CORREÇÃO DA PROVA DA PREFEITURA DE OSASCO 2019
Ligia Carvalheiro

CORREÇÃO DA PROVA DA PREFEITURA DE OSASCO 2019

Enfermeiro (Conhecimentos Específicos)

Trago aqui a correção da prova, conforme o gabarito divulgado. Se você discorda ou sugere outra interpretação, comenta aqui ou lá no INSTA.

@Prof.LigiaCarvalheiro

Mantive o número original da questão para caso queira conferir com o gabarito original.

31. A enfermeira de uma determinada Unidade de Saúde observou que uma profissional de enfermagem, de sua equipe de trabalho, cometeu negligência ao prestar assistência de enfermagem, resultando em danos ao paciente. Nesse contexto, a enfermeira deve:

(A) supervisionar com maior intensidade o trabalho dessa funcionária e registrar a ocorrência no prontuário dela. 

(B) convocar a funcionária para que justifique sua con- duta e encaminhá-la ao setor de recursos humanos. 

(C) desenvolver um trabalho de educação continuada, visando prevenir esse tipo de conduta. 

(D) enviar relatório sobre o ocorrido ao Conselho Regional de Enfermagem, uma vez que a enfermeira infringiu o Código de Ética Profissional. 

(E) registrar o ocorrido no prontuário da funcionária e aplicar penalidade conforme regimento interno. 

Resposta

A justificativa se baseia na no Art. 47 onde consta que é DEVER posicionar-se contra, e denunciar aos órgãos competentes, ações e procedimentos de membros da equipe de saúde, quando houver risco de danos decorrentes de imperícia, negligência e imprudência ao paciente, visando a proteção da pessoa, família e coletividade.

Alternativa: D.

Leia a situação a seguir e responda às questões de números 32 e 33

L.S., sexo masculino, 28 anos de idade, com tuberculose pulmonar, comparece à consulta de controle do 2o mês de tratamento. Refere tosse produtiva um pouco menos intensa em relação ao mês anterior e falta de ar para caminhar ou subir escadas. 

32. Ao exame físico do aparelho respiratório é esperado que a enfermeira identifique: 

(A) na inspeção dinâmica, o aumento da expansão pulmonar devido ao esforço para respirar. 

(B) na percussão, os sons são claros e maciez sobre a região escapular durante a inspiração. 

(C) na ausculta, a presença de sons crepitantes durante a inspiração, que não desaparecem quando o paciente tosse. 

(D) na palpação, diminuição da expansão torácica e na percussão timpanismo em toda região torácica posterior. 

(E) na ausculta, os murmúrios vesiculares diminuídos e presença de sibilos tanto na inspiração como na expiração. 

Resposta

No exame físico do paciente com TB pulmonar, verifica-se mais claramente alterações do estado geral do que sinais localizados. Focando-se na ausculta pulmonar podem ser encontrados estertores à inspiração profunda e, eventualmente, roncos e sopros tubários.

Observe que a tosse produtiva é incompatível com sons timpânicos e melhor expansão pulmonar como dito em outras alternativas.

Alternativa: C.

33. As queixas do paciente permitem que a enfermeira, utilizando a taxonomia NANDA, estabeleça o seguinte diagnóstico de enfermagem: 

(A) intolerância à atividade. 

(B) deambulação prejudicada. 

(C) levantar-se prejudicado. 

(D) risco de síndrome do desuso. 

(E) ventilação espontânea prejudicada. 

Resposta

Ele está com dificuldade de caminhada mas não por limitação física, mas pela hipoventilação causada pelas secreções em vias aéreas.

Alternativa: A.

34. O calendário de vacinação da gestante, oficializado pela Secretária Estadual de Saúde de São Paulo – SES-SP, preconiza a administração da vacina tríplice acelular, tipo adulto – dTpa, em gestantes. Quanto à administração dessa vacina, é correto afirmar que:

(A) a vacina visa promover a proteção da gestante contra a difteria, tétano e rubéola. 

(B) a gestante deve receber duas doses da vacina a partir da vigésima semana de gestação, com intervalo de 2 meses entre as doses. 

(C) caso essa vacina não tenha sido administrada durante a gestação, não deve ser administrada no puerpério. 

(D) a vacina não é recomendada às profissionais de saúde grávidas. 

(E) a vacina deve ser administrada em dose única, preferencialmente, entre a 20a e 36a semana a cada gestação. 

Resposta

A vacina dTpa deve ser administrada em dose única, preferencialmente entre a 20ª e 36ª semana a cada gestação. Gestantes com início de esquema de vacinação tardio devem receber a dTpa na primeira ou segunda visita, se necessário, complementando o esquema com dT. Caso a vacina dTpa não tenha sido administrada na gestação, administrá-la no puerpério.

Alternativa: E.

35. Os trabalhadores da saúde têm um risco maior de exposição ao sarampo e de transmissão do vírus a pessoas que potencialmente podem evoluir com agravamento e complicações, portanto, as medidas de prevenção e controle em estabelecimentos de saúde devem ser pronta e rigorosamente estabelecidas e atendidas, sendo preconizado: 

(A) aplicar, anualmente, um reforço da vacina SCR em todos os profissionais de saúde. 

(B) aplicar medidas de precaução por contato a todos os profissionais de saúde durante o atendimento de casos, suspeitos ou confirmados, de sarampo. 

(C) manter aberta a porta do quarto ou consultório onde o paciente se encontra e manter os ambientes ventilados. 

(D) disponibilizar preparação alcoólica para a higiene das mãos tanto de pacientes, de acompanhantes como de profissionais de saúde. 

(E) notificar todos os casos imediatamente após a sua confirmação laboratorial. 

Resposta

A transmissão do sarampo é direta de pessoa a pessoa, por meio das secreções expelidas pelo doente ao tossir, respirar, falar ou espirrar e que permanecem dispersas no ar, principalmente em ambientes fechados como, por exemplo: escolas, creches, clínicas, meios de transporte. A vacina tríplice viral é a medida de prevenção mais eficaz contra o sarampo, protegendo também contra a rubéola e a caxumba.

Todos os profissionais de saúde devem ter duas doses da vacina Sarampo Caxumba Rubéola (SCR), a partir de um ano de idade. Portanto, é fundamental a revisão imediata da situação vacinal para o sarampo entre as equipes, e a vacinação dos trabalhadores de saúde sem evidência de imunidade.

As medidas de precaução para aerossóis e precaução padrão devem ser aplicadas na assistência a casos suspeitos e confirmados de sarampo nos serviços de saúde, que prestam atendimento ambulatorial, pronto atendimento e eventualmente internação de pessoas com suspeita ou com diagnóstico de sarampo.

Dentre as medidas de prevenção incluem que os serviços de saúde, que prestam atendimento ambulatorial, pronto atendimento e eventualmente internação de pessoas com suspeita ou com diagnóstico de sarampo, se intensifique a higienização das mãos (álcool gel a 70%), destinar adequadamente os resíduos infectantes, máscara cirúrgica para os pacientes suspeitos e N95 para os profissionais, dentre outros.

Alternativa: D.

36. Na Unidade Básica de Saúde Jardim da Cruz houve interrupção da energia elétrica devido a um acidente automobilístico na avenida principal. A empresa fornecedora não soube informar o tempo necessário aos reparos e restabelecimento da energia. Nessa situação, a enfermeira responsável pela sala de vacina deve seguir o plano de contingência que prevê 

(A) manter o equipamento fechado e monitorar, rigorosamente, a temperatura interna até que se aproxime de +7 oC. 

(B) transferir as bobinas reutilizáveis congeladas para o interior da geladeira de estoque distribuindo-as junto às paredes. Monitorar a temperatura para manter em +4 oC. 

(C) preparar as caixas térmicas e transferir o estoque ime- 

diatamente, antes que haja variação da temperatura. 

(D) transferir o estoque de vacinas para o freezer que tem maior autonomia para manutenção da temperatura interna em caso de interrupção de energia. 

(E) iniciar a contagem das doses de vacina da geladeira de estoque para solicitar apoio para guarda às unidades básicas mais próximas. 

Resposta

O plano de contingência se refere aos procedimentos que devem ser adotados quando o equipamento de refrigeração deixar de funcionar por quaisquer motivos. Quando houver interrupção no fornecimento de energia, o equipamento deve ser mantido fechado e a temperatura interna deve ser rigorosamente monitorada. Se não houver o restabelecimento da energia ou quando a temperatura estiver próxima a +7ºC, proceda imediatamente à transferência dos imunobiológicos para outro equipamento (refrigerador ou caixa térmica) com a temperatura recomendada (entre +2ºC e +8ºC). O mesmo procedimento deve ser adotado em caso de falha do equipamento. 

Alternativa: A

37. Sobre o processo de limpeza de artigos utilizados na Unidade Básica de Saúde (UBS), é correto afirmar que: 

(A) a limpeza manual deve ser realizada preferentemente com produtos abrasivos, capazes de remover mais facilmente as sujidades aderidas ao material. 

(B) falhas na limpeza impedem a esterilização, pois a sujeira e a gordura atuam como fatores protetores de microrganismos. 

(C) os produtos reutilizáveis desmontáveis não devem ser desmontados nesta etapa do processamento porque ainda não sofreram desinfecção. 

(D) no processo de limpeza, o uso de germicidas deve ser preferencial em relação aos detergentes enzimáticos porque, além de mais potentes, são biodegradáveis. 

(E) os materiais com resíduos de sangue ou outros fluidos aderidos devem ser encaminhados para desinfecção de alto nível antes do processo de limpeza. 

Resposta

  1. Errada. Com produtos não abrasivos.
  2. Certa. Desta forma o agente desinfetante ou esterilizante não entra em contato com a face completa do artigo.
  3. Errada. Tudo deve ser desmontado.
  4. Errada. Os detergentes enzimáticos são biodegradáveis.
  5. Errada. A limpeza precede todos os demais processos, inclusive esterilização. 

Alternativa: B.

38. A gerente de uma Unidade de Saúde da Família vai deixar o cargo e deseja indicar para seu lugar uma das enfermeiras das equipes de sua unidade. Ela busca alguém com inequívoca competência para o trabalho em equipe, que pode ser identificada, entre outras habilidades, pela:

(A) aptidão para a prática colaborativa e interprofissional voltada ao alcance dos objetivos da clientela, da equipe e da instituição. 

(B) capacidade para administração, dos recursos físicos e materiais e de informação. 

(C) capacidade de aprender continuamente, tanto na sua formação, quanto na sua prática. 

(D) busca de desafios constantes, identificação de oportunidades e estímulo para o desenvolvimento de novos projetos de melhoria do ambiente de trabalho. 

(E) aptidão a desenvolver ações de prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde, tanto em nível individual quanto coletivo. 

Resposta

Esta questão se baseou no documento da prática colaborativa interprofissional (2017). Alí é definido o trabalho interprofissional como um trabalho em equipe e prática colaborativa centrada no paciente/usuário. Veja que na resposta é necessário constar a ideia de um objetivo compartilhado entre profissionais, clientes e instituição.

Explicando melhor, A educação interprofissional é entendida como situações de aprendizado onde duas ou mais profissões aprendem sobre, com e para os demais membros da equipe com o propósito de melhorar a colaboração e a qualidade da atenção à saúde. A prática colaborativa se refere ao cuidado compartilhado entre profissionais de equipes de saúde que realizam o trabalho de forma integrada, interprofissional, com articulação das ações, dos saberes técnico científicos e com objetivos comuns voltados às necessidades dos usuários.

Alternativa: A.

39. Para o próximo trimestre as enfermeiras de uma Unidade de Saúde da Família dividiram as áreas para supervisão da seguinte forma: Rosa ficou com a sala de imunização; Violeta com a sala de curativos e serviço de regulação local; Margarida responderá pelo acolhimento, coleta de exames laboratoriais, incluindo Papanicolau e Hortênsia ficou com a vigilância em saúde e sala de medicação e observação. O êxito dessa modalidade de supervisão requer em seu processo a inclusão de:

(A) autonomia para cada enfermeira punir o membro da equipe que estiver em desacordo com as normas. 

(B) fóruns de discussão entre as enfermeiras para que sejam construídos consensos sobre a supervisão e a tomada de decisões seja coletiva. 

(C) delegação da responsabilidade pelo processo educativo para o enfermeiro que identificar a necessidade de ajuste. 

(D) instrumento único para supervisão de uso obrigatório por todas as enfermeiras, independente da área a ser supervisionada. 

(E) compromisso amplo de limitar a supervisão em procedimentos e técnicas, que tem amparo na sua descrição nas rotinas da unidade. 

Resposta

Veja como o modo de supervisão ficou fragmentado por categoria. Para as decisões, convém que tais sejam em conjunto, com discussões coletivas acerca do que se acredita ser mais benéfico.

Se não ficou muito óbvio para você, vou destacar o que destoa das demais.

a) Errada. Fala em punição. Este não é o foco.

b) Certa.

c) Errada. Desta forma, se o trabalho aumenta para quem identifica necessidades, faltarão voluntários.

d) Errada. O erro está na inflexibilidade.

e) Errada. Não se trata de limitar às ações.

Alternativa: B.

40. Um paciente chega ao serviço de saúde com dispneia grave, apresentando sinais de choque. Os sinais e sintomas tiveram início após a ingestão inadvertida de folhas de uma planta desconhecida que julgou ser espinafre. Para o atendimento médico imediato a enfermagem deve manter esse paciente em posição de:

(A) SIMS. 

(B) Fowler. 

(C) Trendelenburg. 

(D) Trendelemburg reversa. 

(E) decúbito lateral esquerdo. 

Resposta

Eita questão que gerou mensagens no meu celular! A princípio, dispneia e Trendelenburg em nada combinam, no entanto, o examinador está considerando não uma dispneia primária, mas sim secundária ao choque, cuja posição citada seria uma medida imediata adequada.

Alternativa: C.

41. F.S., 46 anos, sexo feminino, chefe de família e desempregada, comparece à unidade de saúde, sem consulta de enfermagem agendada. A enfermeira observa que ultimamente a usuária tem procurado quase que semanalmente o serviço de atendimento à demanda espontânea da unidade e ao abordar o assunto desencadeia uma crise de choro convulsivo na paciente que se declara esgotada, ansiosa, angustiada e sem forças para viver. “Gostaria de poder dormir e nunca mais acordar”. Considerando o quadro apresentado, a conduta da enfermeira deve ser: 

(A) avaliar o quadro como sugestivo de depressão e agendar consulta com médico generalista da equipe, para a confirmação de diagnóstico. 

(B) solicitar à Equipe do Núcleo de Apoio à Saúde Família o agendamento de atendimento com assistente social e marcar retorno em um mês. 

(C) avaliar o quadro como sugestivo de depressão leve, encaminhar ao centro de convivência da região, para apoio psicossocial e agendar retorno em um mês. 

(D) incentivar a paciente a reagir e manter estilo de vida saudável, prescrever cuidados relacionados a alimentação, prática regular de atividades físicas e agendar retorno em 45 dias. 

(E) avaliar o quadro como sugestivo de depressão com expressão de ideias suicidas, encaminhar para consulta psiquiátrica com urgência, e programar uma visita domiciliar. 

Resposta

Segundo o enunciado, houve expressão de intenção de suicídio declarada que, juntamente com a ansiedade, angústia e falta de forças para viver não devem passar batido. Apenas a última assertiva propõe uma ação imediata que valoriza o relato. Às demais abrandam muito a fala da paciente e a expõe, por consequência, ao possível ato com mais facilidade.

Alternativa: E.

42. L.T, sexo feminino, 67 anos de idade, hipertensa, faz uso contínuo de medicação anticoagulante, chega à UBS apresentando epistaxe. A conduta preconizada, nesse caso, inicia com:

(A) aspiração nasal + instilação de solução fisiológica. 

(B) compressa gelada no dorso nasal + posição de Trendelembrurg. 

(C) compressão digital por 5 a 10 min + compressa gelada no dorso nasal. 

(D) elevação da cabeceira + oxigenioterapia por cateter. 

(E) monitoramento do padrão respiratório e pressão arterial. 

Resposta

A epistaxe, como ação imediata, se controle com compressão e gelo. Analise bem as alternativas:

a) Errada. Aspiração? uau, que exagero!

b) Errada. A posição de trendelemburg aumentará a perfusão na região!

c) Certa. 

d) Errada. Oxigenoterapia para quê? 

e) Errada. Acho que essa é a mais exagerada porque se a pressão arterial precisa ser verificada, o sangramento seria de que tamanho???!!!!! Essa ganhou!

Alternativa: C.

43. Em consulta de enfermagem a uma criança de 3 meses de idade, em aleitamento materno exclusivo, com curva de crescimento e desenvolvimento adequados para a idade, a mãe da criança, informa que precisará voltar ao trabalho em uma semana. A mãe manifesta vontade de manter a oferta de leite materno e indaga sobre a possibilidade de armazenamento de seu leite. A enfermeira acolhe e orienta a mãe sobre todos os aspectos pertinentes ao processo de ordenha, armazenagem e oferta do leite materno à criança. Para o êxito desse processo a mãe deverá 

(A) praticar a ordenha do leite (de preferência com auxílio de sugador) e passar a oferecer o leite por meio de mamadeira. Evitar amamentar a criança no peito quando estiver em casa. 

(B) iniciar o estoque esvaziando imediatamente as mamas, várias vezes ao dia (de preferência manualmente) e congelar o leite para futuro. Manter o aleitamento no peito quando estiver em casa. 

(C) iniciar o armazenamento imediatamente, passar a oferecer o leite por meio de mamadeira e complementar a alimentação com frutas e leite industrializado. 

(D) esvaziar as mamas pela manhã e a noite, utilizando bomba específica para retirada do leite e guardar o leite em congelador. 

(E) praticar a ordenha do leite (de preferência manualmente) e enviar para um banco de leite mais próximo a fim de ser preparado para o consumo futuro. 

Resposta

A recomendação consiste em ordenha preferencialmente manual (exclui a letra A) com armazenamento de leite congelado para uso posterior, pela própria mãe ou outra pessoa responsável. (exclui letra E). A frequência é variável, no entanto, livremente (o que exclui a letra D). O aleitamento materno ainda deve ser incentivado sempre que possível (exclui a letra C).

Alternativa: B

44. Ao exame físico de uma criança de dois anos de idade com diarreia há 10 dias, a enfermeira verifica que ela apresenta olhos fundos, e no sinal da prega, constata que a pele do abdome volta lentamente ao estado anterior. Com essa avaliação, a enfermeira pode classificar o quadro como:

(A) desidratação grave e diarreia aguda. 

(B) desidratação e diarreia persistente. 

(C) desidratação leve e diarreia persistente. 

(D) desidratação e diarreia aguda. 

(E) desidratação grave e disenteria. 

Resposta

São sinais de desidratação:

– olhos fundos;

– ausência de lágrimas quando a criança chora;

– boca e língua secas;

– ter muita sede e beber água ou outro líquido muito rápido;

– diminuição da quantidade de urina;

Alternativa: D.

45. A respeito do rastreamento de câncer do colo uterino, é correto afirmar: 

(A) Mulheres na pós-menopausa só devem ser submetidas ao exame de tiverem história familiar direta desse tipo de câncer. 

(B) As mulheres infectadas pelo HIV devem ser submetidas ao rastreamento citológico com intervalos maiores entre os exames. 

(C) Em mulheres submetidas à histerectomia total por lesões benignas, sem história prévia de tratamento de lesões de ato grau, o exame deve ser realizado anualmente. 

(D) Em casos de histerectomia por câncer do colo do útero, a mulher deverá ser acompanhada de acordo com as recomendações para as demais mulheres. 

(E) Em gestantes deve seguir as recomendações de periodicidade e faixa etária como para as demais mulheres. 

Resposta

a) Errada.  Mulheres na pós-menopausa devem ser rastreadas de acordo com as orientações para as demais mulheres.  O método de rastreamento do câncer do colo do útero no Brasil é o exame citopatológico (exame de Papanicolaou), que deve ser oferecido às mulheres na faixa etária de 25 a 64 anos e que já tiveram atividade sexual. Após os 65 anos, por outro lado, se a mulher tiver feito os exames preventivos regularmente, com resultados normais, o risco de desenvolvimento do câncer cervical é reduzido dada a sua lenta evolução.

b) Errada. O exame citopatológico deve ser realizado nesse grupo de mulheres após o início da atividade sexual com intervalos semestrais no primeiro ano e, se normais, manter seguimento anual enquanto se mantiver o fator de imunossupressão. Mulheres HIV positivas com contagem de linfócitos CD4+ abaixo de 200 células/mm3 devem ter priorizada a correção dos níveis de CD4+ e, enquanto isso, devem ter o rastreamento citológico a cada seis meses. 

c) Errada. Mulheres submetidas à histerectomia total por lesões benignas, sem história prévia de diagnóstico ou tratamento de lesões cervicais de alto grau, podem ser excluídas do rastreamento, desde que apresentem exames anteriores normais. Em casos de histerectomia por lesão precursora ou câncer do colo do útero, a mulher deverá ser acompanhada de acordo com a lesão tratada.

d) Certa. O rastreamento em gestantes deve seguir as recomendações de periodicidade e faixa etária como para as demais mulheres, devendo sempre ser considerada uma oportunidade a procura ao serviço de saúde para realização de pré-natal 

Alternativa: D.

46. Em consulta de acolhimento, JQ, 38 anos de idade, residente na área de abrangência da Unidade de Saúde da Família, diabética, com índice de massa corpórea compatível com sobrepeso e em acompanhamento pela equipe de saúde da unidade, relata atraso menstrual de 20 dias queixa de náuseas. A enfermeira realizou o teste rápido de BetaHCG urinário que confirmou gravidez e verifica nos registros do prontuário que a paciente tem história de morte intrauterina em gestação anterior, de causa desconhecida. 

Diante desse quadro, a conduta preconizada é: 

(A) garantir o atendimento no ambulatório de pré-natal de alto risco, manter acompanhamento pela equipe da área de abrangência e monitorar os retornos no ambulatório de alto risco. 

(B) agendar atendimento pela equipe da área de abrangência, garantir consultas alternadas com médico e enfermeiro e incluir o companheiro da gestante nas consultas. 

(C) agendar exames e consulta médica para monitoramento do Diabetes, programar visitas domiciliares mensais pelos ACS e pela equipe e monitorar os retornos. 

(D) garantir a captação da gestante, para o pré-natal pela equipe da área de abrangência, solicitar exames e agendar retorno com a equipe da área de abrangência. 

(E) garantir atendimento pela equipe da área de abrangência, realizar testes rápidos de HIV e sífilis e agendar visitas domiciliares mensais pelos ACS e pela equipe, se necessário. 

Resposta

O enunciado já deu a super dica que a gestação é de alto risco, devido ao antecedente de morte intra uterina anterior e note que apenas uma das alternativas enfatiza esse importante dado da anamnese para o adequado encaminhado a um ambulatório de alto risco.

Alternativa: A.

47. Na consulta de enfermagem a estratificação de risco cardiovascular de adultos hipertensos tem como objetivo estimar o risco, de cada indivíduo, sofrer uma doença arterial coronariana nos próximos dez anos, resultando numa classificação de risco em baixo, intermediário e alto. A primeira etapa da classificação consiste na coleta de coleta de informações sobre fatores de risco prévios. Nessa etapa são considerados indivíduos com alto risco cardiovascular aqueles que apresentam, entre outros, os seguintes fatores de risco: 

(A) tabagismo. 

(B) sedentarismo. 

(C) diabetes mellitus

(D) sexo masculino. 

(E) adesão irregular ao tratamento. 

Resposta

Na prática clínica, a estratificação do risco CV no paciente hipertenso pode ser baseada em duas estratégias diferentes. Na primeira, o objetivo da avaliação é determinar o risco global diretamente relacionado à hipertensão. Nesse caso, a classificação do risco depende dos níveis da PA, dos fatores de risco associados, das LOAs e da presença de DCV ou doença renal. Na segunda estratégia, o objetivo é determinar o risco de um indivíduo desenvolver DCV em geral nos próximos 10 anos (conforme enunciado).

Verifique que seja lá qual o grau de hipertensão, a presença de DM já classifica risco alto de DCV:

Alternativa: C.

48. A diabetes mellitus é uma doença crônica de difícil estabilidade, tanto no controle clínico, como no metabólico. Também é responsável, em conjunto com a hipertensão arterial sistêmica, pela primeira causa de mortalidade e de hospitalizações no Sistema Única de Saúde. O adequado manejo das complicações agudas desse agravo pode evitar consequências mais graves. Nesse contexto, considerando a hipoglicemia como uma das complicações agudas do diabetes, é correto afirmar que: 

(A) hipoglicemia é a diminuição dos níveis glicêmicos e os sintomas clínicos, usualmente, ocorrem quando a glicose plasmática se situa entre 70 e 80 mg/dL. 

(B) pacientes e familiares devem aprender a perceber os primeiros sinais de hipoglicemia, saber confirmar o diagnóstico e tomar as providências cabíveis. 

(C) a maioria das hipoglicemias são graves e devem ser tratadas com a ingestão de 10 a 20 g de carboidrato de absorção lenta repetindo-se em 15 minutos, se necessário. 

(D) o manejo da hiperglicemia matinal persistente como consequência de hipoglicemia noturna deve ser feito com a introdução de uma refeição leve no meio da madrugada. 

(E) para prevenção da hipoglicemia noturna, o paciente deve ser orientado a não ingerir alimentos que contenham carboidratos, proteínas e gorduras, antes de dormir. 

Resposta

a) Errada. A hipoglicemia é caracterizada por um nível anormalmente baixo de glicose no sangue, geralmente abaixo de 70 mg/dl. 

b) Certo. Pense que o indivíduo com diabetes estará em seu contexto habitual de vida, tal como trabalho, domicílio, etc. Logo, sendo a hipoglicemia uma complicação possível e grave, é necessário que possa ser reconhecida precocemente para providências rápidas.

c) Errado. Consuma de 15 a 20 gramas de carboidratos, preferencialmente carboidratos simples, como açúcar (uma colher de sopa, dissolvida em água), uma colher de sopa de mel ( mas lembre-se de que mel não é permitido para crianças menores de um ano), refrigerante comum, não diet (um copo de 200 mL), 1 copo de suco de laranja integral, entre outros.

d) Errado. Deve-se se alimentar antes de deitar e adequar a insulina noturna para que o pico não ocorra na madrugada.

e) Errado. Esta é fora de cogitação!

Alternativa: B.

49. Uma unidade participante do Programa de Monitoração das Doenças Diarreicas Agudas (MDDA) atendeu na mesma semana três casos de diarreia em adultos cuja história era de haver participado de um mesmo happy hour num bar. Em relação a essa situação, é correto afirmar que:

(A) os três casos devem ser notificados como casos isolados, não constituindo surto, porque apresentaram sintomas em dias diferentes. 

(B) as diarreias são autolimitadas, com duração de alguns dias, e sua gravidade depende da presença ou não de fezes sanguinolentas. 

(C) considera-se surto quando os casos de diarreia são de origem alimentar causadas por bactérias, cujas toxinas causam vômitos e diarreia em poucas horas. 

(D) a imunidade produzida é duradoura. Por essa razão, se o paciente retorna a unidade com os mesmos sintomas, em qualquer tempo, deve ser considerado um caso novo. 

(E) trata-se de um surto de diarreia que é transmitida por água ou alimentos contaminados, ou por objetos levados à boca contaminados com fezes ou vômitos de pessoas doentes. 

Resposta

Nota-se que houve um surto, sendo este uma situação epidêmica limitada a um espaço localizado. Como situação epidêmica, portanto, um surto é o aparecimento súbito e representa um aumento não esperado na incidência de uma doença. Como situação limitada, um surto implica a ocorrência num espaço especificamente localizado e geograficamente restrito, como por exemplo, uma comunidade, um povoado, um barco, uma instituição fechada (escola, hospital, quartel, mosteiro). 

Alternativa: E.

50. W.S., sexo masculino, 36 anos de idade, chegou ao acolhimento da Unidade de Saúde da Família, com queixa de picada de aranha no dorso da mão. A descrição das características da aranha feita pelo paciente são compatíveis com a espécie Phoneutria (aranha armadeira). O paciente apresenta dor intensa no local, com inchaço e vermelhidão. Diante desse quadro, a conduta adotada pelo enfermeiro do acolhimento deve ser promover limpeza do local 

(A) com antisséptico, aplicar compressas frias, pomada para alívio da dor e encaminhar para avaliação em serviço especializado. 

(B) com água e sabão, aplicar compressas mornas, drenar o local da picada para retirada do veneno e aplicar soro antiaracnídico. 

(C) com antisséptico, aplicar compressas mornas, analgesia para alívio da dor e aplicar soro antiaracnídico. 

(D) com água e sabão, aplicar compressas mornas, analgesia para alívio da dor e encaminhar para avaliação em serviço especializado. 

(E) com solução germicida, aplicar compressas frias, analgesia para alívio da dor e aplicar soro antiaracnídico. 

Resposta

De cara memorize de a ação inicial é água e sabão. Secundário a isso, o alívio da dor é promovido com compressas mornas. Não marque alternativas que falem em espremer, drenar e etc. Com essas informações básicas, já se encontra a resposta certa.

Alternativa: D.

Leia a situação a seguir e responda às questões de números 51 e 52

E.G., sexo feminino, 27 anos de idade, depois de repetidas infecções urinárias foi diagnosticada com dois cistos no rim direito, em uma unidade de pronto-socorro hospitalar. Lá foi orientada a procurar a UBS de sua área de residência, levando os exames de imagem realizados, para dar continuidade à investigação e tratamento. Na UBS o tempo de espera pela consulta é de 30 dias e só depois disso será encaminhada ao especialista que iniciará a investigação. Será um novo período de espera pela consulta e pelos exames. E.G. está apreensiva porque desconhece a natureza e gravidade de seu problema de saúde. 

51. Em relação à organização e gestão dos serviços de saúde, a história de E.G. mostra que: 

(A) a rede de atenção à saúde está organizada em níveis de complexidade decrescente, que se comunica por um sistema de referência e contrarreferência. 

(B) há fragmentação da rede de assistência, sem relação entre os níveis de atendimento e complexidade diferentes. 

(C) a organização da rede de assistência à saúde se caracteriza pelas relações horizontais entre os pontos de atenção, tendo a Atenção Básica como centro de comunicação. 

(D) o acesso aos serviços foi garantido, assim como a descentralização da rede de assistência foi evidenciada. 

(E) a rede de atenção às urgências foi efetiva, mas não resolutiva. A rede de atenção básica não se mostrou resolutiva, nem efetiva, nem integrada. 

Resposta

O sistema de saúde possui algumas portas de entrada, sendo a principal delas a UBS para onde ela foi orientada a se dirigir. Nas relações horizontais, dentro da lógica das RAS, um pronto-socorro em comparação com outro serviço de saúde, por exemplo, são igualmente importantes na garantia da atenção à saúde do usuário, pois ambos cumprem papéis específicos para necessidades específicas. 

Alternativa: C.

52. Em relação à implementação da Política Nacional de Humanização, a história de E.G. mostra que:

(A) é incipiente em relação à redução das filas e o tempo de espera baseados em critérios de risco. 

(B) é satisfatória em relação ao protagonismo do usuário, uma vez que a paciente participa ativamente na condução de seu tratamento. 

(C) está consolidada, com práticas resolutivas, racionalização do uso de medicamentos, e ações intervencionistas desnecessárias eliminadas. 

(D) é imperceptível porque o acesso referenciado aos demais níveis de assistência não está entre as ações previstas nesta política. 

(E) é parcial, sendo efetiva no serviço de pronto socorro que aplicou corretamente os mecanismos de desospitalização. 

Resposta

Com relação ao tempo de espera (destacado no texto) nota-se que é necessário melhorias. Comparando as alternativas, elimine, portanto, as que elogiam a eficácia (b e c).

Lembre-se dos objetivos:

– Redução de filas e do tempo de espera, com ampliação do acesso;

– Atendimento acolhedor e resolutivo baseado em critérios de risco;

– Implantação de modelo de atenção com responsabilização e vínculo;

– Garantia dos direitos dos usuários;

– Valorização do trabalho na saúde;

– Gestão participativa nos serviços.

Alternativa: A.

53. Segundo Ministério da Saúde, no Brasil, excluídos os tumores de pele não melanoma, o câncer de mama é o mais incidente entre as mulheres. Apesar dos avanços, na obtenção mais precoce do diagnóstico da doença, observa-se uma grande demora para o início do tratamento especializado, algumas mulheres acabam morrendo antes mesmo do acesso ao tratamento. 

Esse fato fere diretamente quais princípios do Sistema Único de Saúde – SUS? 

(A) Equidade e Regionalização. 

(B) Integralidade e Hierarquização. 

(C) Descentralização e Integralidade. 

(D) Hierarquização e Participação Popular. 

(E) Regionalização e Descentralização. 

Resposta

A integralidade, em palavras simples, seria a possibilidade do usuário transitar em tempo hábil nos níveis de atenção e complexidades de acordo com sua demanda de cuidados.  A hierarquização deve proceder à divisão de níveis de atenção e garantir formas de acesso a serviços que façam parte da complexidade requerida pelo caso, nos limites dos recursos disponíveis numa dada região.O enunciado menciona que o atendimento especializado nem sempre é possível, logo, afeta ambos os princípios.

Alternativa: B.

54. A enfermeira da UBS dimensionou e capacitou a equipe de enfermagem para a campanha de multivacinação, gerenciou os recursos materiais necessários, coordenou a execução da campanha e avaliou seus resultados. Esse conjunto de ações desenvolvido pela enfermeira constitui 

(A) a sistematização da assistência de enfermagem. 

(B) o planejamento da assistência. 

(C) o processo decisório. 

(D) o gerenciamento do cuidado. 

(E) a organização em enfermagem. 

Resposta

As ações de gerência do cuidado de enfermagem referem-se às ações de cuidado direto e de cuidado indireto, de caráter instrumental e expressivo realizado pela enfermeira de forma integrada e articulada, cuja finalidade é oferecer um cuidado sistematizado e de qualidade aos clientes/usuários dos serviços de enfermagem.

Alternativa: D.

55. A UBS realiza o tratamento diretamente observado de cinco pacientes de tuberculose em fases diferentes do tratamento. Após cada consulta, o paciente entrega a receita atualizada ao técnico em enfermagem responsável pela sala de tratamentos que solicita os medicamentos previstos para o mês, os organiza em gavetas com a identificação do paciente e guarda uma via da receita na pasta de acompanhamento do mesmo. Diariamente a enfermeira passa na sala de tratamentos e verifica a frequência dos pacientes, desencadeando as ações de busca ativa em caso de falta. Ela também verifica, ocasionalmente, as gavetas de medicação, conferindo-as com a fase de tratamento de cada paciente. 

Em relação às funções do processo administrativo envolvido nas ações descritas, é correto afirmar: 

(A) A guarda dos medicamentos nas gavetas corresponde à função de planejamento. 

(B) O registro da tomada da medicação na pasta individual corresponde à organização. 

(C) A verificação ocasional das gavetas pela enfermeira corresponde à função de controle. 

(D) A busca ativa dos faltosos corresponde à função de avaliação. 

(E) A verificação diária frequência dos pacientes pela enfermeira corresponde à direção. 

Resposta

Controle é uma função administrativa que serve para monitorar as atividades dos funcionários, controlar se a organização está seguindo os objetivos a serem alcançados, fazer correções quando necessário. Isso pode ser exemplificado com a conferência das gavetas.

Alternativa: C.

56. Em abril de 2019 foi publicado um estudo sobre a tendência da mortalidade por causas evitáveis na infância na região sudeste do Brasil que, entre os resultados, identificou um aumento das taxas de mortalidade por afecções maternas que afetam o feto e o recém-nascido, exceto para aquelas reduzíveis por imunoprevenção. Esse indicador aponta para a necessidade de maior atenção dos serviços de saúde para:

(A) as ações de saneamento básico. 

(B) o planejamento familiar. 

(C) os programas de complementação de renda. 

(D) os programas de promoção à saúde. 

(E) a atenção à mulher na gestação. 

Resposta

Dá medo de errar de tão na cara. Já está falando`que se trata de “afecções maternas que afetam o feto e o recém-nascido”, logo, é necessário intervenção na atenção à mulher na gestação.

Alternativa: E.

57. Uma das Equipes de Saúde da Família, da Unidade de Saúde da Família do Jardim Oásis identificou, por meio de visitas domiciliares, a necessidade de acompanhamento no domicílio de um idoso acamado, em decorrência de sequela de acidente vascular cerebral – AVC, com quadro clínico controlado e compensado. Considerando o perfil do usuário e visando a integralidade da atenção à saúde, a conduta esperada é: 

(A) encaminhar o paciente para ser atendido por uma equipe multiprofissional de atenção domiciliar – EMAD, do Serviço de Atenção Domiciliar – SAD, da base territorial. 

(B) sistematizar um planejamento de ações adaptável ao domicílio e remanejar as atividades da equipe para que sejam viabilizadas, pelo menos uma visita semanal. 

(C) identificar na área de abrangência do território da unidade de saúde, instituições não governamentais de apoio, que possam assumir a assistência ao paciente. 

(D) identificar um cuidador, planejar ações em conjunto com cuidador e equipe do Núcleo Apoio à Saúde da Família, prescrever e orientar os cuidados ao paciente. 

(E) discutir o caso na equipe de saúde da família e atribuir a um membro da equipe a responsabilidade de supervisão e acompanhamento do paciente no domicílio. 

Resposta

Olha só: para tem EMAD, a necessidade de assistência domiciliária envolvem a modalidade AD2 e AD3 (destina-se, na modalidade AD2, a usuários que possuam problemas de saúde e dificuldade ou impossibilidade física de locomoção até uma unidade de saúde e que necessitem de maior frequência de cuidado, recursos de saúde e acompanhamento contínuo, podendo ser oriundos de diferentes serviços da rede de atenção, com necessidade de frequência e intensidade de cuidados maior que a capacidade da rede básica).

O caso do enunciado não extrapola em complexidade a capacidade da atenção básica, logo, o ideal é o apoio oriundo do NASF!

Alternativa: D.

58. A região onde está localizada uma das UBS de Osasco foi surpreendida por fortes chuvas e consequentes deslizamentos de terra. Muitos moradores entraram em contato com a lama e água da enchente. Visando a prevenção e controle de leptospirose, quais recomendações devem ser adotadas? 

(A) Não usar quimioprofilaxia e alertar a população e profissionais de saúde sobre os sintomas da doença, favorecendo o diagnóstico precoce. 

(B) Aplicar quimioprofilaxia na população exposta, atualização vacinal e notificação de todo caso suspeito da doença. 

(C) Organizar ações de atualização vacinal e não divulgar o risco de leptospirose até o aparecimento do primeiro caso confirmado. 

(D) Usar quimioprofilaxia e alertar os profissionais de saúde sobre a possibilidade de ocorrência da doença na localidade. 

(E) Organizar ações de atualização vacinal e alertar a população e profissionais de saúde sobre os sintomas da doença, favorecendo o diagnóstico precoce. 

Resposta

Qualquer indivíduo que entrou em contato com a água ou lama das enchentes é passível de se infectar e manifestar sintomas da doença, configurando-se uma situação em que não há indicação técnica para a realização da quimioprofilaxia contra a leptospirose, como medida de saúde pública. Esta tem indicação apenas quando um grupo pequeno e bem identificado é exposto a uma situação de risco.

Alternativa: A.

59. Doenças como a hipertensão sistêmica e diabetes mellitus são multifatoriais com coexistência de determinantes biológicos e socioculturais, e sua abordagem, para ser efetiva, necessariamente, envolve mudanças no estilo de vida e exige o protagonismo dos indivíduos, suas famílias e comunidade. Dessa forma, a criação de espaços de educação em saúde são de suma importância, para promover e manter a mudança diante de novos comportamentos e novos papéis que a doença crônica impõe. A esse respeito, é correto afirmar: 

(A) O profissional de saúde deve apresentar ao grupo as necessidades, os objetivos e as metas relacionadas ao processo educativo do autocuidado nas condições crônicas. 

(B) Os grupos orientados na educação para o autocuidado trazem melhores resultados quando são informados sobre a doença por meio de palestras. 

(C) É fundamental que o processo, ocorra na Unidade de saúde, para que os participantes sejam acompanhados pela equipe. 

(D) O plano de cuidado e o acompanhamento dos pacientes devem ser feitos coletivamente e quando necessário os retornos podem ser individuais. 

(E) A possibilidade de intercâmbio de experiências e conhecimentos é considerada a melhor forma de promover a motivação para efetuar mudanças comportamentais. 

Resposta

a) Errada. Às necessidades são individualizadas.

b) Errada. Às estratégias bidirecionais com participação do usuário costumam ser favoráveis ao aumento da adesão às mudanças propostas.

c) Errada. A Unidade de Saúde é apenas um dos possíveis espaços, sendo a comunidade um espaço também útil no processo de Educação em Saúde.

d) Errada. Parte das ações são individuais e outras coletivas, no entanto, o planejamento é indiviualizado.

e) Certa. 

Alternativa: E.

60. A população usuária da UBS Esperança tem 18% de pessoas com 60 anos de idade e mais, 35% deles hipertensos, 15% diabéticos, 92% sedentários. Há cerca de um ano foi instalada uma Academia ao Ar Livre para Idosos no território adscrito que tem sido usado por crianças e adolescentes, pela falta de parques na região. Diante disso, a equipe da Unidade Básica propôs aos idosos realizar as atividades educativas em grupo na Academia ao ar livre como forma de ocupação do território. A utilização desse espaço para realização de atividades educativas para idosos corrobora o que preconiza a Política Nacional de Promoção da Saúde no que tange:

(A) o favorecimento da mobilidade humana e a acessibilidade; o desenvolvimento seguro, saudável e sustentável em comunidades, territórios e municípios. 

(B) o relacionamento do tema priorizado/necessidade de saúde com os ambientes e os territórios de vida das pessoas e das coletividades. 

(C) a identificação das diferenças nas condições e nas oportunidades de vida, buscando alocar recursos e esforços para a redução das desigualdades injustas e evitáveis. 

(D) a valorização dos saberes populares e tradicionais e as práticas integrativas e complementares. 

(E) o uso das diversas expressões comunicacionais, formais e populares para favorecer a escuta e a vocalização dos distintos grupos envolvidos. 

Resposta

O texto enfatiza a importância o território! Segundo a referida Portaria, objetiva-se que as intervenções em saúde ampliem seu escopo, abordando as necessidades de saúde e seus determinantes e condicionantes, de modo que a organização da atenção e do cuidado envolva, ao mesmo tempo, as ações e os serviços que operem sobre os efeitos do adoecer e aqueles que visem ao espaço para além dos muros das unidades de saúde e do sistema de saúde, incidindo sobre as condições de vida e favorecendo a ampliação de escolhas saudáveis por parte dos sujeitos e das coletividades no território onde vivem e trabalham. 

Alternativa: B

E aí, o que acharam da prova?

Abraço!!!

Prof. Ligia Carvalheiro.

Posts Relacionados

Compartilhe:

Ligia Carvalheiro

Ligia Carvalheiro

Enfermeira, graduada pela Universidade de São Paulo. Especializações em: Nefrologia, Enfermagem do Trabalho, Saúde da Família, Gestão em Enfermagem e Gestão Pública. Trabalhei no Hospital Alemão Oswaldo Cruz como enfermeira assistencial e na AMA Especialidades como enfermeira e, posteriormente, como Supervisora da Unidade. Em 2015, assumi o cargo de Analista Judiciária - Apoio Especializado - Enfermagem, onde estou atualmente. 

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Vídeos Relacionados

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.

Estamos aqui para ajudar você!
x