0

Como utilizar os simulados para a PF?

Fala, pessoal. Falaremos um pouco sobre como utilizar os simulados para melhorar o desempenho nas provas do concurso Polícia Federal.

Simulados Prático-profissionais
Simulado para Polícia Federal

A Polícia Federal publicou o edital do concurso para o provimento de vagas nos cargos de delegado, agente, escrivão e papiloscopista da Polícia Federal no dia 15 de janeiro de 2021.

A Polícia Federal está fazendo um concurso com muitas vagas e será uma grande oportunidade para aqueles que estudam para essa área. Mas, como aproveitar essa oportunidade? Como melhorar a preparação e o desempenho no pós-edital?

Acreditamos que uma estratégia interessante é a realização de simulados. Então, como utilizar os simulados para a PF? Será que os simulados são uma boa forma de treinar para a prova? Vale a pena utilizar essa ferramenta?

Pois então, os simulados do Estratégia Concursos são feitos com questões inéditas e com correções de grandes professores. Além disso, os simulados ajudam os alunos a treinar para a prova e definir as estratégias que farão o aluno alcançar seu melhor desempenho. A gestão de tempo e a gestão emocional podem fazer a diferença se forem treinadas adequadamente.

Questões inéditas nos simulados

Muitos alunos, especialmente os mais avançados nos conteúdos, estudam e revisam as disciplinas pelas questões dos concursos anteriores. E essa técnica é muito importante para entender melhor como a banca cobra os conteúdos e para o concurseiro fazer uma autoavaliação do seu rendimento.

Mas quando as questões começam a ficar repetitivas, há dúvidas sobre se o aluno realmente aprendeu o conteúdo ou apenas gravou aquele tipo de questão. E está nesse ponto a grande vantagem dos simulados do Estratégia Concursos.

As questões inéditas podem trazer uma experiência semelhante ao do dia da prova. Ou seja, possuem o formato da prova, porém com as inovações necessárias para treinar a sagacidade que provavelmente o concurseiro precisará na prova.

A Cespe pode até repetir o conteúdo das questões, mas normalmente troca algumas palavras ou cobra de outra maneira. E com isso o aluno pode ficar confuso em marcar Certo ou Errado para ganhar mais um ponto. E por isso as questões inéditas podem ser um diferencial na preparação. Elas preparam o estudante para sair da zona de conforto das questões já cobradas.

Gestão do tempo

Muitos alunos reclamam ao final da prova que não tiveram tempo de revisar ou de fazer algumas questões com a atenção necessária.

Não se engane! Apesar das questões terem apenas uma alternativa, a Cespe dispõe de muitas informações relevantes nas afirmações ou negações dela.

Muitas vezes o concurseiro erra a questão de direito administrativo por não analisar corretamente o português utilizado pela banca. Ou então, acredita que a questão esteja correta, mas não percebe uma pequena nomenclatura utilizada erroneamente entre vírgulas ou parênteses.

Além disso, os cargos de agente da polícia federal e de escrivão têm estatística, raciocínio lógico e contabilidade que são disciplinas que demandam mais raciocínio e tempo para cálculos. Assim como o cargo de papiloscopista tem estatística, raciocínio lógico e física.

E muitas vezes essas análises e cálculos não são bem feitos porque o aluno não teve o tempo adequado. Por isso, a gestão do tempo é uma matéria extra do edital. E, como nas outras disciplinas, precisa-se desenvolver a competência para lidar com o tempo da melhor forma.

Pois então como o simulado vem com a quantidade de questões iguais ao da prova, é uma excelente forma de desenvolver a capacidade de gerenciar o tempo. Por isso, se for fazer o simulado, busque cronometrar o tempo e fazer esse teste como se fosse no dia da prova.

Gestão emocional

Quem já fez prova e já teve a sensação de ter errado uma questão boba? Muitas vezes os alunos muito bem preparados se deparam com um empecilho invisível no caminho: o emocional. Isso pode ocorrer pelo estresse natural da prova ou também por ser surpreendido por questões mais difíceis.

Além disso, o aluno pode ter grandes expectativas pelo resultado daquele concurso e isso gera pressão e ansiedade. Pressão para alcançar o resultado e ter emprego. Ansiedade por necessitar do salário para sustentar a família. Enfim, diversos outros fatores emocionais que podem atrapalhar no momento da prova.

E diante dessas pressões emocionais, como que o simulado pode ajudar? O simulado pode ser um treinamento de alto nível, pois normalmente as questões do simulado do Estratégia Concursos têm nível superior ao da prova. Portanto, pode preparar o aluno para uma situação mais complicada.

Ademais, o aluno pode aprender a controlar a ansiedade e o estresse diante das adversidades e ainda treinar a busca pelo raciocínio correto mesmo diante do nervosismo de achar que não sabe o assunto.

Além disso, se o concurseiro separar o dia de domingo para realizar os simulados, pode preparar a sua mente para essa carga emocional de inovações e surpresas para esse dia da semana. A mente ficará treinada a lidar com esse tipo de pressão, reduzindo os seus efeitos no dia da prova. Já ouvimos aprovados relatando que, por fazerem simulados aos domingos, a prova parecia mais um dia de simulado.

Aprender com os erros do simulado

Apesar do simulado ter muitas vantagens, não são todos que conseguem lidar com os “efeitos colaterais”. Algumas pessoas por não irem bem no simulado, podem achar que não são capazes ou que não devem continuar a estudar. Mas isso não é verdade. O estudante precisa aprender a lidar também com as próprias falhas.

Os simulados do Estratégia trazem um nível de dificuldade maior que a prova para justamente preparar seus alunos para as piores hipóteses. Isso significa que o aluno estará um passo à frente na sua preparação. O aluno não deve perder o foco do principal objetivo do simulado: verificar como está a gestão do tempo, preparar o emocional, resolver questões inéditas e consertar as falhas.

Se encontrar uma falha nos estudos, o aluno deve considerar que encontrou uma “mina de ouro”. Ou seja, o estudante terá oportunidade de melhorar os estudos nos assuntos e disciplinas que mais sentiu dificuldade para que essa falha não ocorra no momento da prova.

Dicas para simulados

A melhor maneira de realizar os simulados é de fato simular o momento da prova. Mas, como é que se faz isso?

No planejamento dos estudos, o concurseiro pode separar o domingo para realizar os simulados no turno que a prova será realizada. Por exemplo, se for para agente da polícia federal, o estudante pode fazer o simulado no turno da tarde. Ou seja, reservar um horário de 4hr e 30 minutos nesse turno.

Essa estratégia é importante para que a mente do aluno entenda que, nesse dia e horário, ela deve se preparar para aumentar a sua concentração e o foco. Para mente, não deve ser um dia de descanso e sim um dia de trabalho.

O quão mais fidedigno do ambiente de prova, melhor para o aluno. Portanto pode separar a água, o lanche e ter um ambiente propicio para a realização do simulado.

Nesse momento também as consultas não devem ser permitidas e o aluno deve fazer o simulado de acordo com o conteúdo que sabe até então.

Antecipar decisões

A maioria das decisões que vão existir durante a prova, o aluno pode antecipar e treinar durante o simulado.

Por exemplo, muitos candidatos ao cargo da polícia federal não sabem se é melhor chutar ou deixar a questão em branco. Isso ocorre porque uma questão errada anula uma certa. Então se chutar e errar, o aluno perderia dois pontos. Se deixar em banco, apenas um ponto seria perdido. Então, por que não testar essas hipóteses durante as realizações dos simulados?

Além disso, outras dúvidas podem ser testadas e sanadas durante as realizações dos simulados. Por qual matéria começar a prova? Será que começar a prova pela disciplina que traz confiança para o aluno aumenta seu desempenho? Qual disciplina ativa sua mente de forma mais rápida?

Todas essas repostas podem ser buscadas no simulado, a fim de que na prova todas as estratégias já tenham sido testadas e aprovadas. Portanto, se o aluno levar a sério o momento do simulado, é possível antecipar as decisões difíceis que virão na prova.

Conclusão sobre utilizar os simulados para PF

E então, será que conseguirão utilizar os simulados da PF para melhorar o desempenho na prova?

Como vimos no artigo, o simulado pode ser uma excelente ferramenta de treino. As estratégias podem ser testadas e aprovadas antes de iniciar a prova. Além disso, direciona o aluno para melhor aproveitar o tempo e para aprender a lidar com as suas emoções e com suas falhas.

Se concordar que será uma boa estratégia utilizar os simulados para a PF, não deixe de fazer os simulados do Estratégia Concursos.

Esperamos que as dicas tenham sido úteis e ajudem os alunos a melhorar seus desempenhos!

Para saber mais sobre o edital da Polícia Federal, verifiquem a análise feita pelo time do Estratégia Concursos.

Até a posse!

Taciana Rummler

Posts Relacionados

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *