Prova TJ-SC Comentada: Questões para Arquiteto
Moema Machado

Prova TJ-SC Comentada: Questões para Arquiteto

CABE RECURSO!

Oi pessoal!

Vou fazer uma sequencia de artigos com os comentários da prova que ocorreu no último domingo para o Tribunal de Justiça de Santa Catarina começando pelas questões que meus alunos estão me pedindo.

Muitos estão reclamando da prova, mas, lembrem-se de que estava difícil para todo mundo e os primeiros lugares da FGV, para cargo de arquiteto, costumam acertar entre 63% a 73%.

Vamos lá!

Questão 31

O edifício para o Ministério da Educação e Saúde construído no Rio de Janeiro, durante a gestão do Ministro Capanema, tornou-se símbolo da modernidade do Estado. Uma das características arquitetônicas desse edifício, incorporada da cartilha corbusiana é:

(A) parede estrutural;

(B) planta compartimentada;

(C) embasamento direto no solo;

(D) pano de vidro;

(E) terraço pavimentado.

Comentários

Os cinco elementos que definem o programa arquitetônico corbusiano são: os pilotis, a planta livre, o terraço-jardim, a fachada livre e as janelas horizontais.

O pano de vidro é possível através do conceito da fachada livre.

Gabarito: alternativa D

Questão 33

A arquitetura busca dar uma configuração à matéria, de modo a individualizar o objeto e atribuir-lhe uma função. Nesse sentido, considere as afirmativas abaixo, referentes aos objetivos atribuídos aos levantamentos arquitetônicos e urbanísticos:

I. Funcionalidade: envolve a organização das atividades de execução das obras.

II. Técnica: exerce preocupação com as questões relativas ao conforto térmico, acústica, lumínico e ambiental.

III. Estética: emite mensagens sensoriais a partir do produto artístico do projeto.

Está correto somente o que se afirma em:

(A) I;

(B) II;

(C) III;

(D) I e II;

(E) II e III.

Comentários

I. A funcionalidade está ligada às respostas que a arquitetura dá às necessidades e às funções da vida humana.

II. Certa. Como técnica, ela vai assegurar que através da configuração da matéria serão mantidos padrões de «habitabilidade». O Conforto Ambiental reúne todos os conhecimentos necessários para a habitabilidade dos espaços arquitetônicos, o que envolve questões térmicas, acústicas e lumínicas, além da sua aplicabilidade através das instalações prediais complementares. Por exemplo, a escolha da orientação da edificação no terreno quanto ao sol e aos ventos vai influenciar no conforto térmico dos ambientes internos.

III. Certa. COMUNICAÇÃO ESTÉTICA corresponde ao processo através do qual o artista, seja ele arquiteto ou não, emite mensagens perceptíveis sensorialmente, a partir de um objeto ou produto artístico, no qual o espectador ou usuário é receptor passivo e, ao mesmo tempo, ativo, pois emite respostas, através de sua ação ou uso. (MOLES, 1978)(CASTELNOU, 2014)

A presença material é o primeiro signo da arquitectura, mas esta não se reduz a tal, já que é dotada de qualidades sensíveis, no sentido de se tratarem de qualidades que ultrapassam a percepção indiscriminada para se orientarem de forma directa para a estimulação de uma consciência estética ao conferir valores sensitivos. Este percurso determina a identificação do objecto/ forma como conjunto de qualidades sensíveis. (FARIA, 2009)

Nota: Citação em português de Portugal.

Gabarito: alternativa E

Questão 39

O escoramento consiste em estruturas temporárias utilizadas para sustentação de formas para concretagem.

Sobre o tema, é correto afirmar que:

(A) escoras tubulares ajustáveis são utilizadas nas construções de alto pé direito;

(B) torres de escoramento e treliças são estruturas em madeira de baixa altura, formadas pela associação de torres;

(C) vigas leves são vigas constituídas de 2 perfis “I” executados com chapa em madeira com uma alma de aço;

(D) treliças leves são constituídas de treliças e vigas de alma cheia encaixáveis;

(E) escoramentos de madeira são constituídos de madeiras isentas de deformações com ligamentos realizados exclusivamente por parafusos.

Comentários

(A) As escoras tubulares ajustáveis são muito utilizadas nas construções de baixo pé direito, em substituição aos montantes de madeira.

(B) Torres de escoramento e treliças são cimbramentos metálicos de grande altura formados pela associação de torres, contraventadas com material tubular, com os vãos livres ligados por treliças. O sistema de torres e treliças só é econômico para alturas de escoramento superiores a 7,00 m, sendo pouco empregados em obras prediais.

(C) As vigas leves são vigas constituídas de 2 perfis “U” executados com chapa metálica fina dobrada, com interposição de uma alma de madeira. Podem, ainda, ser fabricadas em liga de alumínio (vigas L), contendo um detalhe na parte superior para colocação de uma peça de madeira, na qual pode ser pregado o assoalho da forma.

(D) O sistema de treliças leves é constituído de treliças e vigas de alma cheia encaixáveis. Os comprimentos das vigas podem ser ajustados, sendo o comprimento do elemento de alma cheia que penetra na treliça nunca inferior a 50 cm.

(E) Escoramentos de Madeira são escoramentos executados com barrotes de madeira de primeira qualidade (seção 7,5 x 7,5 cm) ou com escoras de eucalipto com diâmetro superior a 0,10 m, sobre as quais são assentadas vigas de madeira, fabricadas na forma de sanduíche. Sobre as vigas são montadas as formas da estrutura. O escoramento de madeira com peças pregadas é feito com madeira de primeira, isenta de deformações, defeitos, irregularidades ou pontos frágeis.

http://187.17.2.135/orse/esp/ES00062.pdf

Gabarito: alternativa D

Questão 42

No desenvolvimento do projeto de arquitetura para uma edificação, a etapa de anteprojeto se destina à:

(A) representação das informações técnicas necessárias à análise e aprovação pelas autoridades competentes, com base nas exigências legais;

(B) elaboração de análise e avaliações para seleção e recomendação de alternativas para a concepção da edificação e de seus elementos;

(C) idealização e reprodução final dos elementos técnicos da edificação, completos e definitivos, necessários à licitação e execução dos serviços.

(D) concepção e representação das informações técnicas provisórias de detalhamento da edificação, suficientes à elaboração de estimativas de custos;

(E) coleta das informações de referência que representem as condições preexistentes, de interesse para instruir a elaboração do projeto.

Comentários

NBR 13531:1995 cancelada com substituição pela NBR 16636-1:2017:

ANTEPROJETO (AP) E/OU PRÉ-EXECUÇÃO (PR)

Etapa destinada à concepção e à representação das informações técnicas provisórias de detalhamento da edificação e de seus elementos, instalações e componentes, necessárias ao inter-relacionamento das atividades técnicas de projeto e suficientes à elaboração de estimativas aproximadas de custos e de prazos dos serviços de obra implicados;

Nota: Quando estas informações forem consideradas na sequência das atividades técnicas das duas etapas do projeto (de anteprojeto e de pré-execução), elas devem ser claramente redefinidas nos documentos contratuais e representadas no fluxograma e no cronograma físico-financeiro.

NBR 16636-1:2017:

3.4 anteprojeto arquitetônico (AP- ARQ)

etapa destinada à concepção e à representação das informações técnicas provisórias de detalhamento do projeto arquitetônico da edificação, ou dos espaços urbanos e de seus elementos, instalações e componentes,  ser realizada por profissional habilitado.

(A) Projeto Legal.

(B)Estudo de viabilidade.

(C) Projeto executivo.

(D) Correta.

(E) Levantamento.

Questão baseada na norma antiga, podem tentar recurso, mas não creio que acatarão pelo que conheço da FGV…

Gabarito: alternativa D

Questão 45

Na construção de um ambiente, diversos serviços devem ser executados em uma sequência lógica.

No caso de um banheiro, considere os serviços a seguir:

A) alvenaria;

B) louças sanitárias, bancadas, metais sanitários;

C) azulejo;

D) piso cerâmico.

A sequência correta de execução desses serviços deve ser:

(A) A, C, B e D;

(B) A, C, D e B;

(C) A, D, C e B;

(D) D, A, C e B;

(E) D, B, A e C.

Comentários

Recurso!

A colocação de louças, bancadas e metais sanitários deve ser após à colocação do piso.

Segue trecho de um livro, que, inclusive, a FGV costuma se embasar…

A Técnica de Edificar – Yazigi:

18.1.11 – COLOCAÇÃO DE BANCADA, LOUÇA E METAL SANITÁRIO – PROCEDIMENTO DE EXECUÇÃO DE SERVIÇO

  1. 1.11.3 – MÉTODO EXECUTIVO
  2. 1.11.3.1 – CONDIÇÕES PARA O INÍCIO DOS SERVIÇOS

Os serviços de revestimento interno (tetos, paredes e pisos) e instalações hidráulicas devem estar concluídos. As proteções dos pontos de água e de esgoto (plugues, papel amassado etc.) têm de ser removidas.

Trecho da apostila da UFJF: Construção de edifícios – Tecnologia II – Prof. Pedro Kopschitz Xavier Bastos:

SEQUÊNCIA DE SERVIÇOS EM BANHEIROS:

1) Alvenaria

2) Tubulação, conexões, válvula de descarga, caixa sifonada, registros.

3) Azulejo

4) Piso cerâmico

5) Louças sanitárias, bancadas, metais sanitários.

6) Arremates do azulejo.

Gabarito: alternativa A – mas creio que o gabarito seja B

Abraços e boa sorte!

Não se esqueçam de nos dar um feedback da colocação de vocês!

Moema

Posts Relacionados

Compartilhe:

Moema Machado

Moema Machado

  Arquiteta e Urbanista formada pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em janeiro de 1995. Trabalha desde então no mercado imobiliário tendo projetado, aproximadamente, 1.150.000,00 m2 de edificações e condomínios. Aprovada em 1º lugar para o cargo de analista judiciária – apoio especializado em arquitetura do Tribunal Regional Federal da 2º Região em 2017 entre outros concursos. Cursando, atualmente, Mestrado na UFF na área de Gestão, Produção e Meio Ambiente.

Veja os comentários:
Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Vídeos Relacionados

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.

Estamos aqui para ajudar você!
x