Entrevista com Aprovado concurso INSS 2016 - Estratégia

Entrevista:

ENTREVISTA: Ériko Carneiro – Aprovado no concurso INSS 2016 com quase 90% de aproveitamento

“O primeiro passo para passar é confiar em si mesmo, de início você não tem que se preocupar com os outros, a prioridade é você: qual seu nível, fraquezas, pontos fortes. Conheça-se! Depois defina qual concurso você quer, a partir daí o foco deve ser total”

Confina nossa entrevista com Ériko Carneiro, aprovado no concurso do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) 2016 com 107 pontos:

Estratégia Concursos: Conte-nos um pouco sobre você, para que nosso leitor possa te conhecer melhor. Você é formado em que área? Qual sua idade? De onde você é?

Ériko Carneiro: Sou natural de Itapajé, cidade do interior do Ceará, tenho 25 anos, sou formado em Administração de Empresas pela Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA.

Estratégia: Durante sua caminhada como concurseiro, você trabalhava e estudava (como conciliava trabalho e estudos?), ou se dedicava inteiramente aos estudos?

Ériko Carneiro: Iniciei os estudos pro INSS em agosto de 2014, logo após a minha formatura, nessa época trabalha e estudava. Passei 7 meses pra tomar a decisão de sair do emprego e me dedicar somente aos estudos, em março de 2015 virei “concurseiro profissional”. Apostei que o edital sairia no máximo em outubro, errei feio.

Estratégia: Quantos e em quais concursos já foi aprovado? Qual o último?

Ériko Carneiro: Em fevereiro desse ano fui aprovado no concurso da Defensoria Pública – área administrativa – e agora para o INSS, mas já tentei vários outros concursos: TCE CE, UFC, concursos municipais, porém sem êxito.

Estratégia: Qual foi sua sensação ao ver que havia feito 107 pontos (em 120) na prova objetiva do INSS?

Ériko Carneiro: A princípio eu não conseguia pensar em nada, você fica extasiado. Após alguns minutos aí vem uma explosão de alegria, uma euforia, aquela sensação de dever cumprido. A emoção é tanta que você nem lembra o quanto a caminhada, por vezes, foi angustiante.

Estratégia: Como era sua vida social durante a preparação para concursos? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social para passar no concurso o mais rápido possível?

Ériko Carneiro: Saía bem pouco, mas me dava os domingos de descanso, porque o ritmo durante a semana era bem intenso, chegava a estudar 9, 10h líquidas por dia. Ou descansava ou pirava. Desconfio que já estivesse sendo taxado de louco.

Estratégia: Você é casado(a)? Tem filhos? Namora? Mora com seus pais? Sua família entendeu e apoiou sua caminhada como concurseiro(a)? Se sim, de que forma?

Ériko Carneiro: Sou solteiro, não tenho filhos. Decidi voltar a morar com meus pais pra ter mais tempo para os estudos. Antes de pedir demissão, reuni minha família e contei quais eram meus planos, precisava desse apoio (emocional e principalmente financeiro). Eles abraçaram a minha/nossa causa de pronto, agradeço a Deus por isso, pois vejo alguns amigos que estudam pra concursos que não tem esse apoio, eu tive esse privilégio e precisava mostrar que não seria em vão.

Estratégia: Ao longo de sua jornada, você tentou outros concursos, para treinar e se manter com uma alta motivação ou decidiu manter o foco apenas naquele concurso que era o seu sonho?

Ériko Carneiro: Na verdade eu tentei vários outros, o último que tentei foi da DPU, por causa da banca que era a Cebraspe também. Fiquei impressionado quando vi o resultado final, não tinha estudado todo o edital, pois estava focado no INSS e mesmo assim consegui ficar em 40°. Apesar de não significar muito para alguns, para mim era como se tivesse sido o 1°, era sinal de que eu estava no caminho certo e em breve eu estaria entre os primeiros.

Estratégia: Você acha que vale a pena fazer outros concursos, com foco diferente daquele concurso que é realmente seu objetivo maior?

Ériko Carneiro: Concordo em fazer outros concursos quando há disciplinas similares, quando isso não acontece, eu não aconselho, até porque o nível dos candidatos está cada vez maior e mudar o foco durante a preparação talvez seja o maior erro que se possa cometer. O certame do INSS era o que eu realmente queria no momento, agora os planos são outros. O próximo passo é o famigerado Auditor Fiscal da Receita Federal.

Estratégia: Você estudou por quanto tempo, contando toda a sua preparação? Durante este tempo de estudo, como você fazia para manter a disciplina nos estudos mesmo naqueles períodos em que não havia edital na mão?

Ériko Carneiro: Iniciei em agosto de 2014, nesse período estudava somente à noite por causa do trabalho, após 7 meses estudando vi que não estava rendendo, os simulados que fazia na época me retornavam resultados bem abaixo do ideal. Foi então que decidi sair do emprego e me dedicar integralmente para o concurso do INSS, pelas especulações de quando sairia o edital eu vi que tinha pouco tempo, pois já era março de 2015 e tinha previsão pra prova ser ainda em 2015, no segundo semestre. Apenas em junho saiu a autorização, ainda estava bem, focado, estudando em torno de 6 a 8h por dia. O primeiro período complicado foi entre novembro e dezembro, pois o período pra sair o edital estava quase expirando, daí fiquei extremamente desmotivado, por vezes pensei em desistir, mas não podia mais, já tinha passado muito tempo estudando, não podia desistir de jeito nenhum, afinal tinha abdicado de muita coisa pra me dedicar aos estudos. Lia muitos depoimentos, via vídeos motivacionais e ficava pesquisando a remuneração dos servidores no Portal da Transparência (risos), mas o essencial foi me espiritualizar, acho que foi o período que mais minha fé foi colocada à prova.

Estratégia: Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um?

Ériko Carneiro: Iniciei os estudos com vídeoaulas acompanhado pelo livro, mas logo depois vi que as vídeoaulas não eram tão efetivas para o meu aprendizado, daí passei somente a ler o livro, quando conheci o material do Estratégia passei a utilizar os PDFs e os livros. Quando inicio a matéria, eu sempre começo pelas vídeoaulas, pra você ter uma noção do que será estudado, mas depois a leitura e resolução de questões são essenciais, pois somente assistindo aos vídeos gera acomodação, mais facilidade de desconcentrar e, dependendo da didática do professor, até mesmo dormir. Já a leitura é um processo, quanto mais você se habitua a ler, mais tempo consegue ficar concentrado.

Estratégia: Como conheceu o Estratégia Concursos?

Ériko Carneiro: Pesquisando na internet cursinhos preparatórios cheguei ao site, baixei uma aula gratuita e gostei da leitura, então resolvi apostar.

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todo o concursando é a quantidade de assuntos que deve ser memorizada. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e re-leitura da teoria? Como montou seu plano de estudos?

Ériko Carneiro: Adotei o ciclo de estudos, estudava entre 4 a 5 disciplinas por dia. Eu li o material em torno de sete vezes. Nas primeiras leituras eu tentava assimilar o conteúdo, logo após já fazia algumas marcações (palavras chave), pois quando eu retornasse para fazer a revisão me ajudaria a lembrar do cerne daquilo que estava sendo explicado. Junto com os PDFs sempre fazia um caderno de resumos, nele anotava tudo com as minhas palavras, escrevia como eu tinha entendido. Como a banca era Cesbraspe e eu estava decidido a passar, tentava ser bom em todas as frentes, tanto entendendo a matéria quanto decorando mesmo. As várias leituras me ajudaram a decorar, os resumos a não esquecer da matéria e a resolução de questões a treinar como aquele assunto era cobrado pela banca. Procurei montar meu cronograma diário mesclando disciplinas de direito com as outras disciplinas, para não ficar muito cansativo, por exemplo, se começasse com Previdenciário a disciplina seguinte seria informática ou raciocínio lógico, depois partia para um direito constitucional, assim por diante.

Estratégia: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar estas dificuldades?

Ériko Carneiro: Meus pontos fracos eram Raciocínio Lógico e Informática, como o edital estava praticamente idêntico ao anterior eu sabia que muitos concorrentes dominavam essas duas disciplinas com muita maestria, ou seja, não dava pra encará-las na sorte. Comecei vendo alguns vídeos, mas o essencial foram as questões comentadas, pois eu lia o conteúdo e repetia os comandos no próprio computador, repeti isso incontáveis vezes. Também utilizei questões comentadas para o raciocínio lógico e graças a Deus a banca gosta de repetir questões. Resultado? Gabaritei informática e errei apenas 1 de raciocínio.

Estratégia: A reta final é sempre um período estressante. Como você levou seus estudos neste período? Você se concentrava nas matérias de maior peso ou distribuía seus estudos de maneira mais homogênea? Focava mais na re-leitura, em resumos, em exercícios, etc ?

Ériko Carneiro: Realmente, a reta final para o INSS foi bem desgastante, já estava saturado de todas as disciplinas, de videoaulas, até mesmo dos livros, porém era necessário se manter firme até o final. Durante a reta final adotei somente a resolução de questões e a leitura tanto da Constituição quanto das leis, procurava participar de aulões, online e presenciais, e claro, rever meus resumos.

Estratégia: Na semana da prova, nós sempre observamos vários candidatos assumindo uma verdadeira maratona de estudos (estudando intensamente dia e noite). Por outro lado, também vemos concurseiros que preferem desacelerar um pouco, para chegar no dia da prova com a mente mais descansada. O que você aconselha?

Ériko Carneiro: Como o intervalo do lançamento do edital para a realização da prova foi extenso e eu já estava estudando anteriormente, nas últimas semanas diminui as horas de estudo pela metade, no máximo 4 ou 5h. Como falei anteriormente, o desgaste foi intenso, resolvi ir devagar, procurando relaxar mentalmente, pois o emocional conta muito, não adiantava ter estudado tanto e na hora da prova, por causa do nervosismo, sabotar meus planos. É óbvio, não tem como ficar completamente relaxado, afinal você aposta todas as suas fichas, nervosismo é natural, o que não vale é deixá-lo tomar de conta e gerar o temido “branco” na hora que você mais precisa do conhecimento.

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Ériko Carneiro: Às vezes, utilizar muitos professores para uma mesma disciplina pode atrapalhar, pois o entendimento de determinado assunto pode divergir de um para outro. Claro, é sempre bom ter uma segunda visão sobre algo, mas é preciso selecionar muito bem quem serão seus mestres. Outro aprendizado: fuja de grupos de whatsapp, é perda de tempo. Algo que eu aponto como meu maior acerto foi ter encontrado logo uma maneira de estudar em que eu me sentisse mais á vontade e potencializasse meus estudos, acredito que não há sensação pior que achar que estamos andando em círculo, pois tempo para quem estuda pra concurso é fundamental.

Estratégia: Pela sua experiência e contato com outros concurseiros, diga-nos quais são os maiores erros que as pessoas cometem quando decidem se preparar para concursos?

Ériko Carneiro: Algo que me incomoda muito e quando ouço a tal frase: “…queria muito passar em tal concurso, mas é muito difícil, tem gente que já estuda há tempos…”, ou seja, o candidato nem tenta e já se sente derrotado. O primeiro passo pra passar é confiar em si mesmo, de início você não tem que se preocupar com os outros, a prioridade é você: qual seu nível, fraquezas, pontos fortes. Conheça-se! Depois defina qual concurso você quer, a partir daí o foco deve ser total. Outro aspecto, não desista logo de início, estudar para concurso é um processo que requer tempo e disciplina, caso contrário é só uma vontade mesmo que já passa.

Estratégia: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação? E qual foi sua principal motivação?

Ériko Carneiro: O mais difícil foi ter que me privar de muitas coisas, pois meu foco era total. Evitava até redes sociais para não bater aquela inveja dos amigos que enquanto eu estava ali sentado na frente de um computador estudando, eles estavam por aí se divertindo. O que me confortava era a certeza de que isso era uma fase da minha vida que uma hora ia acabar. Hoje, depois do resultado final das provas eu fico feito bobo olhando minha nota e lembro lá do começo quando decidi abandonar tudo pra correr atrás de uma meta que tanto poderia acontecer quanto não. A nossa sorte é que Deus jamais planta um sonho no teu coração sem que você tenha capacidade de realizá-lo. Hoje, além de vitorioso eu me sinto diferente de quem eu era há um ano e meio, sinto que posso conseguir qualquer coisa que eu quiser, claro vai exigir muito de mim, mas não poderia ser diferente, afinal os maiores ganhadores disso tudo somos nós mesmos.

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para concurso. Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Ériko Carneiro: Praticamente tudo o que você for fazer na vida, faça bem feito. Nem meio termo, nem por metade, doe-se ao máximo. Se precisar aprender dançar, aprenda; se precisar aprender inglês, aprenda; se quem você é não esta caminhando lado a lado com o teu objetivo, mude; se desmorone; se reconstrua quantas vezes forem necessárias, mas faça. Se realmente você quer, faça, tente, só desista quando conseguir. O concurseiro além de ser um aficionado por conhecimento é um estrategista que se molda conforme a necessidade, porém não perde o foco. E acredite, tudo acontece na hora certa!

Outras entrevistas em:

https://www.estrategiaconcursos.com.br/depoimentos/

Assessoria de Comunicação

[email protected]

Veja os comentários:
Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Resultados:

  • Concurso DPE-AM 2018 - Defensor Público Dos 59 aprovados, 21 deles são nossos alunos
  • Concurso DPE-AP 2018 - Defensor Público Dos 108 aprovados, 34 deles são nossos alunos
  • Concurso ALE-RO 2018 - Advogado Dentro das 4 vagas ofertadas, 2 aprovados são nossos alunos
  • Concurso PGM-Manaus 2018 - Procurador Dos 146 aprovados, 58 deles são nossos alunos
  • Concurso PGE-TO 2018 - Procurador Dos 135 aprovados, 52 deles são nossos alunos

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.