ENTREVISTA: Jefferson Pereira de Andrade - Aprovado em 28º lugar no concurso da PRF para o estado de Mato Grosso (provas objetiva e discursiva)

Entrevista:

ENTREVISTA: Jefferson Pereira de Andrade – Aprovado em 28º lugar no concurso da PRF para o estado de Mato Grosso (provas objetiva e discursiva)

“Essa é a palavra chave: disciplina! Trate o seu horário de estudo como uma parte indispensável/inegociável do seu dia. Fazendo assim, você certamente terá sucesso na sua empreitada”

Confira nossa entrevista com Jefferson Pereira de Andrade, aprovado em 28º lugar no concurso da Polícia Rodoviária Federal para o estado de Mato Grosso (provas objetiva e discursiva):

Estratégia Concursos: Conte-nos um pouco sobre você, para que nossos leitores possam te conhecer melhor. Você é formado em que área? Qual sua idade? De onde você é?

Jefferson Pereira de Andrade: Olá, sou formado em Direito pela UFJF, tenho 34 anos sou natural de Cabo Frio – RJ, mas resido em Juiz de Fora – MG atualmente.

Estratégia: O que te levou a tomar a decisão de começar a estudar para concursos?

Jefferson: Gosto da impessoalidade em relação ao concurso público. Você não depende de indicação ou de ficar agradando terceiros para conseguir uma vaga. Cabe somente a você, com disciplina e consistência, estudar e mostrar seu valor através do seu esforço e mérito próprio.

Estratégia: Durante sua caminhada como concurseiro, você trabalhava e estudava (como conciliava trabalho e estudos?), ou se dedicava inteiramente aos estudos para concurso?

Jefferson: Sempre trabalhei ao longo dos meus estudos. Conseguia estudar cerca de 3 horas diárias, de segunda à sexta, e no fim de semana fazia cerca de 5 horas no sábado e outras 5 no domingo, totalizando 25 horas liquidas semanais (isso em média). Nas semanas mais próximas da prova, conseguia chegar a 35 horas semanais (mas é importante que a pessoa se conheça e não exceda seus limites, para não correr o risco de dar todo o gás e chegar cansada na prova).

Estratégia: Quantos e em quais concursos já foi aprovado? Qual o último? Em qual cargo e em que colocação?

Jefferson: Fui aprovado, nomeado e entrei em exercício nos cargos de Agente de Polícia na PCMG (2007), Assistente em Administração na Prefeitura de Juiz de Fora (2009), Técnico de Registro Empresarial na Junta Comercial do Estado de Minas Gerais (2009) 3º lugar, Fiscal no Conselho Regional de Medicina Veterinária de Minas Gerais (2010) 1º lugar, Fiscal no Conselho Regional de Odontologia de Minas Gerais (2011) 1º lugar.

E agora estou aprovado em 28º lugar na Polícia Rodoviária Federal, dentro das vagas no Mato Grosso.

Estratégia: Qual foi sua sensação ao ver seu nome na lista dos aprovados/classificados?

Jefferson: Estava na sala de espera do pediatra da minha neném recém-nascida, com minha namorada, e começou a chuva de mensagens nos grupos. Abri o PDF do Cespe, cliquei em localizar e fui preenchendo meu nome, letra a letra, até que vi lá!

É sensacional, ainda mais que tive a surpresa ao ver uma boa nota na discursiva e já imaginei que estaria numa boa colocação. Minutos depois, quando os colegas fizeram a planilha e vi que estava dentro das vagas, aí sim eu até tremia, com um misto de alegria e satisfação. Faz todo o sacrifício valer a pena, sem dúvida!

Estratégia: Como era sua vida social durante a preparação para concursos? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social?

Jefferson: O equilíbrio é essencial. Claro que quando a data da prova vai se aproximando, você abdica de várias coisas. Mas em situações normais, eu me comprometia em cumprir a carga horária programada de estudo.

Estratégia: Você é casado? Tem filhos? Namora? Mora com seus pais? Sua família entendeu e apoiou sua caminhada como concurseiro? Se sim, de que forma?

Jefferson: Eu e minha namorada moramos juntos e tivemos nossa primeira filha recentemente, a Malu. Ela nasceu 5 dias antes da prova da PRF. Foi emocionante e é uma sensação inexplicável. O apoio é primordial e sem o apoio da minha companheira, não sei se teria conseguido. Ela me ajudava em tudo e, sem dúvidas, devo parte da minha aprovação a ela.

Estratégia: Você acha que vale a pena fazer outros concursos, com foco diferente daquele concurso que é realmente seu objetivo maior?

Jefferson: Caso sejam da mesma área e seu cargo alvo ainda esteja sem notícias mais quentes, eu acho importantíssimo fazer outras provas. É aquele clichê que diz: concurseiro faz concurso. Você tem que treinar, sentir a pressão do dia da prova, ainda que você faça simulados regularmente (que por sinal são indispensáveis), não se deve abrir mão de realizar provas. É aquela máxima: treino é treino, jogo é jogo.

Mesmo que você simule ao máximo condições próximas das reais na realização de seus simulados, sua mente saberá que a situação não é real e você precisa experimentar o estresse diferenciado que existe em tudo que envolve a realização de uma prova.

Estratégia: Você estudou por quanto tempo direcionado ao concurso que foi aprovado?

Jefferson: Minha última aprovação já tinha muito tempo (2011) e tive que recomeçar tudo (afinal eram mais de 7 anos sem estudar para concursos). Em maio de 2018, adquiri o pacote completo para Agente da PF. Estudei por 4 meses e meio até a prova, que ocorreu em meados de setembro. Fiz 67 pontos e fiquei fora da correção da redação por 1 ponto. Vi que estava no caminho certo, só havia faltado tempo para cobrir todo o conteúdo com qualidade.

Então comprei o pacote da PRF e retomei o ritmo, voltando a estudar em outubro até a prova que foi realizada no início de fevereiro de 2019. No total, foram cerca de 9 meses de preparação. Durante esse tempo total de preparação, para ambos concursos, eu registrei 914 horas líquidas de estudo.

Estratégia: Chegou a estudar sem ter edital na praça? Durante esse tempo, como você fazia para manter a disciplina nos estudos?

Jefferson: Estudei pouco tempo antes de abrir os editais. Os concursos, tanto da PF quanto da PRF, já estavam autorizados e os editais estavam na iminência. Isso foi justamente um fator motivacional grande, sabia que estava na corrida contra o tempo.

Estratégia: Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um?

Jefferson: Usei de maneira muito breve as videoaulas. Como nunca havia estudado trânsito, no início da preparação para a PRF fiz uma maratona de 2 dias intensos, assistindo todas os vídeos do curso de legislação de trânsito do professor Girão, para ter um entendimento amplo da matéria. Naquele momento, eu não tinha uma preocupação de memorizar os detalhes, só ter uma visão macro do assunto.

A partir daí, comecei com os PDFs de todas as matérias. Na minha opinião, a leitura deve ser sua principal forma de consumir conteúdo, usando as videoaulas subsidiariamente.

Estratégia: Como conheceu o Estratégia Concursos?

Jefferson: Através de pesquisas na internet e lendo depoimento de aprovados. Vendo as aulas demonstrativas, percebi a qualidade do material e optei por adquiri-lo.

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todo o concursando é a quantidade de assuntos que devem ser memorizados. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e releitura da teoria? Como montou seu plano de estudos? Quantas horas por dia costumava estudar?

Jefferson: Fiz um ciclo de estudos com 6 matérias inicialmente e, conforme ia finalizando uma, inseria outra. Gostava de fazer revisões através de questões, em cadernos que elaborava no TEC concursos.

Estudava em média de 3 a 4 horas liquidas diárias durante a semana, nos fins de semana, uma média de 6 horas no sábado e nos domingos, fazia simulados e os corrigia, totalizando também cerca de 6 horas de estudo.

Estratégia: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar estas dificuldades?

Jefferson: No estudo para PRF, tinha dificuldade com física, como a maioria do pessoal. Mas me forcei a aprender os conceitos e entender a aplicação de algumas formulas. Na prova consegui salvar alguns pontinhos.

Estratégia: A reta final é sempre um período estressante. Como foi sua rotina de estudos na semana que antecedeu a prova? E véspera de prova: foi dia de descanso ou dia de estudo?

Jefferson: Como minha filha nasceu 5 dias antes da prova, minha última semana foi de muita trocação de fraldas rs …

Mas estava confiante no preparo que havia feito nos meses anteriores. Cheguei em Cuiabá na sexta a noite e, no sábado, passei assistindo a revisão de véspera e os vídeos das apostas finais do Estratégia.

Estratégia: No seu concurso, tivemos, além das provas objetivas, as provas discursivas. Como foi seu estudo para esta importante parte do certame? O que você aconselha?

Jefferson: Adquiri o curso de discursivas com correção. Material de altíssima qualidade, temas muito pertinentes. Só tenho elogios para a equipe formada pelos profs Carlos Roberto, Marcio Damasceno, Rafaela Freitas e Leandro Signori. Minhas notas nas redações que enviei para correção foram 16,83 / 17,60 / 18,22 e a nota que obtive na prova foi 17,87. Uma demonstração clara de que a prática é imprescindível para uma boa nota na discursiva.

Não adianta só ler temas e suas propostas de respostas, tem que gastar caneta! Nos dois meses anteriores a prova, eu fazia uma redação por semana.

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Jefferson: Teria me preparado com um pouco mais de antecedência, para poder me aprofundar mais nos assuntos. Acredito que o maior acerto foi aliar um bom material teórico com a prática de vários exercícios. Na verdade, não tem muito segredo. Se você estudar com qualidade e disciplina, você irá colher os frutos.

Estratégia: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação? Chegou a pensar, por algum momento, em desistir? Se sim, como fez para seguir em frente?

Jefferson: Não pensei em desistir. Eu sabia o que queria, tinha um objetivo. Você precisa ter uma postura de aprovado, acreditar que você é capaz. Não duvide do seu potencial.

Estratégia: Qual foi sua principal motivação?

Jefferson: Logo quando comecei a estudar para a PF, poucas semanas após iniciar, eu e minha namorada descobrimos que ela estava grávida. Ter a responsabilidade de trazer uma vida ao mundo traz uma motivação imensa =)

Nossa neném ter nascido dias antes da prova da PRF, me trouxe uma alegria indescritível. Essa energia me ajudou muito durante a prova.

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para concurso. Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Jefferson: Quando se opta por estudar para concursos, deve se ter em mente que ou você faz bem feito ou vai investir bons meses/anos da sua vida sem ter o retorno que espera. Tome esta decisão e viva esse novo mundo. Deixe as redes sociais de lado, se limite a seguir o que irá te trazer valor (alguns professores agregam muito na preparação com resoluções de questão em seus perfis, principalmente no instagram, que foi a única rede social que mantive).

Saiba que o seu tempo de aprovação vai ser inversamente proporcional à sua dedicação aos estudos. Você pode ficar muitos anos estudando mais ou menos ou estudar bons meses com afinco e disciplina. Essa é a palavra chave: disciplina! Trate o seu horário de estudo como uma parte indispensável/inegociável do seu dia. Fazendo assim, você certamente terá sucesso na sua empreitada. Pode até não ser naquela prova que você almejava inicialmente, mas o importante é seguir firme após reprovações que certamente ocorrerão, pois todo o conhecimento adquirido não será perdido. Você chegará cada vez mais preparado nas provas que virão e uma hora pode ter certeza que vai dar certo!

Confira outras entrevistas em:

Depoimentos de Aprovados

Cursos Online para Concursos

Confira também:

Foi aprovado e deseja dividir com a gente e com outros concurseiros como foi sua trajetória até a aprovação?! Mande um e-mail para: [email protected]

Abraços,

Thaís Mendes

Veja os comentários:
Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Resultados:

  • Concurso DPE-AM 2018 - Defensor Público Dos 59 aprovados, 21 deles são nossos alunos
  • Concurso DPE-AP 2018 - Defensor Público Dos 108 aprovados, 34 deles são nossos alunos
  • Concurso ALE-RO 2018 - Advogado Dentro das 4 vagas ofertadas, 2 aprovados são nossos alunos
  • Concurso PGM-Manaus 2018 - Procurador Dos 146 aprovados, 58 deles são nossos alunos
  • Concurso PGE-TO 2018 - Procurador Dos 135 aprovados, 52 deles são nossos alunos

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.