Prova comentada PM SC 2019
Décio Terror Filho

Prova comentada PM SC 2019

Resultado de imagem para pm sc

Prova comentada PM SC 2019 – Olá, pessoal!

Como vocês foram na prova da PM SC?

Vamos comentar a prova na íntegra para vocês!

Texto para responder às questões de 01 a 10.

A solidão é a grande ameaça

Quando eu era jovem, eu nunca tive o conceito de “redes”. Eu tinha o conceito de laços humanos, de comunidades, esse tipo de coisa, mas não redes. Qual é a diferença entre comunidade e rede? A comunidade precede você. Você nasce numa comunidade. Por outro lado, temos a rede. 

O que é uma rede? Ao contrário da comunidade, a rede é a que é feita e mantida viva por duas atividades diferentes. Uma é conectar e a outra é desconectar. E eu acho que a atratividade do novo tipo de amizade, o tipo de amizade do Facebook, como eu a chamo, está exatamente aí. Que é tão fácil de desconectar. É fácil conectar, fazer amigos. Mas o maior atrativo é a facilidade de se desconectar.

Imagine que estamos falando não de amigos on-line, conexões on-line, compartilhamento on-line, mas sim de conexões off-line, conexões de verdade, frente a frente, corpo a corpo, olho no olho. Neste caso, romper relações é sempre um evento muito traumático. Você tem que encontrar desculpas, você tem que se explicar, você tem que mentir com frequência e, mesmo assim, você não se sente seguro, porque seu parceiro diz que você não tem direitos, que você é um porco etc. É difícil. Na internet, é tão fácil, você só pressiona delete e pronto. Em vez de 500 amigos, você terá 499, mas isso será apenas temporário, porque amanhã você terá outros 500, e isso corrói muito os laços humanos. 

Os laços humanos são uma mistura de bênção e maldição.  Bênção porque é realmente muito prazeroso, é muito satisfatório ter outro parceiro em quem confiar e fazer algo por ele ou ela. É um tipo de experiência indisponível para a amizade no Facebook; então, é uma bênção… E eu acho que muito jovem não tem nem mesmo consciência do que eles realmente perderam, porque eles nunca vivenciaram esse tipo de situação. 

Por outro lado, há a maldição, pois quando você entra no laço, você espera ficar lá para sempre. Você jura, você faz um juramento: até que a morte nos separe, para sempre. O que isso significa? Significa que você empenha o seu futuro. Talvez amanhã, ou no mês que vem, ou no ano que vem, haja novas oportunidades. Agora você não consegue prevê-las, porque você ficará preso aos seus antigos compromissos, às suas antigas obrigações. 

Então, trata-se de uma situação muito ambivalente e, consequentemente, de um fenômeno curioso dessa pessoa solitária numa multidão de solitários. Estamos todos numa solidão e numa multidão ao mesmo tempo.

ZIGMUNT BAUMAN. Fronteiras.com/artigos/zygmunt-baumanla-solidao-e-a-grande-ameaça. (Adaptado)

1. (INCAB / Polícia Militar-SC Soldado 2019)

A gramática de uma língua é necessariamente um sistema de unidades e de regras combinadas em construções de extensão variável. Nesse viés, e considerando a classe dos pronomes pessoais, identifique a alternativa em que há um pronome pessoal oblíquo.

A) “Você nasce numa comunidade”.

B) “Uma é conectar e a outra é desconectar.”

C) “Neste caso, romper relações é sempre um evento muito traumático”.

D) “Por outro lado, temos a rede.”.

E) “é muito satisfatório ter outro parceiro em quem confiar e fazer algo por ele ou ela”.

Comentário: A alternativa (A) está errada, pois o pronome “você” é de tratamento.

            A alternativa (B) está errada, pois a relação “uma …e …outra” ocorre com os pronomes indefinidos “Uma” e “outra”.

            A alternativa (C) está errada, pois o pronome “(n)este” é demonstrativo.

            A alternativa (D) está errada, pois o pronome “outro” é indefinido.

            A alternativa (E) é a correta, pois “ele” e “ela” são pronomes pessoais oblíquos, visto que são objetos indiretos do verbo transitivo direto e indireto “fazer”; “outro” e “algo” são pronomes indefinidos e “quem” é pronome relativo.

Gabarito: E

2. (INCAB / Polícia Militar-SC Soldado 2019)

Sobre os elementos destacados do fragmento “Eu tinha o conceito de laços humanos, de comunidades, esse tipo de coisa, mas não redes.”, leia as afirmativas.

I.     O segmento O CONCEITO constitui objeto indireto do verbo significativo anteriormente expresso.

II.    A palavra ESSE retoma, anaforicamente, o verbo da oração anterior.

III.   A expressão DE LAÇOS HUMANOS completa, por meio de um sintagma preposicionado, o sentido do substantivo que o antecede.

IV.   A conjunção MAS expressa basicamente uma relação de contraste entre ideias, contribuindo para os efeitos de sentido.

Está correto o que se afirma apenas em:

A) II e IV.

B) I, II e III.

C) III e IV.

D) I.

E) I, III e IV.

Comentário: A afirmativa I está errada, pois o termo “o conceito” é objeto direto do verbo transitivo direto “tinha”.

            A afirmativa II está errada, pois o pronome demonstrativo “esse” retoma anaforicamente a expressão “o conceito de laços humanos, de comunidades”.

            A afirmativa III está correta, pois o termo que completa sentido de nome é o complemento nominal. O termo preposicionado “de laços humanos” liga-se ao substantivo abstrato “conceito”. Note que tal substantivo foi gerado do verbo “conceituar”. Como o termo preposicionado “de laços humanos” tem valor paciente, temos certeza de que tal expressão é o complemento nominal. Assim, realmente sabemos que “de laços humanos” completa o sentido do substantivo “conceito”.

            A afirmativa IV está correta, pois a conjunção “mas” é coordenativa adversativa. Assim, expressa uma ideia de oposição, contraste.

            Como as afirmativas III e IV estão corretas, devemos marcar a alternativa (C).

Gabarito: C

3. (INCAB / Polícia Militar-SC Soldado 2019)

O desenvolvimento do tema é atravessado pela experiência tanto coletiva quanto particular do autor. Essa característica coletiva, no texto de Bauman, é irrefutável em:

A) “Qual é a diferença entre comunidade e rede?”

B) “Neste caso, romper relações é sempre um evento muito traumático.”

C) “Os laços humanos são uma mistura de bênção e maldição.”

D) “Estamos todos numa solidão e numa multidão ao mesmo tempo.”

E) “eu nunca tive o conceito de ‘redes’.”

Comentário: A alternativa (A) está errada, pois a frase “Qual é a diferença entre comunidade e rede?” é apenas um questionamento, não apontando nenhuma experiência particular, nem uma experiência coletiva.

            A alternativa (B) está errada, pois, ao classificar o rompimento de relações como um evento traumático, o autor deixa claro o seu ponto de vista sobre o assunto, abordando-o a partir de uma experiência particular.

            A alternativa (C) está errada, pois, ao comentar que “Os laços humanos são uma mistura de bênção e maldição.”, o autor coloca o seu ponto de vista sobre as relações humanas ao utilizar os adjetivos “benção” e “maldição”, abordando o tema a partir de uma experiência particular.

            A alternativa (D) é a correta, pois o verbo “estamos”, flexionado na primeira pessoa do plural no presente do indicativo, e o pronome indefinido “todos” apontam para uma experiência coletiva, em que o autor se inclui.

            A alternativa (E) está errada, pois o pronome pessoal “eu” e o verbo “tive” pertencem à primeira pessoa do singular, caracterizando uma experiência particular.

Gabarito: D

4. (INCAB / Polícia Militar-SC Soldado 2019)

As relações lexicais veiculadas no texto estabelecem sentidos variados e contribuem para a progressão sintático-semântica entre os vocábulos. Dessa forma, ao registrar o vocábulo TEM várias vezes em “Você tem que encontrar desculpas, você tem que se explicar, você tem que mentir com frequência e, mesmo assim, você não se sente seguro, porque seu parceiro diz que você não tem direitos, que você é um porco etc.”, o autor:

A) garante as necessárias retomadas a fim de se quebrar levemente a continuidade semântica do texto.

B) impõe simples sequência das ideias, responsável pelas ligações linguísticas morfológicas isentas de valor semântico.

C) estabelece progressão do tema, ligando sintaticamente todas as ideias e levando um sentido único e incoerente sobre o medo.

D) cria fortes efeitos semânticos de um envolvimento entre o escritor, personagem e leitor.

E) intensifica a ideia veiculada, contribuindo para o sentido e dando maior destaque ao assunto abordado no parágrafo.

Comentário: A repetição do verbo “tem” no trecho acima tem como objetivo enfatizar o tema, intensificando a ideia veiculada, contribuindo para o sentido e dando maior destaque ao assunto abordado no parágrafo. Assim, a alternativa (E) é a correta.

            A alternativa (A) está errada, pois a repetição do verbo “tem” não quebra levemente a continuidade semântica do texto, mas enfatiza o que fazemos quando queremos romper com alguém no mundo real.

            A alternativa (B) está errada, pois a sequência possui, sim, ligações linguísticas morfológicas com valor semântico, isto é, com significado.

            A alternativa (C) está errada, pois a repetição do verbo estabelece progressão do tema, ligando sintaticamente todas as ideias e levando um sentido único e coerente sobre o rompimento de relações entre as pessoas.

            A alternativa (D) está errada, pois cria fortes efeitos semânticos que retratam o que é feito quando uma pessoa quer romper relações com a outra do mundo real, contrastando com o mundo virtual.

Gabarito: E

5. (INCAB / Polícia Militar-SC Soldado 2019)

Sobre a oração destacada em “eu acho que muito jovem não tem nem mesmo consciência do QUE ELES REALMENTE PERDERAM…” é correto afirmar que:

A) a expressão sintática típica de causa se concretiza na conjunção QUE.

B) a unidade coordenada adquire um padrão no qual juntam-se as orações para formar um sintagma substantivo.

C) combina-se, de forma independente, para expressar um ato discursivo diferente do estabelecido pela primeira oração.

D) ocorre no texto sob a forma de um sintagma adverbial, no qual a palavra conjuntiva QUE, gramaticalmente, dá a base da oração.

E)  ocorre no texto sob a forma de um sintagma adjetivo, conhecido como oração adjetiva, restringindo a parte de um conjunto.

Comentário: O substantivo “consciência” rege a preposição “de”, por isso a palavra “do”, contração da preposição “de” com o pronome demonstrativo “o”, é o complemento nominal.

            Tal termo está sendo caracterizado pela oração subordinada adjetiva restritiva “que eles realmente perderam”. Para ficar mais claro, vamos desdobrar o pronome demonstrativo “o” para “aquilo” e “que” por “o qual”:

eu acho que muito jovem não tem nem mesmo consciência daquilo o qual eles realmente perderam…”

            Assim, entendemos que “que eles realmente perderam” tem valor adjetivo e restringe o pronome “o”, o qual é parte de um conjunto.

Gabarito: E

6. (INCAB / Polícia Militar-SC Soldado 2019)

Para introduzir o trecho “POR OUTRO LADO, há a maldição, pois quando você entra no laço.”, mantendo a coerência, poder-se-ia substituir a expressão destacada por:

A) Destarte.

B) Em síntese.

C) Além disso.

D) Em contrapartida.

E) Outrossim.

Comentário: A expressão “Por outro lado” inicia uma oração que mostra um ponto de vista oposto ao antes exposto sobre um assunto. Dessa forma, cabe a substituição da expressão em destaque por “em contrapartida”, pois esta inicia uma ideia de oposição, e a alternativa (D) é a correta.

            A alternativa (A) está errada, pois a expressão “Destarte” inicia uma ideia de conclusão.

            A alternativa (B) está errada, pois a expressão “Em síntese” inicia uma ideia de resumo.

            A alternativa (C) está errada, pois a expressão “Além disso” inicia uma ideia de adição.

            A alternativa (E) está errada, pois a expressão “Outrossim” inicia uma ideia de adição.

Gabarito: D

7. (INCAB / Polícia Militar-SC Soldado 2019)

Em “Neste caso, romper RELAÇÕES é sempre um evento muito traumático.”, substituindo a palavra destacada por um pronome oblíquo, sem deixar de respeitar as normas de colocação e uso do pronome e mantendo o sentido original, estaria correta a seguinte construção:

A) Neste caso, romper-lhes é sempre um evento muito traumático.

B) Neste caso, rompê-las é sempre um evento muito traumático.

C) Neste caso, romper-nas é sempre um evento muito traumático.

D) Neste caso, as romper é sempre um evento muito traumático.

E) Neste caso, lhes romper é sempre um evento muito traumático.

Comentário: O verbo “romper” é transitivo direto e, consequentemente, exige um objeto direto, o qual é representado pelo termo “relações”, que deve ser substituído pelo pronome oblíquo átono “as”.

Dessa forma, estaria correta a seguinte construção da alternativa (B) “Neste caso, rompê-las é sempre um evento muito traumático”. Note que o pronome “as” está em posição enclítica, pois não há palavra atrativa e não se deve empregar pronome átono imediatamente após uma vírgula.

Gabarito: B

8. (INCAB / Polícia Militar-SC Soldado 2019)

Tendo em vista o fragmento “Estamos todos numa solidão e numa multidão ao mesmo tempo.”, analise as afirmativas a seguir.

I.   AO MESMO TEMPO é uma expressão adverbial que, contrariamente à ideia de invariabilidade dos advérbios e locuções adverbiais, flexiona em número.

II. O lugar sintático do sujeito, na oração que forma o período em análise, está vazio, mas sua existência continua assinalada na flexão verbal.

III. A expressão NUMA SOLIDÃO possui concordância inadequada em relação ao elemento a que se refere.

Está correto apenas o que se afirma em:

A) I.

B) I e III.

C) II e III.

D) II.

E) III.

Comentário: A afirmativa I está errada, pois a expressão “ao mesmo tempo” é uma expressão adverbial que não está flexionada em número. Assim, não houve variação.

            A afirmativa II está correta, pois o sujeito da oração “Estamos todos” é oculto, isto é, não está expresso na frase, mas, por meio da desinência número-pessoal do verbo “estamos”, sabemos que o sujeito da oração é oculto e se refere à primeira pessoa “nós”.

            A afirmativa III está errada, pois a expressão “numa solidão” não apresenta qualquer problema de concordância. Note que o artigo “(n)uma” concorda com o substantivo “solidão”.

            Como somente a afirmação III está correta, a alternativa (D) é a que deve ser marcada.

Gabarito: D

9. (INCAB / Polícia Militar-SC Soldado 2019)

A passagem do texto em que há um “princípio onipresente da linguagem” que nomeia um conceito de um dado domínio de conhecimento pelo emprego de uma palavra usual em outro domínio, presente na linguagem figurada, é:

A) “Os laços humanos são uma mistura de bênção e maldição.”

B) “Você jura, você faz um juramento: até que a morte nos separe, para sempre.”

C) “É um tipo de experiência indisponível para a amizade no Facebook.”

D) “Qual é a diferença entre comunidade e rede?”

E) “Imagine que estamos falando não de amigos online…”

Comentário: Bom, o pedido da questão foi bem teórico, mas na realidade o que se pediu foi apenas a alternativa que apresenta uma expressão com linguagem figurada (“laços humanos”), a qual normalmente é gerada a partir do emprego de uma palavra de cunho literal: (“laços”: nó que se ata, normalmente empregado no campo do vestuário). No texto, tal palavra foi empregada num sentido conotativo, expandindo-se para a área da sociologia, da convivência humana, prender-se afetivamente a alguém.

            Assim, a alternativa (A) é a correta.

Gabarito: A

10. (INCAB / Polícia Militar-SC Soldado 2019)

A exemplo do elemento em destaque em “eu acho que muito jovem não tem nem mesmo consciência (d)O que eles realmente perderam”, assinale a alternativa em que o termo destacado mantém igual valor morfossemântico-sintático e constitui elemento essencial ao processo de referenciação, estabelecendo a continuidade focal.

A) “Mas o maior atrativo é A facilidade de se desconectar.”

B) “a rede é A que é feita e mantida viva por duas atividades diferentes.”

C) “Significa que você empenha O seu futuro.”

D) “Uma é conectar e A outra é desconectar.”

E) “Eu tinha O conceito de laços humanos, de comunidades, esse tipo de coisa…”

Comentário: O elemento em destaque em “nem mesmo consciência (d)o que eles realmente perderam” classifica-se morfologicamente com pronome demonstrativo, visto que equivale ao pronome “aquilo”.

            Desse modo, a alternativa (A) está errada, pois o vocábulo “a” é artigo definido e precede o substantivo “felicidade”.

            A alternativa (B) é a correta, pois o vocábulo “a” em “a rede é a que é feita e mantida viva” é classificado como pronome demonstrativo, que equivale ao pronome “aquela” e retoma o substantivo “rede”.

            A alternativa (C) está errada, pois o vocábulo “o” é artigo definido e precede o substantivo “futuro”.

            A alternativa (D) está errada, pois o vocábulo “a” é artigo definido e precede o pronome indefinido “outra”.

            A alternativa (E) está errada, pois o vocábulo “o” é artigo definido e precede o substantivo “conceito”.

Gabarito: B

Espero ter ajudado, meus amigos! Não se esqueça de ler os artigos anteriores.

Grande abraço!

Décio Terror

Posts Relacionados

Compartilhe:

Décio Terror Filho

Décio Terror Filho

Décio Terror Filho é formado em Letras pela Universidade Federal de Juiz de Fora-MG. Professor concursado na área federal, com especialização na didática, no ensino a distância e na produção de texto. Atua no ensino da Língua Portuguesa para concurso público desde 2000. Tem vários artigos publicados em revistas direcionadas para concurso público, portais de ensino, além de seus dois livros: Resoluções de Provas de Português - banca ESAF  e Resoluções de Provas de Português + breve teoria - banca FCC, ambos lançados pela Editora Ímpetus.

Veja os comentários:
Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Vídeos Relacionados

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.

Estamos aqui para ajudar você!
x