Artigo

Banco Central – 500 vagas serão dividas por praças. Edital deve sofrer pequeno atraso

A chefe do Departamento de Gestão de Pessoas (Depes) do Banco Central (BC), Nilvanete Ferreira da Costa, confirmou na tarde desta quarta-feira, dia 17, que o concurso para técnico (nível médio) e analista (superior) será regionalizado. Dessa forma, os candidatos terão que optar, já no ato da inscrição, em qual cidade desejam trabalhar, entre aquelas com oferta de vagas. Para procurador, a seleção será nacional, com a maior parte dos aprovados devendo ir para Brasília, como informou o procurador-geral do BC, Isaac Sidney Menezes Ferreira, em entrevista à Folha Dirigida no início deste mês.

A chefe do Depes afirmou que a seleção para técnico e analista não deverá contar com vagas em todas as dez capitais que possuem unidades do banco, porque algumas delas já tiveram a necessidade de pessoal suprida por meio do processo de mobilidade interna, cujo resultado foi divulgado internamente no fim do mês passado. Além de Brasília, onde fica a sede, o BC tem unidades em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Fortaleza, Recife, Salvador e Belém. Nilvenete não disse para quais cidades não haverá vagas, mas o resultado do processo de mobilidade mostra um fluxo significativo de analistas para São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Com isso, é possível que não sejam oferecidas vagas nesse cargo para essas localidades.

A dirigente não antecipou outras informações, como as cidades de realização das provas e o mês em que elas serão aplicadas. Anteriormente, já havia sido informado que, a princípio, as avaliações seriam realizadas em setembro. De acordo com Nilvanete, alguns ajustes ainda estão sendo feitos no contrato com o Cespe/UnB, que, segundo ela, ainda não havia sido assinado até o fim da tarde da última quarta. Devido a isso, a divulgação do edital, que segundo fonte ligada ao BC, estava prevista para esta sexta, 19, deverá sofrer um pequeno atraso. Entretanto, de acordo com a mesma fonte, a divulgação deverá ocorrer até a sexta-feira seguinte, dia 26.

Oferta – Serão oferecidas 100 vagas de técnico, com remuneração inicial de R$5.531,23, já com o auxílio-alimentação, de R$373. Para analista, serão 400 vagas, com iniciais de R$13.968,85 , também incluindo o auxílio. As chances deverão ser distribuídas pelas áreas de suporte técnico-administrativo e segurança institucional, no caso de técnico, e por diversas áreas de atuação, no caso de analista. Apesar disso, o requisito básico para esse último deverá ser a formação superior em qualquer área de formação. No caso de procurador, serão 15 vagas, destinadas aos bacharéis em Direito com pelo menos dois anos de prática forense. Os ganhos mensais para os recém-chegados à carreira são de R$16.092,13, contando com o auxílio-alimentação, de R$373.

Etapas – Sendo mantida a estrutura do concurso anterior, de 2009, a nova seleção será composta por provas objetivas, prova discursiva (apenas para analista), avaliação de títulos (dependendo da área de atuação), sindicância de vida pregressa e programa de capacitação. Uma portaria publicada em abril já definiu que para procurador, haverá prova objetiva, três provas discursivas, prova oral e avaliação de títulos, sindicância de vida pregressa e curso de formação, com as provas sendo aplicadas ao menos nas dez capitais com unidades do banco.

FONTE: Folha Dirigida

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja os comentários
  • Nenhum comentário enviado.