Gabriela Lubies - Mãe de 02 filhos, aprovada no ICMS/SP

Entrevista:

Gabriela Lubies – Mãe de 02 filhos, aprovada no ICMS/SP

Olá caros(as) amigos(as),

Segue abaixo entrevista com a Gabriela Lubies, recentemente aprovada no concurso do ICMS/SP. A Gabriela foi aprovada mesmo com um dura rotina: além de trabalhar, era mãe de 02 filhos pequenos. Mesmo assim, conseguiu superar as dificuldades, e obteve seu objetivo. Espero que a entrevista possa ajudar muitos concurseiros e principalmente ajudar aqueles concurseiras que são mães ;-)

Heber Carvalho: Conte-nos um pouco sobre você, para que nosso leitor possa te conhecer melhor. Você é formada em que área? Trabalhava e estudava, ou se dedicava inteiramente aos estudos?

Gabriela Lubies: Sou formada em educação física e tenho pós-graduação em administração e marketing. Durante a minha preparação para este concurso também trabalhava, era servidora do Ministério Público da União, tinha o cargo de técnico-administrativo.

Heber Carvalho: Nas aulas presenciais em São Paulo, as pessoas sabiam que, além de trabalhar e estudar, você também era mãe de filhos pequenos. Conta pra gente como era sua vida social e, principalmente, familiar durante a preparação para concursos? Como você conseguiu trabalhar, estudar e ser mãe … tudo ao mesmo tempo?!

Gabriela Lubies: Pois é, eu também me pergunto isso… rs

Bem, quando comecei a preparação para este concurso um dos meus filhos tinha 03 anos e o outro 11 meses. Como os dois eram muitos pequenos, é claro que não entendiam a minha ausência e eu consequentemente me sentia extremamente culpada quando os deixava em casa com o pai e ia para o cursinho estudar.  Além dos dois filhos pequenos, tinha que cuidar das coisas de casa e também trabalhar. Lembro que, em Agosto, o cursinho que frequentava soltou uma grade de Reta final e as aulas praticamente ocorreriam em todos os finais de semana até o final do ano. Conversei com o meu marido e ele me apoiou para que eu me matriculasse e apostasse neste concurso.

Durante a semana eu levava meus filhos para a escola/berçário as 07:00, corria pra casa e estudava das 07:30 as 10:30 e ia trabalhar. Meu horário de trabalho era das 11:00 as 19:00 e durante este período de preparação comia um lanche enquanto trabalhava e usava a uma hora de almoço que tinha para estudar. Todo e qualquer momento que eu tinha era muito valioso e precisava ser usado da melhor maneira possível. Os finais de semana eram o dia todo em sala de aula, em geral das 09:00 as 18:00.

Quando estava em casa com as crianças, a noite (durante a semana e aos finais de semana), meu tempo era integralmente dos meus filhos. Não dá pra deixar de ser mãe, deixar de ver o primeiro passo do seu filho, acompanhar esta fase tão rica e em que eles necessitam tanto da gente (pra vc ter ideia eu acordava a noite em média 08 vezes para tr ocar fralda, choro, mamadeira, chupeta, etc.). Para poder separar bem o tempo de estudo e o tempo coma família decidi que quando o evento não caísse durante o horário de aula, eu iria; caso contrário o pai iria sozinho com eles. Desta forma, perdi parte das festas familiares e perdi alguns momentos muitos especiais, mas pude participar de muitos outros eventos e com isso não deixei de viver por conta dos estudos.

Heber Carvalho: Ao longo de sua jornada, você tentou outros concursos, para treinar e se manter com uma alta motivação ou decidiu manter o foco apenas naquele concurso que era o seu sonho? Você acha que vale a pena fazer outros concursos, com foco diferente daquele concurso que é realmente seu objetivo maior?

Gabriela Lubies: Até que eu conseguisse minha aprovação como AFR prestei muitos outros concursos e acho que isso seja essencial para que o candidato aprenda a fazer prova. Eu olhava alguns editais e via que tinha algumas matérias em comum e isso era suficiente para eu fazer a prova, não com o intuito de passar, mas principalmente para ver como estava meu desempenho nessas disciplinas em comum.

No meio do caminho, prestei dois concursos em que passei e assumi o cargo: ATA (assistente técnico administrativo) no Ministério da Fazenda e de técnico-administrativo no MPU.

Heber Carvalho: Você estudou por quanto tempo, contando toda a sua preparação. Durante este tempo de estudo, como você fazia para manter a disciplina nos estudos mesmo naqueles períodos em que não havia edital na mão?

Gabriela Lubies: então… vamos por partes, minha história é um tanto quanto “confusa”, pois entre o início dos meus estudos e a minha aprovação para este concurso tive duas gestações.

Iniciei meus estudos no segundo semestre de 2007 e me dediquei exclusivamente aos estudos até dezembro de 2008, nesse período estudava durante a semana por dia, em média de 08 a 10 horas líquidas. Ocorre que em janeiro de 2009 descobri que estava grávida e por mais que gravidez não seja doença, tive uma série de problemas, passei muito mal e por conta disso parei de estudar. Parar de estudar me deixou arrasada, p ois sabia que  estava em um nível de conhecimento bem bacana e que tinha chances de brigar por uma vaga… nesse período de pausa nos estudos saíram dois editais e mesmo sem estudar, me inscrevi e decidi fazer as provas (ATA e AFR). Em Maio fiz a do ATA e passei. Fiquei muito animada, afinal estava há cinco meses sem estudar e se passei nesse concurso é pq o conhecimento de tanto tempo de estudo não havia sido perdido. Em Agosto teve a prova de AFR e na sexta-feira, véspera da prova, entrei em trabalho de parto prematuro e fiquei internada até a segunda. Fiquei arrasada, não poder tentar, nem se quer fazer a prova é uma sensação frustrante, de total impotência… chorava com medo de que meu filho nascesse antes da hora e por saber que enquanto estava internada a prova que eu tanto queria estava sendo realizada. Quando recebi alta do hospital, fiquei em repouso absoluto até o final da gestação e desisti de tentar estudar. Resolvi ser mãe, assumir meu cargo (ATA) e achei que ia “esquecer” a palavra “CONCURSO”.

Em 2010 surgiu o concurso do MPU e mesmo sem estudar há mais de um ano e com um filho de 10 meses resolvi tentar… achava que não sabia mais o que era concurso, mas quando se é servidor público todo mundo só fala disso e a única possibilidade real de crescimento profissional é prestando novos concursos. Decidi tirar trinta dias de férias para estudar, estudei igual “doida” e deu certo: passei! Fiquei até animada e pensei em estudar pra área fiscal novamente, mas aí veio nova razão para parar: nova gestação! Juro que ali achei que minha vida de concurseira estava encerrada.

Em 2012 surgiu o edital para fiscal do ISS, aí eu já estava no MPU, meu segundo filho já havia nascido e tinha acabado de desmamar, pois estava com seis meses. Pensei: vou tentar e ver como estou, ver se ainda lembro alguma coisa e quem sabe dá pra voltar aos estudos? Tirei 30 dias de férias para estudar enlouquecidamente. É claro que não passei, mas esta prova me serviu de gás e vi que era possível, afinal não fiquei entre os 100 aprovados, mas tive a minha redação corrigida e fiquei entre os 350 primeiros. Ali pensei: se eu voltar, posso entrar na briga e posso ter chances!

Aí, começaram os boatos de AFR-SP e em agosto de 2013 me dediquei e foquei 100% para este concurso e aí foram mais 08 meses de estudo pra valer, usando todo e qualquer tempo que surgia para estudar.

Somando os períodos de estudo temos : 1,5 anos (antes da primeira gestação) + 30 dias (prova do MPU) + 30 dias (prova do ISS) + 08 meses (prova do ICMS) = 02 anos e três meses líquidos.

Heber Carvalho: Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um?

Gabriela Lubies: Usei de tudo um pouco… mas o que mais utilizei realmente foram as aulas presenciais e os cursos em PDF do Estratégia. Se eu tivesse condição de estudar em casa, acho que não teria feito tanta aula presencial, pois creio que o tempo de estudo rende mais quando podemos dividi-lo entre várias matérias, mas para a minha realidade, que era de não conseguir estudar em casa, ir para aula não era perder e sim ganhar tempo. Também gosto de aula presencial, pois considero o contato com o professor mais próximo e direto, se vc tem dúvida já esclarece na hora.

Considero os materiais em PDF excelentes, pois flexibilizam a escolha do que estudar até a de quando estudar, nos períodos em que estudei em casa (enquanto meus filhos estavam na escola) eles foram minha base e suporte nos estudos, gastei caixas e caixas de marca-texto em PDFs… rs

Heber Carvalho: Uma das principais dificuldades de todo o concursando é a quantidade de assuntos que deve ser memorizada. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e re-leitura da teoria?

Gabriela Lubies: Não querendo decepcionar ninguém, mas sendo muito sincera, não estudei todo o conteúdo do edital… Sabia que meu tempo era muito pequeno e que iria concorrer com pessoas que se dedicavam integralmente para esse concurso, sendo assim percebi que não conseguiria abraçar tudo… brinco que “joguei pras oferendas” várias matérias, mas no meu caso era o único jeito de ter chance: priorizar e estudar pra valer o que não “descartei” !

Quanto ao modo de estudo, sempre estudei tudo o tempo todo e sempre dividi o quanto estudar cada matéria de acordo com o peso que ela tinha na prova e de acordo como era o grau de dificuldade que eu tinha em cada uma, o que tinha mais dificuldade sabia que precisava dedicar mais tempo.

Já sobre os materiais, tbm usei um pouco de tudo, mas creio que meus resumos tem um papel de destaque na minha preparação juntamente com os exercícios que te ajudam a conhecer a banca (acho essencial fazer muuuuuuita prova da Banca organizadora). Em todas as matérias sempre utilizei esquemas e resumos que ia complementando conforme os exercícios que fizesse. Se eu estudasse a matéria 2 x por semana, em uma revia o resumo e na outra só fazia exercícios. Acho que um resumo feito pela pessoa ajuda demais na memorização, pois cada um sabe como fixa o conhecimento e dessa maneira o seu material fica pronto para que vc o utilize.

Heber Carvalho: Uma das coisas mais certas para quem estuda para concursos de alto nível é o fato de que o edital sempre trará algumas novidades. São temas novos, com os quais nunca se teve contato anteriormente. Com o concurso do ICMS/SP , no qual você foi aprovada, não foi diferente! Entraram diversos temas que as pessoas não esperavam (Economia, Tecnologia da Informação, Raciocínio Crítico). Qual foi a sua estratégia para dar conta de tantos assuntos e/ou disciplinas novas, em um curto espaço de tempo, entre a publicação do edital e a prova?

Gabriela Lubies: Como disse anteriormente, não dei conta de tudo… escolhi o que era possível ou não e qual o custo benefício de estudar cada uma dessas matérias em um prazo tão curto. Das três matérias que vc citou só estudei economia, pois sabia que era uma matéria que era possível aprender para fazer a prova e que poderia me colocar ou me tirar do concurso, visto que representava 20% da P1. Fiz a escolha certa, acertei 17 da s 20 questões e economia salvou minha P1! Para chegar a este resultado na disciplina fiz aula presencial de teoria e exercícios com vc, comprei PDFs e ainda comprei exercícios em vídeo, foi uma overdose de economia!!

Heber Carvalho: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar estas dificuldades?

Gabriela Lubies: Muitas dificuldades em muitas matérias… rs  Tenho muita dificuldade em matérias relacionadas a exatas: matemática financeira e estatística e tbm com inglês. Como eu sabia que não daria para fazer a P1 toda por falta de tempo, essas foram matérias que não estudei. Tbm tenho dificuldade em economia, mas vi que dessa não dava pra escapar e que teria que superar meu bloqueio com gráficos e curvas…  fiz muita aula e segui o seu conselho dado durante as aulas: tentei entender todas as teorias e conceitos, mas o que não entendi, decorei… rs

Heber Carvalho: A reta final (estudo pós-edital) é sempre um período estressante. Como você levou seus estudos neste período? Você se concentrava nas matérias de maior peso ou distribuía seus estudos de maneira mais homogênea? Focava mais na re-leitura, em resumos, em exercícios, etc ?

Sempre estudei e concentrei meus estudos conforme o peso das matérias, seja antes ou pós edital e os materiais utilizados nesse período, basicamente, eram os resumos e exercícios. Recorria a “lei seca” somente como fonte de consulta, para sanar uma dúvida ou outra.

Heber Carvalho: Na semana da prova, nós sempre observamos vários candidatos(as) assumindo uma verdadeira maratona de estudos (estudando intensamente dia e noite). Por outro lado, também vemos concurseiros que preferem desacelerar um pouco, para chegar no dia da prova com a mente mais descansada. O que você aconselha? Como foi seu estudo nesse período?

Gabriela Lubies: Nos trinta dias antes da prova, usei novamente meu período de férias para dar maior gás para essa reta final, estudei nesse período entre 08 a 10 horas diárias. Na semana da prova não mudei muito esse ritmo, apenas na véspera (sexta-feira) estudei apenas no período da manhã e descansei a tarde e a noite.

E como disse anteriormente, como meus filhos não dormiam direito e por conta disse eu acordava muitas e muitas vezes a noite, mesmo morando em São Paulo, optei em dormir em um hotel bem perto da prova nos dois dias para estar descansada para a “maratona” das provas. Recomendo a todos, pra mim deu super certo!

Heber Carvalho: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve ;-), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Gabriela Lubies: Com certeza cometi erros, mas não sei apontá-los… em outra situação diria que parar de estudar foi o maior erro, mas no meu caso parei por conta dos meus filhos e não vejo como poderia ter sido diferente.

Os acerto acho que os principais foram: fazer muitas provas, muitos concursos, estudar o edital e planejar muito os meus estudos.

Pela sua experiência e contato com outros concurseiros, diga-nos quais são os maiores erros que as pessoas cometem quando decidem se preparar para concursos?

Não fazer outros concursos, tentar cobrir todo o edital (o que acho impossível), não planejar seus estudos (esse acho que é o grande diferencial para a aprovação), não analisar a Banca organizadora e não saber como ela “se comporta”.

Heber Carvalho: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação?

Gabriela Lubies: A culpa em deixar meu filhos para estudar ou a culpa por não estudar quando estava com eles… chorei de agosto até março todo dia, pensei muitas vezes em desistir ainda mais quando via muita gente muito bem preparada e que tinha mais tempo livre para estudar do que eu… pensava que seria muito difícil e não tinha certeza se estava fazendo a coisa certa, muitas vezes me achava uma maluca, uma desnaturada! Esse sentimento me “atormentou” demais, mas acho que no final ele acabou fazendo com que eu otimizasse meu tempo da melhor maneira possível, não tinha tanto tempo como os outros, então tinha que fazer com que  meu pouco tempo fosse muito mais produtivo do que os demais.

Heber Carvalho: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para um concurso de alto nível. Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Gabriela Lubies: Acho que sou a prova viva de que concurso é o mecanismo mais democrático que existe, só depende de vc!

Falta de tempo não pode ser desculpa para ninguém, não importa quanto tempo você tem e sim o que vc consegue produzir no tempo que tem. Realmente acredito que quanto menos tempo as pessoas tem, mais elas produzem e melhor é o uso que elas fazem dele.

Estude, acredite, estude, acredite, estude mais um pouco, acredite, estude novamente e confie que sua aprovação chegará!!!

Resultados:

  • Concurso ISS-Criciúma 2017 - Fiscal de Rendas e Tributos Das 3 vagas ofertadas, 2 aprovados são nossos alunos
  • Concurso TST 2017 - TJAA Dos 100 primeiros aprovados, 57 são nossos alunos
  • Concurso TST 2017 - AJAJ Dos 100 primeiros aprovados, 47 são nossos alunos
  • Concurso TST 2017 - AJAA Dos 80 aprovados, 50 são nossos alunos
  • Concurso SEFIN-RO 2017 - Contador Das 2 vagas ofertadas, 1 aprovado é nosso aluno