ENTREVISTA: Nayara Alice Farias Camelo - Aprovada em 15º lugar no concurso da PRF para o estado do Pará
Coordenação

ENTREVISTA: Nayara Alice Farias Camelo – Aprovada em 15º lugar no concurso da PRF para o estado do Pará

“Tenha um plano traçado e cumpra-o. Faça um curso que você confie e estude por ele. Se seu concurso estiver autorizado, estude. Mas estude MUITO, estude de domingo a domingo, pois ação gera motivação.”

Confira nossa entrevista com Nayara Alice, aprovada em 15º lugar no concurso da Polícia Rodoviária Federal para o estado do Pará (provas objetiva e discursiva):

Estratégia Concursos: Conte-nos um pouco sobre você, para que nossos leitores possam te conhecer melhor. Você é formada em que área? Qual sua idade? De onde você é?

Nayara Alice: Sou formada em Administração de Empresas, tenho 26 anos e sou de Fortaleza-CE.

Estratégia: O que te levou a tomar a decisão de começar a estudar para concursos? Porque a área Policial?

Nayara: Minha intenção inicial ao me formar em Administração, era trabalhar na empresa da minha família. Com o tempo, percebi que não me identificava muito com as atividades que estava desempenhando. Eu precisava decidir se queria continuar trabalhando lá ou mudar de vida.

Foi quando conheci uma pessoa que é PRF, soube um pouco das atividades e me encantei pela instituição.

Estratégia: Durante sua caminhada como concurseira, você trabalhava e estudava (como conciliava trabalho e estudos?), ou se dedicava inteiramente aos estudos para concurso?

Nayara: Sempre trabalhei um período e estudava dois períodos, até no atual momento. Basicamente minha rotina é: das 7hs às 11hs estudo, 13hs às 18hs trabalho e 19hs às 22hs estudo novamente. Nunca tive dificuldades em conciliar ambos. Na verdade, acho que assim torna meu estudo menos cansativo e poder trabalhar faz eu me sentir mais útil.

Estratégia: Quantos e em quais concursos já foi aprovada? Qual o último? Em qual cargo e em que colocação?

Nayara: Minha primeira aprovação foi no concurso da PRF e minha colocação preliminar foi 15o lugar para o Estado do Pará.

Estratégia: Qual foi sua sensação ao ver seu nome na lista dos aprovados/classificados na primeira fase do certame?

Nayara: Eu não havia conferido o gabarito da prova. Na verdade, nem trouxe a prova para casa. Achava que não tinha ido bem e já estava estudando para outro concurso.

Quando o resultado saiu, quem me deu a notícia foi o meu Coach Alexandre Allgayer. E olha, é difícil de descrever. A felicidade nem foi imediata, eu demorei algum tempo para acreditar.

Passou um filme na minha cabeça, principalmente dos últimos dias da preparação, depois do edital. Estudei de domingo a domingo, deixei de ir para aniversários, casamento e feriados festivos.

Pensei, meu Deus! Será que isso está certo mesmo? Conferi várias vezes meu nome até realmente acreditar.

Depois veio a euforia, a vontade de contar pra todo mundo e mostrar que valeu a pena! Foi uma das melhores sensações que já senti. Ter orgulho de si, é bom demais!

Estratégia: Como era sua vida social durante a preparação para concursos? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social?

Nayara: Antes de sair o edital, eu tinha uma vida social normal. Saía aos finais de semana e já fiz muitas viagens durante minha preparação. Mas já estudo há bastante tempo, desde 2015 estudo para concursos. Por isso me dava essas “folgas”.

Depois do edital eu realmente adotei uma postura radical, inclusive saí de grupos de whatsapp, deletei todas as redes sociais e nem saía com amigos ou familiares. Estudava de domingo a domingo.

Estratégia: Você acha que vale a pena fazer outros concursos, com foco diferente daquele concurso que é realmente seu objetivo maior?

Nayara: Eu acho que depende muito de cada um. Tem gente que precisa passar logo porque está desempregado e precisa ajudar a sustentar a família, por exemplo. Essa pessoa tem uma certa urgência.

Eu acho que é válido fazer outro concurso antes do seu objetivo final, principalmente quando seu concurso não tem previsão de autorização.

Com certeza a aprovação vai melhorar a qualidade de vida e dar mais confiança na preparação para o outros concursos. Caso contrário, é bem melhor focar no seu objetivo maior.

Na minha caminhada por concursos, tive alguns desvios estudando para outras áreas, provas diferentes, que só me fizeram perder tempo. Só que foi há algum tempo, então não me prejudicou nesse concurso da PRF.

Estratégia: Você estudou por quanto tempo direcionado ao concurso que foi aprovada?

Nayara: Estudo desde 2015 para concursos e há uns 2 anos com foco exclusivo no concurso da PRF.

Estratégia: Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um?

Nayara: Fiz curso presencial e online também. Tive excelentes professores em ambos. Para mim, a vantagem do curso presencial é que ele te dá uma base e uma certa disciplina nos estudos. Acho válido para iniciantes, pois é algo mais palpável.

Apesar disso, o tempo perdido não compensa. O curso presencial te dá uma base, mas essa base não é suficiente. Você realmente precisa separar um tempo para sentar em casa e estudar, pois se você não estiver vendo e revendo a matéria constantemente, você esquece tudo.

Estudo há pelo menos 1 ano, apenas pelos PDFs do Estratégia, mesclando com videoaulas. As principais vantagens para mim são: poder estudar em qualquer lugar, a qualquer hora, pelo notebook, tablet, por vídeo, por áudio e PDF. Professor não falta, não se atrasa, você acelera videoaula, pode ler quantas vezes quiser, tudo no seu tempo. Você consegue adaptar a qualquer realidade possível.

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todo o concursando é a quantidade de assuntos que devem ser memorizados. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e releitura da teoria? Como montou seu plano de estudos? Quantas horas por dia costumava estudar?

Nayara: Eu sempre pratiquei estudar todas as matérias de uma vez. Como eu tinha sempre dois turnos para estudar, geralmente via 4 disciplinas diferentes por dia.

Sempre estudei escrevendo resumos e revisava por eles. Mas nunca tive um método específico de revisão e não costumava fazer exercícios em site de questões, somente nos PDFs.

Nos últimos 45 dias da minha preparação, eu contratei o Coach do Estratégia Concursos. Estava passeando pelo site e por acaso avistei o nome do Alexandre na relação de professores e vi que ele estava sendo coaching de estudos. Parei e pensei: “Se não for o CARA que passou em 3o lugar na PF que poderá me salvar nessa reta final, NINGUÉM mais o fará”.

Então, foi esse “Chapolin Colorado” que mudou minha forma de estudar. Logo agilizei o processo e em poucos dias comecei um novo planejamento com ele. Comecei a ver em torno de 8 disciplinas no mesmo dia ou mais.

Algumas disciplinas só por exercícios e revisões, outras percorria a teoria completa, tudo do zero. Isso tornou meu estudo muito mais focado e dinâmico. Como sempre fiz resumos à mão, ficava muito ruim para retroalimentá-los. Logo, tudo muito desorganizado, além de demandar muito tempo.

Hoje utilizo, basicamente, meu notebook. Leio e reviso pelo próprio PDF e faço exercícios incansavelmente pelos próprios PDFs e pelo TEC. Fiz cerca de 3000 questões só pelo TEC em 45 dias, além de milhares pelos PDFs.

Em toda minha caminhada eu estudava em torno de 20 horas semanais, pois não estudava todos os dias. Na reta final cheguei a bater 55 horas em uma semana, esse foi o meu máximo.

Estratégia: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar estas dificuldades?

Nayara: Sempre tive muita dificuldade em Física e Português. Tinha a sensação de que aprendia, mas na hora de resolver as questões eu não desenrolava com facilidade como em outras disciplinas.

Vi e revi todos os PDFs destas disciplinas na reta final, fiz muitos exercícios da banca, além de vídeoaulas para esclarecer dúvidas. Não adianta tentar postergar as dificuldades.

Estratégia: A reta final é sempre um período estressante. Como foi sua rotina de estudos na semana que antecedeu a prova? E véspera de prova: foi dia de descanso ou dia de estudo?

Nayara: Minha última semana foi de muita ansiedade. Comecei a achar que estava esquecendo todo o conteúdo. Fiz um péssimo simulado no domingo que antecedeu a prova e quase me desesperei. Mas continuei estudando com o desespero mesmo (rsrs).

No dia anterior à prova, eu assisti ao aulão de véspera do Estratégia e tentei decorar algumas resoluções do Contran mais chatinhas.

Estratégia: No seu concurso, tivemos, além das provas objetivas, as provas discursivas. Como foi seu estudo para esta importante parte do certame? O que você aconselha?

Nayara: A discursiva sempre foi uma pedra no meu sapato. Tinha medo de enfrentar e, basicamente, só treinei discursiva depois do edital. Por isso não me dei tão bem nessa prova.

Não tenho muito costume de escrever e as ideias demoram a surgir na minha cabeça, por isso quase não consegui terminá-la a tempo no dia.

O que eu aconselho é treinar para discursiva com o mesmo afinco que se treina para as outras disciplinas. Além de treinar a escrita em si, de pensar para escrever, escolha tópicos e escreva sobre eles, leia um PDF e depois resuma ele em um parágrafo ou dois, assim você estimula o seu cérebro a organizar as ideias para o desenrolar do texto.

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Nayara: Tive vários erros, principalmente em estudar aleatoriamente sem manter a disciplina e organização nos estudos (o que quase sempre me levava à desmotivação).

Meu maior acerto foi entrar no programa de Coach do Estratégia. Poupou muito meu tempo em planejamentos e me fez aprender em dias o que não aprendi em anos. Até hoje sigo no programa e me sinto muito mais confiante para alcançar os meus futuros objetivos.

Estratégia: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação? Chegou a pensar, por algum momento, em desistir? Se sim, como fez para seguir em frente?

Nayara: Eu nunca pensei em desistir, mas sempre pensei que não conseguiria. Duvidei de mim por muito tempo e digo mais: só comecei a acreditar mesmo quando vi meu nome na lista de aprovados.

A PRF sempre foi o meu objetivo final, mas hoje penso em alcançar voos ainda maiores, pois aprendi realmente que: “O segredo do sucesso é a constância no objetivo”.

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para concurso. Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Nayara: Quem está começando na vida de concursos deve saber otimizar seu tempo. Não gaste tempo planejando demais, vendo todos os cursinhos online, olhando todos os grupos de concurso, todas as dicas nas redes sociais e assistindo os vídeos na internet sobre tudo que aparece.

Tenha um plano traçado e cumpra-o. Faça um curso que você confie e estude por ele. Se seu concurso estiver autorizado, estude. Mas estude MUITO, estude de domingo a domingo, pois ação gera motivação.

Tem muitos concurseiros que estudam de segunda a quinta-feira, mas poucos estudam o final de semana inteiro, como no Natal e no Reveillon. Teoria, revisões, exercícios e muita bunda na cadeira, essa é a dica. E também acredite no seu potencial que vai dar certo!

Confira outras entrevistas em:

Depoimentos de Aprovados

Cursos Online para Concursos

Confira também:

Foi aprovado e deseja dividir com a gente e com outros concurseiros como foi sua trajetória até a aprovação?! Mande um e-mail para: [email protected]

Abraços,

Thaís Mendes



Posts Relacionados

Compartilhe:

Veja os comentários:
Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Vídeos Relacionados

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.

Estamos aqui para ajudar você!
x