ENTREVISTA: Caio Murillo de Lima - Aprovado nas provas objetiva e discursiva do concurso de Agente da Polícia Federal

Entrevista:

ENTREVISTA: Caio Murillo de Lima – Aprovado nas provas objetiva e discursiva do concurso de Agente da Polícia Federal

“A qualidade de estudo é mais importante que o tempo. Não se intimide com aquele concorrente que estuda o dia todo e que não precisa trabalhar. Foque em que você é mais fraco. Seja persistente, pois uma hora você consegue!”

Aprovado nas provas objetiva e discursiva do concurso de Agente da Polícia Federal, o curitibano Caio Murillo de Lima sempre teve como objetivo passar em um concurso na área policial. Chegou ter êxito nas provas do concurso da PRF, em 2013. Mas foi desclassificado por falta de uma análise em um exame médico.

Foram 4 anos de estudo, sempre precisando conciliar seu tempo com o trabalho e com a vida social. Agora, em 2015, Caio segue na primeira fase do concurso da PF, na expectativa da tão sonhada aprovação.

Confira nossa entrevista com Caio Murillo de Lima. Aprovado nas provas objetiva e discursiva do concurso de Agente da Polícia Federal:

Estratégia Concursos: Conte-nos um pouco sobre você. Assim, nossos leitores poderão conhecê-lo melhor. Você é formado em que área? Trabalhava e estudava? Ou se dedicava inteiramente aos estudos? Quantos e quais concursos já foi aprovado? Qual o último?

Caio Murillo de Lima: Moro em Curitiba desde que nasci. Sempre estudei em escola pública. Eu me formei em 2008 em Ciência da Computação pela UFPR em 2008. Mas desde 2005, sempre trabalhei. Eu já havia passado em pequenos concursos. Mas minha grande motivação sempre foi a área policial, principalmente a federal. Passei no concurso da Polícia Rodoviária Federal em 2013. Fiz todas as etapas, mas fiquei mal colocado. Além de ter sido desclassificado pela falta de uma análise em um exame médico. E mesmo apresentando-o no recurso, não foi aceito. Comecei a estudar em 2011, com foco no cargo de Agente da Polícia Federal. Esse era o meu verdadeiro sonho. Fiz cursinho presencial à noite, pois continuei trabalhando.

Estratégia: Qual foi sua sensação ao ver seu nome na lista dos aprovados/classificados?

Caio: Sinceramente, fiquei feliz, claro! Mas muito cauteloso. Infelizmente, o concurso da PF é composto de várias etapas que podem eliminar você. Então, ainda estou bem apreensivo, quanto a ficar feliz. Mas dá uma emoção grande, um sentimento de realização, retribuição de todo o esforço. Entretanto, ainda segue o concurso. E ainda estou me resguardando das comemorações, rs.

Estratégia: Como era sua vida social durante a preparação para concursos? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social para passar no concurso o mais rápido possível?

Caio: Não fui muito radical. Mesmo trabalhando, não deixei de fazer algumas coisas. Apenas diminui minhas atividades. Continuei fazendo um churrasquinho, vendo filmes com a namorada, que sempre me apoiou. Acho que cada um tem um limite, alguns conseguem abdicar-se de tudo isso, mas a maioria não. E acho que para essa maioria, deixar totalmente a vida social de lado, pode mais prejudicar o candidato do que ajudá-lo. Pois, dessa maneira, o aluno acaba desistindo. Acho que se souber dosar suas atitudes, dá para levar tudo junto. Claro que a aprovação pode demorar um pouco mais para vir dessa forma. Mas é melhor ela vir tarde do que nunca. E é isso que acontece quando você desiste.

Fiquei mais radical quando o edital saiu. Mas não deixei o trabalho, os amigos e principalmente a namorada. Estudava na casa dela nos finais de semana. E no momento de descanso, dava para ver um filminho, rs.

Estratégia: Ao longo de sua jornada, você tentou outros concursos, para treinar e se manter com uma alta motivação ou decidiu manter o foco apenas naquele concurso que era o seu sonho? Você acha que vale a pena fazer outros concursos, com foco diferente daquele concurso que é realmente seu objetivo maior?

Caio: Fiz outros concursos sim. Mas nunca estudei para outras matérias fora do meu foco, apenas dava uma olhada. É importante fazer outras provas, principalmente da mesma banca. Você vai se acostumando com o ambiente. E no dia da sua grande prova, você já se sente “em casa”.

Estratégia: Você estudou por quanto tempo, contando toda a sua preparação? Durante este tempo de estudo, como você fazia para manter a disciplina nos estudos mesmo naqueles períodos em que não havia edital na mão?

Caio: Eu comecei os estudos em 2011. Mas sempre relaxava entre um concurso e outro, ficando períodos sem estudar nada. Acho essa uma grande vantagem para quem não larga o trabalho. Estudava mais leve quando o concurso estava em autorização, focando nas matérias que era mais fraco. Quando saía a autorização dele, intensificava mais um pouco, focando nas matérias que tinha mais dificuldade. E força total quando o edital saía.

Estratégia: Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um?

Caio: No início da minha jornada, estudei por meio de curso presencial. Ele é bom para quem está começando e tem tempo para os estudos. Mas é um péssimo custo benefício de tempo e dinheiro. O tempo é perdido com deslocamento, inconsistência na qualidade do corpo docente, falta de produtividade nas aulas, pelos diversos níveis de alunos em diferentes matérias. Se você é bom em uma parte da matéria, não pode simplesmente pular a explicação do professor. Se você é ruim em outra disciplina, não podem repeti-la…

Tentei as videoaulas. Elas eliminam a maioria dos defeitos  da aula presencial. Mas ainda assim, consumia muito tempo.E eu não conseguia me concentrar muito bem com alguns professores. Alguns pontos eram repetitivos, outros muito rápidos.

Usei alguns Livros. Eles são ótimos! Você pode pesquisar o melhor da cada assunto. E se quiser se aprofundar, você consegue. Eu consigo aprender melhor lendo os livros do que assistindo às videoaulas. O problema é que em muitos casos, eles são muito amplos, fazendo você estudar muita coisa que nem cai na prova. Para quem quer focar em um concurso específico, o livro não é tão eficiente.

Aulas em PDF, acho que foi meu grande diferencial nesse ano de estudos. Eu me adaptei muito bem com elas. Posso rever as matérias quantas vezes quiser! Geralmente, elas são focadas no edital. Para quem tem pouco tempo para estudar, como no meu caso, é o ideal. Alguns professores excelentes estão elaborando aulas em PDF. Eles conseguem transmitir muito bem o conhecimento. E a sensação é de que eles estão conversando com você. Com certeza, foi a melhor forma de estudar que encontrei! Todavia, cada um tem a sua maneira com a qual se adapta.

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todo o concursando é a quantidade de assuntos que deve ser memorizada. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e re-leitura da teoria?

Caio: Eu sempre foquei nas matérias que eu era mais fraco. No começo, foi português. Saí quase do zero. Para esse concurso, praticamente fiquei apenas nos exercício. Uma vez que era uma matéria que já havia estudado muito. Então, quando sentia que uma matéria era meu ponto fraco, focava nela.

Segundo, nunca gostei de resumos, acho que os PDFs já são muito bem elaborados em sua maioria. Creio que relê-los é uma forma muito mais eficiente do que ler um resumo. Eu já até tentei fazer isso. Mas sempre perdia tempo fazendo-os. E quando ia reler os resumos, parece que não tinham serventia. Eu nunca misturei muito as matérias também. Estudava 2 ou 3 disciplinas por vez, até terminar um material. Achava menos cansativo assim. Já os exercícios, eu os fazia sempre um pouco de cada. 

Estratégia: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar estas dificuldades?

Caio: No início da minha caminhada, era português. Para este concurso, com certeza os desafios foram em Contabilidade e Economia. Eu li mais de um material dessas matérias, até achar o que me sentia mais confortável. E reli pelo menos umas 3 vezes o de contabilidade, e 2 de economia. “Por falta de tempo, pois o edital havia alterado o conteúdo dessa disciplina”!

Estratégia: A reta final é sempre um período estressante. Como você levou seus estudos neste período? Você se concentrava nas matérias de maior peso ou distribuía seus estudos de maneira mais homogênea? Focava mais na re-leitura, em resumos, em exercícios, etc ?

Caio: Foquei na releitura e exercícios. Dei prioridade para as matérias de maior peso e as que eu tinha menor índice de acertos, como português e lógica. Mesmo tendo alto peso, eu também mantinha um alto grau de acertos. Foram matérias que eu deixei um pouco de lado para me focar nas que estava mais fraco. Eu mais ou menos calculei a nota que achava que precisava. Se o índice de acertos estivesse abaixo do que eu calculei, eu reforçava aquela matéria.

Estratégia: Na semana da prova, nós sempre observamos vários candidatos assumindo uma verdadeira maratona de estudos (estudando intensamente dia e noite). Por outro lado, também vemos concurseiros que preferem desalecerar um pouco, para chegar no dia da prova com a mente mais descansada. O que você aconselha?

Caio: Bom, nas últimas duas semanas, eu tirei férias do trabalho. Então, aproveitei muito essas duas últimas semanas para estudar muito. Para mim, pareceu que eu estudei mais nessas duas semanas do que na fase anterior, rs. A adrenalina ajudava-me a manter o foco. E acho que foi muito importante. Mas cada pessoa comporta-se de uma maneira diferente. Acho importante a pessoa conhecer-se. Com isso, a experiência em provas, pode ajudar o candidato nessas decisões. Eu não tinha muita escolha, acho que foi muito importante essa maratona para minha aprovação. Porém, não sei se a qualidade do estudo foi tão boa quanto as poucas horas diárias que eu estudava antes. Acho que valeu a pena para refrescar a matéria.  Contudo, se fosse para aprender mesmo, talvez não desse muito certo.

Estratégia: No seu concurso, tivemos, além das provas objetivas, as provas discursivas. Como foi seu estudo para esta importante parte do certame? O que você aconselha?

Caio: Treinamento. Peguei um professor particular para corrigir as minhas redações.  Procurava provas anteriores da banca, redigia os textos, enviava-os ao professor. Esperava a correção deles , revia os pontos fracos e repetia o processo. Fiz umas 8 redações assim. Ajudou-me muito.

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Caio: Subestimei algumas matérias que achava que dominava por ser formado em informática. E por ter deixado-as de lado, tive alguns erros bobos. Outro erro foi ter começado a fazer muitos exercícios meio tarde das matérias que eu estava fraco. Foquei muito na teoria, deixei para fazer os exercícios em cima da hora. Acho que foi um erro muito grande.

Os maiores acertos foram nas escolhas dos materiais e no foco em que eu era mais fraco. Vale sempre dar uma olhada em materiais diferentes, até nas maneiras diferentes de estudar. Apesar de achar o PDF a melhor forma de estudo, em algumas matérias não o usei. Por exemplo, em lógica, eu ficava só em exercícios, por ser da área. Nesse ponto, vai de cada um. Outra coisa que funcionou para mim, é não estudar uma matéria que não está “descendo”. Se começava a ler um conteúdo e via que não estava absorvendo aquele assunto naquele dia, eu parava de lê-lo e ia fazer exercícios; ou estudava alguma outra matéria que fosse mais tranquila. Por isso, sempre estudava umas 3 disciplinas por vez.    

Estratégia: Pela sua experiência e contato com outros concurseiros, diga-nos quais são os maiores erros que as pessoas cometem quando decidem se preparar para concursos?

 Caio: Estudar por estudar, sem foco, sem vontade de aprender, com raiva da matéria. Se você quer passar em um concurso, aprenda a amar cada matéria como se fosse a sua favorita. Eu aprendi a admirar português, economia, até contabilidade, rs. É preciso entender a essência da matéria, a importância dela. Se o aluno já chega e fala “Odeio isso, não vou estudar”, já está perdendo uma boa parte da prova para os concorrentes. É exatamente nessa matéria que você deve focar.

Estratégia: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação?

Caio: A privação de coisas que gostava de fazer e o cansaço. A gente se priva do nosso bem estar, a gente perde horas estudando. Enquanto poderia fazer alguma atividade de lazer. Um outro ponto é a evolução profissional que estaciona. Você percebe que tem que deixar a sua carreira de lado. Às vezes, pensa se não era melhor fazer uma especialização, ou algum curso para sua área. É algo que pesa também.

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para concurso. Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Caio: A qualidade de estudo é mais importante que o tempo. Não se intimide com aquele concorrente que estuda o dia todo e que não precisa trabalhar. Foque em que você é mais fraco. Seja persistente, pois uma hora você consegue!

Outras entrevistas em:

https://www.estrategiaconcursos.com.br/depoimentos/

Assessoria de Comunicação

[email protected]

Veja os comentários:

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Resultados:

  • Concurso Analista e Assistente DPE AM 2019 Dos 134 primeiros colocados, 52 são nossos alunos
  • Concurso SEFAZ-AL 2020 - Auditor Fiscal Dentro das 60 vagas ofertadas, 32 são nossos alunos
  • Concurso DEAP SC - Agente Penitenciário Feminino 2019 Das 50 melhores colocadas, 16 são nossas alunas
  • Concurso MP RJ - Oficial 2019 Dos 10 primeiros colocados, 6 são nossos alunos
  • Concurso MP RJ - Técnico Administrativo Dos 10 primeiros colocados, 7 são nossos alunos