ENTREVISTA: Márcia Eneyla - Aprovada no XXVII Exame da OAB

Entrevista:

ENTREVISTA: Márcia Eneyla – Aprovada no XXVII Exame da OAB

“Se o direito é o que você, realmente, quer para sua vida e se a “vermelhinha” faz parte desse sonho, continue firme e não desista. Acredite, você vai conseguir. Não importa em qual fase você se encontra. Se você está, no início da faculdade, ou se já terminou o curso, comece a estudar agora. Não espere o edital, condições ideais, nem o medo da reprovação passar; comece hoje. Dê o primeiro passo, mesmo com medo, depois outro e mais um. Mantenha o foco no seu sonho e construa a sua história com disciplina e determinação”

Confira nossa entrevista com Márcia Eneyla, aprovada no XXVII exame da OAB:

Estratégia Concursos: Conte-nos um pouco sobre você. Assim, nossos leitores conhecerão você melhor. Qual o seu nome? Qual sua idade? De onde você é? Já concluiu sua graduação?

Márcia Eneyla: Meu nome é Márcia Eneyla e tenho 37 anos. Sou de Vitorino Freire, interior do Maranhão. Mas moro em São Luís, desde 2010. E, atualmente, estou cursando o décimo período de direito.

Estratégia: Durante seus estudos para o Exame de Ordem, você trabalhava, fazia faculdade e estudava para o Exame (como conciliava?)? Ou se dedicava, inteiramente, aos estudos?

Márcia: Ainda estou na faculdade. Direito é minha segunda graduação e sempre foi um objetivo, um sonho de vida.  Por isso, entrei para faculdade com a determinação de me dedicar. Assim, não precisaria ter o retrabalho de estudar tudo, só nos meses que antecedessem ao exame da ordem. Dessa forma, deu para conciliar a vida acadêmica com a vida de mãe (tenho um filho de 2 anos). Depois que o meu filho nasceu, passei a trabalhar só em casa. Assim, a rotina era cuidar do pequeno Artur, faculdade à noite e estudos na madrugada. Nos fins de semana, exercitava outra paixão, a culinária. Cozinhava para ter uma renda.

Estratégia: Foi a primeira vez que prestou o Exame de Ordem?

Márcia: Sim, prestei o exame, pela primeira vez, durante o nono período do curso.

Estratégia: Qual foi sua sensação ao ver que havia sido aprovada?

Márcia: Foi uma emoção enorme, chorei tanto! Chorei de gratidão, de alegria, de alívio…!

Estratégia: Os seus colegas de faculdade e amigos que também estavam estudando, conseguiram a aprovação? Qual você acha que foi seu diferencial para alcançar a aprovação?

Márcia: Uma boa parte da turma estava estudando. Mas, apenas quatro amigos da faculdade conseguiram a aprovação. Já comecei o curso determinada a estudar cada disciplina e manter revisões constantes aliadas à resolução de questões. E acredito que isso tenha ajudado muito para ser aprovada na minha primeira e única prova da ordem.  Sempre que conseguia um tempinho, corria para fazer algumas questões das provas anteriores.

Estratégia: Como era sua vida social durante a sua preparação? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social para passar o mais rápido possível?

Márcia: Vida social? O que é isso? Rsrs. Quem tem um bebê, em casa, sabe que a vida social muda totalmente. As prioridades são outras. No meu caso, não diria que tive postura radical. A minha vida social já era mais restrita depois do Artur. Logo, não sofri por falta do convívio social. Isso já fazia parte da rotina. Ademais, meus irmãos moram no interior e mamãe em outro estado. E só nos encontramos nos feriados mais prolongados.

Estratégia: Que materiais você usou em sua preparação para o Exame? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um?

Márcia: Para a primeira fase, não fiz curso específico. Estudei as disciplinas, por livros, conforme apareciam na grade da faculdade. Resolvia questões e fazia revisões para manter certo nível de conhecimento. Nas duas últimas semanas, assisti às revisões e fiz o simulado grátis do Estratégia Concursos. Também fiz as provas simuladas e gratuitas de outros três cursos. Parabéns pelo trabalho que desenvolvem! Essas revisões grátis ajudam muita gente.

Estratégia: Como conheceu o Estratégia Concursos?

Márcia: Conheci o Estratégia, pela internet, quando pesquisava sobre inquérito policial. E encontrei uma aula demonstrativa do professor Renan Araújo. Gostei muito da metodologia. E como não tenho muita paciência para as videoaulas, os PDFs do Estratégia Concursos foram perfeitos.  

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todo o candidato é a quantidade de assuntos que devem ser memorizados. Como você fez para estudar todo o conteúdo? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios? Ou na leitura e releitura da teoria? Como montou seu plano de estudos?

Márcia: Como já mencionei, fui estudando aos poucos. E mantive revisões e resoluções de questões no decorrer do curso. Sou uma aluna meio estranha, não costumo fazer resumos. Tanto que não uso caderno nas aulas da faculdade. E não costumo escrever os conceitos ditados pelos professores. Prefiro copiar palavras-chaves e fazer meus pequenos esquemas para revisões. Assim, vou formando os conceitos e forçando o “tico e teco” na absorção dos conteúdos. Essa é minha forma de manter a cabeça em funcionamento. Não posso permitir que ela fique preguiçosa. Temos muito estudo pela frente ainda.

Estratégia: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar essas dificuldades?

Márcia: Tenho preferência e mais facilidade em algumas disciplinas, como penal, constitucional e civil. No entanto, não tive dificuldade com uma disciplina específica. O aluno pode visualizar o direito como um sistema, que tem uma divisão por questões didáticas. Acredito que, dessa maneira, poderá ajudá-lo muito nas associações e facilitará o estudo em disciplinas consideradas mais difíceis.

Estratégia: A reta final é sempre um período estressante. Como você levou seus estudos neste período? Focava mais na releitura, em resumos, em exercícios, etc?

Márcia: Foquei na resolução de questões. Na reta final, no ápice do cansaço, eu tinha muito medo de nadar, nadar e morrer na praia. Por isso, fazia muitos simulados. Assim, eu me convencia que lembraria dos temas o suficiente para passar. Parece uma forma meia estranha de manter a motivação. Todavia, funcionou para mim. Nas duas últimas semanas da segunda fase, eu li os PDFs específicos do prof. Diego. Além disso, resolvi os simulados do curso, em tópicos, sem desenvolver a redação completa das peças. Dessa forma, ganhava tempo. Ademais, resolvi, usando a mesma estratégia, todas as provas de segunda fase de constitucional aplicadas nos exames anteriores.

Resolvia as questões, como se fosse o dia da prova, mas limitava meu tempo a 45 minutos em cada prova. A ideia era só testar minha capacidade de identificar a fundamentação e os elementos essenciais da peça. E de cada questão, ganhava confiança e agilidade na esquematização das respostas. Depois, usava uma meia hora para verificar, pelo espelho de correção, o que tinha acertado e corrigir os erros. Foi insano, exigiu disciplina, muitas noites sem dormir, uma dose extra de otimismo, ousadia e fé, que com a graça e permissão de Deus, o resultado seria positivo.

Estratégia: Na semana da prova, por um lado, nós sempre observamos vários candidatos assumindo uma verdadeira maratona de estudos (estudando, intensamente, dia e noite). Por outro, também vemos aqueles que preferem desacelerar um pouco, para chegar, no dia da prova, com a mente mais descansada. O que você aconselha?

Márcia: Como meu maior período de estudo é na madrugada, mantive o mesmo ritmo. E um dia antes da prova da primeira fase, descansei, não estudei nada. Já a segunda fase, foi um pouco diferente. Era período de férias da faculdade e viajei para o interior. Assim, pude passar um tempo com minhas sobrinhas, ajudando minha irmã com a chegada do bebê; além de outras atividades pessoais. Por isso, só consegui estudar, com maior dedicação e organização, a partir de 03 de janeiro. Naquela ocasião, comprei o curso de direito constitucional do professor Diego Cerqueira. Assim, foram dias intensos, dormia e acordava com os PDFs do professor Diego. E, muitas vezes, estudava ao som de desenhos infantis, para distrair a cria rsrs. Foi a melhor escolha que fiz na vida! Pois, o professor Diego sabe o que faz e transmite o conteúdo de forma leve e objetiva, sem enrolações. E isso era tudo de que eu precisava para ter uma chance real, na segunda fase, com o pouco tempo que tinha.

Estratégia: Para a segunda fase, optou por criar uma peça de qual área do direito? Qual foi sua estratégia na hora de tomar sua decisão?

Márcia: A primeira opção para segunda fase era prática penal. No entanto, ainda estava cursando essa disciplina no nono período. Assim, no último momento, optei por prática constitucional. Pois já tinha cursado essa disciplina com o professor Alcides Coelho no sétimo período da faculdade. E gostei muito da metodologia dele. Acredito que foi a melhor estratégia! Isso porque conhecia algumas peças e foi o que me facilitou bastante no processo. Já que não tive tempo hábil para escrever peças completas ao resolver os simulados para segunda fase.

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Márcia: Eu deveria ter revisado mais a parte de direito material, sem deixar de dormir mais algumas horas por noite. Assim, poderia ter absorvido melhor o conteúdo e manteria a racionalidade (rsrs). Fiquei muito cansada, no dia da prova. E isso me fez perder tempo na identificação da devida fundamentação jurídica. Tanto que deixei de resolver a última questão por falta de tempo. Por isso, saí da prova arrasada. Sabia que tinha feito uma boa peça. Contudo, não tinha certeza se tinha pontuado o suficiente nas questões para garantir a aprovação.

Estratégia: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação? E qual foi sua principal motivação?

Márcia: O mais difícil foi passar por tudo, longe da minha família. Minha principal motivação foi e continua sendo o meu filho, minha família e a paixão pelo direito. Cada pequena vitória prova que estou no caminho certo, esse é o meu mundo.

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para o Exame da OAB? Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Márcia: Se o direito é o que você, realmente, quer para sua vida e se a “vermelhinha” faz parte desse sonho, continue firme, não desista. Acredite, você vai conseguir. Não importa em qual fase você se encontra. Se você está, no início da faculdade, ou se já terminou o curso, comece a estudar agora. Não espere edital, condições ideais, nem o medo da reprovação passar; comece hoje. Dê o primeiro passo, mesmo com medo, depois outro e mais um. Mantenha o foco no seu sonho e construa a sua história com disciplina e determinação. O objetivo, o sonho, seja lá como você chama, é seu. Ninguém pode tirar a responsabilidade das suas mãos, só você pode decidir batalhar e conseguir sua aprovação.  Siga firme no seu caminho apesar dos obstáculos. Confie no seu caminhar e não deixe nada e nem ninguém esfriar esse desejo intenso de materializar seus sonhos.  No mais, desejo que Deus abençoe todos os seus objetivos, que você possa a cada passo e a cada nova experiência que viva, ter a sensação de que esse é um dos melhores momentos da sua vida.

Confira outras entrevistas em:

Depoimentos de Aprovados

Cursos Online para Concursos

Foi aprovado e deseja dividir com a gente e com outros concurseiros como foi sua trajetória até a aprovação?! Mande um e-mail para: [email protected]

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Resultados:

  • Concurso TJ PR Dos 275 aprovados, 31 são nossos alunos
  • Concurso Banrisul 2018 (Escrituário) Dos 185 aprovados, 46 são nossos alunos
  • Concurso Sefaz RS 2018 (Papiloscopista) Dos 119 aprovados, 66 são nossos alunos
  • Concurso Sefaz RS 2018 (Escrivão) Dos 100 aprovados, 50 são nossos alunos
  • Concurso Sefaz RS 2018 (Agente) Dos 180 aprovados, 113 são nossos alunos

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.