Prova TRE-GO - Administração de Recursos Materiais
Felipe Petrachini

Prova TRE-GO – Administração de Recursos Materiais

Tudo bom meus caros?

Mais um dia no paraíso. Saíram os gabaritos das provas do TRE do Estado de Goiás. E com a falta de modéstia que me é peculiar quando faço tudo certo, a parte de Administração de Recursos Materiais estava tranquila. A banca não gosta de inventar e, assim, nós também não.

Não tenho sugestões de recursos para as questões (o que não significa fizer que você não deva recorrer se tiver alguma coisa te incomodando).

Alguns alunos já fizeram perguntas, então, tomo a liberdade de transcrever os comentários das questões que suscitaram dúvidas:

109 Há poucas formas de se classificar os materiais, razão por que se faz necessária a criação de adaptações às necessidades das empresas

Gabarito: Errado. Concordo com o gabarito da banca. As classificações, ao contrário do que propõe a assertiva são inúmeras.

Chegamos a comentar isto na Aula 00:

Disto que acabamos de ver, você já pode tirar uma conclusão:não há uma forma única de classificar, bem pelo contrário, haverá infinitos modos de classificação tendo em vista os critérios que forem estabelecidos.

111 O setor de compras é um subsistema orientado para fora da empresa, com interação junto aos fornecedores externos e também junto a vários órgãos internos.

Gabarito: Certo. Concordo com o gabarito da banca. O setor de compras é, de fato, orientado para fora da empresa, pois busca tanto parceiros comerciais como materiais fora do ambiente empresarial. As interações (relações), no entanto, se dão tanto com fornecedores externos como com órgãos internos (os responsáveis pela busca de fornecedores e materiais)

Se tiver dúvidas sobre outras questões, escreva para [email protected]

A gente conversa.

Abraço

Compartilhe:

Felipe Petrachini

Felipe Petrachini

Formado em Direito pela Universidade de São Paulo em 2011, logrou êxito no concurso de Agente Fiscal de Rendas do Estado de São Paulo, realizado em 2013, cargo que atualmente exerce. Iniciou sua carreira pública tomando posse no cargo de Assistente Técnico Administrativo do Ministério da Fazenda (ATA-MF) em 2009, cargo este que exerceu até sua nomeação para Técnico Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 2 Região, em 2012. Entrou em exercício no cargo de Auditor Fiscal Tributário Municipal em São Paulo em agosto de 2012, permanecendo no cargo até março de 2014, quando tomou posse no cargo de Agente Fiscal de Rendas do Estado de São Paulo. Foi aprovado também nos seguintes certames, sendo nomeado e convocado a tomar posse no cargo a que se referiam: Escrevente do Tribunal de Justiça de São Paulo (2007) Oficial de Justiça do Estado de São Paulo (2009) Assistente de Licitação da Fundação do Remédio Popular (2010) Técnico do Ministério Público da União (2010) Técnico Previdenciário do Instituto Nacional do Seguro Social (2012)            

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Vídeos Relacionados

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.

Estamos aqui para ajudar você!
x