Fernando Dória - aprovado em 1º lugar no concurso do TRT 15ª Região para Oficial de Justiça

Entrevista:

Fernando Dória – aprovado em 1º lugar no concurso do TRT 15ª Região para Oficial de Justiça

“Independente de ser o primeiro colocado, sempre vem aquela sensação de que tudo valeu a pena. De que você fez a coisa certa quando os seus amigos te chamaram pra sair e você disse: “não posso, vou estudar”, ou também quando você deixou de ir ao cinema para assistir a um filme que você queria muito, ou a um jogo, ou qualquer outra coisa que você deixou de fazer para estudar. É muito gratificante a recompensa”.

Recém aprovado em primeiro lugar no concurso do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, para o cargo de Oficial de Justiça, o estudante universitário Fernando Dória é um exemplo de que, com muito estudo, força de vontade e perseverança, é possível alcançar seus objetivos.

Em entrevista concedida ao professor Bruno Klippel, Fernando conta que não foi fácil chegar à aprovação, mas destaca que não tem nada mais gratificante do que olhar para trás e ver que todo o sacrifício valeu à pena. Apesar da grande conquista, o estudante quer continuar se dedicando aos estudos e chegar ainda mais longe: seu objetivo é ser Juiz do Trabalho. Confira nossa entrevista e conheça um pouco mais da história do concurseiro Fernando Dória.

Professor Bruno Klippel: Em primeiro lugar, os leitores gostariam de te conhecer: quantos anos? casado ou solteiro? Filhos? Qual sua profissão? trabalhava enquanto estudava?

Fernando Dória: Bom, eu tenho 25 anos, tenho uma noiva chamada Jaiane, que sempre me apoia muito em todos os concursos que eu faço. Ainda não temos filhos, mas é um plano para o futuro. Atualmente sou técnico judiciário do TRE-SP. Enquanto eu estudava para o concurso, trabalhava e fazia faculdade, pois ainda não me formei. Foram momentos muito difíceis, tendo que conciliar trabalho, provas, trabalhos de faculdade, visitas a fóruns e estudo para o concurso. Com tudo isso, restaram-me poucas horas de sono (mais ou menos umas 4 por noite), pois eu acordava mais cedo e dormia mais tarde para poder estudar.

Bruno: Como descrever a sensação de ter sido aprovado em um concurso público?

Fernando: Olha, essa sensação é muito difícil de descrever. Eu já fui aprovado em outros concursos e é sempre uma emoção muito grande. Mas foi a primeira vez que atingi a 1ª colocação e isso tornou mais especial. Mas, independente de ser o primeiro ou não, sempre vem aquela sensação de que tudo valeu a pena. De que você fez a coisa certa quando os seus amigos te chamaram pra sair e você disse: “não posso, vou estudar”, ou também quando você deixou de ir ao cinema para assistir a um filme que você queria muito, ou a um jogo, ou qualquer outra coisa que você deixou de fazer para estudar. É muito gratificante a recompensa.

Bruno: Como foi a sua preparação para concursos? Esteve sempre focado em TRTs ou fez outros concursos?

Fernando: Eu fiz outros concursos também, fiz o MPU e o TRF-3. Mas o meu foco principal mesmo é TRT. Fiz o TRT 12, o TRT 15 e, recentemente, o TRT 2. Na minha preparação sempre tento dar o meu melhor. O meu tempo é escasso, então preciso aproveitar qualquer minutinho pra estudar alguma coisa. Assim, eu estudava no metrô, em intervalos e qualquer hora que estivesse sem nada pra fazer. Além disso, sempre tento variar com leitura de lei seca, PDF, videoaulas e resolução de questões de concursos.

Bruno: Quais foram às maiores dificuldades encontradas na preparação para concursos públicos?

Fernando: Os primeiros concursos foram muito difíceis. No começo eu não tinha muita ideia de como estudar, qual material usar, é difícil saber até por onde começar. Às vezes você faz uma prova e acha que foi muito bem, mas vê que tem um monte de gente que foi muito melhor que você. Isso era meio frustrante. Eu percebi que se quisesse passar e ser nomeado em algum, eu teria que me dedicar mais pra ter um desempenho excelente, como os primeiros colocados. Aos poucos fui ganhando experiência, aprimorando os métodos de estudo e, principalmente, acumulando conhecimentos.

Bruno: Poderia nos falar sobre erros e acertos na sua preparação?

Fernando: Acho que um grande erro é, depois que sai o edital, deixar de estudar quando for possível. Horas de estudo podem fazer a diferença na hora da prova. Esses certames são concorridíssimos e qualquer questão faz diferença na classificação final. Sobre os acertos, é importante pensar que sempre dá para melhorar, sempre dá para aprender mais, sobre qualquer matéria, por melhor que já seja o seu desempenho nela. Devemos tentar sempre acumular o máximo de conhecimento possível.

Bruno: Qual foi a técnica de estudo que mais lhe agradou? Aulas em PDF, videoaulas, resumos?

Fernando: Eu acho que é importante não se fixar em apenas uma técnica. Os PDF’s do Estratégia são excelentes, bem como as videoaulas. Mas penso que ler a lei seca e tentar acompanhar a jurisprudência dos Tribunais também é fundamental. Quanto mais conhecimento nós buscamos, melhor para fazer a prova. Eu tentava sempre ler o PDF, com o código ao lado. Depois de ler a aula e os artigos de lei, eu assistia as videoaulas, também com o código ao lado. Cada artigo, súmula ou OJ que o Professor mencionava, eu pausava o vídeo para ler. Acho que isso ajuda bastante na compreensão e na fixação do conteúdo. Ao final das videoaulas, eu resolvia as questões e via os comentários.

Bruno: Você tinha alguma “válvula de escape” contra o estresse, como esporte ou outros?

Fernando: Olha, a coisa que eu mais gosto de fazer na vida é jogar tênis. Mas, por conta do meu tempo ser tão escasso, abdiquei do tênis em prol dos estudos. Assim, minha válvula de escape foi à companhia da minha noiva e da família. Eles sempre me apoiaram muito e me deram muita força. Estar junto das pessoas que a gente ama é fundamental. Fica aqui o meu muito obrigado à minha noiva Jaiane, meu pai, minha irmã, meus avós, tios. Amo muito vocês.

Bruno: Como estudar após o edital? E nos dias que antecedem as provas?

Fernando: Após o edital, não dá mais pra perder tempo. É necessário focar naquele conteúdo específico exigido pela banca. Os PDF’s do Estratégia ajudam muito nesse aspecto, pois são bem objetivos. Ler a lei e resolver questões também é fundamental. É importante, nos últimos dias, não perder o foco. Normalmente são dias duros, em que você já se sente cansado. Mas você deve pensar naquele salário que você vai ganhar quando for aprovado e se motivar com isso (rsrs)! Essa é a hora de dormir um pouco menos, de esquecer que existe televisão, internet (se for pra estudar, pode) e se concentrar 100% na prova.

Bruno: Como fazer, na sua opinião, uma revisão completa e eficiente?

Fernando: Dependendo do conteúdo exigido no edital, uma revisão completa fica inviável. Nos concursos de Analista de Tribunais o conteúdo é bem extenso, em outros, como os da área fiscal, pode ser ainda mais. Assim, algo que ajuda muito a relembrar sempre a matéria é resolver questões diariamente, de todos os temas. O ideal é começar os estudos bem antes, para fazer uma revisão completa e eficiente no prazo do edital, mas se não der, acho que o método de resolver questões variadas ajuda muito.

Bruno: Sentiu-se desanimado ao longo dos estudos? Se positivo, como superar esse sentimento?

Fernando: Quando se está estudando intensamente e por muito tempo, é natural sentir certo desânimo. Para superar isso é fundamental pensar positivamente e colocar na cabeça que esse esforço vai valer à pena, que essa prova para a qual você está se preparando vai mudar a sua vida!

Bruno: Planos para o futuro, após a nomeação? Pensa em continuar estudando para outro concurso?

Fernando: Eu estou torcendo pra essa nomeação sair só no final do ano para eu poder assumir o cargo (rsrs). Não vou parar de estudar, meu objetivo é ser Juiz do Trabalho e sei que o caminho até lá é longo e difícil. Terei que estudar demais se quiser chegar nesse cargo um dia. Mas acredito que com muito esforço e dedicação isso é possível.

Bruno: “Tudo vale a pena quando a alma não é pequena”?

Fernando: Com certeza! Valeu muito à pena! A sensação de ver o seu nome na lista dos aprovados é única e indescritível! Você olha para trás, lembra tudo o que você sofreu e percebe que chegou o momento da recompensa! É gratificante demais!

Bruno: Um recado para aqueles que estão lendo o seu relato e iniciando os estudos para concursos públicos.

Fernando: Pessoal, pode parecer clichê, mas é a pura verdade. Nunca desistam! Sempre estudem com total dedicação e deem o seu melhor! Se você for reprovado nos primeiros concursos ou for habilitado em uma posição muito baixa, isso é absolutamente normal. Eu prestei pelo menos cinco concursos sem sucesso antes de entrar no primeiro. Mas nunca desisti e cada vez chegava mais perto e percebia que faltava menos. Continue sempre estudando mais, porque um dia a sua hora vai chegar, e você vai sentir o doce sabor de uma aprovação! Aprovação em concurso envolve muito estudo, sacrifício e persistência.

Deixo aqui a frase que mais me inspira para nunca desistir:

“Determinando tu algum negócio, ser-te-á firme, e a luz brilhará em teus caminhos.” (Jó 22:28)

Confira outras entrevistas em:

https://www.estrategiaconcursos.com.br/resultados/

Assessoria de Comunicação

Resultados:

  • TRF 4a Região - 2019 14 alunos do Estratégia ficaram em 1º lugar, em suas respectivas regiões
  • Tribunal de Justiça-PR 2019 Dos 10 primeiros colocados, 7 foram nossos alunos
  • Agente da Polícia Federal 2018 Dos 180 aprovados, 113 foram nossos alunos
  • Concurso PGE - SP Procurador do Estado Dos 208 aprovados, 134 são nossos alunos
  • Concurso CLDF Procurador Legislativo Dos 31 aprovados, 24 são nossos alunos

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.