Artigo

O que é Transitividade Verbal? Verbo Transitivo Direto, Indireto, Intransitivo

Aprenda neste artigo o que é transitividade verbal. Conheça também os verbos transitivos diretos, os verbos transitivos indiretos e os verbos intransitivos.

O que é Transitividade Verbal? Verbo Transitivo Direto, Indireto, Intransitivo
O que é Transitividade Verbal? Verbo Transitivo Direto, Indireto, Intransitivo

Apesar de ser um tema que assusta grande parte dos usuários da língua portuguesa, iremos ver logo mais que não há o que temer.

Como o nosso papel aqui é descomplicar a sua vida, preparamos um importante artigo sobre os conceitos de transitividade verbal, bem como dos verbos transitivos diretos e indiretos e os intransitivos, juntamente com bastantes exemplos, para facilitar o seu entendimento.

Sem mais delongas, vamos lá!

O que é transitividade verbal?

A transitividade verbal está relacionada à necessidade de o verbo precisar ou não de um complemento.

Nesse sentido, os verbos podem ser transitivos ou intransitivos.

Adiantando o que veremos de modo mais detalhado a seguir, os verbos transitivos são aqueles que precisam de complemento para ter sentido completo. Os verbos transitivos podem ainda ser diretos ou indiretos.

Por sua vez, os verbos intransitivos são aqueles que já possuem seu sentido completo, por si só, não necessitando de complemento verbal.

Vamos analisar agora, de maneira completa, as transitividades verbais.

O que é verbo transitivo?

Como já citado anteriormente, os verbos transitivos são aqueles que necessitam de complemento verbal, de modo a completar o seu sentido.

Vamos a um exemplo:

Minha mãe comprou frutas e verduras.

Perceba acima que o verbo “comprou” precisa de um complemento para possuir sentido completo.

Ora, não seria estranho uma pessoa, sem nenhum contexto, apenas falar “Minha mãe comprou”?

Desse modo, para a frase ter sentido, é necessário que o verbo seja complementado.

Sua mãe comprou o quê?” “Ela comprou frutas e verduras”.

Veja que “frutas e verduras” é o complemento da forma verbal “comprou” na frase acima.

Vamos a outro exemplo:

A minha sogra gosta de mim.

Veja que se a frase fosse apenas “A minha sogra gosta” não haveria muito sentido, não é mesmo? Desse modo, é importante que haja um complemento.

Ela gosta de quem?” “Ela gosta de mim”.

Vejam outros exemplos:

Eu vi a minha namorada ontem.

Meu irmão bateu em seu melhor amigo.

A esses complementos verbais, dá-se o nome de objeto.

Assim, tomando a última frase acima, temos que:

  • Verbo transitivo: bateu
  • Objeto (bateu em quem?): em seu melhor amigo.

Vamos agora a uma parte muito importante.

Como dissemos no começo do artigo, os verbos transitivos podem ser diretos ou indiretos.

  • Os verbos transitivos diretos são aqueles em que o complemento verbal não é regido por preposição.
  • Os verbos transitivos indiretos são aqueles em que o complemento verbal é regido por preposição.

Vamos analisar agora, separadamente, os verbos transitivos diretos e os verbos transitivos indiretos.

O que é verbo transitivo direto?

O verbo transitivo direto é um verbo que precisa de um complemento, e esse complemento não necessita de preposição. Desse modo, nesse caso, tal complemento é chamado de objeto direto.

Nessas situações, o principal artifício para identificar um verbo transitivo direto é a pergunta que se faz ao verbo.

Caso caibam as perguntas “O quê?” ou “Quem?” aos verbos transitivos, eles serão diretos, pois não haverá a necessidade de preposição no seu complemento. Não entendeu ainda? Vamos a alguns exemplos.

Eu comi macarrão.

O verbo é “comi”. Assim, faça a pergunta: “Comeu o quê?”; Perceba que está faltando um complemento, não é? Esse complemento é “macarrão”. Veja que nesse complemento não há preposição. Assim, o verbo “comer” é um verbo transitivo direto; e o seu complemento é um objeto direto.

  • Verbo transitivo direto: comer
  • Objeto direto: macarrão.

Eu beijei meu pai.

Beijou quem?; “meu pai”. Desse modo, note que o complemento para o verbo “beijou” é “meu pai”. Desse modo, como não há a necessidade de preposição, o verbo é transitivo direto, e o objeto (complemento) é direto.

  • Verbo transitivo direto: beijar
  • Objeto direto: meu pai

O que é verbo transitivo indireto?

O verbo transitivo indireto é um verbo que precisa de um complemento, e esse complemento necessita de preposição. Tal complemento é chamado de objetivo indireto.

Nesse sentido, é importante que você saiba que há diversas preposições que podem acompanhar o complemento, como as preposições “de”, “a”, “em”, “para”, “com”, entre outras.

Desse modo, as perguntas que se encaixam nos verbos são: “de quê?”, “de quem?”, “em quê?”, “em quem”, entre outras, a depender da exigência do verbo.

Vamos a alguns exemplos:

O meu pai gosta de cerveja e vinho.

“O meu pai gosta de quê?”; “de cerveja e vinho”. Veja que o complemento do verbo “gostar” é regido pela preposição de”. Assim, o verbo “gostar” é transitivo indireto, e o seu objeto é indireto.

  • Verbo transitivo indireto: gostar
  • Objeto indireto: de cerveja e vinho

Vamos a outro exemplo:

Eu acredito em você.

“Eu acredito em quem?”; “em você”. Perceba que o verbo é transitivo, já que precisa de complemento, e como o complemento é regido por uma preposição, “em“, ele é transitivo indireto.

  • Verbo transitivo indireto: acreditar
  • Objeto indireto: em você.

Veja outros verbos transitivos indiretos aplicados em frases.

Eu penso em você todos os dias.

Ela depende de mim para tudo.

Os filhos devem obedecer aos pais.

O que é verbo transitivo direto e indireto?

Contudo, há também a figura do verbo transitivo direto e indireto, que é aquele verbo que pode possuir os dois tipos de objetos simultaneamente, os objetos direto e indireto, ou seja, possui um complemento não preposicionado e outro preposicionado.

Eu dei a minha camisa ao meu irmão.

Veja que o verbo “dar” aceita objeto direto e indireto, pois “Quem dar, dar algo a alguém”.

Veja as perguntas: “Eu dei o quê?”; “a minha camisa” / A quem?; “ao meu irmão”. Desse modo, o objeto direto é aquele sem preposição “a minha camisa”, e o objeto indireto é aquele com preposição “ao meu irmão”

  • Verbo transitivo direto e indireto: dar
  • Objeto direto: a minha camisa
  • Objeto indireto: ao meu irmão

Veja abaixo outro exemplo:

Eu avisei o meu irmão da chuva.

Veja que “Quem avisa, avisa alguém de alguma coisa” ou “Avisa algo a alguém”.

Assim, no caso acima, “Eu avisei quem?”; “o meu irmão” / “De quê?; da chuva”.

Assim, o objeto direto é “o meu irmão” e o objeto indireto é “da chuva”.

  • Verbo transitivo direto e indireto: avisar
  • Objeto direto: o meu irmão
  • Objeto indireto: da chuva

Abaixo podemos conferir outras frases com verbos transitivos diretos e indiretos:

Eu enviei flores ao defunto.

Eu dedico essa homenagem ao meu namorado.

Eu não irei expor isso à chefia da empresa.

Para finalizar o nosso artigo sobre transitividade verbal, vamos falar agora dos verbos intransitivos.

O que é verbo intransitivo?

O verbo intransitivo, diferentemente do transitivo, é aquele que não precisa de complemento para possuir sentido, ou seja, ele, por si só, já possui sentido completo.

Desse modo, não há objetos direto ou indireto em frases com verbos intransitivos. Não conseguiu pensar em nenhum verbo intransitivo? Então veja abaixo, pois trouxemos alguns exemplos para você.

O meu pai morreu.

Perceba que o verbo “morrer” não precisa de complemento, já que ele possui sentido completo em si próprio.

Porém, veja a frase abaixo:

O meu pai morreu de acidente de carro.

Você pode estar se perguntando: “Mas ‘de acidente de carro’ não é objeto indireto?”

Não, meu caro. Nesse caso, “de acidente de carro” é adjunto adverbial, pois está descrevendo o modo como se deu a morte, não sendo um complemento verbal do verbo “morrer”.

Vamos a outro exemplo:

A vizinha da minha irmã chegou.

Perceba que a frase acima está com sentido completo, não precisando, assim de complemento verbal.

De maneira similar ao exemplo anterior, veja a seguinte frase:

A vizinha da minha irmã chegou ontem à noite.

E aí? “ontem à noite” é objeto direto? Não, meus queridos. Nesse caso, esse termo é também um adjunto adverbial, que indica o momento de chegada da vizinha.

Abaixo podemos conferir outros exemplos de frases com verbos intransitivos:

O meu sobrinho nasceu.

A minha avó materna saiu.

Reginaldo, prefeito da minha cidade, chorou.

Na sua morte, ela não sofreu.

Minha tia caiu.

O bebê dormiu.

Finalizando

Bom, pessoal! Este foi o nosso artigo sobre o que é transitividade verbal.

Procuramos trazer os conceitos de transitividade verbal, dos verbos transitivos diretos e indiretos e os intransitivos, bem como alguns exemplos, com o intuito de facilitar o seu entendimento. Esperamos que tenham gostado.

Este tópico é bastante comum em concursos públicos. Caso queira se preparar para chegar competitivo em qualquer prova, invista nos cursos do Estratégia Concursos. Lá você encontrará aulas completas e detalhadas, com os melhores professores do mercado.

Conheça também o Sistema de Questões do Estratégia. Afinal, a única maneira de consolidar o conteúdo de maneira satisfatória é através da resolução de questões. Lá você encontrará centenas de questões sobre transitividade verbal, com as melhores resoluções dos nossos professores.

Não perca tempo e conheça o Estratégia Concursos.

Bons estudos e até a próxima!

Cursos e Assinaturas

Prepare-se com o melhor material e com quem mais aprova em Concursos Públicos em todo o país!

Concursos abertos

Concursos 2022

Assinatura de Concursos

Assinatura de 1 ano ou 2 anos

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja os comentários
  • Nenhum comentário enviado.