Notícia

Acabou o INSS e os concursos federais estão suspensos. O que fazer?

Olá, pessoal! Agora que o certame do INSS já passou, muitos concurseiros estão preocupados com o futuro do mundo dos concursos, tendo em vista a suspensão dos concursos federais.

É uma preocupação válida, contudo, esta suspensão está longe de ser um motivo para você parar de estudar. É possível também que você esteja convicto de que é necessário continuar, mas você está sem um norte, afinal, os últimos meses foram intensos na preparação para a prova do INSS.

E foi pensando nessa visão de futuro que resolvi escrever esse artigo.

Nesse momento, nós temos 2 grandes grupos de concurseiros:

1 – Concurseiros que estão confiantes com a boa nota obtida
2 – Concurseiros que não foram bem na prova

Vou dividir esse artigo em duas partes, direcionando o que eu penso para cada um desses grupos.

1 – Concurseiros que estão confiantes com a boa nota obtida

vitoria

Aqui, com certeza a euforia e a sensação de dever cumprido estão grandes. Contudo, fica o alerta (como já dizia Rocky Balboa): Só acaba quando termina.

Pô, Mário, tá querendo me desanimar?

De jeito nenhum!

Fica aqui o primeiro conselho: estude até o dia do resultado oficial como uma forma de “seguro”. Quando nós contratamos um seguro (de carro, por exemplo), nosso objetivo é “pagar para não usar”, afinal, tenho certeza que ninguém quer bater o carro só para utilizar o seguro, rs.

É esse o estudo que você deve conduzir até o dia do resultado. Claro que você não precisa seguir uma rotina tão intensa quanto a que você vinha seguindo até então, mas uma carga horária de “manutenção do conteúdo” é altamente recomendável. Em janeiro de 2007 eu fiz a prova de Técnico Judiciário do TRE/RJ. Estava muito confiante com meu resultado, pois a nota estava alta, assim como minha posição nos rankings disponíveis na internet. Mas o resultado oficial sairia apenas em abril de 2007. Não tive dúvida: fiz o meu “seguro” e continuei estudando, afinal, o conhecimento que eu tinha à época fora conquistado a duras penas. Eu não ia arriscar regredir nos estudos, caso acontecesse algum fato inesperado (a nota não ser suficiente, a nomeação atrasar, o órgão não chamar nenhum aprovado…).

Saiu o resultado! Passei! E agora?

Comemore. Bastante. É hora de colher os frutos da vitória. Descanse um pouco também, pois o ritmo de estudos de quem passa em concurso é sempre extenuante e intenso.

E aqui vem o segundo conselho: nunca deixe de sonhar. Você é capaz de atingir conquistas e resultados que nem imagina. Uma das coisas que diferencia pessoas altamente realizadas daquelas que simplesmente “vivem um dia após o outro” é a busca por novos sonhos e conquistas. De nada adianta você ser aprovado em um concurso, conquistar um novo emprego e um novo salário, e não ter novos sonhos para seguir em frente.

E quando eu falo em sonhos, pode ser qualquer coisa: constituir uma família, crescer na nova profissão, dedicar-se a uma atividade ou hobby, estudar para um novo concurso, e por aí vai.

Quando passei para Técnico Judiciário do TRE/RJ (2007), o meu novo objetivo passou a ser a aprovação no concurso de Auditor-Fiscal da Receita Federal. E eu sabia que era uma nova jornada, longa, com novos desafios e dificuldades. O que eu fiz? Descansei por uns meses e iniciei a busca por um novo objetivo (que hoje virou realidade :)): ser Auditor-Fiscal da Receita Federal. E se você está com esse pensamento também, mas está preocupado com a suspensão dos concursos, recomendo que você leia também o item 2 do artigo.

Ah, vale lembrar que esses meses de descanso (foram uns 4 meses) tiveram um papel muito importante, pois eu vinha de uma rotina de estudos muito pesada para o TRE/RJ. E mais: quando voltei para os estudos (agora com foco na Receita Federal, é óbvio que eu não voltei com aquela intensidade do pós-edital do TRE/RJ, foi uma rotina mais light, com descansos semanais e menor carga horária. Com o passar do tempo e o aproximar do concurso da Receita Federal eu fui apertando o ritmo.

2 – Concurseiros que não foram bem na prova

tired

Agora, se você está nesse grupo, deixo aqui minha primeira palavra de incentivo: levante a cabeça!

Pode ser que o teu resultado não tenha correspondido às tuas expectativas, levando em conta o estudo que você fez até aqui. Contudo, você teve a coragem de lutar (ainda que você não tenha lutado com a intensidade que poderia/gostaria). Essa atitude, por si só, já é digna de reconhecimento. O grande segredo do sucesso está na perseverança.

O sucesso inspira, por outro lado, a derrota traz importantes ensinamentos.

Como assim, Mário?

O seu desempenho insuficiente (para aprovação) no INSS vai te mostrar exatamente onde estão seus pontos fortes e fracos. A experiência no dia prova aponta com clareza se você está com um bom ritmo de resolução de exercícios. O nível de cumprimento do seu planejamento feito para o INSS vai mostrar como está a sua real disponibilidade de tempo para estudo e por aí vai.

E tudo isso só foi possível porque você teve a coragem de disputar o concurso do INSS. Agora é o momento ideal para tirar proveito dessa experiência, com vistas a elaborar um novo projeto rumo à aprovação em um cargo público do teu interesse.

Vou detalhar, a partir de agora, um passo a passo que visa extrair todas essas informações tão relevantes no pós prova do INSS.

 

Passo nº1: Confira seu gabarito, mas leia as “entrelinhas”.

Mário, que história é essa de entrelinhas? rsrs

Vamos lá.

Não basta conferir o gabarito e ver que acertou 60% líquido, por exemplo. É preciso fazer uma análise mais cuidadosa.

Como foi desempenho em cada disciplina? Talvez você esteja com 60% líquido no geral, mas se Português fechou com 90%, certamente essa matéria não foi um problema para você. Se Direito Administrativo ficou em 40% líquido, está bem claro que essa disciplina precisa de uma carga horária muito elevada no seu próximo planejamento de estudos (falaremos sobre planejamento em um passo mais adiante).

Caso tenha alguma matéria que você leu todo o conteúdo do INSS e, mesmo assim, o desempenho na prova não foi bom, acredite: você precisa reestudar essa disciplina (como é o caso do Direito Administrativo no parágrafo anterior).

E não apenas olhar o desempenho em cada disciplina, mas também olhar quais tópicos foram objeto de erro (ou desconhecimento, que você deixou em branco) nas questões. Após esse levantamento, você poderá direcionar o teu estudo de forma mais precisa, atacando os pontos que você realmente necessita de um reforço.

 

Passo nº2: Análise do tempo de prova

time

Se você fez a prova do INSS e não foi bem, saiba que foi um verdadeiro “simulado de luxo”, afinal, você foi a um local de prova, na sua sala os fiscais de prova estavam de olho a todo instante, tempo rigorosamente cronometrado…sem falar na “tensão de prova” que sentimos no dia D. Nenhum simulado é capaz de produzir esse ambiente!

Nesse contexto, é importante que você verifique como ficou a sua gestão do tempo.

Houve alguma disciplina que te consumiu um montante de tempo acima da média?
Sua velocidade para resolução de exercícios está condizente com o tempo de prova?
Ficou apertado para transcrever o gabarito para a folha de respostas?
Aconteceram erros em questões por pura falta de atenção (aquelas questões que a gente sabe o conteúdo, mas acaba errando por ler rápido demais, pressa de acabar por conta do tempo apertado…)?

A resposta para essas perguntas vai te trazer informações importantes para o seu próximo concurso :)

 

Passo nº3: Aprimorar (ou passar a usar) o planejamento de estudos

Percorridos os passos 1 e 2, onde basicamente olhamos para o passado, é chegado o momento de visualizar o futuro. Palavra de ordem: planejamento.

Mas, Mário, os concursos federais estão suspensos, por que eu deveria continuar estudando?

Caso você decida parar de estudar, todo o esforço que você investiu no concurso do INSS será em vão. O conhecimento que você adquiriu, aos poucos, irá sumir. E se você decidir voltar depois de um tempo, o arrependimento será ainda maior, pois na volta você constatará que esqueceu boa parte do que estudou até aqui (o que é absolutamente normal quando ficamos sem estudar / revisar).

Com os concursos federais suspensos, vale lembrar que ainda temos as oportunidades nas esferas estaduais e municipais. Tudo bem, não serão muitas, afinal, os Estados e Municípios também estão sentindo os efeitos da recessão econômica.

Além disso, na esmagadora maioria dos casos, os aprovados em concursos (principalmente os mais disputados) estudaram durante 1 ano, ou até mais. Você sempre vai encontrar alguém que passou muito rápido ou então que demorou muito, mas essas pessoas são pontos fora da curva. Arrisco dizer que 80% das pessoas que passam em concursos estudaram entre 1 e 2 anos.

E para estudar durante esse tempo, é imprescindível ter um bom planejamento de estudos. Se você já tem um planejamento, utilize as conclusões dos passos 1 e 2 para incrementar a qualidade do seu planejamento atual.

Se você ainda não tem um planejamento, agora é o momento ideal para que você dedique seu tempo nessa missão, pois um bom planejamento irá te proporcionar a segurança e a tranquilidade. É o que eu sempre digo aos meus alunos do Programa de Coaching do Estratégia: sem planejamento não há alto rendimento.

E como você vai fazer o seu planejamento?

Algumas dicas que usamos no planejamento do Programa de Coaching do Estratégia:

– Na hora elaborar seus ciclos de estudo, opte por 2 a 3 matérias por dia, conforme a tua disponibilidade de horário;
– Se for o caso, procure alternar matérias da área de exatas (raciocínio lógico, por exemplo) com matérias onde prepondera a leitura (direitos, por exemplo);
– Tenha metas específicas para cada dia, com planejamentos semanais, preparados mensalmente (para você não ter que planejar toda semana).
– Estabeleça metas em função de horas (exemplo: estudar 90 minutos de direito constitucional) e não em função de assuntos ou aulas;
– Programe revisões periódicas (usando o método da curva do esquecimento, ou seja, revisões em 24h, 7 dias e 30 dias);
– Faça muitos exercícios após a leitura da teoria.
Legal, Mário. Já entendi o que eu preciso fazer para continuar estudando. Mas para qual concurso? O que focar? É possível estudar para mais de um concurso ao mesmo tempo?
Para responder a essas (e outras) perguntas, gostaria de fazer um convite:
Será um evento gratuito, com os professores Ricardo Vale e Heber Carvalho.
Clique AQUI e inscreva-se para o aulão. Será no dia 18/05/16, 18h.
Será uma ótima ocasião para você ficar por dentro de quais oportunidades no mundo dos concursos estão por vir :)
Forte abraço e bons estudos,
PS.: Se você quer saber mais sobre o Programa de Coaching  do Estratégia, mande um email para [email protected] com seu número de telefone e coloque “INSS” no campo assunto. A coordenação tem um convite exclusivo para te fazer :)

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja os comentários
  • Sinceramente este pseudoprofessor caiu ainda mais em meu conceito!
    AFM em 18/05/16 às 23:56
  • Pessoal independente de opção partidaria, vamos respeitar o professor e auditor, nossa que chato isso, este é um local para agregar conhecimento, já chega toda notícia que você vai ler na internet por exemplo Globo, etc, povo discutindo e chorando, enfim lá é o local para choro e negativismo. Aqui muitos tem cultura de berço, busca conhecimento e nao é obrigado a ver choro, “mimimi”, parar com esse negativismo e buscar o positivismo, a paz e a harmonia interior, fatores importantes para que possamos manter o foco e alcançar a tão sonhada efetivação em um cargo publico de alto nível, podemos ver a extinsão de concursos como oportunidade para estudar mais, depois não chegar no dia da prova e outra choradeira porque nao teve tempo para estudar, teve tempo sim! mas em vez de estudar fico chorando em posts de noticias, artigos, etc… se quer chorar a vida inteira, chore, mas respeite as pessoas que aqui estão focadas e aos professores que estão aqui ensinando, ajudando, mostrando o caminho das pedras para o nosso sucesso. Obrigado professor Mario, por tudo e aos demais professores do Estratégia concursos.
    Fernando em 18/05/16 às 11:58
  • Pessoal independente de opção partidaria, vamos respeitar o professor e auditor, nossa que chato isso, este é um local para agregar conhecimento, já chega toda notícia que você vai ler na internet por exemplo Globo, etc, povo discutindo e chorando, enfim lá é o local para choro e negativismo. Aqui muitos tem cultura de berço, busca conhecimento e nao é obrigado a ver choro, "mimimi", parar com esse negativismo e buscar o positivismo, a paz e a harmonia interior, fatores importantes para que possamos manter o foco e alcançar a tão sonhada efetivação em um cargo publico de alto nível, podemos ver a extinsão de concursos como oportunidade para estudar mais, depois não chegar no dia da prova e outra choradeira porque nao teve tempo para estudar, teve tempo sim! mas em vez de estudar fico chorando em posts de noticias, artigos, etc... se quer chorar a vida inteira, chore, mas respeite as pessoas que aqui estão focadas e aos professores que estão aqui ensinando, ajudando, mostrando o caminho das pedras para o nosso sucesso. Obrigado professor Mario, por tudo e aos demais professores do Estratégia concursos.
    Fernando em 18/05/16 às 11:55
  • Podem continuar me censurando, mas a verdade foi dita (e por alguém foi lida): Professor, Mario Machado, seja profissional!! Ficar usando gritinho de torcida organizada é o cúmulo! Ridículo! Parecendo uma criança mimada provocando a outra. Seja adulto, maduro e profissional! Respeitem a opinião alheia!
    Miranda em 18/05/16 às 09:33
  • Professores do Estratégia.... Não liguem para certos comentários. Continuem firmes fazendo o que sabem fazer: transmitir conhecimentos. Tenham a certeza que o pouco que estão fazendo é muito! Afinal, "menos é mais!" Fiz o ultimo concurso do INSS, tirei uma nota razoável, mas não tenho ideia de qual será a colocação local. Mas de qualquer forma estou satisfeito, agradeço primeiramente a Deus. Agradeço a vocês também que dedicaram boa parte do tempo para nos ensinar. Continuarei estudando, e quem sabe, daqui a um tempo estarei ai do outro lado da tela exercendo a mesma função que vocês. Não se desmotivem por falácias sem nexo! Continuem firmes... São poucos os que não reconhecem, e muitos os que confiam. Abraços...
    Willian Vieira de Souza em 17/05/16 às 16:44
  • Nossa! Independentemente posição partidária, estou surpresa com o nível do diálogo do professor. "chora mais", "mimimi". Isso lá é linguagem de um professor/auditor utilizar? Se fosse na sua página pessoal, eu até compreenderia, mas, utilizando-se da ferramenta de trabalho? (Sim, porque esse texto faz parte do trabalho dele como professor/coach) Pior ainda, em um trabalho destinado ao público? Total desrespeito. Existem "n" formas de contra-argumentar sem partir para esses recursos baixos (utilizar coro de torcida partidária, é o fim!) Uma dica para os professores do Estratégia: controlem essas suas emoções!! Vocês trabalham com o público, dependem dele para sobreviver, cativem-no antes que seja tarde. Lamentável esse posicionamento! Quanta imaturidade. Esperava mais.
    Miranda em 17/05/16 às 14:42
  • AFRFBeta, Seu governo amado do PT finalmente acabou! E nos deixou de presente esse país falido cujo rombo nós nem sequer temos idéia. Seu partido suspendeu os concursos e sugeriu cancelar nomeações e aumentos salariais e propor demissões voluntárias. Os próximos semestres de ajuste serão de vacas magras para concurseiros, um urgente desaparelhamento do Estado ocorrerá com muitas tarefas indo parar na iniciativa privada, mas, assim que a economia tiver sua retomada, haverão oportunidades federais selecionadas. E quando a economia for retomada, seu partido não será mais do que uma mera lembrança ruim.
    Bruno em 17/05/16 às 14:23
  • Professor, obrigada pelas palavras. Eu estudei para analista do IBGE e não fui tão bem quanto gostaria. Acho que fiquei entre os 30 primeiros para 2 vagas. Estou nessa fase de descanso e "sem rumo", porém, não desisti. No momento, estou pesquisando sobre tribunais. Sabendo que as circunstâncias não são favoráveis e que a preparação será de longo prazo. Que Deus continue abençoando a vida de cada funcionário do Estratégia e de cada concurseiro! Abraços.
    Tamyres em 17/05/16 às 12:35
  • Professor Mário, obrigada pelas palavras! Eu tive a felicidade de na sexta feira saber que estou isolada em 1º lugar para minha cidade no concurso do IBGE (inclusive fui sua aluna no curso de isolada de conhecimento específico). Estou na ansiedade pelo nome no DOU. Certamente, fui bem mais tranquila para a prova do INSS nesse domingo, fui bem mas não sei se será o suficiente. Mas com o IBGE já estou muito feliz. É um primeiro passo, um porto seguro pq eu vou ser AFT! Sempre foi meu sonho e por isso escolhi a graduação em engenharia e a pós em engenharia de segurança do trabalho. Tenho certeza que o cargo do IBGE vai me dar o suporte financeiro que eu precisava para conseguir realizar meu sonho. Sem dúvidas, seu curso me deu uma base para conseguir ser aprovada no IBGE. Vou continuar estudando, minha jornada só começou! :) Abraços e tudo de bom
    Rayssa em 17/05/16 às 11:35
  • Como já aconteceu em outras oportunidades semelhantes a essa, os concursos irão voltar, assim como 1+1=2. Quando? Não importa. Estudo como se a prova fosse amanhã. Especular é a desculpa dos medrosos e preguiçosos. O futuro repete o passado.
    Jimmy Xavier em 17/05/16 às 11:05
  • Caro AFRFBeta, vc já está chato, repetitivo e incoveniente!!! Seus blablablás e mimimis são dignos de palanques durante as eleições. Ninguém é obrigado a concordar ou discordar de ninguém, e vc bem sabe disso! Guarde suas bem fundamentadas convicções e descarregue-as em lugar adequado, neste canal não, deixe em paz quem tem outros objetivos.Isso é RESPEITO!
    Eliane Santos em 17/05/16 às 11:04
  • Você, Mario Machado, citar os concursos que aconteceram de dez/15 pra cá, pra mim, é um tiro no pé. Como eu disse no comentário anterior, 3 foram os motivos da realização dos concursos: 1) Boom das commodities; 2) Incompetência tecnica; 3) Pressão/lobby no governo Cada um no seu tempo, cada um no seu caso específico. No governo que aí esta não se encontra qualquer dessas caracteristicas. É um governo forte, de corpo altamente qualificado e, sobretudo, arbitrário. Sobre o aumento não há mais o que se falar, pois ontem o ministro da fazenda já disse q não será concretizados os acordos de reajuste firmados sem contrapartida e fonte de receita, o que ele qualificou como "infundados". Sobre a dita "vidência" da minha parte, que, na vdd, foi uma analise bem fundada da situação reconheça vc ou não, é simples e, como já disse, um tanto intrigante, veja: Quando aqui falo com você, me fica a dúvida se estou diante do Mario cidadão em busca do bem comum ou do Mario empresário ambicioso, isto é, me parece haver uma pqna confusão entre o interesse público e o privado. rs Ora, sabemos bem que a infelicidade de uns é a felicidade de outros. Sendo direto, então, digo: com o governo incompetente e inconsequente que tínhamos, além de enfraquecido, essa bonança de concursos de Dezembro/2015 que você mesmo citou provavelmente se repetiria até o fim do mandato dela e é justamente aí que esta ó X da questão que você tem dificuldade em entender. Junto com essa bonança viriam tbm desmandos e mais pataquadas na economia como, por ex divida/pib de 80% até 2018. Mas, como aprendemos hj, a infelicidade de uns é a felicidade de outros e esse caso seria a felicidade de vocês, do Estratégia, e de nós, concurseiros, porque com ela no mandato, trocando os pés pelas mãos, AFRFB, CGU, BACEN, STN, CVM e cia. provavelmente sairiam. -- "Ah, AFRFBeta, mas o nossao 'brézil' estaria aos frangalhos e uma aprovação nesse caso seria uma Vitória de Pirro." Hahaha! Sabemos que não, né, mestre MM?! Somos um país continental, Top Ten na economia mundial e nos recuperaríamos em 2018 quanto esquerda não estivesse ganhando nem eleição de condomínio mais pela situação economica. Então, a direita que esta ai hoje promoveria as reformas que farão agora e acertaria (ou não) do mesmo jeito que estão se propondo a fazer -- com arrocho da CLT e RGPS. Nisso, Mario Machado, o status quo não teria mudado tanto, os concursos sairiam como em dez/2015 e voces teriam vendido bastantes cursos até lá. Mas, não, vocês preferiram fechar a janela com a paixão política de voce, acabar com o poder de barganha q viabiliza os concursos e com ele, tão logo, o negócio de voces. . Bem, agora eu acho que eu fui claro e voce entendeu que o meu partido sou eu, a minha causa e o meu interesse, que, a proposito, é o msm de todos aqui: os concursos de alto nível. Abs.
    AFRFBeta em 17/05/16 às 01:03
  • Fazendo um rápido levantamento (somente na área federal), de dezembro/15 até agora tivemos INSS, IBGE, ANP, ANS, ANAC, FUNAI, ELETROSUL, TRANSPETRO... Realmente, poucos concursos. Mas muito longe do apocalipse que você insiste em defender. "Ah, mas em 2009 isso"..."só aconteceram concursos porque...blablabla". Tudo pra no final tentar validar as suas crenças para o futuro. Se o aumento os AFRFB e/ou outras carreiras não prosperar no Congresso, ainda assim ficarei feliz, pois terei contribuído de forma direta para ajudar a limpar toda a desordem econômica e orçamentária que governo Dilma promoveu com tanto empenho. E se passar, vou ficar mais feliz ainda, pois o salário aumenta, a carreira fica mais atrativa e o Estratégia vai vender mais (olha que absurdo, uma empresa que visa o lucro!) por conta do aumento do interesse das pessoas em fazer o concurso. AFRFBeta, você que é cheio das previsões certeiras para o futuro, poderia deixar 6 números de 0 a 60 aqui pra gente e resolvia o problema do "fim absoluto dos concursos no Brasil". Abs
    Mario Machado em 16/05/16 às 23:52
  • Mário, vamos falar em linguagem clara, CAGA para esse AFRFBeta, só quer encher o saco dos outros. Está claro que o seu post foi para incentivar a galera a continuar, e é o que deve ser feito. Esse cara ao invés de ir se preparar, fica aqui perdendo tempo!
    Paulo em 16/05/16 às 23:47
  • Jogo para o futuro, Mario Machado? A realidade que já está aí é de seca quase total na seara dos concursos e o cenário, com as declarações mais recentes do governo e tbm dos projetos em pauta, tende a piorar. A fonte de custeio do seu concurso de 2009 e tbm de muitos outros foi o boom das commodities -- que não existe mais -- assim como o reajuste discrepante q agora a sua carreira teve aceito, msm com um cenario terrivel, avançou por pura pressão a um governo zumbi q não podia comprar briga com ninguém mais. Sim, o do judiciario não saiu, mas só não saiu pelo porcentual exorbitante q pediam, e o governo pagou o preço do veto tbm. Não mais me estenderei, vou apenas elencar obviedades para que fique registrado e o tempo se encarregue de averbá-las: -- Muitos dos concursos que tivemos de 2008 pra cá, principalmente dps de 2010, só aconteceram porque o governo não era técnico, mas, sim, populista. O governo, incompetente, confiou nas commodities, q é uma fonte de receita volátil e até finita, para custeio de pessoal, q detém de estabilidade. Quer exemplo disso, já que gosta de fatos? RIO DE JANEIRO! Um erro amador que jamais seria cometido por um governo cuja a equipe fosse qualificada, tecnica e não política, que é justamente o que temos hoje, porém, com o acréscimo de uma grave crise economica. Ou seja, se já seria difícil concurso apenas com um governo de visão neoliberal/estado minimo, com a conjugação dos fatores supracitados é IMPOSSÍVEL! -- Agora, o melhor, anote o dia de hoje, o já acertado reajuste dos AFRFB, generosíssimo, vai tomar 'barrigada' no congresso uns 3 meses, enquanto o governo aprova o que ele quer na CLT e na Previdencia. Passado esse tempo e aprovada as leis e EC que o governo quer, eles vão negar o reajuste de voces com toda certeza q ha neste mundo e, ai, vcs podem chiar à vontade. Só não negam agora, pra não ter sindicato forte comprando briga no inicio do governo. Reajuste do judiciario nem falarei pq é até brincadeira. Agora as pautas bombas não interessam mais. O jogo quanto pior melhor acabou. Enfim, vou gostar de ver os próximos hangouts dos AFRFB daqui q fizeram campanha anti-pt quando tiverem o reajuste deixado na saudade. Como disse, o tempo agora se encarregara de averbar todas as obviedades ditas aqui. No mais, sem mais
    AFRFBeta em 16/05/16 às 23:21
  • E mais uma vez você, AFRFBeta, joga a discussão para o futuro. "que a CGU isso"..."as atividades de fiscalização aquilo"..."concursos...blablabla". Argumentos? Nenhum. Em março de 2009 eu estava estudando para a RFB. Nesse mês tudo que era meio de comunicação afirmou que não haveria mais concursos naquele ano etc. O que eu fiz? Continuei estudando. E hoje vejo que foi a decisão mais acertada que tomei. É exatamente isso que compartilho no texto com aqueles ainda desejam estudar para concursos, apesar dos pesares. Tenho certeza que os leitores do artigo vão colocar nas balanças de suas vidas se a decisão mais acertada será continuar nos estudos (ou não), afinal de contas, estudo não enche barriga nem paga as contas de ninguém. Tenho certeza que muitos que falharam no INSS hoje estão com a sensação de que "concurso não é pra mim", o que é uma grande bobagem. Concurso é para qualquer um que esteja disposto a pagar o preço da renúncia de tempo e energia em prol desse projeto. Não sei onde você viu alguma promessa minha no sentido de que vai "chover" concursos. Realmente é digno de nota a preocupação de alguém que resolve frequentar um site de concursos para avisar que, segundo sua visão, o "mundo dos concursos acabou". Quem vê assim presume que você já está se desfazendo do seu material de estudo para concursos e quer levar um pessoal junto. Se você desistiu do seu objetivo, não é demérito para ninguém, cada um sabe onde seu calo aperta. Agora não queira desanimar quem decidiu seguir em frente, em que pese as dificuldades do Brasil. Abs
    Mario Machado em 16/05/16 às 22:33
  • Mario, seu artigo foi legal, mas os comentários deixaram a desejar, vc e o heber estão se mostrando partidários e desrespeitando parte do publico/clientes da Empresa Estratégia. Acho que politica desperta paixões e que é inadequado/inócuo num ambiente como este revidar manifestações contrárias de forma grosseira.
    AFM em 16/05/16 às 22:27
  • Pessoal, cada um tem sua posição, aliás, muitos afirmam que não se devem discutir: política, futebol e religião. Tenho minhas convicções e não sou massa de manobra, mas nem por isso vou desrespeitar a posição dos colegas, busco sempre valorizar o mérito. Vou citar uma frase do grande filósofo contemporâneo Tiririca: "Pior do que está não fica". A situação da nação é crítica e não é de hoje, quem analisa a situação mais perto pode perceber que os fundamentos da economia brasileira estão péssimos, se não fizer o que tem que ser feito não duvido que alcançaremos o fundo do poço, observem a situação atual da Venezuela (a titulo de exemplo). Portanto, não vamos perder o foco, estudar é fundamental. Fiz esse certame do INSS, a minha nota (extraoficial) não foi excelente, mas passando ou não, sigo em frente aos meus objetivos, disso não abro mão. Quanto a situação atual, isso passa, não vamos perder tempo com isso e independentemente de quem esteja no poder se não estudarmos com afinco não alcançaremos nossos objetivos, Fiquem com Deus!
    raiclem em 16/05/16 às 21:38
  • Obrigada Professor pelas palavras de motivação.Seguindo firme estudando agora para ATRFB.
    Maria Eliane Jesus Silva em 16/05/16 às 20:34
  • Mario Machado, curioso eh vc me rotular de "esquerdista" e me chamar de "cara de pau" no msm comentario q afirma ter censurado um colega q o ofendeu. A partir disso, já eh possivel perceber o grau de coerencia dos seus comentarios, mas voltemos ao merito. Pois bem, apos essa consideração inicial, eh bom lembrar tbm q as suas prospecções a respeito dos concursos ficam sob suspeição desde o momento em q vc, como prof, eh parte interessada na realização deles, mas ignoremos isso e vamos aos fatos, q eh o q vc quer: O caso da CGU eh de fato interessante, pois faz os mais atentos perceberem a influencia de um pormenor. A alteração do verbo TER para SER, nesse caso, mudou toda uma conjuntura. No governo anterior, a CGU TINHA um problema (o orçamento) No governo atual, a CGU É um problema! (a fiscalização, sua razão de ser) A UNACON publicou nota clara dizendo sobre a "extinção da CGU e os possiveis graves desdobramentos disso no futuro" Essa nota encontra-se disponivel pra quem quer q acesse seu sitio na internet. Ela esclarece que, com a perda de status de ministerio a CGU, que ainda tinha ligação com a PR, perdeu a prevalencia que possuia sobre os demais, comprometendo, assim, suas atribuições investigativas e corretivas. Ora, Mario Machado, seja franco e diga para seus alunos se ha coerencia em um governo que enfraqueceu um orgão abrir concurso, com ou sem orçamento para tal, visando contratar mais AFC's justamente para as atribuições q ele enfraqueceu. Quanto a privatizar funções tipicas de Estado, sinceramente, eu li e reli meus comentarios aqui e em nenhum deles achei onde eu disse ou inferi isso. Mais uma vez eh vc a querer tirar coelho da cartola pra, talvez por falta de argumento, defender o indefensavel. Não é preciso privatizar função ou orgão para q não seja feito concurso para ele e isso voce vai constatar se vir a periodicidade dos concursos para PC ES -- investigador, por ex. com + de 20 anos sem -- e tbm em varios lugares e orgaos do pais, como SEFAZ-MG, pois esses nao sao exceçao. O governo q ai esta deixa claro a q veio a cada dia q passa. Hoje, por exemplo, foi nomeado para CasaCvil - orgao + relevante no governo -- um advogado do ex-presidente da Camara, e isso se seguue a entrevista q ele concedeu ontem dizendo q o acordo q ele fez com o Presiidente interino será cumprido a despeito do acordo de alguns partidos. Esse msm ex-presidente da Camara eh o msm q indicou F.C para a presidencia da CEF, q hj está preso e o acusa de ter recebido + de 20 milhoes em propina. Tudo isso q eu disse acima, com a devida preservação dos nomes, pode ser consultado em vastas materias na internet nos maiores veiculos de comunicação oficiais e não oficiais. E tudo o que eu disse não foi pra defender o governo A ou B, pq sou da esquerda ou da diagonal. Tudo o que eu disse foi para esclarecer, para os ainda na escuridão da ignorancia, que as atividades publicas de fiscalização no Brasil estão seriamente comprometidas. E tudo o que eu disse pode ser atestado por aqueles que, por apenas algumas horas, abrirem mão de ser o seu modelo de aluno "dedicado" - e cliente perfeito -, para ser o modelo de cidadão informado. No mais, peço desculpas por me estender demais e parecer partidario e inconveniente. Prefiro a inconveniencia a leniencia de permanecer calado vendo aventarem promessas daquilo que é projeto de vida de muitos e que pode causar um imensa frustração da forma como eh dito Repense sua atitude
    AFRFBeta em 16/05/16 às 20:15
  • Muito pertinentes as suas colocações, professor. Quanto à crítica, me pergunto o que alguém que não acredita mais na possibilidade de concursos públicos no Brasil anda fazendo em site de venda de materiais e aulas para concurso. Francamente, está liberado para a procura de vagas na iniciativa privada, que no atual momento deve estar "bombando" após esses anos de governo petista.
    Rê em 16/05/16 às 20:11
  • Parabéns, Professor pelo texto sensato e coerente. Quanto ao "mimimi", não liga não, certamente nem o cidadão do #choramais acredita naquilo que ele mesmo disse.
    Luiz em 16/05/16 às 20:10
  • Parabéns pelo artigo motivacional, eu me identifiquei com o passo dois, e considero que foi justo ao que estudei, nesse ponto cabe a justeza para identificar os pontos fortes e a humildade para os ponto fracos, em pontos fracos além que o professor citou, identifiquei por falta de prática a exaustão, uma grande falha na produtividade na prova, alguns erros, que me policiarei para não cometer mais, como errar ao passar a resposta que tinha como certa para o gabarito, duas questões, perdendo assim quatro ponto por descuido, foi uma decepção, mas um aprendizado, no meu caso mesmo com estes quatro pontos, não brigaria por uma vaga, mas, entendo que é uma falha grave, e que estando em alto nível para brigar por uma vaga, quatro pontos, poderia ser o fator de nomeação ou não, é lógico, que estando em alto nível de produtividade, dificilmente cometeria esta falha de "viajante de primeira viagem".
    Fernando em 16/05/16 às 18:47
  • AFRFBeta, curioso que você fala em "mais do mesmo", "discurso pronto", "bordões" e não apresenta fatos, somente conjecturas. Eu olho para o passado e exponho fatos (que tendem a continuar seguindo o mesmo ciclo). Você simplesmente busca adiar a discussão, apostando no que você acredita que vai acontecer no futuro. Mais uma vez você abusa da cara de pau no seu comentário. O protesto dos servidores da CGU é por conta da modificação do status do órgão, nada tem a ver com a realização de novos concursos (que é o tema central da discussão). Não estou aqui para dar aula de Direito Administrativo para ninguém, mas se a administração do BACEN tem interesse em contratar (e continua tendo, afinal, será apresentado novo pedido de realização de concurso - para inclusão na LOA 2017), por qual razão não nomeou seus excedentes? Simples: não havia recurso disponível. Tudo que falei está disponível nas fontes oficiais, onde você diz buscar suas informações. Vou falar de novo: realização de concursos nada tem a ver com partido político, e sim com disponibilidade de recursos (assim como aumentos salariais para o funcionalismo). Por mais que um partido político seja adepto ao Estado mínimo ele nunca vai poder "privatizar" a justiça, o fisco, a segurança pública, o controle, as agências reguladores e por aí vai. Por fim, se você define como "concurseiro alienado e mal instruído" aquele que, apesar do cenário complicado, não desiste de seus sonhos e continua estudando firme (pois não se passa em um concurso de alto nível do dia para a noite), ignorando convicções políticas, é tudo que desejo aos meus alunos. :) PS.: Censurar é coisa de esquerdista. Só foi apagado um post aqui da página porque o autor só se dedicou a me ofender, e nesses casos eu não vou gastar meu tempo respondendo.
    Mario Machado em 16/05/16 às 18:11
  • Gente, vamos estudar independente de suspensão... Na minha opinião, quanto mais tempo melhor!!!
    Cauê em 16/05/16 às 18:04
  • Mário, qual é o seu palpite para a Receita Federal. Eu já estou estudando parte das específicas. Dado o cenário atual, vale a pena terminar o edital de AF ou pegar matérias de outros concursos que têm maior probabilidade de sair. Esse momento é bem ruim para quem já estava bem preparado....=/
    Ju em 16/05/16 às 17:11
  • AFRFBeta perfeito em suas colocações!
    Rodrigo em 16/05/16 às 17:10
  • Fantástico Mário! olha meu email hein. Jean UNISUL
    Jean em 16/05/16 às 15:18
  • Mário Machado, valeu pelas palavras! Excelente texto! Abraços!
    Willy Maiia em 16/05/16 às 15:00
  • Boa discussão. Aguardemos os próximos capítulos dessa novela.
    Jacqueline Lima em 16/05/16 às 14:19
  • Perfeito texto de incentivo aos concurseiros! Foco naquilo que desejamos é o que é relevante, pois cedo ou tarde os concursos virão! Parabéns, Mário!
    Eliane Santos em 16/05/16 às 13:20
  • Obrigada pela mensagem professor! Fiz a prova do INSS ontem, este foi o meu primeiro concurso e, independente do resultado sinto que estou no caminho certo (graças a Deus e também ao Estratégia Concursos!). Entao, já me sinto feliz por tudo que aprendi até aqui! Muito obrigada! Porém, por precaução já havia decidido me preparar, caso fosse necessário, para o possível concurso INSS 2017, mas agora com a suspensão dos concursos federais... Mario vc acha que este concurso ainda tem chances de ocorrer?? Obrigada! Marcia.
    Marcia Iel em 16/05/16 às 12:09
  • Resumindo: não deem ouvidos para bobagens. Estudem, estudem e estudem. "O Exército pode passar cem anos sem ser usado, mas não pode passar um minuto sem estar preparado". Rui Barbosa
    Resiliência em 16/05/16 às 11:34
  • Bom dia professor, o seu modelo de planejamento para o INSS foi fundamental para iniciar uma "vida digna" de concurseira rs, consegui manter uma rotina com revisões conforme indicava o planejamento, porém estudei apenas 70 dias, por ter sido a minha primeira experiência em prova fiquei satisfeita com meu resultado de iniciante. Entendi que existe uma tríada para o sucesso (1. Estudar teoria ***PDF do Estratégia o melhor***, 2. Revisão esquematizada para mim é a parte mais rsrsrs chata porém indispensável e por fim, 3. Exercícios, exercícios, exercícios principalmente da banca organizadora). vamos que vamos galera rumo ao cargo efetivo ;)
    FABIULA LEBBECK em 16/05/16 às 11:00
  • "Suspensos estavam no governo anterior; neste, estão extintos!" - Certeza, infelizmente.
    Rafaela em 16/05/16 às 10:00
  • Acho engraçado a galera fazendo relação entre PT e concursos públicos. Como o próprio Mário disse, é só olhar pro estado de São Paulo, desde quando lá não tem mais concurso? De 2002 a 2013 o Brasil viveu um altíssimo crescimento econômico e isso exige um crescimento proporcional do Estado. Agora estamos em fortíssima recessão e, por óbvio, não há necessidade de crescimento do número de funcionários públicos. Alias, seria necessária uma diminuição em certos setores, mas isso só pode ser feito mandando embora os apadrinhados comissionados, coisa que não deve acontecer tão cedo (apesar do discurso do novo governo). Os concursos que ocorrerão nos próximos anos serão somente de substituição de mão obra, devido a aposentadorias, morte e pedidos de exoneração. Então, quem não tem outra alternativa, assim como eu, a solução é continuar estudando, pois haverão poucas vagas e a concorrência cada vez mais bem preparada!
    Matheus em 16/05/16 às 09:41
  • Obrigada também pelo texto, Mário!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Ana Nascimento em 16/05/16 às 09:39
  • Obrigada por tudo Mario e toda equipe do Estratégia,fiz o concurso do Inss,não fui tão bem como gostaria pq tive pouco tempo pra estudar e não me preparei o suficiente,mais serviu de lição para um próximo certame.Gostaria de agradecer um por um pq se não fosse por vcs eu não ia nem me mecher naquela prova,muito menos pontuar,rsrsrs,não teve uma questão da prova q não tenha passado por uma aula do Estratégia.Obrigada Mario,Ricardo Valle,Arthur Lima,Victor Dalton,Erick,Décio,Kertzman,o professor de direito administrativo e principalmente ao mestre Ali,olha professor Ali,quando eu crescer quero ser como o Senhor,muito obrigada por todas as aulas,vcs são os melhores.E para os próximos concursos me preparar melhor,continuar o q foi começado,muito obrigada,graças a vcs voltei a ter gosto por estudar.
    Ivy Reis em 16/05/16 às 09:29
  • Excelente post Mário, todos sabemos que a situação atual (digo independente de governo) não é boa para os concurseiros, mas essa é exatamente a hora de afiar a faca para quando as oportunidades surgirem. O concurseiro não pode desanimar nunca em relação ao seu objetivo. Cada tempo que ele tem a mais deve ser bem empregado. As matérias devem estar "no sangue". O que sempre devemos fazer é imaginarmos que todo aquele conteúdo deverá ser usado para a vida e assim internalizarmos mesmo todas as matérias. Vejo o seu post como uma ajuda para os que desanimam nesses períodos de vacas magras. Como um incentivo para os que estão no limbo por aí, perdendo tempo. Quanto aos críticos que vemos por aqui, DESPREZE-OS. Esses só aparecem aqui para fazer badernas, ao invés de estarem correndo atrás!! Ficam perdendo tempo com discursos políticos neste canal, ao invés de estarem fazendo isso pelo facebook. Teve até um que falou de militarismo, mal ele sabe que o que passamos no Colégio Naval e no meu caso Escola Naval, nos tornou cidadãos muito bem preparados moralmente e psicologicamente para exercermos nossas funções.
    Alan em 16/05/16 às 09:27
  • Alguns discursos e críticas aqui expostas parecem ser de sites ou professores da concorrência com materiais ruins, a qual adquiri e que estão perdendo pela qualidade do Estratégia. Se você for comentar para não somar ou desmotivar, por favor, nos de um "ar". Como bem foi dito: "ter algo a que sonhar"! Gosto da ideia do otimismo, do tentar ou fazer algo para evoluir, no meu caso estudar para outro certame. Falo como alguém já concursado em uma Autarquia com salário médio, estou bem, mas preciso dessa fonte. Esclareço que conheço o lado “Empresa”, vender, etc. do Estratégia Concursos, mas isso não descaracteriza a sua boa intenção e a vontade dos seus professores de ver alguns de nós sendo aprovados e ter uma vida melhor. Parabéns Mário! Precisamos disso, de uma perspectiva, algo para alcançar.
    Ivan Soares em 16/05/16 às 09:22
  • Caro AFRFBeta, em partes o seu pessimismo é válido porque estamos num momento muito ruim da economia do nosso país, mas eu te pergunto: se não é boa opção estudar para concursos (que provavelmente serão escassos e por algum tempo apenas Estaduais e Municipais) qual seria a melhor opção ? Qualificar-se para conseguir um bom emprego nesse país falido, que a cada dia vemos mais e mais demissões? Infelizmente estudar para concursos para muitos, inclusive para mim, não é a melhor opção mas sim a única opção. Portanto, ao meu ver, o trabalho feito pelo professor Mário em tentar nos motivar e passar um pouco de sua experiência de concurseiro foi excelente, porque não só eu mas muitos devem ter saídos "derrotados" da batalha do INSS e sem dúvida palavras de otimismo ajudam e muito nas nossas próximas decisões.
    ADSM em 16/05/16 às 09:20
  • O que os "pessimistas" querem? Por mais que a situação seja ruim, acho que introduzir o pessimismo (por mais que seja real) só acabaria por desmotivar ainda mais pessoas que se dedicam exclusivamente à concursos públicos, como é o meu caso, tornando essa tarefa ainda mais pesada, porque sem motivação a qualidade de nosso trabalho diminui consideravelmente. Acho que a hora agora é de não pensar nos problemas, pelo menos para quem estuda. Agradeço muito o trabalho desses nobres professores!
    Jéssica em 16/05/16 às 08:47
  • Bom dia, pessoal! O serviço público existe para servir ao país e não o contrário! Tendo dito esta obviedade, mas que precisa começar a nos lembrar.... Humildemente recomendo que cada um faça as suas escolhas. Se tem com o projeto de vida ser servidor público, adeque-se a nova situação! Caso contrário, existem várias outras opções como a iniciativa privada como empregado e até mesmo empreender. Aos que tem como projeto de vida para ser servidor público, em tudo há um lado positivo, haverá mais tempo para preparação. Não há como não politizar, e que bom que não há temos que começar a discutir política mesmo (apesar que este fórum não seria o mais adequado). A oposição não teve que fazer nenhum esforço hercúleo para derrubar o governo. Aliás as manifestações já vinham desde o ano passado e somente no fim de 2015 houve uma adesão das oposições. O governo do PT (no qual sempre votei, exceto na última eleição de 2014) cuidou de enterrar com corrupção e incompetência não só o seu partido mas as esquerdas por no mínimo 20 anos! Pior do que ter um pais conservador e liberal é não ter país algum. E é o que aconteceria se estes corruPTos e incomPTentes continuassem no poder. Quem duvida basta ver o que esta aconteceu na Argentina até o Macri assumir e o que esta acontecendo na Venezuela. Bem como ex-eleitor e simpatizante do PT digo o sonho acabou! Pois o próprio governo do PT transformou o sonho no pesadelo que todos estamos vendo! Agora se as esquerdas tiverem algum plano para daqui 20 ou 30 anos terão que colaborar para resgatarmos o Brasil! Fazer política social populista com dinheiro em caixa é fácil! Conduzir o país e evitar crises já é outra coisa... Aos professores do Estratégia meu apreço e elogio, vocês estão fazendo o que devem fazer, acalmando os alunos e buscando clientes! Só falta agora querer desenvolver seu negócio ser crime! Daqui a pouco vão querer prender os empresário no Brasil, como está fazendo o governo bolivariano do Maduro! Por fim sugiro que os radicais que não estejam satisfeitos com a guinada a direita que o Brasil infelizmente tem que dar, mudem-se para a Venezuela ou para Cuba se exilem lá quando o Brasil estiver melhor voltem, quem sabe conseguem tomar as rédeas do país com economia equilibrada de caixa cheio novamente...
    Robledo em 16/05/16 às 08:27
  • Eu gostei do post! Obrigado Prof. Mario!
    EmFoco em 16/05/16 às 07:20
  • Aff gente vão estudar.. Terá vagas para petista... Esquerdista..homem..mulher... E parem de discutir e voltem aos estudos. A vitória é certa para quem acredita!!!!
    Fé em 16/05/16 às 07:16
  • Vários professores já mostraram, com exemplos pessoais ou não, baseados em fatos passados, que a suspensão de concursos é temporária. Afinal, não é a primeira recessão pela qual o Brasil passa, não é gente?! Vamos manter o foco no que é relevante!
    Nadja Ferreira em 16/05/16 às 06:37
  • Suspenso estavam no governo anterior; neste, estão extintos!
    alex em 15/05/16 às 23:50
  • Concordo com seu post Larissa! exatamente o que penso! o Professor Mario Machado fez um texto apartidario focado no concurso do INSS e abrindo levemente o leque para falar dos concursos publicos suspensos! porem, faco uma pequena ressalva quando voce fala em ofensas gratuitas, eh que acho o fim da picada um cara usar um artigo de site de concursos para desmotivar, jogar areia no sonho da galera!! acho o fim da picada isso!! ele tem todo direito de nao concordar com o governo novo que esta assumindo - afinal vivemos numa democracia! porem, nao acho correto ele ficar jogando areia no sonho dos outros! achei o comentario extremamente infeliz o dele!! mas o professor Mario Machado respondeu a altura!!! desculpe se fiz parte do festival de ofensas gratuitas, mas se tem uma coisa que me irrita na internet(especialmente nos sites de cursinhos para concursos e em foruns tipo o cw da vida) eh aturar comentarios desses trollers que vem soh pra meter pilha na galera e desanimar os outros de estudar! nao sou de levar desaforo pra casa! enfim, devemos manter o foco e continuar estudando! abraços
    Bruno em 15/05/16 às 23:22
  • Mário escreveu um texto como forma de direcionamento aos que fizeram a prova do INSS. Um texto apartidário e sensato. Dizer que teremos oportunidades nas esferas federais e estaduais, poucas, mas teremos não é fazer apologia a qualquer partido político. De repente, os professores não podem escrever um texto que mencione "suspensão de concursos" que isso se transforma num festival de ofensas gratuitas. Deveriam ser validados pela coragem de mencionar o tema, mas são punidos! Sugiro aos professores do estratégia que não respondam/ ignorem esses colegas que nada acrescentam. Porque a cada resposta, se sentem reforçados e legitimados a continuar falando "abobrinha". "Não responda ao tolo", é bíblico. Obrigada pelo texto, Mário! Abraços
    Larissa em 15/05/16 às 23:12
  • Parabéns professor Mário Machado. Muito bom seu texto e melhor ainda sua resposta ao (à) AFRFBeta, refutando com dados as "lendas" que alguns partidários espalham. Também sou concurseiro, e obviamente lamento que a perspectiva dos concursos federais seja ruim no curto prazo. Mas de forma alguma vou cair no conto petista de que tudo é culpa dos "golpistas". Quem tem um pingo de cérebro e acompanha o que vem ocorrendo com os concursos e com as carreiras nos principais órgãos federais jamais pode concordar com esse mimimi. Não vou me alongar, pois você e os amigos Bruno e Augusto já disseram tudo o que penso. Grande abraço.
    Gerson em 15/05/16 às 23:11