em escala mundial e provocar “mudanças de comportamento” ou “até mudar opiniões”, segundo Leif Furhammar e Folke Isaksson. Mas daí a afirmar que todo filme é político, como de hábito, vai uma grande distância.

 

II- Correto. Literal do último parágrafo:

embora até o fim da década de 1960 tenha prevalecido a noção de que o cinema teria o poder de causar mudanças políticas e sociais, desde então essa crença deixou de ser consensual e hoje atrai cada vez menos adeptos.

III- Incorreto. Aqui é a velha técnica da FCC de inserir uma informação que o candidato considera verdadeira, mas que não está no texto. Pode até ser verdade que a novela investe mais em entretenimento do que em conteúdo político, mas o autor não menciona isso em parte alguma do texto. Apenas diz que a influência da televisão é maior do que a do cinema. Gabarito letra B.

  1. (FCC / ICMS-SC / AUDITOR / 2018)

O livre comentário está escrito com correção em:

(A) Foi o surgimento de câmeras portáteis, na década de 1950, que fez com que despontasse cineastas independentes, aptos à dominar a arte de fazer cinema sem frequentar a universidade.

(B) Quando começa a ser estudado, poucos dominavam as técnicas do cinema e as aulas restringiam-se as teorias; eram os fotógrafos, os que mais estavam à par da nova forma de arte que despontava.

(C) É grande o número de atores brasileiros que além de atuarem no cinema, também integram o elenco de novelas televisivas, as quais lhes proporciona estabilidade na carreira.

(D) Grandes sucessos de bilheteria contam com atores consagrados no elenco, embora se saiba que diversos outros elementos também contribuem para o êxito comercial de um filme.

(E) Não se poderia imaginar que o surgimento de câmeras digitais de alta precisão em telefones celulares permitissem que se faça filmes digitais com boa qualidade de imagem.

Comentários:

A letra D está perfeita, concordância adequada, verbo no subjuntivo por força da conjunção embora…

Vamos apontar erros que eliminam as demais alternativas.

(A) Foi o surgimento de câmeras portáteis, na década de 1950, que fez com que despontasseM cineastas independentes, aptos a dominar a arte de fazer cinema sem frequentar a universidade.

Além do erro de concordância, não há crase antes de verbo. O “a” é apenas preposição.

(B) Quando começa a ser estudado, poucos dominavam as técnicas do cinema e as aulas restringiam-se às teorias; eram os fotógrafos os que mais estavam a par da nova forma de arte que despontava.

Deveria haver crase pela fusão de “restringiam-se A+AS teorias”. Além disso, não há crase antes de palavra masculina. O “a” é apenas preposição.

(C) É grande o número de atores brasileiros que, além de atuarem no cinema, também integram o elenco de novelas televisivas, as quais lhes proporcionaM estabilidade na carreira.

Além do erro de concordância, faltou isolar a oração intercalada com duas vírgulas.

(E) Não se poderia imaginar que o surgimento de câmeras digitais de alta precisão em telefones celulares permitisse que se façam filmes digitais com boa qualidade de imagem.

“Permitisse” concorda no singular com o núcleo “surgimento”. Façam fica no plural porque o sujeito passivo é “filmes digitais…” ( que sejam feitos filmes digitais…)

Gabarito letra D.

Então, é isso pessoal. Espero que aproveitem, deu muito trabalho rs! Grande abraço a todos!

 

Posts Relacionados

Felipe Luccas

Felipe Luccas

Auditor-Fiscal da Receita Federal, aprovado em 22º Lugar. Professor de Língua Portuguesa. Membro da equipe de Coaching do Estratégia Concursos. Formado em Letras-Inglês pela UFRJ, pós-graduado em direito tributário. Servidor do Poder Judiciário Federal por 6 anos.  Aprovado nos concursos de Técnico do TRT RJ, TRF 2ª Região, TRF 5º Região, TJ RJ, entre outros.  

Veja os comentários:

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Vídeos Relacionados