Artigo

Prova Português CGM-SP comentada

Prova de Português CGM-SP comentada

Olá, caros amigos!!! Tudo bem? Meu papo agora é especialmente com o pessoal do concurso CGM-SP! Vamos conversar um pouco sobre as questões que a Vunesp elaborou, ok! Uma por uma! Vamos juntos!

Língua Portuguesa
Leia a tira para responder às questões de números 01 e 02.

Foto 1

(Dik Browne. Hagar, o Horrível. Folha de S.Paulo, 27.09.2015)

01. A fala da mulher permite inferir que, ao treinar o cão, ela pretendeu
(A) contestar a autoridade do marido.
(B) manter-se submissa ao marido.
(C) tornar-se superior ao marido.
(D) reproduzir as ordens do marido.
(E) mostrar-se preocupada com o marido.

Comentário: a opção correta aqui é a letra A, que pode ser confirmada no último quadrinho da tira, quando a esposa declara que ensinou o cão a questionar a autoridade do marido, uma vez que contestar é refutar, ir contra. As demais alternativas não condizem com o contexto.
Gabarito: A

02. Em norma-padrão da língua portuguesa e em conformidade com os sentidos da tira, a resposta da mulher à pergunta “O que ensinou a ele?” poderia ser:
(A) Eu ensinei ele a questionar a autoridade.
(B) Eu ensinei-lhe que questionasse a autoridade.
(C) Lhe ensinei a questionar a autoridade.
(D) Eu o ensinei que questionasse a autoridade.
(E) Ensinei-o o questionamento da autoridade.
Comentário: A opção correta aqui é a letra B. A letra A seria aceita se fosse analisada de acordo com a linguagem falada. Segundo a norma-padrão, é errado o uso de pronome oblíquo em início de oração; além disso o verbo “ensinar” pede dois complementos, um sem preposição e o outro preposicionado, o “lhe” e a frase “a questionar a autoridade” têm a mesma função, ambas estão funcionando como objeto indireto, o que é incorreto porque não é possível existir dois objetos indiretos para o mesmo verbo, o que elimina a letra C. Já nas opções D e E, o pronome oblíquo “o” só pode exercer a função de objeto direto, o que não acontece aí.
Gabarito: B

Para avaliar a importância da diversidade nas cidades, é preciso entender a extensão de sua conceituação. Seu significado vai desde a mistura de usos e atividades até a existência de uma grande variedade de estruturas urbanas e a garantia do direito à cidade pelos mais diversos grupos sociais.
Esse conceito contraria o modelo de planejamento voltado à segregação de áreas homogêneas no tecido urbano. O encorajamento do pluralismo, em busca da diversidade, pode, de fato, ser mais um ativo importante do que uma ameaça.
Estabelecer mecanismos que permitam às pessoas dos mais variados grupos étnicos e sociais terem direitos iguais aos espaços da cidade vai além da eficiência urbana e equidade. Conduz à urbanidade. A diversidade tem sido apontada como fator essencial para o funcionamento, o crescimento econômico e a atratividade das cidades.
Para alguns pesquisadores, a diversidade deve ser focada nos espaços públicos, tornando cada área residencial um microcosmo da cidade, enfatizando-se a importância de prover espaços que ofereçam elevados níveis de interação entre as pessoas dos mais diferentes espectros sociais.
Todavia, outras formas de diversidade são igualmente importantes no desenvolvimento urbano.
As metrópoles de hoje estão se desenvolvendo rapidamente em cidades criativas, principalmente no que diz respeito às suas funções e ao capital humano. Elas são socialmente diversificadas como resultado da intensificação da migração e das diferenças socioeconômicas, revelando, ainda, múltiplas dimensões da identidade individual.
A convivência com a diversidade, que toca em várias áreas da vida urbana, embora se constitua em um enorme desafio, ao mesmo tempo pode ser um recurso significativo das cidades contemporâneas.
Portanto, embora seja importante descobrir caminhos para planejar a cidade plural, não menos importante é encontrar ferramentas que possam medir essa diversidade, de tal forma que ela possa ser avaliada e comparada em suas várias regiões.
(Claudio Bernardes. Opinião. Folha de S.Paulo, 03.08.2015)

03. As informações do texto mostram que a diversidade é um tema
(A) de interesse para as políticas públicas, pensando-se nas possibilidades de uso dos espaços públicos na promoção de interação entre as pessoas.
(B) de amplitude para as políticas públicas, efetivando-se na análise dos diferentes grupos sociais de modo a promover a homogeneização cultural.
(C) de pouco interesse para as políticas públicas, avaliando-se que a migração e as diferenças socioeconômicas atrapalham ações voltadas para os espaços públicos.
(D) de questionável validade para as políticas públicas, considerando-se que elas dificilmente podem romper com a desigualdade social vigente.
(E) de expressivo valor para as políticas públicas, propondo-se ações que visem minimizar o impacto social das subjetividades dos cidadãos nos espaços públicos.
Comentário: o texto nos leva a pensar que a diversidade é de interesse das política públicas, como percebemos no trecho “Estabelecer mecanismos que permitam às pessoas dos mais variados grupos étnicos e sociais terem direitos iguais aos espaços da cidade vai além da eficiência urbana e equidade. Conduz à urbanidade. A diversidade tem sido apontada como fator essencial para o funcionamento, o crescimento econômico e a atratividade das cidades“.
GABARITO: A

04. A conceituação de “diversidade” apresentada no primeiro parágrafo do texto harmoniza-se com a ideia de que ela pode
(A) recrudescer as diferenças econômicas e sociais nas cidades.
(B) constituir-se em ameaça à organização das cidades.
(C) sustentar a segregação de áreas homogêneas das cidades.
(D) tornar-se um diferencial na organização das cidades.
(E) minimizar a intensificação da migração nas cidades.

Comentário: de acordo com o que se afirma no primeiro parágrafo: “Seu significado vai desde a mistura de usos e atividades até a existência de uma grande variedade de estruturas urbanas e a garantia do direito à cidade pelos mais diversos grupos sociais”, a “diversidade” é um diferencial na organização das cidades. Não irá intensificar nem minimizar migração, mas garantir o acesso à cidade por diversos grupos.
GABARITO: D

05. Nas passagens “vai além da eficiência urbana e equidade” (3º parágrafo), “tornando cada área residencial um microcosmo da cidade” (4º parágrafo) e “pode ser um recurso significativo” (7º parágrafo), os termos em destaque significam, respectivamente,
(A) imparcialidade, pequena sociedade e expressivo.
(B) contraposição, novo mundo e vivaz.
(C) equilíbrio, mundo interior e relevante.
(D) retidão, individualidade e interessante.
(E) injustiça, espaço ampliado e imprescindível.

Comentário: a alternativa A traz os melhores significados para os termos em destaque, de acordo com o contexto.
(A) imparcialidade = EQUIDADE. Pequena sociedade = MICROCOSMO. Expressivo = SIGNIFICATIVO
GABARITO: A

06. Assinale a alternativa em que as informações se organizam em relação de causa e consequência.
(A) Seu significado vai desde a mistura de usos e atividades até a existência de uma grande variedade de estruturas urbanas e a garantia do direito à cidade pelos mais diversos grupos sociais.
(B) Elas são socialmente diversificadas como resultado da intensificação da migração e das diferenças socioeconômicas, revelando, ainda, múltiplas dimensões da identidade individual.
(C) As metrópoles de hoje estão se desenvolvendo rapidamente em cidades criativas, principalmente no que diz respeito às suas funções e ao capital humano.
(D) Todavia, outras formas de diversidade são igualmente importantes no desenvolvimento urbano.
(E) O encorajamento do pluralismo, em busca da diversidade, pode, de fato, ser mais um ativo importante do que uma ameaça.

Comentário: a alternativa B revela ideia de causa e consequência, sendo” elas são socialmente diversificadas” a consequência, e “como resultado da intensificação…” a causa.
GABARITO: B

07. Considerando o sentido do texto, na oração “Conduz à urbanidade.” (3º será mantido se o verbo for substituído por
(A) Leva.
(B) Transmite.
(C) Implica.
(D) Rege.
(E) Exerce.

Comentário: o verbo “levar” exige preposição a, portanto, se comporta como o verbo “conduz”, que consta no enunciado, podendo, inclusive substituí-lo sem desvio de sentido.
GABARITO: A

08. Assinale a alternativa correta quanto aos aspectos de colocação pronominal, concordância verbal e concordância nominal.
(A) Tem apontado-se a diversidade como fator essencial para o funcionamento, o crescimento econômico e a atratividade das cidades. Além disso, outras formas de diversidade têm sido apontada como importantes no desenvolvimento urbano.
(B) Têm apontado-se a diversidade como fator essencial para o funcionamento, o crescimento econômico e a atratividade das cidades. Além disso, outras formas de diversidade tem sido apontados como importante no desenvolvimento urbano.
(C) Tem-se apontado a diversidade como fator essencial para o funcionamento, o crescimento econômico e a atratividade das cidades. Além disso, outras formas de diversidade têm sido apontadas como importantes no desenvolvimento urbano.
(D) Têm-se apontado a diversidade como fator essencial para o funcionamento, o crescimento econômico e a atratividade das cidades. Além disso, outras formas de diversidade tem sido apontado como importante no desenvolvimento urbano.
(E) Tem-se apontado a diversidade como fator essencial para o funcionamento, o crescimento econômico e a atratividade das cidades. Além disso, outras formas de diversidade têm sido apontadas como importante no desenvolvimento urbano.

Comentário: a alternativa A está errada a começar pela locução verbal no início do período, a colocação do pronome “se” está incorreta, pois, quando o verbo principal de uma locução for um particípio, o pronome virá depois do verbo auxiliar, “tem-se apontado”; também a palavra “apontada” está incorreta por não concordar em número com o seu sujeito “outras formas de diversidade”. Na alternativa B ocorre o mesmo erro de colocação pronominal apontado acima e o verbo auxiliar está no plural equivocadamente, pois temos sujeito indeterminado seguido da partícula “se” como índice de indeterminação do sujeito, sendo assim, o verbo fica na terceira pessoa do singular. A opção D apresenta o mesmo problema apontado anteriormente com o verbo auxiliar, além disso, há outra ocorrência do verbo “ter” que está errada por não concordar em número com o sujeito “outras formas de diversidade”, também há erro de concordância nas palavras “apontado” e “importante”. Já em E, ocorre erro de concordância apenas na palavra “importante”. A alternativa correta, portanto, é a letra C.
GABARITO: C

Espero que meus comentários tenham sido úteis!! No mais, se precisarem, entrem em contato! Será um prazer!

Abraço!

Rafaela Freitas

E-mail: [email protected]

Adicionem no Facebook: Rafaela Freitas

Curtam minha página: https://www.facebook.com/prof.rafaelafreitas/?fref=ts

Vamos mantendo contato!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja os comentários
  • Parabéns!Excelente explicações.
    Elza Maria em 15/04/16 às 23:03
  • Professora, na questão 1 vc deu como resposta a letra A "contestar a autoridade" mas na aula demonstrativa para oficial de promotoria SP na mesma questão você deu como resposta tornar-se superior ao marido. Não entendi, pra mim a certa é contestar a autoridade.
    julia teixeira de carvalho em 10/12/15 às 16:40
  • Obrigado pelos comentários, professora! Eles foram úteis sim. Achei essa prova bem tranquila, gostaria que a FGV, FCC e ESAF fossem assim também! kkk
    Pedro em 19/11/15 às 13:42
  • A questão 1 não poderia ser anulada?, na medida em que a ênclise do "lhe" não se coloca face à presença do pronome "eu", que "chama o pronome para antes do verbo" => Eu lhe ensinei...
    Eliana Barbosa em 19/11/15 às 09:14