ENTREVISTA: Lorran Samilo - Aprovado no concurso da Secretaria de Estado da Administração do Amapá (SEAD) para o cargo de Assistente Administrativo

Entrevista:

ENTREVISTA: Lorran Samilo – Aprovado no concurso da Secretaria de Estado da Administração do Amapá (SEAD) para o cargo de Assistente Administrativo

“Ainda tenho muito o que conquistar, mas a mensagem que deixo e que aprendi com um grande mestre é: A única coisa que não é possível recuperar nessa jornada é o tempo que investimos nela. Então se você realmente quer estudar para concurso público, não desista nunca! Sua hora vai chegar”

Confira nossa entrevista com Lorran Samilo, aprovado no concurso da Secretaria de Estado da Administração do Amapá (SEAD) para o cargo de Assistente Administrativo:

Estratégia Concursos: Conte-nos um pouco sobre você, para que nossos leitores possam te conhecer melhor. Você é formado em que área? Qual sua idade? De onde você é?

Lorran Samilo: No momento estou cursando Letras, tenho 21 anos e sou de Macapá, capital do Amapá.

Estratégia: O que te levou a tomar a decisão de começar a estudar para concursos?

Lorran: Para ser sincero, inicialmente foi mais a pressão da minha mãe e da vida também. Mesmo depois que eu me formasse, não me via com um futuro promissor e nem tinha expectativas de ganhar um bom salário atuando na minha área de formação.

Estratégia: Durante sua caminhada como concurseiro, você trabalhava e estudava (como conciliava trabalho e estudos?), ou se dedicava inteiramente aos estudos para concurso?

Lorran: Quando iniciei meus estudos, em setembro de 2017, eu trabalhava das 5:30 horas até as 7:00 horas em uma padaria; ia para um cursinho presencial aqui no meu estado pela manhã; fazia faculdade à tarde; e estudava à noite, em casa. Mas essa rotina era bastante cansativa e precisei largar algumas disciplinas da faculdade.

Estratégia: Quantos e em quais concursos já foi aprovado? Qual o último? Em qual cargo e em que colocação?

Lorran: No ano de 2018, fui aprovado em 3 concursos: Secretaria da Saúde da prefeitura de Macapá; no Instituto de Administração Penitenciária do Amapá; e passei em 25º lugar para assistente administrativo na Secretaria de Estado da Administração (SEAD) do Amapá.

Estratégia: Qual foi sua sensação ao ver seu nome na lista dos aprovados/classificados?

Lorran: Fiquei bastante feliz e muito surpreso com a minha colocação. Agradeci bastante a Deus também! Não estava 100% confiante que iria passar na prova da SEAD. A concorrência alta e o tempo bem curto para fazer a prova (3h30 horas para resolver 50 questões e fazer uma redação). Eu estava bastante nervoso no dia da prova.

Estratégia: Como era sua vida social durante a preparação para concursos? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social?

Lorran: Creio que era um meio-termo. Não me privava do convívio social, mas sabia dosar, para não atrapalhar os estudos.

Estratégia: Você é casado? Tem filhos? Namora? Mora com seus pais? Sua família entendeu e apoiou sua caminhada como concurseiro(a)? Se sim, de que forma?

Lorran: No momento estou solteiro e moro com minha mãe. Sempre tive bastante apoio para estudar, pelo menos na teoria. Escutei muito, e de várias pessoas, que eu não fazia nada, ficava só sentado na frente do computador “o dia inteiro”.

Sem contar o fato de que estudar em casa é complicado, porque nem sempre a gente tem o silêncio que precisa e, muitas vezes, temos que parar de estudar para resolver algum problema ou fazer alguma tarefa.

Estratégia: Você acha que vale a pena fazer outros concursos, com foco diferente daquele concurso que é realmente seu objetivo maior?

Lorran: Acredito que cada caso é um caso, depende muito de cada pessoa. Por exemplo, meu objetivo em 2018 era fazer a prova do MPU, mas por conta de alguns problemas pessoais no início de 2018, eu não estava nem um pouco focado em estudo.

Foi então que saiu o edital da Secretaria da Saúde do município. Naquela época, eu precisava tanto do dinheiro como também de algo para me manter focado estudando. Então, nesse caso, foi uma opção viável o desvio de foco.

A SEAD, que estou esperando a nomeação, não é o concurso dos meus sonhos, mas vai ajudar bastante na minha vida. Meu sonho mesmo é me tornar Analista do TRF. Sei que a caminhada até lá vai ser árdua, mas com esforço, disciplina e persistência nos estudos, eu chego lá!

Estratégia: Você estudou por quanto tempo direcionado ao concurso que foi aprovado?

Lorran: Com foco específico na SEAD-AP, foram 3 meses. Mas eu já tinha uma base, pois estudava desde o final de 2017.

Estratégia: Chegou a estudar sem ter edital na praça? Durante esse tempo, como você fazia para manter a disciplina nos estudos?

Lorran: Não para a SEAD. Mas o conteúdo do MPU me ajudou a ter uma base. O grande problema é que eu não consegui manter muito a disciplina sem edital, pelo menos não no início de 2018.

Estou aprendendo a ser disciplinado esses tempos. Mesmo depois do último concurso que fiz, me mantive estudando, agora com foco no próximo concurso que farei, que será o da Assembleia aqui do estado.

Estratégia: Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um?

Lorran: Aulas presenciais, cursos em PDF, videoaulas e MILHARES de questões!

As aulas presenciais são de muita ajuda quando a pessoa está iniciando nos estudos ou, até mesmo, quando ela sente dificuldade na matéria X. Mas, conforme você avança nos estudos, elas começam a ser de pouca ajuda.

Na minha opinião, os cursos em PDF, em se tratando de teoria, são as melhores escolhas. Eu aprendo melhor lendo. em contrapartida, apesar de serem mais completos, os PDFs são mais demorados que as videoaulas. Eu os considero mais eficazes que eficientes.

A grande vantagem da videoaula é a eficiência. Normalmente elas vão direto ao ponto e, quando isso não acontece, é possível acelerar os vídeos e até pular certas partes.

O passo mais importante, certamente, são as questões. Independente de como você veja o assunto, seja aulas presenciais, PDFs, videoaulas ou audioaulas, é nos exercícios que você vai testar seu desempenho e ver se a forma como você estudou foi realmente efetiva.

Estratégia: Como conheceu o Estratégia Concursos?

Lorran: A primeira vez que ouvi falar do Estratégia, foi no cursinho presencial que eu fazia. Havia um professor que sempre incentivava a estudar em casa e comentava dos materiais do Estratégia. foi assim que eu comecei a pesquisar a respeito.

O contato inicial foi com o material em PDF. Achei bem completo e bem explicado, então resolvi comprar o curso do MPU (isso no início de 2018). Desde então, sou aluno!

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todo o concursando é a quantidade de assuntos que devem ser memorizados. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e releitura da teoria? Como montou seu plano de estudos? Quantas horas por dia costumava estudar?

Lorran: Eu não tenho essa capacidade de estudar várias coisas ao mesmo tempo, me atrapalho todo (hehe). Separava por tópicos do edital.

Por exemplo, se eu tirava um dia para estudar Atos Administrativos, eu não seguia o cronograma nos estudos enquanto não terminasse esse tópico por inteiro, incluindo os exercícios. Assim que eu terminava um item do edital de Direito Administrativo, seguia para Constitucional e depois Administração. Uma matéria em cada dia.

Meu método de estudo consiste em 3 etapas: teoria, resumo e questões. Quando nunca estudei um determinado assunto, eu claramente gasto um certo tempo a mais na teoria, pois o objetivo é montar um resumo bom o suficiente para eu não ter que voltar a vê-la por extenso. Assim que finalizado o resumo, faço os exercícios para verificar se realmente aprendi direitinho.

Nesse primeiro momento, gasto um bom tempo em apenas um assunto. Mas vale a pena, pois da próxima vez que eu for revisá-lo, uns 20 minutos é o suficiente para ver o resumo, me ajudando a focar no que realmente importa, que são as questões. Eu tinha como meta responder em torno de 100 por dia.

Na preparação para a SEAD, eu estava estudando (fora o tempo que ficava no cursinho presencial), em torno de 3 a 4 horas por dia. Mais da metade desse tempo era resolvendo questões.

Estratégia: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar estas dificuldades?

Lorran: Quando comecei a parte dos direitos, tive as dificuldades que todos têm: muita informação nova, os assuntos não são difíceis… Acontece que é muita coisa nova para memorizar, mas é com o tempo e a rotina dos estudos que vamos fixando o conteúdo.

A matéria que realmente me causou problemas foi Administração. Os direitos são cheios de artigos para decorar, já Administração é completamente diferente: muita teoria, muitos autores, muitas visões diferentes sobre uma mesma coisa.

O que me ajudou bastante foi a revisão que eu fiz para o MPU. Eu estava meio desesperado, pois a prova seria na outra semana. Gastei dois dias direto, das 7 horas da manhã a meia noite assistindo videoaulas, fazendo anotações e respondendo questões. Só parando para fazer minhas refeições.

Não gravei quase nada do que vi nesses 2 dias, mas o que realmente me foi útil disso tudo é que pude, finalmente, ter uma visão ampla da matéria, uma visão global, depois que passou o desespero (kkkkk).

Estratégia: A reta final é sempre um período estressante. Como foi sua rotina de estudos na semana que antecedeu a prova? E véspera de prova: foi dia de descanso ou dia de estudo?

Lorran: Diferente do MPU e apesar de eu ter feito a prova (da SEAD) bem nervoso, na reta final da SEAD eu estava bem tranquilo, respondendo em torno de 100 questões por dia e resolvendo também alguns simulados que montei com os principais assuntos do edital. Já a véspera foi dia de descanso.

Estratégia: No seu concurso, tivemos, além das provas objetivas, as provas discursivas. Como foi seu estudo para esta importante parte do certame? O que você aconselha?

Lorran: Eu recebi algumas dicas, tanto de amigos, como de professores sobre como citar autores, como melhorar a escrita… Foram bem úteis! Mas certamente, o melhor conselho que me deram, foi praticar bastante. Realmente constatei que só na prática que se aprende.

Eu escrevia em torno de 1 a 2 redações por semana. Quando não tinha professores disponíveis para corrigi-las, pedia para algum amigo dar uma lida para mim.

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Lorran: O meu maior acerto foram as questões. Eu respondi bastante e isso me ajudou muito durante a preparação.

O meu maior erro foi na parte discursiva da prova (maior parte da nota). Comecei a praticar minha escrita muito em cima do prazo e isso fez com que eu não fosse tão bem preparado para fazer esta parte.

No dia do concurso, eu não soube administrar tão bem o meu tempo. Gastei quase 2 horas fazendo a redação (isso porque dei uma acelerada no final quando estava passando a limpo), e isso me fez errar algumas coisas no texto.

Sobraram 1h30 para responder 50 questões e passar para o cartão resposta. A parte boa é que sou rápido nessa parte, mas a falta de tempo me deixou bastante nervoso e, quando terminei, não estava confiante de que tinha feito uma boa prova.

Estratégia: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação? Chegou a pensar, por algum momento, em desistir? Se sim, como fez para seguir em frente?

Lorran: A própria rotina de estudos é bem difícil de manter por muito tempo. Houveram vários dias que eu chegava da faculdade bem cansado e ainda tinha bastante coisa para estudar. Alguns dias eu forçava, outros dias realmente não tinha condições.

Nos dias mais críticos, que o corpo e mente, psicológico e emocional, estão exaustos, eu normalmente procurava conversar com algum amigo, desabafar um pouco, assistir algum filme para me distrair ou até mesmo dormi mais cedo, para poder acordar recuperado para outro dia.

Estratégia: Qual foi sua principal motivação?

Lorran: Minha principal motivação sempre foi a mudança de vida que consequentemente temos com a aprovação em concurso público; poder oferecer uma vida melhor à minha família e para aqueles que estão próximos de mim.

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para concurso. Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Lorran: Ainda tenho muito o que conquistar, mas a mensagem que deixo e que aprendi com um grande mestre é: A única coisa que não é possível recuperar nessa jornada é o tempo que investimos nela. Então se você realmente quer estudar para concurso público, não desista nunca! Sua hora vai chegar.

Na vida de concurseiro só há duas saídas: ou você desiste ou você passa (uns em 5 meses, outros em 5 anos, cada um no seu tempo)!

Confira outras entrevistas em:

Depoimentos de Aprovados

Cursos Online para Concursos

Foi aprovado e deseja dividir com a gente e com outros concurseiros como foi sua trajetória até a aprovação?! Mande um e-mail para: [email protected]

Abraços,

Thaís Mendes

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Resultados:

  • Concurso Analista e Assistente DPE AM 2019 Dos 134 primeiros colocados, 52 são nossos alunos
  • Concurso SEFAZ-AL 2020 - Auditor Fiscal Dentro das 60 vagas ofertadas, 32 são nossos alunos
  • Concurso DEAP SC - Agente Penitenciário Feminino 2019 Das 50 melhores colocadas, 16 são nossas alunas
  • Concurso MP RJ - Oficial 2019 Dos 10 primeiros colocados, 6 são nossos alunos
  • Concurso MP RJ - Técnico Administrativo Dos 10 primeiros colocados, 7 são nossos alunos