Artigo

Administração para Analista Administrativo da FeSaúde – revisão

Fala, estrategista! Tudo bem? Estamos na reta final para o concurso da Fundação Estatal de Saúde de Niterói – RJ (FeSaúde). E, para auxiliá-lo neste momento, apresentamos esta revisão de reta final de Administração para Analista Administrativo da FeSaúde.

A prova para o cargo de Analista Administrativo da FeSaúde está marcada para o dia 24 de outubro de 2021. Portanto, não há tempo a perder!

Sobre a disciplina de Administração, ela está inserida na parte de conhecimentos específicos do edital de Analista Administrativo do concurso FeSaúde.

A prova de Analista Administrativo da FeSaúde é dividida da seguinte forma:

  • Língua Portuguesa – 10 Questões (20% da nota);
  • Conhecimentos específicos – 40 questões (80% da nota).

Portanto, a parte de conhecimentos específicos responde pela maior parte da prova! Além da disciplina de Administração, serão cobradas as disciplinas de Contabilidade Pública, Informática, Legislação e Gestão de documentos.

O presente resumo buscará trabalhar os principais pontos da disciplina de Administração para Analista Administrativo da FeSaúde, considerando o perfil da banca COSEAC. Para quem não sabe, a COSEAC é uma banca da Universidade Federal Fluminense (UFF), que, como todas as bancas, possui suas particularidades.

Nos próximos tópicos, trabalharemos as partes mais importantes da disciplina de Administração para Analista Administrativo da FeSaúde! Siga conosco!

Administração para Analista Administrativo da FeSaúde Niterói
FeSaúde

Teoria Geral da Administração para a FeSaúde

Iniciando a nossa revisão de Administração para Analista Administrativo da FeSaúde, falaremos sobre a parte de Teoria Geral da Administração.

Nesta parte, a COSEAC se diferencia das outras bancas, que geralmente cobram com mais ênfase a Abordagem Científica e a Contingencial. Já a COSEAC gosta bastante da Teoria Geral dos Sistemas em Administração.

A Teoria Geral de Sistemas (TGS) é baseada na obra do biológo alemão Ludwig Von Bertalanffy. Esta Teoria, conforme Chiavenato, “não busca solucionar problemas ou tentar soluções práticas, mas produzir teorias e formulações conceituais para aplicações na realidade empírica.”.

Assim, a TGS propõe a ideia de organizações como sistemas abertos, que interagem de forma contínua com o ambiente. Nesse sentido, existem os parâmetros do sistema, conforme se segue:

  • Ambiente é o meio que envolve externamente o sistema, com o qual ele interage.
  • A entrada ou insumo é o impulso inicial do sistema, ou seja, aquilo que ele recebe de fora para realizar o processamento.
  • Processamento é a atividade que converte entradas em saídas.
  • A saída, produto ou resultado é aquilo que o sistema produz, a consequência do processamento no sistema.

Leve para a prova, também, o conceito de entropia. Conforme Chiavenato, “refere-se à perda de energia em sistemas isolados, levando-os à degradação, à desintegração e ao desaparecimento.”. Dito de outra forma, a entropia levaria as organizações à sua morte, pois a energia seria insuficiente para que ela se mantivesse funcionando.

O contrário de entropia é entropia negativa ou negentropia. Conforme Chiavenato, trata-se do “suprimento de informação adicional capaz, não apenas de repor as perdas, mas de proporcionar integração e organização no sistema.”.

Por fim, leve, também, o conceito de sinergia, que é o trabalho conjunto, em que a soma do trabalho de duas partes é maior do que simplesmente cada trabalho ser executado de forma independente.

Funções Administrativas para a FeSaúde

Seguindo com a presente revisão de Administração para Analista Administrativo da FeSaúde Niterói, o assunto deste tópico serão as funções do processo administrativo, elencadas no edital como Processo Organizacional.

Temos quatro funções no Processo Organizacional, conforme abaixo:

  • Planejamento: É a função em que a organização traça suas metas e objetivos, buscando identificar cenários futuros, estabelecendo cursos de ações frente aos desafios que se apresentem.
  • Organização: trata-se da função em que a organização faz a distribuição e alocação dos seus recursos, divide tarefas e responsabilidades, e estabelece a sua estrutura organizacional mais adequada para a organização, considerando seu negócio, mercado e ambientes interno e externo.
  • Direção: é a função responsável em que se dirige e conduz as pessoas para o trabalho, mediante atividades de comunicação, liderança e motivação.
  • Controle: é a função em que são definidos os padrões de desempenho, com posterior monitoramento e avaliação deste desempenho, e adoção de medidas corretivas, se necessário.

Para mais detalhes sobre todas as funções, não deixe de acessar o nosso Guia Definitivo sobre as Funções do Processo Administrativo para concursos.

Função de planejamento para a FeSaúde

Neste tópico da nossa revisão de Administração para Analista Administrativo da FeSaúde falaremos um pouco mais sobre a função de planejamento.

A banca elencou, como sugestão de bibliografia, o autor Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira, um grande nome quando se fala no estudo do planejamento estratégico. É importante levar para a prova a visão do autor quanto à sequência do planejamento:

  • Fase I – Diagnóstico estratégico – definem-se a visão e os valores e analisa-se o ambiente interno e externo à empresa, mediante o diagnóstico estratégico, visualizando oportunidades e ameaças (análise SWOT), bem como verifica-se quais são os concorrentes da empresa.
  • Fase II – Missão da empresa – define-se a missão da empresa, os propósitos atuais e potenciais, cenários, postura estratégica, macroestratégias e macropolíticas da organização.
  • Fase III – Instrumentos prescritivos e quantitativos – nos instrumentos prescritivos estabelecem-se os objetivos e metas, as estratégicas e políticas funcionais, as diretrizes, os projetos, programas e planos de ação. Já nos instrumentos quantitativos, deve-se analisar quais são os recursos necessários e quais as expectativas de retorno para atingir os objetivos, desafios e metas da empresa.
  • Fase IV – Controle e avaliação – nessa fase é feito o controle, verificando-se o desempenho da empresa em direção à sua visão, objetivos e metas.

Não há consenso entre os autores sobre a sequência do planejamento. Optamos, nesta revisão de Administração para Analista Administrativo da FeSaúde, por apresentar a sequência proposta pelo autor supracitado pelo fato de seu nome ter vindo expressamente como sugestão bibliográfica.

Para conhecer mais sobre planejamento estratégico e suas principais ferramentas, acesse o nosso Guia Definitivo sobre as ferramentas mais cobradas de Planejamento Estratégico para concursos.

Motivação para a FeSaúde

Seguindo com nossa revisão de Administração para Analista Administrativo da FeSaúde, falaremos sobre motivação. Tanto motivação, quanto o tópico seguinte, liderança, são desdobramentos da função organizacional de Direção.

Sobre motivação, a teoria mais cobrada em concursos é a hierarquia das necessidades, de Maslow.

A hierarquia das necessidades busca explicar a motivação humana em níveis, em que os níveis mais baixos, que representam a base de uma pirâmide, são os mais elementares das necessidades humanas. Conforme estas necessidades mais básicas são satisfeitas, abre-se espaço para novas necessidades, de níveis posteriores e de satisfação mais complexa.

A ordem hierárquica das necessidades é a seguinte:

  • Nível 1 – necessidades fisiológicas: representam as necessidades mais básicas do ser humano, aquelas que reproduzem os instintos vitais mais básicos. Temos como exemplos as necessidades de sono, alimentação, repouso, abrigo, dentre outras.
  • Nível 2 – necessidades de segurança: satisfeitas as necessidades fisiológicas, o ser humano necessita de segurança. Temos como exemplo a necessidade de a pessoa possuir certo grau de estabilidade, proteção contra privações ou ameaças e conservação do emprego ou fonte de renda.
  • Nível 3 – necessidades sociais: como um ser social, o ser humano tem alta necessidade de se relacionar afetivamente e amorosamente. Aqui entram os círculos de amizade, participação coletiva e relacionamentos amorosos.
  • Nível 4 – necessidades de estima: Representadas pelas necessidades de a pessoa buscar respeito e reconhecimento, com aprovação social, prestígio e status.
  • Nível 5 – necessidades de autorrealização: são as necessidades mais elevadas que uma pessoa pode possuir. Incluem o crescimento profissional e o autodesenvolvimento.

Atente-se que reconhecimento é necessidade de estima, enquanto crescimento profissional é necessidade de autorrealização. É comum as bancas trocarem os conceitos.

Para conhecer mais sobre a hierarquia das necessidades e sobre outras teorias de motivação, leia o nosso Guia Definitivo sobre as teorias de motivação mais cobradas em concursos.

Liderança para a FeSaúde

Neste último tópico da nossa revisão de Administração para Analista Administrativo da FeSaúde Niterói, falaremos sobre a parte de liderança.

Para a COSEAC, a teoria de liderança mais importante é a preconizada por Kurt Lewin. Este autor, um dos mais cobrados em provas, descreveu três tipos de liderança, conforme abaixo:

  • Liderança Autocrática: trata-se de estilo de liderança altamente centralizador, em que o líder define as tarefas e a forma de execução delas. Praticamente não há participação por parte dos empregados, pois o líder é dominador e os empregados apenas obedecem às ordens emanadas pelo líder.
  • Liderança Democrática: trata-se de estilo em que os empregados são encorajados pelo líder a participar das decisões da organização. O líder, aqui, assume uma postura de facilitador. Este estilo é dividido em: consultivo, com o líder consultando os empregados, mas tomando a decisão sozinho; e participativo: em que o grupo toma a decisão em conjunto, e o líder assume uma função mais de orientador.
  • Liderança Liberal ou laissez-faire: neste estilo, há grande liberdade aos colaboradores. Alguns autores entendem que a liberdade dada aos colaboradores é total. O líder interfere o mínimo possível, geralmente apenas quando é solicitado.

Para mais detalhes sobre outras teorias de liderança, acesse o nosso Guia Definitivo sobre teorias de liderança para concursos.

Conclusão

E chegamos ao fim da nossa revisão de reta final de Administração para Analista Administrativo da FeSaúde Niterói!

Utilize este resumo em suas revisões, em conjunto com a resolução de muitas questões sobre os temas aqui apresentados! Para este concurso, a resolução de questões anteriores da COSEAC ganha uma importância destacada, dadas as particularidades da banca.

Nesta reta final, todo tempo utilizado em suas revisões será decisivo para o sucesso no certame!

Desejamos que esta revisão de reta final o auxilie a conseguir a aprovação no certame da Fundação Estatal de Saúde de Niterói!

Abraços e bons estudos!

Paulo Alvarenga

https://www.instagram.com/profpauloalvarenga/

Referências

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração: uma visão abrangente da moderna administração das organizações. Idalberto Chiavenato – 7. ed. rev. e atual. – Rio de Janeiro: Elsevier, 2003 – 6ª reimpressão

OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de. Planejamento estratégico: conceitos, metodologia e práticas. São Paulo: Atlas, 2007.

Cursos e Assinaturas

Prepare-se com o melhor material e com quem mais aprova em Concursos Públicos em todo o país!

Assinatura de Concursos

Assinatura de 1 ano ou 2 anos

Sistema de Questões

Assinatura de 1 ano ou 2 anos

Concursos Abertos

mais de 15 mil vagas

Concursos 2021

mais de 17 mil vagas

.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja os comentários
  • Nenhum comentário enviado.