ENTREVISTA: Antônio Benjamin Leão de Medeiros - Aprovado em 13º lugar no concurso PRF para o estado do Amazonas (provas objetiva e discursiva)

Entrevista:

ENTREVISTA: Antônio Benjamin Leão de Medeiros – Aprovado em 13º lugar no concurso PRF para o estado do Amazonas (provas objetiva e discursiva)

“A principal dificuldade para quem inicia os estudos é achar que seu tempo não é agora ou que não tem tempo. Quando finalmente eliminei esta ideia, consegui iniciar uma preparação com qualidade. Inicie sua preparação delimitando seu tempo para os estudos e defenda esse tempo com unhas e dentes. Profissionalize os estudos e os resultados virão”

Confira nossa entrevista com Antônio Benjamin Leão de Medeiros, aprovado em 13º lugar no concurso da Polícia Rodoviária Federal para o estado do Amazonas (provas objetiva e discursiva):

Estratégia Concursos: Conte-nos um pouco sobre você, para que nossos leitores possam te conhecer melhor. Você é formado em que área? Qual sua idade? De onde você é?

Antônio Medeiros: Sou formado em Engenharia de Automação pela Universidade do Estado do Amazonas. Tenho 27 anos e sou natural de Manaus – AM.

Estratégia: O que te levou a tomar a decisão de começar a estudar para concursos? Porque a área Policial?

Antônio: Desde que me formei, a carreira como servidor público foi uma das opções que planejei. Porém, tudo aconteceu muito rápido: as oportunidades como engenheiro apareceram e no primeiro ano de formado já estava atuando na indústria. A ideia retornou em 2017, com a promessa de abertura do concurso da PC-AM (que ainda não saiu).

A área policial me atrai não só pelos benefícios inerentes ao serviço público, mas pelo sentimento de atuar diretamente na sociedade, sendo útil nas mais variadas formas.

Estratégia: Durante sua caminhada como concurseiro, você trabalhava e estudava (como conciliava trabalho e estudos?), ou se dedicava inteiramente aos estudos para concurso?

Antônio: Sempre trabalhando. A ideia era aproveitar o tempo livre e encaixar tempos de aulas nesses intervalos. Antes de iniciar a preparação, fiz um planejamento das horas disponíveis e quantas aulas conseguiria fazer neste tempo.

Estratégia: Quantos e em quais concursos já foi aprovado? Qual o último? Em qual cargo e em que colocação?

Antônio: O concurso da PRF foi meu terceiro concurso. Anteriormente, fui classificado para a segunda fase dos últimos certames para a PC-PR e PC-MG. Contudo, não obtive êxito nas demais fases.

Estratégia: Qual foi sua sensação ao ver seu nome na lista dos aprovados/classificados na primeira fase do certame?

Antônio: A sensação é incrível. De imediato, o início da preparação e as principais dificuldades encontradas durante o processo passaram pela minha cabeça. Um sentimento de alívio e ao mesmo tempo de preocupação com as demais fases.

Estratégia: Como era sua vida social durante a preparação para concursos? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social?

Antônio: Algumas coisas tive que abdicar. Sou músico e tocava em algumas bandas. Tive que escolher entre a música ou a aprovação. Momentos de descanso também fizeram parte do planejamento, pois relaxar era uma forma de recompensar o esforço semanal. Sempre é possível ter vida social e uma rotina de estudos produtiva.

Estratégia: Você é casado? Tem filhos? Namora? Mora com seus pais? Sua família entendeu e apoiou sua caminhada como concurseiro? Se sim, de que forma?

Antônio: Tenho namorada e moro com meus pais. O apoio dessas três pessoas foi fundamental, pois nem sempre era possível estar presente por conta de uma prova, simulado ou da própria rotina de estudos.

Estratégia: Você acha que vale a pena fazer outros concursos, com foco diferente daquele concurso que é realmente seu objetivo maior?

Antônio: O ponto chave que me levou até esse resultado foi o foco. Os outros dois concursos que prestei foram também na área policial.

Em uma rotina com pouco tempo disponível, utilizar este pouco tempo de forma desconexa gera prejuízos muitas vezes irreparáveis na preparação. 

Estratégia: Você estudou por quanto tempo direcionado ao concurso que foi aprovado?

Antônio: Estudei por 6 meses.

Estratégia: Chegou a estudar sem ter edital na praça? Durante esse tempo, como você fazia para manter a disciplina nos estudos?

Antônio: O edital da PRF saiu em novembro. Quando o concurso foi autorizado, comecei os estudos (em agosto). Apesar de não ter edital, a autorização do concurso me manteve motivado.

Quando foi lançado o edital de 2018, só restava revisar os assuntos que foram mantidos e estudar os novos.

Estratégia: Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um?

Antônio: Durante boa parte da preparação utilizei apenas PDF’s, pois me permitiam estudar em qualquer lugar. No último mês antes da prova, utilizei vídeos apenas como revisão, em velocidades de reprodução mais rápidas para ganhar tempo.

Outro ponto importante foi seguir perfis dos professores nas redes sociais, pois as atualizações jurisprudenciais e legislativas ocorrem de forma mais rápida.

Estratégia: Como conheceu o Estratégia Concursos?

Antônio: Conheci o curso em 2015, quando comecei a procurar materiais para o concurso da Receita Federal. Infelizmente não mantive o foco naquela época.

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todo o concursando é a quantidade de assuntos que deve ser memorizada. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e releitura da teoria? Como montou seu plano de estudos? Quantas horas por dia costumava estudar?

Antônio: O tempo foi primordial. O meu trabalho consome mais de 1/3 do tempo diário. Quando planejei, me sobraram apenas 4 horas por dia para os estudos. Decidi dividir tempos de aula de 2 horas para cada matéria.

Para ficar menos maçante, estudava matérias diferentes por dia, dedicando mais tempo àquelas que apresentavam maior conteúdo. O domingo tinha uma agenda específica: planejamento da semana e simulados. Mantive essa rotina pelos 6 meses que antecederam a prova.

Para revisão, utilizava os resumos prontos do material escrito e/ou exercícios. Evitei fazer resumos ou mapas mentais por conta da demanda de tempo nessas atividades.

Estratégia: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar estas dificuldades?

Antônio: Direito administrativo e legislação de trânsito foram as matérias que mais tive dificuldade durante a preparação. Não havia outra maneira para contornar a situação: dediquei mais tempo nelas, deixando um pouco de lado as disciplinas que eu apresentava melhor desempenho.

Para definir esses critérios, as notas em simulados e provas que prestei serviram de referência.

Estratégia: A reta final é sempre um período estressante. Como foi sua rotina de estudos na semana que antecedeu a prova? E véspera de prova: foi dia de descanso ou dia de estudo?

Antônio: Na última semana não havia mais assunto novo a aprender. Já havia passado por todo o conteúdo programático. Utilizei esse tempo para fazer exercícios, simulados e aulas de véspera.

Relaxar totalmente pode trazer preocupação, o que não ajuda na hora da prova. Com a prova no domingo à tarde, foi possível se manter ativo durante o sábado.

Estratégia: No seu concurso, tivemos, além das provas objetivas, as provas discursivas. Como foi seu estudo para esta importante parte do certame? O que você aconselha?

Antônio: Minha experiência com a redação foi engraçada e ao mesmo tempo arriscada. Fui muito resistente, deixando a redação para a última hora da preparação. Esse comportamento custou minha aprovação na PC-PR. Apesar de uma excelente nota na objetiva, fui reprovado por conta da discursiva.

Para a PRF, comecei a ler teorias sobre como escrever uma redação de qualidade. Escrevi apenas uma redação na semana da prova, única produzida durante os 6 meses de preparação. Obtive uma boa pontuação, mas poderia ter colocado todo o trabalho em risco.

Então, meu conselho é não negligenciar esta parte da preparação.

Estratégia: Como está sendo sua preparação para o TAF e para as demais etapas?

Antônio: Como era sedentário, percebi que jamais conseguiria alcançar a aprovação no TAF iniciando a preparação apenas após a prova. Iniciei o trabalho físico antes de lançarem o edital.

Faltando pouco menos de 20 dias para o TAF, estou apenas refinando as técnicas para realizar os exercícios da melhor forma. As demais etapas estou em fase de pesquisa, principalmente no teste psicológico.

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Antônio: O maior erro foi negligenciar a redação. Foi um risco desnecessário, que poderia ter sido contornado melhor durante a preparação.

Como maior acerto, evitar anotações como resumos ou mapas mentais me ajudou a ganhar tempo. Claro que este método funcionou para mim. Outras pessoas se sentem mais à vontade fazendo anotações dos estudos.

Estratégia: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação? Chegou a pensar, por algum momento, em desistir? Se sim, como fez para seguir em frente?

Antônio: O mais difícil foi o início da preparação. Encontrar a dinâmica de estudos não é fácil: qual o melhor método para se estudar? Vai depender da rotina, do tempo, etc.

Em nenhum momento pensei em desistir. Quanto mais envolvido nos estudos eu me via, mas percebia que teria que jogar muita coisa fora, caso desistisse.

Estratégia: Qual foi sua principal motivação?

Antônio: Minha maior motivação foram os estudos em si. Ao estudar, eu me via como um empreendedor de mim mesmo, ou seja, ao estudar, eu estava construindo meu próprio patrimônio. Ao focar no caminho e não no objetivo propriamente dito, estava sempre motivado.

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para concurso. Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Antônio: A principal dificuldade para quem inicia os estudos é achar que seu tempo não é agora ou que não tem tempo. Quando finalmente eliminei esta ideia, consegui iniciar uma preparação com qualidade. Inicie sua preparação delimitando seu tempo para os estudos e defenda esse tempo com unhas e dentes. Profissionalize os estudos e os resultados virão.

Entrevista em vídeo:

Confira outras entrevistas em:

Depoimentos de Aprovados

Cursos Online para Concursos

Sobre o Concurso PRF 2019/2020, leia o artigo abaixo:

Foi aprovado e deseja dividir com a gente e com outros concurseiros como foi sua trajetória até a aprovação?! Mande um e-mail para: [email protected]

Abraços,

Thaís Mendes

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Resultados:

  • Concurso Analista e Assistente DPE AM 2019 Dos 134 primeiros colocados, 52 são nossos alunos
  • Concurso SEFAZ-AL 2020 - Auditor Fiscal Dentro das 60 vagas ofertadas, 32 são nossos alunos
  • Concurso DEAP SC - Agente Penitenciário Feminino 2019 Das 50 melhores colocadas, 16 são nossas alunas
  • Concurso MP RJ - Oficial 2019 Dos 10 primeiros colocados, 6 são nossos alunos
  • Concurso MP RJ - Técnico Administrativo Dos 10 primeiros colocados, 7 são nossos alunos