Artigo

Senado Federal – Como se preparar para Analista Legislativo – Informática Legislativa

O Senado Federal autorizou ontem, 3 de setembro, a realização de um novo concurso público com 40 vagas para cargos de Nível Médio e Superior e eu gostaria de falar especificamente com quem está interessado na vaga Analista Legislativo (especialidade Informática Legislativa), um dos concursos mais cobiçados da área de TI .

Mas antes, deixe eu me apresentar brevemente: Meu nome é Felipe Ribeiro Pereira, membro da Divisão de Tecnologia de Informações Fiscais da SEFAZ-RS e da equipe de Coaching do Estratégia Concursos. Recentemente fui aprovado para Auditor Fiscal (Área Tecnologia da Informação) da SEFAZ-SC (22º) e da SEFAZ-BA (8º).

Vaga Analista de TI

O certame visa o preenchimento de vagas imediatas e cadastro de reserva e terá oportunidades para Técnico Legislativo (Policial Legislativo), Advogado e Analista Legislativo. Dentre as 40 vagas diretas, está autorizada 1 vaga para a Analista Legislativo, Nível III, padrão 36, na especialidade Informática Legislativa, com requisito de escolaridade de nível superior.

Segundo informações disponibilizadas no site do Senado, foram nomeados desde 2012 até o vigente ano 38 novos servidores para a especialidade Informática Legislativa, ou seja, apesar da previsão de apenas 1 vaga direta, podemos esperar um bom aproveitamento deste novo cadastro reserva.

No último concurso, em 2011, foram ofertadas vagas para duas especialidades:

INFORMÁTICA LEGISLATIVA (ANÁLISE DE SISTEMAS)
REQUISITO: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de nível superior na área de Tecnologia da Informação, Ciências Exatas ou qualquer formação de nível superior acrescida de pós-graduação na área de Tecnologia da Informação, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação –MEC.

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES: Ao Analista Legislativo, Área de Tecnologia da Informação, Especialidade Informática Legislativa (Análise de Sistemas), incumbe participar e acompanhar o levantamento e a análise de informações junto às gerências de relacionamento para planejar, desenvolver, homologar e implantar sistemas de informação e bases de dados; executar outras atividades correlatas.

INFORMÁTICA LEGISLATIVA (ANALISE DE SUPORTE DE SISTEMAS)
REQUISITO: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de nível superior na área de Tecnologia da Informação, Ciências Exatas ou qualquer formação de nível superior acrescida de pós-graduação na área de Tecnologia da Informação, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação – MEC.
DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES: Ao Analista Legislativo, Área de Tecnologia da Informação, Especialidade Informática Legislativa (Análise de Suporte de Sistemas), incumbe prestar consultoria técnica às atividades de prospecção, avaliação, homologação e configuração de equipamentos e softwares básicos; executar outras atividades correlatas.

Remuneração Analista TI

A remuneração do cargo de Analista Legislativo do Senado Federal é composta por um vencimento básico acrescido de gratificações. De acordo com informações consultadas no Portal da Transparência do Senado Federal, com base no mês de maio de 2019, no total, os salários variam entre: R$ 25.897,76 e R$ 29.351,82.

Provas

A banca responsável pela organização do edital anterior foi a Fundação Getúlio Vargas e o certame foi constituído de provas objetivas de múltipla escolha e de provas discursivas, ambas de caráter eliminatório e classificatório. As disciplinas cobradas foram:

  • Língua Portuguesa – 20 questões, peso 1
  • Conhecimentos Gerais – 10 questões, peso 1
  • Língua Inglesa – 10 questões, peso 1
  • Conhecimentos Específicos – 40 questões, peso 2
  • Redação – 30 linhas, 20 pontos
  • Questão Discursiva – 30 linhas, 20 pontos

Veja no edital o conteúdo programático completo que foi cobrado naquela ocasião: Edital – Analista Legislativo – 2011.

Como Estudar para Analista de TI do Senado?

Chegamos no item mais importante artigo, como se preparar para analista de TI do Senado Federal?

Acredito que ainda estamos em um bom momento de início dos estudos para quem tem interesse nesse concurso, digo isso pois teremos o tempo necessário de um bom planejamento pré-edital aliado a motivação e segurança que a publicação da autorização do concurso traz aos alunos.

Entretanto, precisamos lembrar que esse é um dos concursos mais disputados do país e se você quer competir de verdade, precisa se preparar em alto nível. E quando digo alto nível, não estou falando em número de horas, muito pelo contrário, estou falando em qualidade na construção do planejamento, na escolha das ferramentas e na execução do estudo.

Nesse contexto, gostaria de te fazer uma proposta: não comece a estudar hoje, ou, se já começou, pare por uns dias.

Por algum tipo de coincidência cósmica, a autorização desse concurso saiu justamente na nossa semana Especial de Ferramentas de Estudos dos Aprovados, onde serão reunidas e apresentadas as principais dicas e estratégias dos aprovados referentes as técnicas e ferramentas de estudos. Minha proposta é que antes de você iniciar ou retomar os estudos, assista os seis eventos abaixo:

#1) Leitura e Grifos: aplicativos e programas!

#2) Como fazer Mapas Mentais, Resumos e Fichas?

#3) Planilhas Básicas de Estudos

#4) Áudios e Vídeos

#5) Planilhas Avançadas de Estudos

#6) Escolhendo as Melhores Ferramentas!

Meu objetivo aqui é que você adquira um conhecimento, baseado nos erros e acertos dos aprovados nos concursos anteriores, e faça escolhas que provavelmente irão te poupar muitas horas de estudo ao optar pelos melhores caminhos. Além disso, quero que você se sinta capacitado a montar e executar o seu próprio planejamento utilizando as ferramentas que disponibilizamos gratuitamente.

Depois que você passar por essa etapa, podemos passar para análise detalhada dos conteúdos cobrados no edital anterior e, então, compartilharei dicas específicas para preparação de cada matéria.

E ai, topa?

Espero que sim! E se tiver alguma dúvida, pode me contatar via direct no Instagram: @prof.feliperibeiro

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja os comentários
  • Nenhum comentário enviado.