Língua Portuguesa no TCE-MG 2018
Concursos Públicos

Língua Portuguesa no TCE-MG 2018

Olá, pessoal.

Escrevo esse artigo para falar dos assuntos de Língua Portuguesa que foram cobrados na prova do TCE-MG 2018.

Ao todo foram 10 questões de Português. Não por acaso os dois assuntos mais cobrados foram Interpretação de Textos (5 questões) e Semântica (2 questões). Ou seja, esses dois assuntos representaram 70% das questões de Português na prova.

E por que eu disse “não por acaso”? Porque, no Passo Estratégico do TCE-MG, nós falamos que esses dois assuntos foram os mais cobrados nas provas de Português do CESPE em concursos para Tribunais de Contas nos últimos 5 anos – 37,5% (Interpretação de Texto) e 24,6% (Semântica). Ou seja, de acordo com o levantamento que fizemos no Passo Estratégico, os dois assuntos mais cobrados representaram 62% das questões de Português, percentual próximo ao que se observou nessa prova do TCE-MG 2018 (70%).

No caso específico de Semântica, falamos, no Passo Estratégico do TCE-MG, que a maior parte das questões desse assunto envolvem Significação de Palavras ou Expressões ou Equivalência de Estruturas. As duas questões que versavam sobre Semântica (6 e 8) nessa prova do TCE-MG 2018 tratavam de Equivalência de Estruturas. Em ambas as questões o examinador forneceu um período e perguntou qual das propostas de reescrita mantém a correção gramatical e o sentido original do texto.

É claro que, além de envolver Semântica (sentido do texto), envolvia também aspectos de gramática, já que o aluno deveria verificar se cada proposta de reescrita estava gramaticalmente correta. De qualquer forma, foram mostrados diversos exemplos de questões desse tipo na aula do Passo Estratégico do TCE-MG.

Toda essa análise mostra a importância de fazer uma preparação com foco nos assuntos mais cobrados pela banca. É o que procuramos fazer no âmbito do PASSO ESTRATÉGICO.

Por ora, é isso, pessoal. Àqueles que se saíram bem na prova, deixo meus parabéns. Já àqueles que não foram tão felizes, deixo uma mensagem de força, para que não desanimem. Outros bons concursos virão pela frente.

Forte abraço,

Charles Souza

Posts Relacionados

Charles Souza

Charles Souza

Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil (Posse 2011); Analista de Sistemas Banco do Brasil (2007-2011); Escriturário Banco do Brasil (2004-2007); Pós-Graduação Automação e Controle UFRN (2004); Engenharia de Computação UFRN (2002).

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Vídeos Relacionados