Passo, leitura seca e mapa da lei. Conheça as principais metodologias de revisão
Concursos Públicos

Passo, leitura seca e mapa da lei. Conheça as principais metodologias de revisão

Olá, pessoal! No artigo de hoje, continuaremos a explorar as metodologias de revisão, dando dicas preciosas de como utilizá-las para potencializar sua preparação. Discutiremos hoje o Passo Estratégico, leitura seca e Mapa da Lei.

Passo Estratégico

Outra grande sacada do Estratégia Concursos foi o lançamento do Passo Estratégico. Se bem utilizado, pode fazer uma diferença crucial na preparação do aluno. No entanto, percebemos muitos candidatos utilizando de maneira errada.

Há, em geral, dois perfis de alunos que utilizam o Passo Estratégico:
Aqueles que, geralmente com atitude desesperada, na ilusão de conseguir preencher lacunas em um pós-edital, tentam substituir o estudo da aula completa pela respectiva aula do Passo que aborda o mesmo assunto.

Obviamente, estes não são o verdadeiro público-alvo, e não aproveitam o material da maneira mais adequada, pois estão querendo aprender algo novo utilizando um material feito para revisão.


E os que, após o estudo integral do conteúdo, buscam uma forma objetiva de se informar a respeito da relevância de cada tema no contexto em que está inserido, ter um contato rápido com o conteúdo para relembrá-lo (revisão) e verificar o grau da necessidade de retomar a aula teórica.

O que é o Passo Estratégico?


É preciso entender, antes de mais nada, o que é o Passo Estratégico e qual é, afinal, o seu propósito. Pois bem, trata-se de uma análise estatística, aula por aula, da incidência dos seus assuntos para uma determinada banca, área ou concurso.

Além disso, são inseridas algumas questões comentadas. Aqui já percebemos uma diferença gritante com relação ao material completo, que possui uma infinidade de questões. A quantidade reduzida de questões do Passo não tem a intenção de exaurir as possibilidades de cobrança. Mas sim de permitir de maneira prática a certificação de aprendizado do aluno de forma objetiva.


Também com este objetivo, o Passo costuma apresentar um questionário (com as respectivas respostas) dos principais pontos da aula. O mesmo pode ser um excelente indicador de que pontos da aula teórica podem ser revistos. Garantindo, desta forma, ao candidato a confiança necessária para a prova.


Por fim, quando se trata de matéria que envolva o estudo de alguma legislação, é comum o Passo Estratégico disponibilizar os artigos tratados na Aula, a famosa “leitura seca”, que trataremos no próximo subtópico.

Baixe gratuitamente neste link um e-book do Passo Estratégico para entender como funciona a análise estatística:

https://www.estrategiaconcursos.com.br/blog/tj-pa-e-books-gratuitos-com-estatisticas-de-cobranca-por-materia/

Leitura seca


A leitura seca (ou também chamada por alguns de leitura fria), termo popularmente utilizado pelos concurseiros, nada mais é que o contato direto com os dispositivos sem os respectivos comentários e complementos apresentados pelo professor na aula regular.

O Passo pode conter a legislação inerente
Constituição Federal de 1988


Sua utilização como revisão também precisa ser muito bem pensada, e o timing, correto. Não recomendamos que o primeiro contato com nenhuma legislação seja desta forma.

A participação do professor é fundamental para uma correta interpretação do que está escrito, pois, nem sempre é trivial, ainda mais se você não estiver acostumado com o “juridiquês”. Ou seja, a linguagem utilizada pelos legisladores, muitas vezes extremamente rebuscada e dotada de termos técnicos.



Quer uma prova disso? Procure o Código Civil na internet e terá contato com termos complicadíssimos, pouco utilizados no nosso dia a dia. Aliás, aproveitamos aqui para dar uma dica de ouro. A fonte mais confiável para consulta é, sem sombra de dúvidas, o site do planalto:

http://www4.planalto.gov.br/legislacao

Demais sites na internet são fontes não oficiais, além de não garantirem a atualização das normas, como o Planalto faz.

É bom lembrar que as bancas adoram verificar se o aluno está atualizado sobre as recentes modificações. Se, por exemplo, uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) tiver sido promulgada, há boa probabilidade que seja cobrada.

Relevância do estudo prévio da aula



Pois bem, após esse breve desvio para essa relevante informação, voltemos à importância do professor. Este cumpre um papel importante de esclarecer e interpretar corretamente, “traduzir” a linguagem quando necessário e apresentar a doutrina.

Na aula são feitas vinculações e ponderações com outros dispositivos da própria lei ou com a Constituição Federal (ou vice-versa). E também é apresentada, quando couber, a jurisprudência relativa ao tema, ou seja, o entendimento dos tribunais superiores (STJ, STF).

Perceba, portanto, o quanto que a leitura seca sem um prévio estudo aprofundado chega a ser um tanto irresponsável, além de ineficiente. Desta forma, o melhor momento de se inserir uma leitura seca é após o estudo regular, em especial no pós-edital. Isso se deve pelo fato de, além de servir como indicador da necessidade de retorno à teoria, há ainda a recorrente clássica cobrança nos concursos de questões de literalidade.



Ou seja, as bancas têm a intenção de testar se o candidato é conhecedor dos dispositivos, e as cascas de banana são colocadas justamente modificando ou suprimindo uma ou algumas poucas palavras, mas suficientes para alterar todo o sentido da norma.



Note que, até nesse aspecto, ter estudado a aula acompanhando a análise do professor é relevante. Caso a memória falhe na hora da prova, tendo o candidato se preocupado numa compreensão mais profunda do tema, é capaz de identificar as pegadinhas com mais facilidade do que aquele que se limitou a tão somente a estudar a letra da lei.

Mapa da Lei

Um outro recurso exclusivo do Estratégia Concursos é o mapa da lei. Para quem não sabe do que se trata, é uma espécie de mapa de calor. Você já aqueles mapas muito mostrados no intervalo de uma partida de futebol sobre a movimentação de um determinado jogador dentro do campo? Nele, as partes mais escuras (quentes) representam as áreas mais ocupadas pelo jogador e quanto mais claras (frias), menos ele circulou.

Pois então, um mapa da lei é um mapa de calor em que os artigos da lei são os jogadores e as provas de concurso são o campo. Quanto mais um artigo caiu em prova, mais escuro ele fica na tabela. Analogamente, quanto menos cai, mais claro. É uma análise estatística com uma representação bem intuitiva.

Bom, a mera indicação dos principais artigos não é uma metodologia de revisão. No entanto, esta informação serve como base para nortear a leitura dos artigos, em especial quando esta for extremamente longa. O direcionamento passa a ser uma necessidade.

Confira na transmissão abaixo uma análise sobre o Mapa da Lei:

Mapa da Lei de Direito Civil para a OAB

Bons estudos!

Alberto Kovarik

Instagram: @profalbertokovarik

Assinatura Anual Ilimitada*

Prepare-se com o melhor material e com quem mais aprova em Concursos Públicos em todo o país. Assine agora a nossa Assinatura Anual e tenha acesso ilimitado* a todos os nossos cursos.

ASSINE AGORA – Assinatura Ilimitada

Fique por dentro de todos os concursos:

Concursos abertos

Concursos 2020

Alberto Kovarik

Alberto Kovarik

 Auditor Fiscal da Receita Estadual do Estado do Rio de Janeiro (ICMS-RJ), tendo sido aprovado no concurso de 2011 Desde Janeiro de 2015 trabalhando com a preparação de alunos para os principais concursos do país (alunos aprovados no ISS Cuiabá, ISS Niterói, ICMS PI, ICMS MA, ICMS SC etc.). Primeiro contato com coaching na condição de aluno (coachee) ainda em 2011.  Graduação em Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Aprovado nos concursos: Professor de Matemática da Secretaria de Educação do Estado do Rio de Janeiro (3 vezes entre os 3 primeiros colocados); Analista de Planejamento e Orçamento (APO) da Secretaria de Planejamento do Estado do Rio de Janeiro (2010); Auditor Fiscal Tributário do Município de São Paulo (2012).

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Vídeos Relacionados