Artigo

As 5 melhores Técnicas de Estudo: aprenda com mais eficiência!

Para ser aprovado no concurso público não basta apenas estudar. É necessário estudar com qualidade. Para isso, devemos mesclar diversas técnicas de estudo para atingir um alto nível de rendimento e, consequentemente, chegarmos no resultado final: a sua aprovação!

Neste artigo, iremos explicar as 5 melhores técnicas de estudo conforme um estudo realizado pela APS (Association for Psychological Science), uma organização internacional sem fins lucrativos com a missão de promover e divulgar pesquisas científicas a partir da psicologia.

Vejam o quadro abaixo com as 5 melhores técnicas de estudo e seu respectivo grau de eficiência, conforme a pesquisa realizada pela organização.

Técnicas de estudo – grau de eficiência

Vamos conhecer um pouco de cada técnica de estudo:

1 – O Estudo intercalado

A técnica de estudo do “estudo intercalado” consiste, basicamente, na elaboração de um ciclo de estudos, de modo que o aluno estude determinadas matérias de forma distribuída em cada dia. Alguns também chamam essa técnica de estudo de “metas diárias” ou “rotação de matérias“.

Vejam abaixo um exemplo prático dessa técnica de estudo.

Técnicas de estudos - Estudo intercalado
Técnicas de estudos – Estudo intercalado

Uma dica que podemos ressaltar acerca dessa técnica de estudo é intercalar as matérias de direito com aquelas de exatas. Assim, o aluno não ficará somente estudando exclusivamente através da leitura, e haverá um maior conteúdo prático, de modo que o estudo se torne mais dinâmico e menos monótono.

Técnicas de estudo – O “Ciclo de Estudos”

2 – Testes Práticos

Essa é outra técnica de estudo fundamental para a aprovação nos concursos públicos! Com base nela, devemos resolver o maior número de questões possíveis.

Procurem sempre realizar simulados. Eles são fundamentais não somente para a verificação do grau de retenção do conteúdo estudado, mas para também para o concurseiro se acostumar com situações alheias ao estudo, como o nervosismo, ansiedade, distribuição de tempo de questões, tempo de preenchimento de gabarito, dentre outras.

O aluno deve manter sempre contato prático com a matéria estudada. Uma dica aqui é a realização de provas anteriores, seja da banca que realizará seu concurso ou seja de concursos anteriores da mesma área para a qual você estuda.

Além disso, este método ajudará a indicar ao concurseiro se, de fato ele absorveu o conteúdo que fora estudado, servindo também como revisão. Outra dica importante em relação a este tema é que o aluno deve sempre refazer as questões que errou e anotar as dificuldades que teve com a questão para aprofundar o seu conhecimento no conteúdo e não errar novamente.

Técnicas de estudo – Testes práticos

3 – A prática distribuída

A partir dessa técnica de estudos, o aluno deve evitar estudar a mesma matéria por um tempo muito longo. Em geral, não recomendamos que esse período ultrapasse 2 horas.

Veja um exemplo:

Técnicas de estudo - prática distribuída
Técnicas de estudo – Prática distribuída

A prática distribuída também deixa clara a importância das revisões. Se você vê um determinado conteúdo várias vezes ao longo do tempo, há uma chance grande de que ele seja armazenado em sua memória de longo prazo.

4 – Autoexplicação

Essa é mais uma técnica de estudo com grande eficiência para absorção da matéria estudada. A partir deste método, o aluno deve estudar o conteúdo e, simultaneamente, tentar explicá-lo, com suas próprias palavras, para si próprio. Essa prática ajudará (e muito!) na memorização do conteúdo.

Conforme o aluno avançar nos estudos, ele deve procurar explicar aquilo que está sendo visto para tentar sanar eventuais dúvidas que surjam no decorrer do seu aprendizado, além de aprimorar o desenvolvimento do seu próprio raciocínio lógico.

Um ponto interessante a respeito dessa técnica de estudo é que ela pode muito bem ser aplicada conjuntamente com a técnica que será apresentada no tópico a seguir.

5- Interrogação Elaborativa

A partir dessa técnica de estudo, o aluno deve, durante seu estudo, elaborar perguntas como as seguintes:

  • O quê?
  • Quem?
  • Quando?
  • Onde?
  • Como?

Esse método mostrou-se eficiente pelo fato de exigir um esforço maior do nosso cérebro. Por meio de questionamentos, buscaremos compreender quais são as causas de um determinado fato com o qual nos deparamos ao estudar.

Com o desenvolvimento dessa técnica de estudo, o aluno poderá perceber uma evolução na sua capacidade de responder questões discursivas, o que por si só já é uma grande vantagem em provas de concursos públicos.

6- Recomendações finais quanto às técnicas de estudo

Por fim, gostaríamos de lembrá-los de que nenhuma dessas técnicas de estudo deve ser aplicada isoladamente. É a harmonização de diferentes técnicas que irá alavancar o estudo do concurseiro rumo à sua aprovação.

….

Abraços,

Nádia Carolina

Como Passar em Concurso Público

Como estudar para concurso público

Cursos para concursos

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja os comentários
  • Achei muito interessante e ajuda muito a abrir a nossa mente,nos ajuda a estudar melhor e faz com que a gente aprenda a matéria com mais facilidade.
    Hemilly em 21/10/20 às 13:25
  • A prática distribuída
    Marcelo em 18/05/20 às 08:58
  • obrigada pelas dicas
    andreia de oliveira de milome em 23/10/19 às 11:20
  • Vou dar aqui o meu relato, pois creio que pode servir de motivação ou de aprendizado pra alguém, e porque eu adorava ler relatos de quem já tinha conseguido o tão sonhado cargo. Realmente não existe milagre e nem técnica melhor ou pior. Creio que cada um tem que descobrir sua forma de estudar. Já fui nomeado pra dois concursos federais e um municipal e já classifiquei em outros vários sem nunca ter aplicado uma técnica específica, sempre estudei do meu jeito. Nunca gostei muito de fazer resumos. Sempre gostei de estudar horas a fio, principalmente no primeiro concurso que passei, passava 10, 12 horas por dia estudando, mas isso porque tinha tempo. Pro atual cargo, como já era concursado e deseja outro cargo melhor e de nível superior, sempre estava estudando uma coisa ou outra, matérias que sabia que cairia. Aí quando saía o edita,l eu pegava pra valer, baixava o espírito de concuseiro,rsrs. Estudava umas duas ou três horas por dia nos dias de semana, e nos finais de semana umas cinco ou seis. Fiz sete concursos até conseguir a nomeação pra Técnico em Assuntos Educacionais. Então o negócio é não desistir.Tenha muiiiitooo cuidado na hora da prova, pois fiquei em vários concursos por uma ou duas questões. E geralmente é por aí que fica. Faça bastannnnnnnnteeeeee exercícios e provas anteriores. Isso ajuda muito. Incorpore o concurseiro, pois enquanto você não incorporar, não abrir mão de muitas coisas, não vai conseguir. E tenha certeza, uma hora você vai passar, se não desistir, é claro.
    Cristian Pazini em 28/08/18 às 15:26
  • excelente dica professor, parabéns.
    rogerio alves motta em 09/07/18 às 11:36
  • Obrigada professor!!! Suas dicas abriu minha mente! Abraços
    Sonia em 04/07/18 às 12:48
  • O problema é que o pessoal quer sempre o "pulo do gato" achar a "galinha dos ovos de ouro" que vai mudar seus estudos e fazer com que ela passe milagrosamente. Ficam procurando vídeos motivacionais, palestras e eternamente se preparando sem, entretanto, nunca fazer o que realmente interessa, estudar. Tudo na teoria é magnífico como disse o colega acima mas, na prática, é bem mais difícil do que se pensa. Então amigo, senta a bunda na cadeira, estuda, renúncia ao que pode e deixa de frescura pq gente fresca não passa.
    Carlos Augusto Pessoa Ferreira em 04/07/18 às 10:22
  • Fã de todos os seus vídeos! :)
    Klênia em 27/02/18 às 09:13
  • Agora sim, assisti um vídeo de um coaching "pé no chão", atenado com a realidade da maioria dos concurseiros que não têm 13/16 horas para estudar diariamente e enfrentar um concurso, v.g. do TCU, Receita, MP, Magistratura, AGU etc., com mais de dez matérias. Como o coaching disse, realizar uma revisão de 24 horas, 7 dias e depois de 30 dias, seria maravilhoso e ideal, entretanto, o conteúdo do edital é muito extenso, multidisciplinar, abrangendo o ramo do direito, matemática, português e às vezes provas físicas, dissertativas, orais e cursos de formação. Portanto, concordo o coaching, a teoria tem que abranger o pontos principais e que mais caem nas provas. Depois é focar na realização de questões (centenas, milhares) das principais bancas e fechar o edital. Excelente vídeo, Diego Moreira.
    edilson ferreira gomes em 26/02/18 às 22:40
  • Agora sim, assisti um vídeo de um coaching "pé no chão", atenado com a realidade da maioria dos concurseiros que não têm 13/16 horas para estudar diariamente e enfrentar um concurso, v.g. do TCU, Receita, MP, Magistratura, AGU etc., com mais de dez matérias. Como o coaching disse, realizar uma revisão de 24 horas, 7 dias e depois de 30 dias, seria maravilhoso e ideal, entretanto, o conteúdo do edital é muito extenso, multidisciplinar, abrangendo o ramo do direito, matemática, português e às vezes provas físicas, dissertativas, orais e cursos de formação. Portanto, concordo o coaching, a teoria tem que abranger o pontos principais e que mais caem nas provas. Depois é focar na realização de questões (centenas, milhares) das principais bancas e fechar o edital. Excelente vídeo, Diego Moreira.
    edilson ferreira gomes em 26/02/18 às 22:33
  • Muito bom professor, obrigada.
    Evelise em 26/02/18 às 21:09
  • Não vi muita relevância na prática, tem outras?
    Roberto em 26/02/18 às 20:31
  • Obrigada Professor! Excelentes dicas! Perfeitas! Meus estudos não estavam fluindo, dessa maneira fluirão Vida nova a partir de hoje! Grande abraço! Saúde e paz.
    Cléia de Cássia Fernandes de Sousa em 26/02/18 às 17:07
  • Excelente vídeo. Realmente na prática é oque funciona!
    Rchard em 26/02/18 às 16:46