Artigo

Curso de Auditoria para a Receita Federal e Questões para o TCU

 Olá, pessoal.

Esse texto tem dois objetivos. O primeiro, responder a uma série de emails que temos recebido (eu e o site) sobre o Curso de Auditoria para a Receita Federal. O segundo é a resolução de três questões do CESPE, do concurso do MPU/2010, para o cargo de Analista de Controle Interno. Matéria atual, constante do edital do TCU, abordada em nossas aulas.

Quanto ao Curso de Auditoria para a Receita Federal, nossa aula demonstrativa será lançada até, no máximo, dia 06 de outubro. No máximo.

Isso porque tenho alguns compromissos nessa semana e na próxima, inclusive aulas presenciais no Rio, e me comprometer a lançar nosso curso antes me deixaria na correria. Em geral, os Professores estão envolvidos em vários projetos ao mesmo tempo, e cada um deles exige um trabalho bastante árduo, porque cada um de vocês merece sempre o melhor. Por favor, aguardem mais um pouco, que não vão se arrepender da espera.

O segundo assunto é um pouco mais imediato: a resolução das três questões do CESPE. Resolvam com calma, como se fosse no dia da prova.

(MPU/Analista de CI/2010/CESPE) Com relação a auditoria governamental, julgue os itens que se seguem.

125 Na fase de execução da auditoria, o auditor deve elaborar o plano de trabalho considerando os objetivos do exame, o universo a ser examinado, o alcance dos procedimentos de auditoria, as técnicas apropriadas e a quantidade de profissionais necessária à conclusão dos trabalhos.

Resolução:
Questão bastante simples, se resolvida com atenção. Realmente, na elaboração do plano de trabalho devem ser considerados os aspectos citados no enunciado: objetivos do exame, universo a ser examinado, alcance dos procedimentos de auditoria, técnicas apropriadas e quantidade de profissionais necessária à conclusão dos trabalhos.
Entretanto, o plano de trabalho será elaborado na fase de planejamento da auditoria, e não na execução. Como disse, simples para quem leu com calma.
Como visto na aula 5: “deve ser desenvolvido e documentado um plano para cada trabalho de auditoria, que evidenciará o objetivo, o escopo, o prazo e a alocação de recursos”.
Gabarito: ERRADO.

126 Os papéis de trabalho são elaborados durante a execução dos trabalhos de auditoria. Na fase preliminar da auditoria, não é necessária a elaboração de papéis de trabalho de planejamento.

Resolução:
Essa questão foi considerada bastante fácil. Consideram-se papéis de trabalho aqueles preparados pelo auditor, pelo auditado ou por terceiros, tais como, planilhas, formulários, questionários preenchidos, fotografias, arquivos de dados, de vídeo ou de áudio, ofícios, memorandos, portarias, documentos originais ou cópias de contratos ou de termos de convênios, confirmações externas, programas de auditoria e registros de sua execução em qualquer meio, físico ou eletrônico, como matrizes de planejamento, de achados e de responsabilização.
Ou seja, constituem a documentação que evidencia todo o trabalho desenvolvido pelo auditor, inclusive na fase de planejamento.
Gabarito: ERRADO.

127 Evidências representam o conjunto de fatos comprovados, suficientes, competentes e pertinentes, que fundamentam a opinião do auditor, obtidos durante os trabalhos de auditoria por meio de testes adequados às circunstâncias.

Resolução:
O Manual de Auditoria Operacional do TCU descreve as evidências como sendo informações obtidas durante a auditoria e usadas para fundamentar os achados. O conjunto de achados, por sua vez, irá respaldar as conclusões do trabalho.
São atributos das evidências:
a) validade (comprovados) – a evidência deve ser legítima, ou seja, baseada em informações precisas e confiáveis;
b) confiabilidade (competentes) – garantia de que serão obtidos os mesmos resultados se a auditoria for repetida. Para obter evidências confiáveis, é importante considerar que: é conveniente usar diferentes fontes; é interessante usar diferentes abordagens; fontes externas, em geral, são mais confiáveis que internas; evidências documentais são mais confiáveis que orais; evidências obtidas por observação direta ou análise são mais confiáveis que aquelas obtidas indiretamente;
c) relevância (pertinentes) – a evidência é relevante se for relacionada, de forma clara e lógica, aos critérios e objetivos da auditoria;
d) suficiência – a quantidade e qualidade das evidências obtidas devem persuadir o leitor de que os achados, conclusões, recomendações e determinações da auditoria estão bem fundamentados.
Po fim, como vimos na aula 5, por meio dos testes, o auditor é capaz de obter as evidências indispensáveis à formação de sua opinião.
Gabarito: CERTO.

Separei essas questões por serem bastante simples, já que a prova está muito próxima, e não vale a pena ficar quebrando a cabeça com questões muito complicadas a essa altura.

Qualquer dúvida, inclusive sobre outros assuntos de Auditoria, é só mandar uma mensagem para [email protected]

Até a próxima. Abraço.

Claudenir

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja os comentários
  • Nenhum comentário enviado.