0

Estudar para concursos ou fazer estágio: dicas para graduandos

Olá, pessoal, tudo bem? Hoje falaremos diretamente para você que está cursando a faculdade e planeja estudar para concursos. Você, graduando e concurseiro, deve estudar para concursos ou fazer estágio?

Quase metade de 2021 já se passou. Nesse momento, precisamos ser pragmáticos e encurtar o tempo da sua aprovação. Por isso, passaremos dicas importantes para você romper com a normalidade e sair na frente da concorrência.

O caminho da maioria dos estudantes da graduação

É comum as pessoas ingressarem na graduação com o intuito de adquirir o nível superior e, com isso, prestar os mais variados concursos públicos pelo país. Afinal, são muitos os cargos públicos que exigem como requisito de ingresso apenas o nível superior em qualquer área de formação.

Muitos desses cargos, inclusive, a exemplo dos concursos das carreiras fiscal e controle, possuem as maiores remunerações do serviço público brasileiro.

Por outro lado, ao longo da trajetória de qualquer curso de graduação, o aluno tem a opção de iniciar a sua vida profissional realizando um estágio remunerado. Trata-se de opção tentadora, pois é a possibilidade de rapidamente obter uma renda mensal e alguma independência financeira. Diante disso, o que é melhor? Estudar para concursos ou fazer estágio?

O estágio é o caminho seguido pela quase totalidade dos estudantes de universidades. Logo nos primeiros períodos da faculdade, quase todos os estudantes enviam seus currículos para empresas, escritórios e órgãos públicos, realizam processos seletivos e, por fim, se tornam estagiários.

Ocorre que você não é um estudante universitário qualquer. Você é um estudante universitário concurseiro. Logo, a decisão de iniciar a vida acadêmica ocupando a totalidade do seu tempo livre fazendo estágio, ao invés de estudar para concursos, não pode ser tomada de forma simples. Existem alguns fatores importantes a serem considerados:

1. A real necessidade de fazer estágio

Em primeiro lugar, é preciso refletir se o estágio é necessário para custear os seus gastos básicos (alimentação, transporte, vestuário e moradia) ou apenas os seus gastos supérfluos (viagens, saídas com os amigos e “choppadas” da faculdade).

Caso a sua realidade permita que você não comprometa a renda do seu estágio com o primeiro tipo de gasto, então você não possui uma real necessidade de ser estagiário. Afinal, significa que você tem alguém para custear as suas necessidades básicas (convenhamos que você não vai morrer se deixar de ir às “choppadas” rsrs).

2. A possibilidade de passar no concurso dos sonhos assim que se formar

Em segundo lugar, você, concurseiro e graduando, precisa entender que o período da graduação é essencial para você encurtar o tempo de aprovação no concurso dos seus sonhos. Nesse sentido, estudar para concursos, ao invés de fazer estágio, pode ser o seu diferencial em relação à concorrência.

Salvo alguns certames específicos, os concursos públicos de nível superior não exigem período de prática profissional pós-faculdade para o ingresso no cargo.

Nesse sentido, um estudo para concursos bem planejado ao longo da graduação pode fazer você curtir seu baile de formatura já com o nome na lista de aprovados do cargo dos sonhos. Já pensou na emoção!?

Estudar para concursos ou fazer estágio?
Estude para concursos durante a graduação

Contudo, para que isso seja possível, é importante, durante a faculdade, dedicar o seu tempo livre aos estudos para concursos. Logo, um estágio não obrigatório, muitas vezes com carga horária semanal alta, pode ser um empecilho e tomar todo o seu tempo disponível durante esse período. E isso pode fazer muita diferença na sua trajetória.

3. A possibilidade dos concursos escada

Por último, outra grande importância do estudo para concursos ao longo da graduação é a possibilidade de prestar concursos públicos de nível médio.

O estudo para concursos públicos envolve algumas disciplinas comuns a diversos certames. Mesmo um estudo voltado para o cargo dos seus sonhos pode ter muitas matérias comuns a outros concursos, inclusive certames de nível médio. Nesse caso, o lado positivo de prestar tais concursos é que, uma vez aprovado, você poderia tomar posse num cargo público ainda durante a graduação.

Ora, em média, um cargo público de nível médio vai oferecer, no mínimo, uma remuneração três vezes maior do que a bolsa-salário de qualquer estágio remunerado. Sem contar a estabilidade e as inúmeras vantagens de um cargo público. Parece um atrativo bem mais interessante para ocupar o seu tempo livre estudando para concursos, não concorda!?

Bom, você ainda pode estar se perguntando se estudar para concursos, ao invés de fazer estágio, é de fato uma boa estratégia a ser adotada. Pode estar se questionando também realmente se é viável lograr êxito num concurso público ainda durante a faculdade e em outro melhor logo depois de se formar.

Então, agora eu vou contar um pouco da minha experiência para que você possa, definitivamente, tirar as suas próprias conclusões e chegar à resposta da nossa pergunta tema: estudar para concursos ou fazer estágio?

Experiência pessoal sobre o estudo para concursos durante a graduação

Eu ingressei na faculdade de Direito aos 18 anos. Logo nos primeiros períodos da graduação, boa parte dos meus colegas já iniciaram um estágio remunerado. A maioria deles motivada pelo dinheiro e alguns pela vontade de obter prática profissional.

Como eu já tinha interesse em estudar para concursos, iniciar um estágio para adquirir experiência profissional não me atraía. Por outro lado, a questão financeira era um problema, pois os meus pais só podiam arcar com os meus gastos básicos.

Nesse caso, a princípio, obter um estágio e ganhar em torno de R$ 1.000,00 (mil reais) por mês como estagiário, assim como os meus colegas, não seria nada mal.

Contudo, ao invés de escolher o caminho mais imediatista, eu resolvi fazer diferente dos meus colegas. Aos 19 anos, ainda no 3º período da faculdade, tomei a decisão de estudar para concursos, ao invés de fazer estágio.

Como qualquer trajetória, inicialmente eu colhi diversas reprovações. Porém, dois anos depois, ao longo do 6º período da faculdade, fui aprovado em três concursos de nível médio.

Um desses concursos foi para o cargo de Técnico Legislativo da Câmara Municipal do Rio, cujo salário inicial, em 2014, era de R$ 7.000,00 (sete mil reais). Nada mal para um jovem de 21 anos que ficaria satisfeito com a bolsa-salário de R$ 1.000,00 (mil reais) de um estágio, não é mesmo!?

Na época, eu tomei a decisão de estudar direcionado para os concursos escada (nível médio) porque estava no início da minha graduação (3º período). Contudo, não há problema em direcionar os estudos diretamente para os concursos de nível superior, principalmente caso o estudante esteja mais avançado na graduação.

O caminho a ser seguido – estudar para concursos ou fazer estágio?

Por fim, é importante dizer que estamos partindo do pressuposto de que você está na faculdade e não pretende seguir a profissão decorrente da sua graduação. Mas sim que o seu objetivo maior é prestar concursos e exercer o seu futuro cargo público como sua principal atividade profissional.

Caso contrário, o estágio não obrigatório ainda no início da faculdade teria outros benefícios, mas não é disso que tratamos aqui.

Portanto, busque se conhecer e entender a sua realidade para tomar a melhor decisão possível, seja estudar para concursos ou fazer estágio. Mas saiba que o período da graduação pode ser essencial na sua preparação para concursos. Essencial tanto para conquistar um cargo público durante a faculdade ou para estar preparado para o cargo dos seus sonhos logo assim que se graduar.

Na verdade, pode ser ainda melhor e te proporcionar as duas situações: assumir um cargo público de nível médio durante a graduação e, logo após a faculdade, assumir o cargo público de nível superior, o cargo dos seus sonhos.

Bruno Freire

Aprovado em 4º lugar para Auditor de Controle Externo do TCE-RJ (Direito)

Coach do Estratégia Concursos

Instagram: @brunofreireal

Posts Relacionados

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *