A importância de questões na preparação de Concursos!
Diogo Times Alves

A importância de questões na preparação de Concursos!

Olá, futuros colegas servidores público! Eu sou Diogo Times Alves, fui aprovado em 13º lugar no concurso de Auditor Fiscal da SEFAZ de Goiás e sou coach do Estratégia Concursos.

Vamos falar hoje de um dos principais tópicos sobre a preparação de concursos: a importância da resolução de questões. Não acredita? Então vai a resposta a seguir.

 Quem passa em concurso público não é quem mais sabe a teoria, e sim, aquele que mais acerta questões na prova. Calma, isso não quer dizer que você deve sair fazendo inúmeras questões aleatoriamente… é preciso saber a hora, a quantidade e, principalmente, a forma de resolver exercícios! Por isso, é essencial investir em um preparo completo para ficar à frente dos demais concorrentes e ter um ótimo desempenho na hora prova.

Antes de tudo, vale relembrar um pouco sobre como funciona o concurso público. Quando um concurso é divulgado, a banca examinadora libera um edital, o qual tem o conteúdo programático de tudo que poderá ser cobrado em sua prova.

Ocorre que, normalmente, os editais abordam os temas de uma maneira muito genérica e ampla. E aí é que está a grande sacada, pois é analisando os exercícios anteriores da banca examinadora que podemos perceber o nível de profundidade e a maneira com que ela costuma exigir os assuntos.

 Além disso, as bancas examinadoras possuem um estilo próprio de questões e tendem a cobrar mais determinados assuntos do que outros. Logo, se investirmos mais tempo de estudo nos tópicos que são mais recorrentes em prova, a probabilidade de se ter um melhor resultado no seu concurso com um menor esforço é maior. Com isso, podemos acelerar a tão sonhada aprovação.

Agora, vamos falar mais propriamente do uso das questões em sua preparação. Eu costumo dizer que as questões exercem importantes funções em qualquer que seja a fase em que o concurseiro vive, contudo devem ser exploradas de diferentes formas. Para aqueles alunos que começaram a estudar recentemente, as questões devem auxiliar na compreensão do assunto, já para os alunos intermediários, as questões ajudam na fixação e memorização do conhecimento e, por último, as questões também servem para teste e simulado. Senão, vejamos.

1.Uso de exercícios para compreensão do assunto

Em alguma hora da preparação, é importante você medir e controlar o seu percentual de acertos, mas já no começo de sua preparação isso não é algo tão essencial, pois, nessa fase inicial, as questões devem ajudar você a ter o entendimento e a compreensão do assunto que está sendo estudado.

Nesse primeiro momento, é interessante usarmos as questões logo após o estudo da teoria, já que as questões estão servindo justamente para auxiliar na compreensão. Nessa fase, é imprescindível o uso de questões comentadas, uma vez que são com os comentários que vemos se acertamos a questão pelo motivo certo ou não.

Eu costumo recomendar aos meus alunos que façam uma questão e, logo em seguida, vejam os comentários, pois ainda não estamos preocupados em testar nosso conhecimento, fora o fato de correr o risco de memorizar uma forma errada de se pensar sobre um assunto.

 Outra observação pertinente é olhar os comentários de todas as alternativas. É importante não só saber o porquê de o gabarito estar certo, mas também saber o motivo pelo qual as outras estão erradas, pois é comum que a banca exija esse conhecimento em outras questões.

Como a ideia, nesse primeiro momento, também não é memorizar, não é necessário fazermos uma grande quantidade de questões. Ademais, é mais interessante gastarmos mais tempo com disciplinas que exijam um maior grau de compreensão, tais quais as matérias exatas, e menos tempo com aquelas que precisem de um maior grau de memorização, como as matérias relacionadas ao Direito. Apesar de ser relativo para cada pessoa, eu acredito que as questões contidas nos PDF’s são mais do que suficientes para esse primeiro momento.

2. Uso de exercícios para fixação e memorização do assunto

Após o estudo da teoria e a compreensão da matéria, vamos ao próximo passo nos estudos. Nesse ponto, já vamos conseguir identificar quais assuntos são mais recorrentes em prova, e a partir daí podemos, inclusive, melhorar nossas marcações. Ressalvando-se que o que deve ser grifado não é o que é mais importante para você, mas o que é mais cobrado em prova.

Nesse momento, é interessante aumentar a quantidade de questões, principalmente aquelas que exijam um maior grau de memorização, tais quais as disciplinas relacionadas com o Direito, afinal, é com a repetição dos assuntos que vem a memorização. Com efeito, recomendo aos meus alunos a se inscreverem em um site de questões comentadas.

Outra coisa importante a se fazer é o que eu chamo de “engenharia reversa”. E o que é isso, Diogo? É fazer diversas questões e voltar na teoria para sanar algumas dúvidas pontuais.

Para isso, faz-se necessário fazer um controle mais rigoroso das questões. Não só para identificarmos as matérias mais fracas, mas também para vermos quais são os assuntos dentro de cada matéria que precisam de um reforço, haja vista que é mais fácil conseguir aumentar o percentual de acertos em determinado assunto que, ainda, não se está dominando do que aumentar, consideravelmente, aqueles em que o percentual de acertos já está em um patamar elevado.

3. Uso de exercícios para Teste

Nessa última fase, é necessário se preocupar com o tempo e velocidade de resolução, pois as bancas estão, cada vez mais, exigindo dos candidatos uma grande quantidade de questões em um tempo relativamente curto.

Nesse contexto, é interessante pegar uma bateria de questões e só olhar para os comentários depois de fazer todos os exercícios do simulado. Diferentemente das fases anteriores, julgo ser mais adequado pegar questões de todos os assuntos de uma matéria, bem como questões de disciplinas diferentes. Assim, pode-se simular, com um pouco mais de semelhança, a dinâmica de uma prova de concurso.

Espero ter contribuído de alguma forma com sua jornada na preparação para concursos! Qualquer dúvida podem entrar em contato comigo. Um grande abraço e bons estudos!

Diogo Alves, Aprovado em 13º lugar no concurso de Auditor Fiscal na SEFAZ-GO e disponível para ser seu coach na jornada em busca da tão sonhada aprovação.

Posts Relacionados

Compartilhe:

Diogo Times Alves

Diogo Times Alves

Formado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE. Aprovado em 13º lugar para o cargo de Auditor Fiscal da Receita Estadual de Goiás (ICMS-GO). Pós-graduando em Direito Tributário pelo Instituto Brasileiro de Estudos Tributários-IBET. Primeiro contato com o programa de coaching em 2017, como aluno (coachee), no início dos estudos para concursos.    O meu maior objetivo como coach é aumentar a produtividade dos seus estudos e, para tanto, eu pretendo auxiliá-los no planejamento de suas atividades, bem como na elaboração de estratégias, repassando toda a minha experiêcia para vocês. Por vivência própria, aprendi que, para alcançar rapidamente a tão esperada aprovação, é essencial uma sólida estrutura de apoio, capaz de ajudar a manter-se motivado, determinado, disciplinado e focado, mesmo nos momentos mais difíceis. Assim sendo, como coach, eu espero poder atuar para tornar os seus sonhos realidade de uma forma mais rápida, eficiente e, sobretudo, adequada ao seu jeito. Podem contar comigo sempre!​ Um grande abraço! Para saber um pouco mais sobre minha trajetória de estudos: https://www.estrategiaconcursos.com.br/blog/depoimento/entrevista-em-video-diogo-alves-aprovado-no-concurso-sefaz-go-em-13o-lugar-para-o-cargo-de-auditor/  

Veja os comentários:
Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Vídeos Relacionados

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.