O concurseiro e o maratonista
Área Fiscal

O concurseiro e o maratonista

Dentre as diversas analogias às quais somos apresentados desde que entramos no mundo dos concursos, talvez a mais clássica seja a do maratonista. É um tal de maratona de estudos pra cá, reta final pra lá. No artigo de hoje, pretendo explorar esses clichês e aproveitar para falar de um erro comum cometido pela grande maioria dos concurseiros, inclusive os mais experientes.

Certamente você já viu alguma cena de um atleta que, após liderar a prova toda, cansou nos metros finais e perdeu a medalha de ouro. Isso também pode acontecer com o estudante e a sua tão desejada aprovação. Não é à toa que chamamos o período da publicação do edital até a prova de “Reta Final”. E não é simplesmente porque temos uma noção exata do tempo (distância) que temos até o dia da prova (linha de chegada). É também porque nesse período precisamos dar o famoso “sprint” ou gás final.

Neste momento, os nervos estão à flor da pele, a adrenalina está nos acompanhando e, além do mais, queremos dedicar ainda mais tempo aos estudos. Nesta fase crucial e até mesmo antes dela, caso nos deixemos levar pelas nossas emoções, nosso corpo começará a enviar sinais: dores de cabeça, baixa concentração, e, nem tão raro assim, náuseas, vômitos, dores de barriga.

A impressão é que o corpo está nos sabotando, mas na verdade praticamos em nós mesmos autossabotagem a partir do momento que, sem um planejamento a médio/longo prazo bem feito, “queimamos a largada” e não chegamos inteiros para a reta final. Observamos muitos candidatos que acreditam que estudo de alto rendimento significa estudar o máximo possível o tempo todo, inclusive no período que antecede o edital. Tal crença poder levar ao esgotamento físico e mental antes mesmo da autorização do concurso. E assim, o candidato perde força na hora da chegada, é ultrapassado e não consegue conquistar seu objetivo.

Nesse contexto, o bom coach não permite que as tomadas de decisão sejam baseadas na emoção, administrando o gás do coachee (aluno) ao longo do tempo do acompanhamento. Estudar demais no momento inadequado pode ser um erro fatal. Mais importante do que estar acelerado o tempo todo, é manter um ritmo equilibrado para percorrer todo o percurso de maneira constante e consistente. Se necessário, é preciso colocar freios de modo a se manter firme e inteiro até a prova para que seja possível cruzar a linha de chegada antes dos concorrentes e realizar o sonho da aprovação!

Quer mais algumas dicas bacanas? Tem um botão azul aqui embaixo nesta página com um link para meus outros artigos! Tem alguma crítica, comentário ou sugestão de tema para meu próximo artigo? Deixe uma resposta nos comentários.

Bons estudos!

Alberto Kovarik
Coach Estratégia Concursos

Posts Relacionados

Alberto Kovarik

Alberto Kovarik

 Auditor Fiscal da Receita Estadual do Estado do Rio de Janeiro (ICMS-RJ), tendo sido aprovado no concurso de 2011 Desde Janeiro de 2015 trabalhando com a preparação de alunos para os principais concursos do país (alunos aprovados no ISS Cuiabá, ISS Niterói, ICMS PI, ICMS MA, ICMS SC etc.). Primeiro contato com coaching na condição de aluno (coachee) ainda em 2011.  Graduação em Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Aprovado nos concursos: Professor de Matemática da Secretaria de Educação do Estado do Rio de Janeiro (3 vezes entre os 3 primeiros colocados); Analista de Planejamento e Orçamento (APO) da Secretaria de Planejamento do Estado do Rio de Janeiro (2010); Auditor Fiscal Tributário do Município de São Paulo (2012).

Veja os comentários:

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Vídeos Relacionados