ENTREVISTA: Thales Wottrich - Aprovado no concurso TRF 4 em 8º lugar para Técnico Judiciário na região do Vale do Itajaí/SC

Entrevista:

ENTREVISTA: Thales Wottrich – Aprovado no concurso TRF 4 em 8º lugar para Técnico Judiciário na região do Vale do Itajaí/SC

“Treine duro – se o treino é duro, o combate é fácil -, mantenha-se disciplinado, tenha fé em Deus e trabalhe suas emoções. O mais legal da preparação é que o resultado depende basicamente de você, do seu esforço e persistência. Tenha em mente que a dor é temporária, mas a recompensa é para sempre!”

Confira nossa entrevista com Thales Wottrich, aprovado no concurso do Tribunal Regional Federal da 4º região em 8º lugar para Técnico Judiciário na região do Vale do Itajaí/SC:

Estratégia: Conte-nos um pouco sobre você, para que nossos leitores possam te conhecer melhor. Você é formado em que área? Qual sua idade? De onde você é?

Thales Wottrich: Sou formado em Administração pela Universidade Regional de Blumenau (FURB). Tenho 30 anos e sou natural de São Luiz Gonzaga – RS. Atualmente moro em Blumenau – SC.

Estratégia: O que te levou a tomar a decisão de começar a estudar para concursos?

Thales: Tomei essa decisão no último ano da faculdade. Levei em conta fatores como remuneração e qualidade de vida. Além disso, sabia que o resultado dependeria apenas do meu próprio esforço.

Estratégia: Durante sua caminhada como concurseiro, você trabalhava e estudava (como conciliava trabalho e estudos?), ou se dedicava inteiramente aos estudos para concurso?

Thales: Trabalhei na iniciativa privada durante toda a faculdade. Era uma boa empresa, bastante reconhecida. Entretanto, resolvi sair do emprego para me dedicar exclusivamente aos estudos de modo a acelerar o processo. Comecei a estudar para concursos em fevereiro de 2018, após concluir a graduação.

Estratégia: Quantos e em quais concursos já foi aprovado? Qual o último? Em qual cargo e em que colocação?

Thales: Até o momento, fui aprovado em 3 concursos, nessa ordem:

17.º lugar no Tribunal de Contas do RS – Auditor Público Externo especialidade Administração (2018)

17.º lugar no Ministério Público da União no estado do RS – Técnico do MPU especialidade Administração (2018)

8.º lugar no TRF4 – Técnico Judiciário área administrativa Microrregião do Vale do Itajaí (2019)

Estratégia: Qual foi sua sensação ao ver seu nome na lista dos aprovados/classificados?

Thales: Foi um misto de alegria e alívio. Significa que o trabalho está sendo bem feito. Deu uma motivação a mais para seguir estudando – só vou parar quando ocorrer a nomeação no cargo pretendido.

Estratégia: Como era sua vida social durante a preparação para concursos? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social?

Thales: A vida social ficou um pouco reduzida. Muitas vezes é necessário saber dizer não. Tentei equilibrar estudo e lazer. Saía eventualmente com a família ou com os amigos.

Estratégia: Você é casado? Tem filhos? Namora? Mora com seus pais? Sua família entendeu e apoiou sua caminhada como concurseiro? Se sim, de que forma?

Thales: Moro com minha namorada, Tamara. Ela me deu total apoio. Sempre pude contar também com a ajuda de meus pais e irmãos. Eles têm sido muito importantes durante essa jornada.

Estratégia: Você acha que vale a pena fazer outros concursos, com foco diferente daquele concurso que é realmente seu objetivo maior?

Thales: Aí reside uma grande pegadinha. Há diversas áreas de concursos (tribunais, controle, policial, fiscal, jurídica, etc), cada qual com disciplinas específicas e peculiaridades. Não é possível “abraçar o mundo” e estudar para todas ao mesmo tempo. De início, o que eu indico é escolher uma área e se tornar um especialista nela.  Depois que o aluno já estiver em um nível avançado, com as disciplinas básicas dominadas, daí é possível reavaliar, dependendo do número de matérias novas a estudar. 

Se houver 2 concursos diferentes com edital na praça, não tente estudar para eles ao mesmo tempo. Ter foco é fundamental. Faça um de cada vez.

Sobre fazer provas apenas como treino, acho interessante ter essa experiência para criar “casca”. Há adversidades que a gente só vivencia na prática, como viagens, nervosismo, percurso até o local, iluminação ruim na sala, carteira desconfortável (fiz a prova do TCE – RS em uma sala da primeira série do ensino fundamental rsrsrs).

Estratégia: Você estudou por quanto tempo direcionado ao concurso que foi aprovado?

Thales: Para esse concurso estudei no pós-edital, durante 60 dias. Deu certo porque eu já tinha uma boa bagagem e dominava as matérias básicas, que ficaram no modo revisão via questões.  Comecei do zero os direitos Processual Penal, Tributário, Previdenciário e parte do Processual Civil

Estratégia: Chegou a estudar sem ter edital na praça? Durante esse tempo, como você fazia para manter a disciplina nos estudos?

Thales: Antes do TRF 4, fiquei estudando 6 meses sem ter um edital na praça. Vi esse período como uma oportunidade de me aprofundar em algumas matérias. O que me ajudava a manter a disciplina era traduzir a preparação em dados. Sempre controlei meu estudo por planilhas: horas líquidas, número de questões resolvidas, percentual de acertos por matéria e por aula, número de PDFs lidos na semana, etc. Assim, eu cuidava para manter a qualidade do estudo e ao mesmo tempo ir avançando nas disciplinas. Esse feedback dos números me deu tranquilidade e reforçou o pensamento de dever cumprido.

Estratégia: Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um?

Thales: 90% da preparação via PDF e questões. 10% por videoaulas.

Acredito que o material escrito em PDF tem o melhor custo-benefício. Se eu não tivesse utilizado o PDF, não haveria tempo de aprender as disciplinas novas no pós-edital. Percebi que esse é o método mais utilizado pelos aprovados nos concursos mais concorridos do país. A desvantagem do PDF é o cansaço no início: até criar o hábito de leitura leva certo tempo.

As videoaulas são úteis em momentos de dificuldade, já que o professor explica de forma mais mastigada. O ideal é deixar apenas para esses pontos específicos, pois elas demandam bastante tempo.

Também assinei um site de questões para treinar as matérias que já estavam em nível avançado.

Estrat

Estratégia: Como conheceu o Estratégia Concursos?

 Thales: Conheci via pesquisa na internet.  Vi que o Estratégia tem um grande número de candidatos aprovados em certames de alto nível.

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todo o concursando é a quantidade de assuntos que devem ser memorizados. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e releitura da teoria? Como montou seu plano de estudos? Quantas horas por dia costumava estudar?

Thales: Costumava estudar de 35 a 40h líquidas por semana, de 4 a 5 matérias por dia (entre 1h e 1h30 por matéria)

Dividi o estudo em fases:

Fase 1: leitura do PDF e resolução de questões de fixação do fim da aula

Fase 2: revisões (24h, 7 dias ou via questões)

Fase 3: após finalizar a matéria, resolver questões no site

Ou seja, no começo há mais leitura; na fase final, mais questões. Nas 3 semanas que antecedem a prova, priorizei revisão, questões e lei seca.

Estratégia: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar estas dificuldades?

Thales: Tive dificuldade em Processual Penal, Processual Civil e Tributário. Dediquei uma carga horária maior a essas matérias e procurei revisar várias vezes para absorver. Quando alguns pontos do conteúdo não faziam lógica pra mim, não teve outro jeito, tive que simplesmente memorizar.

Estratégia: A reta final é sempre um período estressante. Como foi sua rotina de estudos na semana que antecedeu a prova? E véspera de prova: foi dia de descanso ou dia de estudo?

Thales: Cada candidato faz de um jeito na reta final. Eu procuro reduzir o ritmo. Foco em revisões e leitura da lei. Nessa fase, o mais importante, ao meu ver, é trabalhar a mente para conter a ansiedade e chegar mais tranquilo no dia da prova. Procuro tirar o peso da prova, agir como se estivesse indo fazer uma bateria de questões. Penso nos meus sonhos e como foi a caminhada até ali. É hora de confiar no trabalho feito ao longo dos meses.

Estratégia: No seu concurso, tivemos, além das provas objetivas, as provas discursivas. Como foi seu estudo para esta importante parte do certame? O que você aconselha?

Thales: Aconselho a não negligenciar a discursiva. Me preparei como se fosse uma disciplina regular. Estudei teoria da redação, estrutura, conteúdo – já que o tema era filosófico – e pratiquei a escrita. Com o tempo vamos perdendo o hábito de escrever manuscrito, então é importante treinar caligrafia, rasuras, margens, tudo isso com tempo cronometrado. Além disso, submeti alguns textos à correção especializada de um professor, com enfoque na banca FCC.

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Thales: ERROS – Foram vários erros, vou citar um que é muito comum: no começo da preparação, eu assistia a todos os vídeos, de todas as matérias, e anotava tudo o que o professor falava. Fiz isso durante 2 meses, até perceber que a evolução estava muito lenta .

ACERTOS – entre os acertos, os maiores foram:

  1. Buscar bons materiais e boas técnicas de estudo. Um material de boa qualidade é um investimento e não um custo;
  2. O fato de aprender com meus erros e rapidamente corrigi-los;
  3. Manter a disciplina no dia a dia de estudos.

Estratégia: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação? Chegou a pensar, por algum momento, em desistir? Se sim, como fez para seguir em frente? Qual foi sua principal motivação?

Thales: A preparação para concursos é cheia de altos e baixos. É um erro pensar que os aprovados não passam por momentos de dificuldade. Eu mesmo pensei algumas vezes em desistir. Mas dizia para mim mesmo que era apenas um dia ruim e seguia em frente, um dia de cada vez.

O mais difícil para mim foi conter a ansiedade e aceitar que as coisas não acontecem no nosso tempo, mas no tempo de Deus.

Minha principal motivação é melhorar de vida, ter segurança financeira, poder contribuir como servidor e ainda ter tempo para aproveitar os momentos de lazer com minha família.

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para concurso? Deixe sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Thales: A forma de estudar para concursos está cada vez mais profissional.  Fazendo uma analogia, você está indo para a “guerra”, então escolha boas ferramentas (materiais e técnicas de estudo) e conheça bem o seu inimigo (a banca). Treine duro – se o treino é duro, o combate é fácil -, mantenha-se disciplinado, tenha fé em Deus e trabalhe suas emoções. O mais legal da preparação é que o resultado depende basicamente de você, do seu esforço e persistência. Tenha em mente que a dor é temporária, mas a recompensa é para sempre!

Confira outras entrevistas em:

Depoimentos de Aprovados

Cursos Online para Concursos

Foi aprovado e deseja dividir com a gente e com outros concurseiros como foi sua trajetória até a aprovação?! Mande um e-mail para: [email protected]

Abraços,

Thaís Mendes

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Resultados:

  • TRF 4a Região - 2019 14 alunos do Estratégia ficaram em 1º lugar, em suas respectivas regiões
  • Tribunal de Justiça-PR 2019 Dos 10 primeiros colocados, 7 foram nossos alunos
  • Agente da Polícia Federal 2018 Dos 180 aprovados, 113 foram nossos alunos
  • Concurso PGE - SP Procurador do Estado Dos 208 aprovados, 134 são nossos alunos
  • Concurso CLDF Procurador Legislativo Dos 31 aprovados, 24 são nossos alunos

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.

Estamos aqui para ajudar você!
x