0

Gabarito Extraoficial PC-RN – Língua Portuguesa: Agente e Escrivão de Polícia

Olá, pessoal!

Para quem não me conhece , meu nome é Patrícia Manzato e sou Professora e Coach aqui no Estratégia Concursos, fazendo parte do Time de Português.

Inicialmente, convido você a me seguir no INSTAGRAM: Instagram da Profª. Patrícia Manzato

Neste artigo, vamos comentar as questões de Língua Portuguesa que foram cobradas pela Banca FGV no concurso da PC-RN para os cargos de Agente e Escrivão, que aconteceu no dia 11/07/2021, lembrando que é um gabarito extraoficial.

O Time de Português, em especial Profª Janaína Arruda e eu, fizemos a análise e correção da prova e vamos passar a você nossas percepções.

No geral, a prova de Português da FGV apresenta um maior nível de complexidade que as demais Bancas, com a cobrança de interpretação de textos curtos e conteúdo de gramática aplicada. Alguns itens poderiam gerar dúvidas nos candidatos, em especial os que demandavam a dedução de informações dos textos apresentados.

E agora, vamos aos comentários das questões:

Gabarito: C

Comentários: De fato, o 2º período é uma explicação para o que foi afirmado no 1º parágrafo. Não há oposição de ideias entre os período, o que inviabiliza a alternativa (A); em relação à letra (B), não se pode afirmar que uma opinião apresenta argumentos fracos; em (D) há um reforço da informação, e não uma retificação; e, por fim, a letra (E) não é viável, pois a troca de posições dos períodos acarreta sim mudança no sentido original.

Gabarito: C

Comentários: “Mal” é advérbio, que pode ser entendido como oposição a “bem”. Com essa informação, sabemos que a única alternativa que apresenta um uso incorreto do vocábulo é a letra (C): “mal” nesse caso está qualificando “hábito” (substantivo) e tem o sentido de “bom”. Por isso, o correto seria “mau hábito”.

Gabarito: E

Comentários: Vale lembrar aqui algumas proibições do uso da crase. Não se usa crase (i) antes de palavra masculina (Alternativas A e B); e (ii) antes de verbo (Alternativa C). Na letra (D), o verbo “dar” é VTDI – quem dá, dá ALGO (OD) A ALGUÉM (OI) – e “documentação” é objeto direto, ou seja, não preposicionado. Assim, resta-nos a alternativa (E) como correta: “à mesma hora”.

Gabarito: A

Comentários: O texto é incoerente: se alguém grita por socorro é porque ele/ela precisa de ajuda e, consequentemente, de que alguém esteja ali. Então, se for à noite, o resultado que quem grita espera conseguir é acordar alguém para auxiliá-lo/la. Portanto, gabarito A.

Gabarito: A

Comentários: O objetivo principal do texto é justamente apresentar a Scotland Yard: o que é, a origem de seu nome e onde se localiza. Portanto, gabarito A.

Gabarito: C

Comentários: Dentre as alternativas, a letra (C) é a correta, pois, de fato, “quartel” aparece pela primeira vez no tecto na linha 3 e se refere à polícia. Vejamos o erro das demais alternativas: (A) o pronome possessivo “seu” se refere a “Departamento de Investigações Criminais da Polícia Metropolitana de Londres”; em (B) e (D) as duas ocorrências do pronome relativo “onde” têm referência em “rua”; (E) o pronome relativo “que” refere-se a “palácio”.

Gabarito: D

Comentários: Note que a frase está construída no Imperativo Afirmativo e, no original, há a mistura entre 2ª e 3ª pessoas. Para que ela esteja adequada à norma culta, deveria estar assim redigida: “Cometa um crime e você descobrirá como o mundo é de vidro” (3º pessoa do singular) ou “Comete um crime e tu descobrirás como o mundo é de vidro” (2ª pessoa do singular). Assim, a única alternativa correta é a letra D.

Gabarito: D

Comentários: Note que a frase está construída no Imperativo Afirmativo e, no original, há a mistura entre 2ª e 3ª pessoas. Para que ela esteja adequada à norma culta, deveria estar assim redigida: “Cometa um crime e você descobrirá como o mundo é de vidro” (3º pessoa do singular) ou “Comete um crime e tu descobrirás como o mundo é de vidro” (2ª pessoa do singular). Assim, a única alternativa correta é a letra D.

Gabarito: C

Comentários: O trecho “segundo documentação existente no Museu Nacional do Rio de Janeiro” tem a função tanto de revelar a fonte de informação (B), quanto dar credibilidade ao que é dito a seguir (D). Entendemos aqui que ambas as alternativas estão corretas, o que cabe recurso pedindo a anulação da questão, por haver 2 alternativas corretas.

Gabarito: E

Comentários: O único conectivo que não tem seu valor semântico corretamente indicado é a letra (E), “com”, pois, no texto, a preposição “com” tem valor de “causa”.

Gabarito: A

Comentários: A alternativa que apresenta correção no uso da pontuação é a letra (A). Vejamos o erro das demais alternativas: (B) erro na uso de dois pontos; (C) “no dia 20 de novembro de 1530” é um adjunto adverbial deslocado que deve ser separado por vírgulas; (D) erro no uso de dois pontos; (E) a vírgula está separando verbo de seu complemento, o que é proibido.

Gabarito: C

Comentários: Note que, ao afirmar que as leis devem proteger tanto “nosso adversário” quanto a nós, Rui Barbosa entende que as leis não devem fazer diferenciação. Assim, a alternativa que traz essa ideia é a letra (C). As alternativas (A) e (B) contrariam a ideia principal da frase e as alternativas (D) e (E) extrapolam o tema.

Gabarito: D

Comentários: A única alternativa que traz erro em relação ao uso do artigo é a Letra (D). “Todo o dia” significa “dia inteiro”, o que não é o sentido que a frase quer dar. O correto, então, seria “todo dia”. As demais alternativas apresentam uso correto dos artigos.

Gabarito: E

Comentários: A alternativa adequada à norma culta é a letra (E). Vejamos os erros das demais: (A) erro no uso da vírgula, separando sujeito do verbo; (B) falta de vírgula antes de “exceto” e erro de regência nominal – “fato de”; (C) além de o sentido estar equivocado, há erro de regência nominal – “fato de”; (D) o sentido está correto, mas há erro de regência nominal – “fato de”.

Gabarito: D

Comentários: A alternativa que propõe substituição adequada à norma culta é a letra (D). Vejamos os erros das demais: (A) “cumpriu” está flexionado no Pretérito Perfeito e significa uma ação já finalizada no passado, o que não se mantém com a substituição por “tem cumprido”; (B) “mandado” significa ordem judicial, enquanto “mandato” é o tempo da legislatura de um deputado, por exemplo; (C) “um dos quais” não cabe na frase original; (E) a substituição da voz passiva analítica pela sintética no trecho deveria ser seguida pela reestruturação da frase.

Gabarito: C

Comentários: Para a questão, entenda que “onde” e “aonde”. “Onde” tem o sentido de algo que está parado, estático, já “aonde” se refere à direção, ou seja, a movimento. Na alternativa (C), “estar” tem o sentido estático, por isso o uso de “onde” está correto. Nas demais alternativas, o uso de “onde” e “aonde” está trocado.

Gabarito: C

Comentários: A única substituição correta é a letra (C), pois, inclusive, mantém o paralelismo da frase: “por reflexão”, “por imitação” e “por experiência”. Vejamos o erro das demais alternativas: (A) o artigo feminino traz uma definição que muda o sentido; (B) e (D) não são corretas, pois não há ideia de superlativo; (E) a substituição de “por” por “através” quebra o paralelismo da frase.

Gabarito: A

Comentários: “Dramatizada” não tem relação com o lado trágico, mas significa representar, teatralizar, por isso a alternativa (A) é a incorreta. As demais alternativas trazem referências corretas ao texto.

Gabarito: E

Comentários: O conectivo “mas” tem valor adversativo e, por isso, a alternativa correta deve trazer uma ideia contrária à oração que o antecede. Assim, o gabarito é a letra E. As demais alternativas (C) e (D) se tornam incoerentes quando utilizamos o conectivo “mas”.

Gabarito: B

Comentários: Questão que beira a extrapolação, portanto cuidado. A alternativa que traz clara referência ao texto é a (B), se referir a “libertação de prisioneiros por progressão de regime”, que está relacionado à ideia do texto de que “havia rompido tornozeleira eletrônica após ter progredido de regime”. As demais alternativas extrapolam o trazido pelo texto, ainda que possam parecer verdade.

Você pode também dar uma olhada na correção em vídeo feita pela Professora Janaína Arruda. É só acompanhar:

Se você quer conhecer mais do trabalho do Time de Português do Estratégia Concursos, clique aqui e tenha acesso às aulas demonstrativas dos cursos de Língua Portuguesa.

Grande abraço!

Profª. Patrícia Manzato

E-mail: [email protected]

Facebook da Profª Patrícia Manzato

Instagram da Profª Patrícia Manzato

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *