Artigo

Prova Português MPRS 2016: é possível recurso

Na prova Português MPRS 2016, é possível recurso em uma questão.

Na prova de Agente Administrativo, cabe recurso contra o gabarito da questão 5.

Considere as seguintes propostas de alteração dos tempos verbais do texto

I. Alteração de se sentia por estava se sentindo.

II. Alteração de esquecera-os por esqueceu-os.

III. Alteração de tinha perdido por perdera.

Quais alterações estão corretas?

(A) Apenas I.

(B) Apenas II.

(C) Apenas I e III.

(D) Apenas II e III.

(E) I, II e III.

Comentário: Tais verbos encontram-se nestes segmentos:

Estavam cansados da viagem; ela, grávida, não se sentia bem.

A troca pelo mesmo tempo verbal (pretérito imperfeito do indicativo), de “sentia” por “estava”, apenas mudou um verbo simples para locução verbal, mas o sentido mantém-se o mesmo, pois esse tempo verbal mantém, nas duas estruturas, uma regularidade no passado.

O homem disse que não tinha, na pressa da viagem esquecera-os.

O verbo “esquecera” encontra-se no tempo pretérito mais-que-perfeito do indicativo, tempo que normalmente usamos para destacar uma ação anterior a outra também no passado. Mas esse tempo não é obrigatório, isto é, o fato de usarmos o verbo “esqueceu” (pretérito perfeito do indicativo) não nos faz pensar que esta ação ocorreria no mesmo nível temporal das demais ações do período. Assim, a mudança do pretérito mais-que-perfeito do indicativo (esquecera) pelo pretérito perfeito do indicativo (“esqueceu”) não prejudica o texto.

Mas a banca colocou essa afirmação como errada, pois deu como gabarito a alternativa (C).

E foi aí que o gerente começou a achar que tinha perdido hóspedes importantes – os mais importantes já chegados a Belém de Nazaré.

A locução verbal “tinha perdido” encontra-se no pretérito mais-que-perfeito composto e pode ser substituído pelo seu tempo simples “esquecera” sem prejuízo gramatical ou de sentido.

Assim, o ideal seria a alternativa (E) como a correta.

Vamos a um texto simples e rápido para o recurso:

Senhor Examinador,

Em relação à questão 5 da prova de Agente Administrativo, pede-se considerar o que se expõe abaixo:

No fragmento “O homem disse que não tinha, na pressa da viagem esquecera-os.”, o verbo “esquecera” encontra-se no tempo pretérito mais-que-perfeito do indicativo, tempo que normalmente usamos para destacar uma ação anterior a outra também no passado. Mas esse tempo não é obrigatório, isto é, o fato de usarmos o verbo “esqueceu” (pretérito perfeito do indicativo) não nos faz pensar que esta ação ocorreria no mesmo nível temporal das demais ações do período. Assim, a mudança do pretérito mais-que-perfeito do indicativo (esquecera) pelo pretérito perfeito do indicativo (“esqueceu”) não prejudica o texto.

Com base nesse argumento, pede-se a mudança do gabarito da alternativa (C) para (E), pois todas as trocas verbais estão corretas.

Bom, meus amigos, espero que a banca do MPRS considere esse argumento, pois não podemos, de maneira alguma, obrigar o emprego do pretérito mais-que-perfeito. Esse também é o entendimento de bancas renomadas, como FCC, CESPE, ESAF, dentre outras.

Mas, como sabemos, cabe à ser ponderável na análise, pois ela é soberana na decisão.

Espero ter ajudado!

Se houver alguma dúvida nesta prova, basta enviar um e-mail para [email protected]

Grande abraço a todos!

Décio Terror

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja os comentários
  • Nenhum comentário enviado.