0

5 erros dos concurseiros que não são aprovados

Muitos concurseiros cometem erros cruciais para sua reprovação. Veja todos eles para que estude de forma eficiente.

5 erros dos concurseiros reprovados

  1. Não definir uma área
  2. Querer resultado imediato
  3. Falta de metas metas
  4. Não fazer questões
  5. Ausência de revisões

1. Não definir uma área

São muitos conteúdos para se estudar. Se você quiser abarcar o mundo com as pernas, não vai chegar a lugar algum, pois não vai ficar bem preparado.

Defina sua área de estudo, tipo: fiscal, policial, controle, tribunais, legislativo etc.

Isso vai dar a você a vantagem do acúmulo de conhecimento de uma concurso para outro.

2. Querer resultado imediato

Se você está sempre apagando incêndio, correndo atrás de edital e pensando no curto prazo, não chegará preparado a nenhuma prova.

Estará sempre prejudicando sua preparação no médio/longo prazo e  vai ser atropelado pela galera que já estuda há mais tempo.

Avançar rápido, mas não fazer bem feito, não adianta.

Planeje-se para o médio prazo pelo menos. Faça um estudo sólido e os resultados virão.

3. Falta de metas

Se você não estabelecer metas de curto prazo, diárias/semanais, você vai tender a procrastinar os estudos. Vai viver de enrolação.

Então, crie metas de curto prazo para que você tenha senso de urgência. Elas são fundamentais para sua produtividade ser alta.

4. Não fazer questões 

Não caia no erro de querer estudar todo o edital (só para avançar rápido) para só depois fazer questões.

Também não tenha medo, essa é a hora de errar.

Elas são fundamentais para a compreensão do conteúdo, para fixação e memorização dos pontos mais importantes, para você sabe o que a banca gosta de cobrar e para testar seus conhecimentos.

Então, após estudar cada assunto, faça uma bateria de questões.

5. Ausência de revisões

Se você não organizar suas revisões, esquecerá todo o conteúdo estudado.

A repetição é fundamental para consolidação e memorização dos assuntos estudados.

Então, faça revisões de forma eficiente, direcionando mais tempo para suas maiores dificuldades e por meio de materiais sintéticos (grifos, resumos ou mapas mentais por exemplo), mesclando com questões e lei seca.

Um grande abraço!

Bruno Bezerra

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *