Concursos Públicos

Competência Tributária dos Entes Federativos

Olá pessoal! O presente artigo aborda um assunto importante e muito cobrado em provas de concurso público: a competência tributária, concedida pela Constituição Federal de 1988, aos entes federativos. 

Competência Tributária dos Entes Federativos

Vamos passar basicamente pelos seguintes tópicos: 

  • Relembrar o que diz a Constituição Federal;
  • Conhecer a competência tributária de cada ente federativo;
  • Entender algumas observações pertinentes sobre o assunto.

Constituição Federal e Atribuição da Competência Tributária

A Constituição Federal (CF), é a Lei Maior da República Federativa do Brasil. Foi estabelecida em 1988 após anos de repressão com a ditadura militar, determinando assim o retorno ao regime democrático em nosso país. 

Na Carta Magna constam normas (regras e princípios) a serem observados por todos os entes, físicos ou jurídicos, públicos ou privados, existentes no território brasileiro. Diversos temas são abordados e regidos na CF, dentre os quais podemos citar a distribuição da competência tributária para União, Estados, Distrito Federal e Municípios. 

Competência Tributária nada mais é que a autorização, dada pela CF, para que um ente federativo possa criar um tributo. O que a CF faz é autorizar a criação, mas ela não cria o tributo em si. Para que o tributo seja de fato instituído, o ente federativo precisa elaborar, promulgar e publicar uma lei, e é através desta lei que o tributo é criado. Então, a CF define a competência tributária constitucional para a criação de tributos, porém apenas com uma lei elaborada pelo ente federativo, exercendo a competência que lhe foi atribuída ela CF, é que o tributo passa concretamente a existir. 

Importante ressaltar que a concretização do poder de instituir tributo dado pela CF é uma faculdade para os entes federativos, ou seja, o ente não é obrigado a criar o tributo que a CF permitiu, é uma opção, que o ente decide exercer ou não de acordo com seus critérios de conveniência e oportunidade. Entretanto, se o tributo for criado, a sua cobrança para a ser vinculada, quer dizer, obrigatória, o ente não pode deixar de cobrar um tributo que já se encontra instituído. Logo, a faculdade está na criação, mas quando criado, a cobrança passa a ser uma obrigação do ente. 

Passada essa pequena introdução, iremos a partir de agora nos aprofundar um pouco mais sobre a competência tributária dos entes federativos nos termos da CF. 

Competência Tributária dos Entes Federativos

Antes de verificarmos como a CF define a competência tributária para os entes federativos, é relevante lembrar que tributo é um gênero que se divide em 5 espécies: impostos, taxas, contribuições de melhoria, empréstimos compulsórios e contribuições especiais. 

Em consonância com a CF, passemos a analisar a seguir como está distribuída a competência tributária referente aos impostos, que é uma das espécies de tributos: 

Art. 153. Compete à União instituir impostos sobre:  

I – importação de produtos estrangeiros;  

II – exportação, para o exterior, de produtos nacionais ou nacionalizados;  

III – renda e proventos de qualquer natureza;  

IV – produtos industrializados;   

V – operações de crédito, câmbio e seguro, ou relativas a títulos ou valores mobiliários;   

VI – propriedade territorial rural;   

VII – grandes fortunas, nos termos de lei complementar.   

Seguindo sobre a análise da competência tributária, vejamos os artigos 155 e 156 da CF:

Art. 155. Compete aos Estados e ao Distrito Federal instituir impostos sobre:   

I – transmissão causa mortis e doação, de quaisquer bens ou direitos;   

II – operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicação, ainda que as operações e as prestações se iniciem no exterior;   

III – propriedade de veículos automotores.   

Art. 156. Compete aos Municípios instituir impostos sobre:  

I – propriedade predial e territorial urbana; 

II – transmissão “inter vivos”, a qualquer título, por ato oneroso, de bens imóveis, por natureza ou acessão física, e de direitos reais sobre imóveis, exceto os de garantia, bem como cessão de direitos a sua aquisição; 

III – serviços de qualquer natureza, não compreendidos no art. 155, II, definidos em lei complementar.  

Conveniente frisar que o exercício da competência tributária na criação desses impostos pode se dar por meio de lei ordinária, sempre do próprio ente federativo. 

Sobre as espécies taxas e contribuições de melhoria, a CF estabelece que todos os entes possuem o direito e a competência de crias esses dois tributos, já que se trata de exações que dependem de uma prestação específica por parte do Estado. Sendo assim, essa é uma competência tributária atribuída igualmente para todos os entes federativos, sem hierarquia. 

Por fim, em relação às contribuições especiais e aos empréstimos compulsórios, são de competência privativa da União a sua criação, até por conta das peculiaridades desses dois tipos de tributos. Inclusive, no caso de empréstimos compulsórios, a CF exige que seja criado por meio de lei complementar, que determinará também a forma e o prazo de devolução dos valores que foram contraídos compulsoriamente dos contribuintes pela União. 

Passamos, portanto, pela competência tributária atribuída pela CF à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios. 

Considerações Finais

Chegamos ao final do nosso breve artigo sobre competência tributária segundo a CF, e esperamos que seja muito útil para a sua preparação e aprovação. 

Lembre-se que é essencial a leitura dos PDF’s e a revisão frequente dos conteúdos, para que assim os seus estudos fiquem cada vez mais avançados.  

Um grande abraço e até mais! 

Quer saber quais serão os próximos concursos? 

Confira nossos artigos! 

Concursos abertos 

Concursos 2024 

Fábio Prado dos Santos Santana

Posts recentes

Inscrições do concurso ADEMA SE prorrogadas até 31/05!

Atenção, corujas: as inscrições do primeiro concurso ADEMA SE (Administração Estadual do Meio Ambiente de…

3 horas atrás

Concurso ADEMA SE: inscreva-se para 55 vagas!

Vagas para Analista e Técnico! O Governo do Sergipe lançou o edital do primeiro concurso…

3 horas atrás

Edital ADEMA SE: inscreva-se para 55 vagas; até R$ 4,9 mil

Está na praça o edital do primeiro concurso público da Administração Estadual do Meio Ambiente…

3 horas atrás

Categoria ambiental em greve; é exigido reajuste salarial!

A categoria ambiental do quadro federal ainda segue em greve, e é exigido diversas mudanças,…

5 horas atrás

Concurso Badesul: validade é prorrogada por mais dois anos!

Foi publicado a prorrogação da validade do oncurso Badesul (Desenvolvimento S.A. - Agência de Fomento/RS)…

6 horas atrás

Concurso Bacen: quando sairá a nova data das provas?

São 100 vagas com salário inicial de R$ 20,9 mil! Os candidatos inscritos no concurso…

6 horas atrás