1

Estudar a lei seca de forma eficaz: métodos para a otimização do desempenho

Olá, concurseiros desse Brasil! Iremos tratar, nesse artigo, sobre a leitura da lei seca, a qual é essencial na preparação para concursos, e, ao mesmo tempo, uma pedra no sapato de muitos candidatos. Para tornar essa etapa da nossa preparação mais prazerosa, falaremos aqui sobre como estudar a lei seca de forma eficaz, otimizando, desse modo, os nossos estudos.

Para tal, iremos abordar algumas questões pertinentes:

  • Em quais fontes devo buscar o texto da lei?
  • Com que frequência devo me dedicar à leitura da lei seca?
  • Utilizando a divisão em dias para estudar a lei seca
  • Como fazer grifos eficientes
  • Como fazer anotações para prevenir futuros erros
  • Leis esquematizadas

Em quais fontes devo buscar o texto da lei?

Primeiramente, é importante termos em mente que nossa lei deve estar sempre atualizada. De nada adianta termos uma lei toda grifada e anotada, porém desatualizada, uma vez que isso pode nos custar algumas questões de prova.

Dito isso, vamos às fontes.

Quando falamos em leis de âmbito nacional ou federal, é possível encontrá-las no site do Portal da Legislação do Planalto.

Já quando falamos em leis de âmbito estadual, é possível encontrá-las no site das respectivas Assembleias Legislativas, ou no Portal da Legislação do Planalto.

Por fim, quanto às leis de âmbito municipal, podemos encontrá-las no site das Câmaras Municipais ou no site Leis Municipais.

Com que frequência devo me dedicar à leitura da lei seca?

Esse é um ponto que causa muitas dúvidas em diversos alunos. E é também um dos principais pontos onde os candidatos cometem erros. Isso porque muitos acreditam que devem estudar a lei seca apenas na fase avançada de seus estudos.

Acontece que ter o conhecimento da legislação é imprescindível para fazermos uma boa prova. E esse conhecimento não é algo que adquirimos da noite para o dia. Existem leis muito extensas e detalhistas que são cobradas na maior parte dos editais, o que reforça a ideia de que devemos iniciar a leitura da lei seca o mais rápido possível, para que tenhamos mais tempo para amadurecê-la em nossos cérebros.

Mas, é claro, sabemos que essa não é uma tarefa fácil, pois ler a lei no começo da nossa preparação se apresenta, muitas vezes, como um desafio. Nos deparamos com muitos conceitos desconhecidos, e não é raro apresentarmos dificuldades na compreensão do que estamos lendo.

E o que fazer nesses casos?

É importante termos calma, pois não adianta nada acreditarmos que iremos adquirir essa maturidade necessária para aprender a estudar a lei seca em poucos dias.

É completamente normal a falta de compreensão dos termos técnicos no início. Quando nos depararmos com essa dificuldade, devemos buscar em outras fontes – como PDFs e videoaulas – a informação necessária para o nosso estudo. Assim que a adquirirmos, podemos voltar à lei, que se tornará mais fácil de ser entendida.

Portanto, trata-se de um processo progressivo, algo que iremos aprimorar com o tempo. Dessa forma, devemos nos habituar a ler a lei todos os dias de nossos estudos, para que possamos progredir de forma mais rápida, uma vez que ler os artigos de lei repetidas vezes nos ajudará a memorizá-los.

Utilizando a divisão em dias para estudar a lei seca

Muitos alunos, na hora de elaborar o  seu planejamento, seja ele semanal ou diário, se deparam com a seguinte questão: “Mas qual assunto devo ler hoje?”. Uma técnica interessante para resolvermos esse problema é a da divisão da lei em dias de leitura.

Por exemplo: podemos dividir o Código de Processo Civil em 15 dias, utilizando flags para fazer essa divisão. Dessa forma, em 15 dias teremos feito a leitura de todos os dispositivos do CPC abrangidos no edital.

Atentemos que, para otimizar os estudos, na hora de dividir, é importante levarmos dois pontos em consideração:

Devemos colocar, em um dia, aquilo que sabemos que conseguiremos ler, de acordo com o nosso próprio ritmo. Assim, não adianta colocarmos metas muito grandes, nem muito pequenas.

– É interessante buscar terminar sempre os dispositivos que iremos ler em um dia de forma a fecharmos o assunto em questão, para que a matéria fique mais bem consolidada em nossa mente e para que não comecemos a confundir os diferentes assuntos.

Com a divisão feita, a tarefa se torna simples. Como exemplo, na segunda-feira lemos os artigos presentes na divisão do dia 1, na terça-feira lemos a divisão do dia 2, e assim por diante. Ao terminarmos os 15 dias, começamos tudo novamente.

Ressalte-se que a divisão em 15 dias é apenas sugestiva. Cada pessoa possui o seu ritmo de leitura e o seu nível de conhecimento e maturidade nos estudos, de forma que a divisão é, portanto, algo individual.

Como fazer grifos eficientes

Para estudar a lei seca de forma eficaz, é de suma importância sabermos como realizar grifos de forma adequada, evitando deixar a nossa lei toda marcada.

Para isso, devemos ter em mente que os grifos não devem ser feitos em um primeiro momento. Portanto, nas primeiras leituras, devemos nos concentrar na compreensão do assunto tratado, e não nas marcações.

Após a realização de algumas leituras e a resolução de questões envolvendo os assuntos abordados, é que devemos proceder à marcação da nossa lei. E, é claro, que essa marcação deve ser feita de forma estratégica.

O que devemos grifar?

Palavras-chave, prazos, marcadores de negação. Em resumo, tudo que pode ser explorado pela banca para a elaboração de pegadinhas, além de informações relevantes.  

Utilizando questões para estudar a lei seca

Além disso, é importante sinalizarmos os artigos mais cobrados pela banca, uma vez que as bancas costumam cobrar de forma repetitiva os dispositivos que consideram mais importantes. Uma ferramenta elaborada pelos professores do Estratégia e que pode nos ajudar muito nessa etapa é o Mapa da Lei, disponível para os assinantes da plataforma.

Como fazer anotações para prevenir erros futuros

Além do exposto, é saudável fazer anotações na própria lei, se for do gosto do aluno. Assim, é possível anotar jurisprudências importantes, comentários dos professores ou erros passados em questões. Tal atividade irá auxiliar na prevenção da repetição dos erros, pois estaremos em contato constante com as anotações que fizermos na lei, as quais leremos frequentemente.

Leis Esquematizadas

Por fim, o Estratégia disponibiliza algumas leis esquematizadas pelos professores, os quais grifam, esquematizam e comentam os principais artigos, de forma a tornar a leitura da lei seca mais didática.

Como exemplo, termos a Lei 8.112, que trata do Estatuto dos Servidores Públicos Federais, esquematizada pelo professor Herbert Almeida, o qual leciona a disciplina de Direito Administrativo.

https://www.youtube.com/watch?v=mHupt05GFso

Concluindo

Portanto, devido ao fato de a lei seca ser de extrema importância para os concursos públicos, devemos encontrar maneiras de tornar a sua leitura mais produtiva e menos desgastante. Dessa forma, as dicas apresentadas nesse artigo são de extrema valia para que possamos aprender a estudar a lei seca de forma eficaz, e, assim, aumentar o nosso rendimento na prova.

Grande Abraço,

Julia Mello

Prepare-se com o melhor material e com quem mais aprova em Concursos Públicos em todo o país. Assine agora a nossa Assinatura Anual e tenha acesso ilimitado* a todos os nossos cursos.

ASSINE AGORA – Assinatura Ilimitada

CONCURSOS ABERTOS

CONCURSOS 2020

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *