Preparação AFRFB – Características da prova da ESAF
Concursos Públicos

Preparação AFRFB – Características da prova da ESAF

Olá, pessoal. Meu nome é Charles Souza, sou Auditor-Fiscal da Receita Federal e coach do Estratégia Concursos.

Nesse artigo, vou falar um pouco das principais características das provas da ESAF, banca organizadora dos concursos da Receita Federal. Em seguida, falarei especificamente das características das provas de Língua Portuguesa da ESAF. Por fim, vou falar a respeito da incidência de um dos assuntos da prova de Língua Portuguesa: Concordância (Verbal e Nominal).

 

Conhecendo a ESAF

 

De um modo geral, as provas da ESAF costumam ser bastante abrangentes, cobrando não apenas os textos da lei, mas também, aspectos da doutrina e da jurisprudência dominante.

A ESAF costuma exigir que o candidato se mantenha atualizado quanto à jurisprudência dos assuntos cobrados em seu conteúdo programático. Além disso, não raras as vezes, costuma cobrar entendimentos de doutrinadores não tão conhecidos, o que dificulta sobremaneira a linha de raciocínio a ser adotada para aquele assunto. Uma consequência disso é o grande número de recursos nos concursos organizados pela ESAF.

 

Língua Portuguesa – ESAF

 

No caso específico da prova de Língua Portuguesa, a ESAF tem como característica cobrar textos longos, muitas vezes com o intuito de confundir e cansar o candidato. Então, é fundamental ficar atento ao tempo que irá gastar na prova.

Uma dica importante é procurar fazer um controle do tempo gasto na resolução da prova. Isso vale não apenas na resolução da prova de Língua Portuguesa, mas também nas demais provas. Já vi muito candidato bem preparado ser reprovado em concurso por não ter administrado o tempo disponível para resolução da prova.

Outra característica marcante das provas de Língua Portuguesa da ESAF é que elas costumam seguir um padrão. Por isso, é importante resolver muitas provas anteriores, para se acostumar com o estilo das questões.

 

Análise Estatística

 

Trago agora, para vocês, uma análise que mostra a incidência de um dos assuntos mais cobrados nas provas de Língua Portuguesa da ESAF: Concordância (Verbal e Nominal).

Analisando-se os concursos organizados pela ESAF nos últimos 5 anos para cargos de nível superior, observa-se que Concordância (Verbal e Nominal) foi efetivamente cobrado em todos eles. Ou seja, em todas as provas dos 9 concursos de nível superior organizados pela ESAF nos últimos 5 anos, havia, pelo menos, uma questão abordando Concordância (Verbal e Nominal), conforme tabela abaixo:

 

ASSUNTO

Quantidade de concursos que previam os assuntos em edital

Quantidade de concursos que efetivamente cobraram os assuntos em prova

% de incidência dos assuntos nas provas da banca

Concordância (Verbal e Nominal)

14

14

100%

 

Ademais, como Concordância (Verbal e Nominal) é um assunto, muitas vezes, cobrado na forma de assertivas avulsas, seria interessante observar o número de itens que cobraram esse assunto. Na tabela abaixo, observa-se que, de um total de 1300 assertivas nas provas de Língua Portuguesa dos últimos 14 concursos de nível superior realizados pela ESAF, o assunto Concordância (Verbal e Nominal) esteve presente em 137 itens, o que representa 10,5%.

 

ASSUNTO

Total de assertivas das provas de Língua Portuguesa

Total de assertivas em que o assunto foi abordado

% de incidência do assunto no conjunto de questões das provas da disciplina

Concordância (Verbal e Nominal)

1300

137

10,5%

 

Pode parecer um número pequeno. Porém se comparado aos demais assuntos de Língua Portuguesa, esse número é bastante expressivo, o que sinaliza para o aluno que ele deve priorizar esse assunto durante sua preparação.

Outrossim, analisando-se os três concursos de AFRFB dos últimos 10 anos (2009, 2012 e 2014), o assunto Concordância (Verbal e Nominal) também foi efetivamente cobrado em todos eles. Já a análise por assertivas, mostrou uma incidência de 14,3%, superior, inclusive, à incidência dentre todos os concursos da ESAF dos últimos 5 anos (10,5%), mostrado na tabela anterior. Seguem as tabelas da análise dos três últimos concursos de AFRFB:

 

ASSUNTO

Quantidade de concursos para AFRFB que previam o assunto no edital

Quantidade de concursos que efetivamente cobraram o assunto em prova

% de incidência do assunto nas provas de AFRFB

Concordância (Verbal e Nominal)

3 (2009, 2012 e 2014)

3

100%

 
 

 

AFRFB 2009

AFRFB 2012

AFRFB 2014

Total de itens na prova de Língua Portuguesa

100

100

100

Total de itens sobre o assunto

22

6

15

% de incidência do assunto na prova de Língua Portuguesa

22%

6%

15%

% de incidência do assunto na prova de Língua Portuguesa, considerando os três certames

14,3%

 

 

O Passo Estratégico

 

Pois bem, se você se interessou por essas informações que foram passadas, saiba que elas fazem parte do novo projeto do Estratégia: o Passo Estratégico, um produto que irá levar ao aluno dicas importantes para os estudos, ajudando a revisar o conteúdo estudado. Além disso, será importante como um guia para aqueles que estão iniciando os estudos, pois o aluno conhecerá a característica da banca organizadora do concurso, bem como, quais os pontos mais cobrados em cada disciplina.

 

Particularmente, fiquei responsável pela disciplina de Língua Portuguesa. O aluno que adquirir o Passo Estratégico irá receber, diariamente, um relatório contendo, além das informações citadas acima (como, por exemplo, a Análise Estatística), simulados de questões inéditas, que serão um bom teste durante a preparação.

 

Nesse primeiro momento, foi lançado o Passo Estratégico para o concurso de Auditor-Fiscal da Receita Federal (AFRFB), com as matérias básicas para a preparação para esse concurso. Segue o link com mais informações a respeito:

Passo Estratégico de Revisão das Matérias Básicas p/ RFB

 

Na sequência, serão lançados os Passos para área fiscal, tribunais, área de controle, dentre outros.

 

Forte abraço e bons estudos,

Charles Souza

Posts Relacionados

Charles Souza

Charles Souza

Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil (Posse 2011); Analista de Sistemas Banco do Brasil (2007-2011); Escriturário Banco do Brasil (2004-2007); Pós-Graduação Automação e Controle UFRN (2004); Engenharia de Computação UFRN (2002).

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Vídeos Relacionados