Notícia

Concurso ATPS: inscrições encerradas; 500 vagas e R$ 9,1 mil!

Acesse agora o Grupo de Estudos da ATPS

Uma das carreiras de prestígio de âmbito público, Analista Técnico de Políticas Sociais (ATPS), teve suas inscrições encerradas para o Concurso Nacional Unificado (CNU)!

Aos interessados, todo o procedimento de inscrição pôde ser realizado até o dia 09 de fevereiro, através do site da banca, a Fundação Cesgranrio, ao custo de R$ 90,00.

Ao todo, o edital contempla 500 vagas distribuídas em três blocos:

  • 20 vagas para o Bloco 2 – Tecnologia, Dados, e Informação;
  • 20 vagas para Bloco 4 – Trabalho e Saúde do Servidor;
  • 460 vagas para o Bloco 5- Educação, Saúde, Desenvolvimento Social e Direitos Humanos.

O cargo faz parte das chamadas “carreiras transversais” que possibilitam ao servidor atuação em diversos órgãos e Ministérios do Poder Executivo.

Ademais, os futuros candidatos passarão por diversas etapas de avaliação, entre elas, a prova objetiva, que está prevista para ser aplicada no dia 05 de maio.

  • Analista Técnico de Políticas SociaisATPS
  • Status: inscrições encerradas/provas em 05/05
  • Banca: Fundação Cesgranrio
  • Vagas: 500
  • Salário inicial: R$ 8.336,82 a R$ 9.181,42
  • Editais retificados: Bloco 2 | Bloco 4 | Bloco 5 

A fim de te deixar sempre bem informado, elaboramos este artigo com as principais informações e novidades sobre o concurso ATPS. Acompanhe os tópicos abaixo e não perca nenhum detalhe:

Principais datas do concurso ATPS

  • Inscrições: as inscrições puderam ser feitas entre os dias 19 de janeiro e 09 de fevereiro, no site da Fundação Cesgranrio
  • Isenção da taxa: a gratuidade da participação pôde ser solicitada entre 19 e 26 de janeiro
  • Data da prova: a prova objetiva será aplicada no dia 05 de maio

Concurso ATPS: distribuição das vagas

Quadro de vagas para ATPS no bloco 2 do Concurso Nacional Unificado
Quadro de vagas para ATPS no bloco 4 do Concurso Nacional Unificado
Quadro de vagas para ATPS no bloco 5 do Concurso Nacional Unificado

Concurso ATPS: etapas de prova

  • I – Primeira Etapa:
    • primeira fase: exame de habilidades e conhecimentos aferidos por meio de aplicação de provas objetivas e discursiva, de caráter classificatório e eliminatório;
    • segunda fase: perícia médica (avaliação biopsicossocial);
    • terceira fase: procedimento de verificação da condição declarada para concorrer às vagas reservadas aos candidatos negros;
  • II – Segunda Etapa: destinada a avaliação de títulos, quando couber, de caráter classificatório.

Prova objetiva

Provas objetivas: constituídas de 70 questões de múltipla escolha. As questões serão assim distribuídas: prova objetiva de Conhecimentos Gerais, com 20 questões de múltipla escolha; prova objetiva de Conhecimentos Específicos, com 50 questões de múltipla escolha.

Cada questão das provas objetivas apresentará cinco alternativas (A; B; C; D; E) e uma única resposta correta.

As provas objetivas de Conhecimentos Gerais e Discursiva terão duração de 2 horas e 30 minutos e serão aplicadas no turno da manhã.

Já as provas objetivas de Conhecimentos Específicos terão duração de 3 horas e 30 minutos e serão aplicadas no turno da tarde.

Será eliminado o candidato que: obtiver aproveitamento inferior a 40% da pontuação nas provas objetivas de Conhecimentos gerais (P1) e de Conhecimentos Específicos (P2), ou obtiver nota zero na Prova discursiva.

Prova discursiva

A prova discursiva, de caráter eliminatório e classificatório, é exclusiva para cada Bloco, contendo uma questão dissertativa que abordará conteúdo constante do Anexo IV deste Edital e que valerá 100 pontos.

Prova de títulos

A Prova de Títulos, de caráter classificatório, consistirá, conforme os QUADROS DE ATRIBUIÇÃO DE PONTOS PARA A AVALIAÇÃO DE TÍTULOS (Anexo VI), na titulação acadêmica e/ou na experiência profissional do candidato e/ou na produção acadêmica/técnica/cultural, limitada à pontuação máxima de 10,0 pontos.

Concurso ATPS: carreira

Reestruturação

O Ministério da Gestão e da Inovação (MGI) firmou um acordo entre servidores públicos e Governo Federal para reestruturar a carreira de Analista Técnico de Políticas Sociais – ATPS.

O acordo estabelece quatro classes e vinte padrões na estrutura do cargo, que passará a ter natureza transversal, tendo o MGI como órgão supervisor, mantendo o exercício dos servidores nos atuais órgãos e entidades, até nova movimentação. 

Já a reestruturação da remuneração dos servidores se dará em três parcelas: em janeiro de 2024, janeiro de 2025 e janeiro de 2026. A partir de janeiro de 2025, a carreira terá sua estrutura remuneratória transformada em subsídio. 

Ainda conforme o acordo, o tempo de efetivo exercício na carreira determinará a reposição dos servidores na nova tabela e, para fins de progressão e promoção funcional, será observado o interstício de 12 meses. 

Quanto ganha um Analista Técnico de Políticas Sociais?

R$ 8.336,82: composta de R$ 4.958,42 de vencimento básico + R$ 3.378,40 de Gratificação de Desempenho de Atividades de Políticas Sociais – GDAPS de 80 pontos. Ao ingressar, o novo servidor receberá 80 pontos de gratificação até sua primeira avaliação, quando poderá chegar aos 100 pontos e a remuneração atingir o valor de R$ 9.181,42.

Além disso, é importante frisar que os servidores contratados recebem o auxílio alimentação no valor de R$ 658,00.

Mas nos próximos anos esses valores serão alterados, conforme mencionados no tópico anterior, da reestruturação da carreira, sendo o primeiro reajuste em janeiro de 2024.

  • Janeiro de 2025:
    • Inicial (Classe A/Padrão I): R$ 9.446,21;
    • Final (Classe Especial/Padrão III): R$ 19.719,92.
  • Janeiro de 2026:
    • Inicial (Classe A/Padrão I): R$ 9.711,00;
    • Final (Classe Especial/Padrão III): R$ 21.070,00.
Estrutura remuneratória do concurso ATPS a partir de 2024
Estrutura remuneratória a partir de 2024

O que faz o Analista Técnico de Políticas Sociais?

O cargo de Analista Técnico de Políticas Sociais possui algumas importantes atribuições, sendo as principais delas:

  • I – executar atividades de assistência técnica em projetos e programas nas áreas de saúde, previdência, emprego e renda, segurança pública, desenvolvimento urbano, segurança alimentar, assistência social, educação, cultura, cidadania, direitos humanos e proteção à infância, à juventude, ao portador de necessidades especiais, ao idoso e ao indígena, que não sejam privativas de outras Carreiras ou cargos isolados, no âmbito do Poder Executivo; 
  • II – verificar, acompanhar e supervisionar os processos inerentes ao Sistema Único de Saúde, ao Sistema Único de Assistência Social e aos demais programas sociais do governo federal objeto de execução descentralizada; 
  • III – identificar situações em desacordo com os padrões estabelecidos em normas e legislação específica de atenção à saúde, previdência, emprego e renda, segurança pública, desenvolvimento urbano, segurança alimentar, assistência social, educação, cultura, cidadania, direitos humanos e proteção à infância, à juventude, ao portador de necessidades especiais, ao idoso e ao indígena, quando não sejam privativas de outras carreiras ou cargos isolados, no âmbito do Poder Executivo, proporcionando ações orientadoras e corretivas, promovendo a melhoria dos processos e redução dos custos;  
  • IV – aferir os resultados da assistência à saúde, previdência, emprego e renda, segurança pública, desenvolvimento urbano, segurança alimentar, assistência social, educação, cultura, cidadania, direitos humanos e proteção à infância, à juventude, ao portador de necessidades especiais, ao idoso e ao indígena, considerando os planos e objetivos definidos no Sistema Único de Saúde, no Sistema Único de Assistência Social e demais políticas sociais;  
  • V – proceder à análise e avaliação dos dados obtidos, gerando informações que contribuam para o planejamento e o aperfeiçoamento das ações e políticas sociais; 
  • VI – apoiar e subsidiar as atividades de controle e de auditoria; e  
  • VII – colaborar na definição de estratégias de execução das atividades de controle e avaliação, sob o aspecto da melhoria contínua e aperfeiçoamento das políticas sociais. 

Como foi o último concurso ATPS?

Sob organização da Escola de Administração Fazendária (Esaf), o último concurso ATPS teve seu edital publicado em 2012. Na ocasião, foram ofertadas 825 vagas para o cargo de Analista Técnico de Políticas Sociais.

O cargo contemplou oportunidades nas áreas de Assistência Social (77), Educação (30), Gestão Social (248), Previdência (20) e Saúde (450) para carreira de Desenvolvimento de Políticas Sociais.

No total, 27.000 candidatos se inscreveram para participar do certame. Desses, 35,72% (9.644) deixaram de comparecer à prova objetiva e 5,55% na prova discursiva.


Quer estudar para o concurso ATPS?

Assinatura Concursos

Assinatura de 1 ano ou 2 anos

Quer saber tudo sobre concursos previstos?
Confira os nossos artigos!

informações do Concurso

♦Informações do Concurso ATPS

  • Data da prova: 05/05/2024
  • Vagas: 500
  • Cargo: Analista Técnico de Políticas Sociais
  • Banca: Fundação Cesgranrio
  • Escolaridade: Nível Superior
  • Editais retificados: Bloco 2 | Bloco 4 | Bloco 5 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja os comentários
  • Nenhum comentário enviado.